Eduardo Cunha, agora, vale menos que antes do impeachment, por Urariano Mota

Pelo histórico da sua ficha criminal, Eduardo Cunha é um chantagista de mérito indiscutível. Já há muito, colhemos do seu perfil em pesquisa:

Os pedidos com que Eduardo Cunha trabalha são muitos e variados: empreiteiras, empresas de telefonia, companhias prestadoras de serviço no setor elétrico. Dependendo da negociação, e do desejo do freguês, Cunha providencia a anulação de normas, inclui nas Medidas Provisórias as emendas-submarino (como são chamados no Congresso os adendos oportunistas que nem sequer precisam tratar do mesmo assunto da MP) e agiliza a aprovação de leis.  

Mas com aquelas pessoas e empresas mais resistentes, ele sempre foi até o segundo passo. Chantageava. Segundo um delator da chamada Operação Lava Jato, partiu de Eduardo Cunha a iniciativa de pressionar multinacionais para que pagassem corrupção referente a contratos de navios-sonda da Petrobras por meio de requerimentos apresentados na Câmara.

Esse delator afirmou ter se reunido em 2011 com o deputado, e que nessa reunião Eduardo Cunha dissera “que havia tomado a decisão de fazer um requerimento na Comissão de Fiscalização da Câmara pedindo explicação sobre os negócios de Júlio Camargo”.

Outro delator, Alberto Youssef, acusou Eduardo Cunha de pressionar a empresa Mitsui a pagar propina, valendo-se de pedidos de informações no Congresso que poderiam criar embaraços para a empresa. De acordo com o doleiro,  Eduardo Cunha apresentou, por meio de um aliado, os pedidos de investigação contra a empresa porque ela parou de pagar propina.

São apenas algumas das chantagens denunciadas, que se busca e se colhe sem qualquer esforço de procura sobre ele. O problema é que a essa intensa ficha criminal, o nobre chantagista acrescentou o crime de sequestro, na medida em que procurou fazer da presidenta Dilma uma refém. E não exagero, porque sequestro é um crime de reter à força um bem ou pessoa com intenção de cobrar dinheiro, vantagens ou providências imediatas para a concessão do resgate. Mas nem toda força é física, é claro.

Refém, por sua vez, é a vítima capturada por um criminoso, grupo ou organização e que sofre ameaças, se não forem atendidas as exigências ou reivindicações dessa pessoa, grupo ou organização.  Copio de pesquisa sobre o caráter de sequestradores: :

“O sequestrador quer algo para obter alguma coisa. Isso pode ser tão simples como dinheiro, segurança pessoal ou uma passagem segura para outro país, ou pode envolver complicados objetivos políticos. Mas o alvo do sequestrador não é o refém, é uma terceira pessoa (uma pessoa, uma empresa ou um governo), que pode fornecer o que quer que seja que o sequestrador queira. Os reféns são apenas o meio para a barganha”.

O chamado presidente Eduardo Cunha já havia sequestrado o Congresso e, como bom criminoso, aumentava o preço do resgate a cada votação. Ele sacrificou o Brasil para exercer o próprio arbítrio e delinquência. Agora, posto contra o muro, tirou a máscara.  

Ainda há matérias que perguntam na chamada: “Por que Cunha aceitou o pedido de impeachment?”.  Precisa explicar? Ele sentiu o fim do seu reinado. As notícias falam que em uma primeira avaliação com assessores, a presidenta Dilma Rousseff desabafou que, ao menos, acabou-se a indefinição que estava imobilizando o governo. “Foi melhor assim”. 

O nobre delinquente, na sua decisão afirma de abrir o impeachment contra a presidenta: “(o governo Dilma) não é uma crise exclusivamente econômica, mas também política e, sobretudo, moral”.  E mais: “tenho defendido que, a despeito da crise moral, política e econômica que assola o Brasil…”. Quem fala? Não tem pudor nem consciência. O cinismo não dói.

Eduardo Cunha, no seu estilo de bandido ético, sempre espalhou a ameaça de falar o que sabe se algum dia caísse, pois ele não cairia sozinho. Que caia e fale, que caia e venha abaixo com quem da sujeira dele se lambuzou.  Parodiando o samba de Paulinho da Viola: um aliado que morre é uma ilusão. E uma ilusão deve morrer.

Na Rádio Vermelho http://www.vermelho.org.br/noticia/273736-35

 

28 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sérgio Rodrigues

- 2015-12-06 04:12:50

Avante!...

A Nação não sucumbirá para esses meliantes!....Presidenta comande!...

Cunhão Roxo

- 2015-12-06 01:52:18

até o pior de todos os

até o pior de todos os imbecis sabe que Cunha nem poderia ter feito melhor para Dilma se manter no poder. Por que fez?  Só por amor aos olhos petistas?

emerson57

- 2015-12-05 23:34:30

testa

testa di cavolo

• Fig.: persona poco intelligente, che non capisce bene le cose, o anche testarda e cocciuta.La scarsa intelligenza è qui paragonata allo scarso valore del cavolo.

oscar2

- 2015-12-05 22:04:25

Resumindo...

...um ESCROTO, rodeado de uns tantos escrotos.

revenger

- 2015-12-05 19:11:20

Sei não. Tá merditando ou tá

Sei não. Tá merditando ou tá pedindo perdão à Deus pelos trinta dinheiros?

democracia direta

- 2015-12-05 18:28:53

A FALTA QUE FAZ O RECALL!

Não estaríamos enfrentando todas essas dificuldades, se tivéssemos o direito de convocar o RECALL! No RECALL, o processo de cassação é iniciado pelo povo, através de ABAIXO ASSINADOS; para depois ser decidido no voto popular. Ou seja, a Dilma não precisaria fazer tantos acordos, e distribuir tantos cargos, para garantir uma sólida base de apoio para essa votação no congresso. O que acabou engessando o país, e estendo a crise, que é muito mais política, que econômica. Ou seja, gente irresponsável e egoista, como o Aécio Neves, Agripino Maia, Cunha, e Paulinho da Força, etc; acabam se aproveitando da situação para enrolar votações no congresso, a fim de debilitar nossa economia, e tirar vantagem política, conquistando mais apoio a um impeachment.

O PT e as esquerdas brasileiras são uma proposta INFINITAMENTE SUPERIOR à extrema direita colonialista e altamente corrupta do PSDB e do DEM! Como não existe coelhinho da páscoa, papai noel, nem partidos perfeitos; é o que temos de melhor por enquanto, e precisamos apoiar. Sob pena de haver um retrocesso em todas as conquistas dos últimos anos, e a própria recolonização do Brasil, que ainda está em fase de conquista de sua independência político econômica. Podemos citar inúmeros avanços e vantagens em relação aos governos PSDB / DEM, mas destacaremos apenas um:

Pequena produção automotiva com o PSDB: 70% EXPORTADA

Grande produção automotiva com o PT: 3% EXPORTADA

Ou seja, hoje deixamos de ser um país colônia, voltado para exportação. Elevamos a renda dos trabalhadores, e nosso próprio povo tem poder aquisitivo para consumir o que produz. Nosso mercado interno tornou-se muito mais importante que o externo, durante o governo petista. Por isso, mesmo em recessão, não sentimos tanto efeito da queda na atividade econômica; que, aliás, não é culpa da Dilma, e sim da economia chinesa e mundial, além de sabotagens dos próprios partidos golpistas de oposição. Se as empresas exportadoras hoje estão em dificuldades, nosso robusto mercado interno não deixa que os brasileiros sofram as piores consequências, como na época do PSDB.

Ou seja, a redução do PIB concentrou-se muito mais contra os exportadores, e não contra a ampla maioria da nosso povo. Por isso enfrentamos uma crise econômica igual a um país desenvolvido, coisa que não tínhamos noção até pouco tempo atrás. O povo, por exemplo, via notícias de que a Grécia, Espanha, etc, estavam em crise, mas imaginava que estavam quebrados, como o Brasil na época do FHC. Não é nada disso! Com toda a crise grega e espanhola, eles ainda mantém um dos mais elevados padrões de vida do mundo. Porém, como o Brasil, precisam reverter essa tendência, para que não se agrave no futuro. Da mesma forma que eles, o Brasil manterá um razoável padrão de vida agora, ainda que enfrentando toda essa crise. Graças a nossa Presidenta Dilma, essa mulher irrepreensível, e maravilhosa, que teve sua vida investigada pelo juiz Moro, cuja família é do PSDB; e mesmo assim não encontrou nada que a desabonasse.

É lamentável que nosso sistema político, e em especial nosso judiciário, sejam regidos por leis medievais, que não garantem uma MAIOR PARTICIPAÇÃO POPULAR, seja para propor e derrubar leis, ou para cassar políticos, juízes, promotores, e delegados. E, por conta disso, passamos pelo vexame de ver um sociopata, trambiqueiro, e mentiroso, como o Cunha, que tem todos os elementos para ser detido, como o Delcídio; sem ser preso, ou pelo menos afastado da presidência da câmara; e, ainda por cima, conseguindo se vingar da Dilma, aceitando um pedido de impeachment viciado, feito por pessoas que não têm a menor moral para isso, em cima de práticas feitas por todos os presidentes, desde o Collor. Entretanto, apesar do vexame e do incômodo à nação, não é esse sujeito quem julga o impeachment, e a sociedade precisa se posicionar.

A estratégia dessa gente é comprar votos no congresso. Observem bem o tamanho do saco de dinheiro arrastado por esse COLONIALISTA, que luta para nos recolonizar, que também foi citado nas gravações da Lava Jato, e pode estar prestes a ir pra cadeia:

https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.300951956707140.1073741826.300330306769305/640261436109522/?type=3&theater

Infelizmente, nossos políticos mais à esquerda, inclusive parte do próprio PT, é gente frouxa e acovardada, que se borra de medo da vontade popular; fechando-se num corporativismo insano, onde um defende o outro a qualquer custo. Talvez uma cultura própria de pessoas com uma origem mais humilde e popular, onde evitavam o confronto ao máximo, por ser a parte mais frágil, e viviam em constante opressão. E agora tem político que ainda não percebeu o poder e a responsabilidade de seu cargo. O que leva a situações cômicas, como na do julgamento do mensalão. O medo e a covardia foram tamanho, que acabaram oprimidos e presos, num processo irregular e viciado, em que os reus do do PSDB foram retirados, e ainda nem foram julgados. O PT não tomou nenhuma providência sobre isso, quando, no mínimo, deveria pedir a cassação dos juízes que tiraram os reus do PSDB do processo, e dos que hoje estão enrolando para julgá-los.

Esse é o preço da covardia de nossas esquerdas, as consequências de andar com o rabo no meio das pernas. Por isso, até hoje não defendem pra valer o

RECALL – REFERENDO REVOCATÓRIO DE MANDATO,

nem com seus políticos, nem com seus movimentos sociais e cabos eleitorais. Eles jogaram nossa Presidenta nas mãos do congresso, cujos votos podem ser comprados ao custo de bilhões, por pessoas que nunca nem colocaram seus pés aqui no Brasil. Sendo que se fosse num processo de RECALL, a Dilma ganharia tempo nas TVs para se defender de todas as acusações, revertendo a queda de popularidade com as manipulações da globo e da veja, e JAMAIS SERIA CASSADA PELO POVO. Justamente ela, que durante os protestos de 2013, sugeriu uma

REFORMA POLÍTICA POR CONSTITUINTE OU PLEBISCITOS,

não tendo receio algum de que o povo conquistasse o direito de convocar RECALL.

IMPEACHMENT NÃO É

DILMA X CUNHA

É

TODO O POVO X A CORRUPÇÃO

Seja responsável, não viva no mundo da fantasia, não faça de conta que não será o Michel Temmer quem vai assumir. Pelo menos estude um pouco, para ter uma mínima noção do que está em jogo, e o que podemos perder. Veja quem é o Michel Temmer:

https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.300951956707140.1073741826.300330306769305/693604417441890/?type=3&theater

https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.654154174720248.1073741839.300330306769305/683039305165068/?type=3&theater

Faça sua parte, não deixe que a corrupção vença em nosso país, defenda nossa Presidenta em casa, no trabalho, nas escolas, no convívio social, e inclusive indo pras ruas. Mas principalmente, envie e-mails aos deputados e senadores, para que que votem contra o impeachment, deixando claro a eles, que perderão seus votos, se apoiarem mais essa palhaçada do Cunha.

Lista de e-mails do congresso:

http://www2.camara.leg.br/deputados/pesquisa

http://www.senado.gov.br/transparencia/LAI/secrh/parla_inter.pdf

Urariano Mota

- 2015-12-05 17:49:40

Grato, Anna Dutra

Ele e seus quarenta chefiados.

Na medida do possível, bom fim de semana.

Wendel

- 2015-12-05 16:32:32

E ...........................

Como disse outrora nossa Presidente  DILMA,- " NÃO VAI FICAR PEDRA SOBRE PEDRA'

E que assim seja !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Farofa no Ventilador

- 2015-12-05 14:17:50

Fora de Pauta? Tá tudo misturado
 Dona Mancha  Dona Mancha • 16 minutos atrás

E o Ministério Público tem algo a nos dizer?
E a Policia Federal tem algo a nos dizer?
E o Supremo Maior tem algo a nos dizer?
Ou isso é lá com São Marinho?

Miniatura  •ResponderCompartilhar ›       

 

Farofa no Ventilador

- 2015-12-05 14:10:03

Quem conhece bem Eduardo Cunha

[video:https://www.youtube.com/watch?v=_RA_9zLeMgs]

Luiz M. de Barros

- 2015-12-05 13:59:21

Transcedencia

Os que intuem uma America Latina, berço de uma nova civilização as vezes nos aturdem os fatos do cotidiano devido priorizarmos a adversidade - a  inesperada ousadia dos canalhas em associação espuria..-Cunhas em conluio com a midia e um judiciario partidarizado com a direita.  No entanto a esperança volta a se impor ao lermos Mino Carta apesar de sempre a nos advertir que não é para as nossas existencias. Aquela profecia é conquistada no entendimento da correlaç]ao de forças tendo a favor dela algo transcendente =energias positivas a nos insuflar 

Farofa no Ventilador

- 2015-12-05 13:53:10

Eles substimam a nossa inteligência. Vão se foder

Com essa Oposição, a Dilma não precisa do PMDB!

Elmar lembra: eles pensam que o povo é bobo! Imprimirpublicado 05/12/2015 no Conversa Afiadabessinha cunha meditando

O Conversa Afiada tem o prazer de publicar breve e certeiro texto do excelente repórter e editor gaúcho Elmar Bones:


Com essa oposição, Dilma nem precisa de aliados

A mídia desdenha da inteligência do povo brasileiro.

Tenta fazer passar como coisa séria essa iniciativa de Eduardo Cunha, de encaminhar o impedimento de Dilma Rousseff.

Oh! Horror! A presidente deu pedaladas!

A Caixa e o Banco do Brasil pagaram contas do governo e só foram reembolsados meses depois (com os devidos juros, por sinal).

Disse Merval Pereira, um dos ideólogos da Rede Globo e suas afilhadas:

“Não importa se o impeachment foi acionado por um presidente da Câmara sem credibilidade. Importa que a presidente infringiu a lei orçamentária”.

Que crime! Hediondo! Nenhum presidente, nenhum governador, nunca ousou tanto! Impeachment!

Acham que o povo é bobo?

Desde que Dilma Rousseff assumiu, em janeiro de 2015, não passou uma semana sem que as manchetes anunciassem o impeachment iminente da presidente.

A Câmara acumulou 34 pedidos. 34!

Onze meses se passaram e, como dizem os cronistas esportivos mais antigos, “no apagar das luzes” de 2015,  a oposição  ( sua guarda avançada, a ” grande midia”)  teve que valer-se da falta de escrúpulos de um Eduardo Cunha para dar materialidade ao seu delírio.

Com essa oposição, Dilma nem precisa de aliados!

 

Gilson AS

- 2015-12-05 13:06:26

Resumindo em poucas palavras,

Resumindo em poucas palavras, é um grande filho da puta.

Que me perdoem as putas e seus filhos pelo comparativo.

Mário Latino

- 2015-12-05 13:05:53

Ah, o imbecil de sempre...

Ah, o imbecil de sempre...

Euler Conrado

- 2015-12-05 13:02:19

O absurdo é perceber o quanto

O absurdo é perceber o quanto as instituições brasileiras são frágeis e estão sujeitas ao assalto de bandidos, que têm a força de parar o país, de chantagear ou até mesmo derrubar uma presidenta eleita pelo povo brasileiro, contra a qual não há qualquer acusação séria. Há meses que este bandido vem sendo denunciado com robustas provas e um passado ligado ao crime, o que mostra o quanto a justiça brasileira não funciona, quando não interessa a alguns. E como as instituições brasileiras precisam passar por uma depuração, pois se transformaram em trampolim para mafiosos. 

A Lava Jato, com seus personagens - juiz, procuradores, delegados federais - com poderes acima da lei foi capaz de prender até senador com base em gravação clandestina, mas foi incapaz de colocar na cadeia este crápula, que há meses vem chantageando a república brasileira - não é só a presidenta não. E nenhum procurador geral da república, nenhum ministro do STF, nenhum delegado de polícia federal, tão valentões contra o PT, foram - ministros, delegados e procuradores - capazes de colocar um freio neste deboche público das instituições.

O argumento de que se trata de um poder autônomo foi por água abaixo com a prisão de Delcídio. Se podem prender um senador que disse que tinha ligações com ministros do STF, por que não podem prender um deputado contra o qual pesa todo tipo de acusação, delação e robustas provas, incluindo propinas depositadas na Suiça e outras na igreja evangélica, além de fartos materiais de chantagem contra empresas e pessoas.

Ora, é um absurdo todo um país ficar a mercê de um chantagista pilantra, que tem como aliados outros desqualificados como Aécio Neves, Agripino Maia, Caiado, Paulinho da Farsa, entre outros. Uma verdadeira quadrilha, que se une para destruir a democracia brasileira, chantagear o governo, impedir que o governo governe e que enfrente a crise criada em grande parte por estes próprios elementos e sua mídia golpista.

O Brasil dos de baixo, o Brasil da maioria que demora anos para arrancar cada conquista, não pode aceitar isso. Há que se dar um basta para esta palhaçada que se formou após a reeleição da presidenta Dilma, que a direita não engoliu e que usa seus agentes, os mais escroques, para tentar inviabilizar o governo federal e colocar o país sob um clima de terror e chantagem permanentes.

Ugo

- 2015-12-05 12:36:01

bolsa troll tucana

Testa da cavolo.

MA_Jorge

- 2015-12-05 12:35:26

Considerando tudo que temos

Considerando tudo que temos lido sobre este Sr.,  poderíamos até resumí-lo como mais um exemplo do "POLÍTICO CANALHA", algo ainda sub-judice, pelo desempenho até agora empreendido por outro luminar desta nossa política, o célebre beberrão Sen. Aécio Neves.

Mas se a ele(s) nos referirmos e, sem exaustão, buscarmos outros predicados e qualificativos, que tal considerarmos alguns como:

velhaco,

asqueroso,

corrupto,

estelionatário,

patife,

sujo,

vigarista,

cínico,

meliante,

embusteiro,

miserável,

ladrão,

indigno,

descarado,

torpe,

escroque,

ordinário,

biltre,

pilantra,

imoral,

rapinante,

calhorda,

mau-caráter,

ladravaz,

trapaceiro,

abjeto,

desonesto

finório,

magano,

pulha,

crápula,

fraudador,

trambiqueiro,

verme,

malandro,

salafrário,

...

A propósito, valendo para ele, seus familiares e aos 300 e tantos achacadores que do seu cocho se servem, todos os qualificativos acima apresentados permitem ainda combinação 2 a 2, talvez até 3 a 3. Afinal, nada como contar com figuras tão promiscuas e com tanta falta de ética a nos permitir melhor conhecer nossa lingua!

Sintam-se livres para adcionarem novos predicados aos nossos políticos, em especial para a figura do nosso atual Presidente do Congresso, Sr. Eduardo Cunha. Afinal, ele fez e faz por merecer.

Jair Oliveira

- 2015-12-05 12:31:42

O Eduardo Cunha prosperou em terreno fértil: O Brasil.

Infelizmente o Eduardo Cunha prosperou em terreno muito fértil para a corrupção: O Brasil, e foi indo, indo, indo...

Até em última instância encontrar o limite máximo a sua frente,  a presidência da República, mas encontrou ainda nessa posição alguns que queriam mais, que ele destronasse  a líder maior do país.

A corrupção é tão fértil no meio político  que ele ainda esta firme no poder ameçando, tomando decisões, disparando, caindo e sob forte ameaça atentando contra a Democracia, contra o Povo, contra a Constituição, contra todo o país. A conclusão que tiramos é que a corrupção no Brasil é muito forte.

aliancaliberal

- 2015-12-05 12:26:51

Eu voto sim.

Eu voto sim.

[video:https://www.youtube.com/watch?v=elrYLZu-4n0]

maria cecília p binder

- 2015-12-05 12:10:57

Gosto muito de limpeza, em

Gosto muito de limpeza, em todos os sentidos. No sentido de corrupção, então, nem se fala. Mas uma pergunta que não quer calar, será possível confiar no que sair da boca desse Eduardo Canalha Cunha? E será que ao falar o que sabe - e não deve ser pouco - frente às falcatruas que articulou e, ou participou, não estará se autoincriminando ainda mais? Só no Brasil e nas repúblicas bananeira um bandido corrupto desse nível pode permanecer livre leve e solto, quando teria de estar atrás das grades, vendo o sol nascer quadrado. Cadê o Rodrigo Janot? Cadê o Supremo? Supremo hoje, só o de frango que ainda está barato! E nosso sofrimento continua. 

gardenal

- 2015-12-05 11:58:08

Indo de encontro à maré que

Indo de encontro à maré que domina o inconsciente coletivo eu defendo a permanência do Eduardo Cunha na presidência da Câmara Federal. Explico ( e que a Oposição não me ouça). O Cunha é a mais perfeita tradução desse processo  ILEGAL E IMORAL que ora se propõe. E VICE VERSA. É a cara de um, focinho do outro. Quanto mais tempo ele ali permanecer mais essa imagem vai se consolidadar, dando musculatura à rejeição dessa ignomínia. Os simpatizantes da ideia da rejeição serão conquistados DENTRO E FORA do plenário.  O Cunha, a partir de agora, e mais do qua antes, É PROBLEMA DA OPOSIÇÃO.  Ela que o embale ( e, esse é o maior embrulho de manga que a oposição teve nas mãos até hoje)

Amaro Doce

- 2015-12-05 11:47:36

Em complemento ao que Urariano disse

Mino Carta e a crônica do país que a elite não deixa ser o Paraíso

bandeirantes

O povo brasileiro, de uns tempos para cá, vivendo em – formalmente – uma democracia, começou a ficar como cantava o Chico Buarque em seu quase hino anti-ditadura, o “Apesar de Você”: “A minha gente hoje anda/falando de lado/ e olhando pro chão”.

Quem sabe o sacolejo deste esdrúxulo pedido de impeachment nos provoque uma reação – e sem reação ele prosperará  – e tenhamos, outra vez, um governo que possa parar de falar de lado e olhar pro chão, despertando no povo brasileiro aquilo sem o que povo algum chegou a ser desenvolvido e feliz: consciência de um destino próprio e de identidade e objetivos comuns.

Tempos de chantagem

Mino Carta, na CartaCapital

Em qual país dito democrático o destino do governo e do seu partido fica sujeito à chantagem do presidente da Câmara dos Deputados, disposto a vender caro a sua pele de infrator?

Somos espectadores de um enredo assustador, a negar a democracia que acreditamos viver, mas nem todos entendem que o espetáculo é trágico.

O PT nega-se a uma capitulação ignominiosa e preserva o que lhe resta de dignidade, logo Eduardo Cunha parte para a vingança. Também o gesto do presidente da Câmara é tipicamente brasileiro, ao exprimir a situação de um país que há tempo perdeu o senso e a compostura.

Se já a teve, a capacidade de entender a gravidade do momento político, sem contar o aspecto pueril e os complicadores econômicos e sociais.

Até ontem, o governo jogou contra si mesmo, ao ensaiar a rendição à chantagem: desenhou-se nas últimas semanas a tendência a instruir os integrantes petistas da Comissão a votarem a favor de Cunha, donde a pergunta inevitável do cidadão atento aos seus botões: quer dizer que todos os envolvidos têm telhado de vidro?

Ora, ora. Impeachment era, e continua a ser, golpe. Quanto a Cunha, suas mazelas são mais que evidentes. Então, por que o governo cederia à chantagem? Quem se deixa acuar está perdido.

Tempo de chantagem, a delação premiada resulta dela também, a partir de prisões preventivas que põem em xeque a presunção da inocência, o indispensável in dubio pro reo. Esta é a democracia à brasileira, diariamente chantageada pela mídia nativa. Segundo uma pesquisa Datafolha, a maioria dos entrevistados enxerga na corrupção o calcanhar de aquiles do País.

Não procuro saber das técnicas empregadas para chegar a esse resultado, de todo modo é certo que a corrupção não passa de uma consequência de 500 anos de desmandos na terra da predação. O poder verde-amarelo muda seu endereço, mas não altera propósitos e comportamentos. É sempre o mesmo, desde as capitanias hereditárias. Feroz, hipócrita, velhaco. E impune.

De pé, ainda e sempre, a casa-grande e a senzala, e também sobrados e mocambos. Gilberto Freyre referia-se ao Nordeste, mas a dicotomia se impõe até hoje do Oiapoque ao Chuí, e é mesmo possível que agora, nas terras do historiador pernambucano, seja menos acintosa do que em outros cantos.

Permanece, em pleno vigor, a lei do mais forte, e desta brotam os nossos males, a começar pela desigualdade, pelo assassínio anual de mais de 60 mil brasileiros, pelo caos urbano. E assim por diante. Supor que a situação atual tem alguns responsáveis, identificados pela Lava Jato, não esclarece a real dimensão do problema.

Responsável é quem usa o poder em proveito próprio. Colonizadores, escravagistas, bandeirantes, capitães do mato, os senhores do império, os militares golpistas que proclamaram a República etc. etc.

O golpe de 64 foi precipitado para evitar uma mudança apenas vagamente esboçada graças à convocação dos gendarmes fardados, coroada a operação 20 anos após, paradoxalmente, pelo enterro da campanha das Diretas Já.

A chamada redemocratização foi uma farsa, com a contribuição dos fados que levaram à Presidência Sarney, principal artífice da derrota da Emenda Dante de Oliveira, a favor das diretas, e vencedor da batalha da indireta à sombra de uma Aliança pretensa e hipocritamente apresentada como Democrática.

A casa-grande e sua mídia elegeram Fernando Collor, para apeá-lo quando passou a cobrar pedágio alto demais, e Fernando Henrique, que “não é tão esquerdista assim”, como dizia Antonio Carlos Magalhães.

O governo tucano em oito anos cometeu as maiores infâmias contra os interesses nacionais, esvaziou as burras do Estado, organizou com as privatizações a maior bandalheira da história brasileira, comprou votos a fim de reeleger FHC, para não mencionar as aventuras do filho do então presidente, grandiosas e silenciadas. Quem pode, pode.

Lula, Dilma e o PT são intrusos nesta pantomima e esta presença, usurpada na visão dos antecessores no poder, explica por que hoje são visados como únicos réus. A eleição do ex-metalúrgico em 2002 ofereceu uma esperança de renovação, e assim pareceu divisor de águas no rumo do progresso. No poder o PT portou-se como os demais partidos (partidos?) e os bons augúrios minguaram progressivamente. É bom, para a dignidade do governo e do seu partido que enfim não capitulem diante da chantagem de Eduardo Cunha.

Seria o suicídio. Infelizmente, há muitos outros erros morais e funcionais, falhas, deslizes, e até tramoias, trambiques, falcatruas, a serem remidos, e não é fácil imaginar que o serão.

Às vezes me colhe a sensação de que atravessamos a fase final do longo processo da decadência crescente e inexorável de um país destinado a ser o paraíso terrestre e condenado ao inferno por sua elite, voltada a cuidar exclusivamente dos seus interesses em detrimento da Nação.

E de administrá-los contra a lei, se necessário. Na circunstância, cheia de riscos e incógnitas, a saída pela Justiça soa como o recurso natural. Não seria o STF o guardião da Constituição ofendida, o último defensor do Estado de Direito?

Os botões me puxam pelo paletó: que esperar desta Justiça desvendada, embora tão verborrágica, empolada, falsamente solene?

 

jossimar

- 2015-12-05 11:43:47

E a falta de caráter do Já

E a falta de caráter do Já Not retendo na gaveta o processo de investigação do cunha impedindo que o STF decretasse seu afastamento até que ele autorizasse o impeachmente da presidente Dilma.

Este Já Not é o segundo maior canalha do Brasil, atrás apenas do Eduardo Cunha.

O ministério público que acha legal um governador de estado construir um aeroporto em sua fazenda com dinheiro público é o mesmo que golpeia a democracia com vazamentos seletivios da lava jato, esconde na gaveta processos do trensalão tucano e permitiu o golpe do cunha.

O MP está se transformando em um câncer tão maligno quanto a globo.

alexis

- 2015-12-05 11:40:00

...pois ele não cairia sozinho

Ugo

- 2015-12-05 11:32:30

o jogador espulso que provoca briga para arrastar outros na.....

E agora mané cu-nha, tudo que denunciares terá a mesma credibilidade de um delinquente, ladeira abaixo.

Amaro Doce

- 2015-12-05 11:25:47

Ciro Gomes: que bom! O tumor foi lancetado!

É preciso defender a Democracia. Dilma não cometeu crime!

[video:https://www.youtube.com/watch?v=_5oDIFJQ7KQ]

Algaravia

- 2015-12-05 11:17:34

Aécio encontrou a sua alma gêmea

irmãos.jpg

Anna Dutra

- 2015-12-05 10:16:50

Urariano,
Agora, menor, ao perder terreno, naco a naco, mantém-se ameaçando e articulando na tentativa de reter um poder perdido por desmedida ambição. A vingança contra Dilma é reveladora da sua falta de caráter; oportunismo e desespero. Esta figura torna-se, dia a dia, palavra a palavra, ainda menor. Disseste tudo. Bom fim de semana.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador