Home Crônica Estou virado no diabo 6. O telefonema, por Rui Daher

Estou virado no diabo 6. O telefonema, por Rui Daher

0
Estou virado no diabo 6. O telefonema, por Rui Daher

Estou virado no diabo 6. O telefonema, por Rui Daher

Domingo, noite no Condomínio da Barra e no Planalto.

– O que você quer?

Silêncio do outro lado.

– Não vou ligar para aquele comunista e sua vice negra, porra nenhuma.

Silêncio.

– Liguei pro Donald e ele me confirmou que foi fraude. Não é para reconhecer. Está tomando providências para “daqui não saio, daqui ninguém me tira”. Pediu apoio. Cedi de pronto.

Silêncio.

– Todos estão ligando e parabenizando o Chico Mendes gringo? Nem por um caralho. Aqui mando eu. Sempre achei argentinos e demais sul-americanos uns bundões. Comigo não! Venci muitos campeonatos de peteca e pesca no Posto 6, em Copacabana.

O silêncio continua.

– Dizem que o Mourão acha que eu deveria me pronunciar. Só se for para contestar a catástrofe comunista na maior potência do mundo. Questão de futuro? À merda, já cheguei aonde queria. Eu mando! Quem são Biden e os EUA diante de meu poder no Brasil?

Silêncio, longa escuta.

– Quem é você? A voz me pareceu de um de vocês. Nem sei mais, são tantos 01, 02, 03, 04 (ainda anda meio esquisito?). Sei lá. Nenhum? Ernesto, aquele imbecil que me fizeram escolher para Chanceler? Só podia ser uma besta, o comunista Che, não era Ernesto?

Silêncio, ainda mais longo.

– Saquei, é você, Olavo. Está certo. A Terra não gira ao redor do sol, dias e noites são mentiras comunistas, rezo por Urano, precisamos armar o povo para nos salvar, então por que se preocupar com Biden se ganhamos o Brasil?

Silêncio.

– O Bannon, sabe aquele, Istive, qualquer coisa assim, me ligou pedindo que eu declare guerra à China. Para ele, ganhamos fácil. Mas os porras dos exportadores de grãos são contra. Covardes, gananciosos, vivem me pressionando para preservar o meio ambiente. Que merda é essa? Quem o destruiu?

O silêncio do outro lado torna-se uma respiração arfante.

– Não me conformo. Nem mesmo posso contar com filhos, vice-presidente, ministros, acólitos, apoiadores? Não me deixem só. Alguém já falou isso no passado. Que me interessa Biden, a mestiça Kamala Réris, o Corona não sendo cerveja?

O silêncio do outro lado muda. Vira para gargalhadas incessantes.

– O que é isso? Quem está aí? Irão me desafiar filhos ingratos, Queiroz, Rodrigo Maia, fui comparsa de seu pai no Rio de Janeiro. Alcolumbre, Moro, peço perdão, mas falem alguma coisa.

– Excelentíssimo presidente da República Pátria Amada Brasil, número errado. O senhor discou para o BRD, Blog do Rui Daher. Atende Nestor, o jornalista negro na Redação, organizando o estoque de bebidas para comemorar a derrota de Trump.

– Comunistas nojentos! O bosta do Ernesto Araújo me deu o número errado. Vou demiti-lo. Quem manda aqui sou eu! Retire-se da linha ou peço para o Mourão farpá-lo. Suo em pijamas, vocês estão mortos. Milícias! A eles!

Nestor me liga, narra o teor da conversa, e me pergunta se pode responder, já que o número ficou registrado no telefone da Redação. A princípio penso que não diante da imbecilidade do interlocutor. Penso mais, sei que Nestor não deixaria barato, e eu, dizendo sim ou não, ele não me obedeceria.

– Vai Nestor, manda brasa. Mas não se precipite e chame Everaldo, em caso de qualquer tentativa de agressão. Ele é nosso Capitão Marvel. Boa sorte a todos nós.

Descobertas do BRD/GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Sair da versão mobile