Lula e minha Mãe – O Imaginário Popular, ninguém prende!, por Arnobio Rocha

Essa figura, deixava meu pai em casa e foi a todas as posses em Brasília, seu orgulho foi ter dado uma imagem de nossa senhora para D. Marisa Letícia, que mês depois lhe mandou uma carta de agradecimento, que ela tanto se emocionou.

Uma toalha que mamãe mandou fazer para Lula.

Lula e minha Mãe – O Imaginário Popular, ninguém prende!

por Arnobio Rocha

em seu blog

D. Fátima Rocha, tem 77 anos, veio para esquerda quando entendeu que o filho, não era apenas um “rebelde sem causa”, cabeludo e nem era o malandro que “latia em greves” (definição do papai), nos anos 80.

Ela se tornou uma lulista/petista daquelas que morria de sofrer em cada eleição, cada momento do governo dele e de Dilma, preocupada com o país. Ela faz reza, terço, rosário. novena, trezena, se ajoelha em frente a TV, chora e xinga os adversário, se intriga dos parentes reaças e “amigos”.

Essa figura, deixava meu pai em casa e foi a todas as posses em Brasília, seu orgulho foi ter dado uma imagem de nossa senhora para D. Marisa Letícia, que mês depois lhe mandou uma carta de agradecimento, que ela tanto se emocionou.

Mamãe sofreu horrores, a morte de meu pai, mas principalmente a prisão de Lula, praticamente todos dias que nos falamos ela pergunta se Lula está bem, com saúde, chora o que fizeram com “nosso lulinha”. Sofreu com D. Marisa, com o pequeno Arthur, pois mamãe perdeu uma neta, minha filha a menos de um ano, sabe o que é a dor da perda.

Acompanhou dia a dia os votos no STF, imaginem os nomes que ela chamava daqueles 5…Vibrava com cada voto favorável, ali na sua TV política e sua missa (ninguém é de ferro)

Ontem, lá pelas 21 horas, me liga feliz, quer saber se semana que vem, poderá ver lulinha em São Paulo. Peço-lhe calma, que ainda tem questões burocráticas, ela entende, mas não aceita. Virá pelo um ano da morte da neta e trará um presente para levar ao Lula (vai sobrar para mim, a tarefa)

Leia também:  Começa a cair o castelo de Moro, por Urariano Mota

Hoje, cedo acordou e já estava em frente à TV para saber mais coisas sobre a decisão do STF. Ela virou assinante de programas no YouTube e só ver as notícias dos canais de esquerda.

A felicidade dela com Lula é tão grande que me comove, uma responsabilidade de que D. Fátima, superou todos o conceitos e preconceitos, por uma esperança real, uma crença, quase religiosa, em todos nós, em lulinha em primeiro lugar.

Obrigado, Lula, obrigada, mamãe.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Brilhante. Como sua mãe, meu irmão, falecido com a mesma idade, agora em setembro, teve a mesma trajetória. LULA, assim maiúsculo, me ensinou muito, desde os anos de 1970, lá no bairro Assunção, em SBC, onde moramos. Meu pai mineiro e sindicalista morreu em 1993, guardando um bilhetinho que LULA escreveu pra ele, num comício na Praça da Sé, e lhe entreguei, nos anos de 1980. LULA pertence às NOSSAS FAMÍLIAS, portanto.

    3
    1
  2. Dona Fatima Rocha representa tantas mulheres sem conhecimento politico, mas que entenderam a importância de Lula e do PT para a que se haja menos desigualdades no Brasil. Um grande abraço a dona Fatima. E Lula livre!

  3. Carinho grande D. Fátima, orgulho da Sra. e de tantas outraS por esse mundão de Deus, tão firme e fortes.
    Que não falte força e fé ao Presidente Lula e a todos nós!
    abço. e LULA LIVRE!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome