O veterinário que provocou um desmatamento do caralho, por Sebastião Nunes

Pouco afeito a pensar, o antipresidente privilegia para seu ministério cidadãos carentes de massa cinzenta, de modo que esteja sempre na vala comum de seus iguais

Era uma vez um veterinário que, de tanto dizer asneira, viu-se, não sem espanto, alçado à condição de ministro-chefe da casa civil do antipresidente Bostonaro.

(Pouco afeito a pensar, o antipresidente privilegia para seu ministério cidadãos carentes de massa cinzenta, de modo que esteja sempre na vala comum de seus iguais.)

(Mancomunado com seus seguidores, o antipresidente utiliza apenas linguagem de botequim, ou seja, a linguagem tacanha daqueles que, incapazes de escapar da linha reta, tomam por desfeita tudo o que não entendem e a tudo respondem com duas ou três pedras na mão.)

O GGN prepara uma série inédita de vídeos sobre a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer se aliar a nós? Acesse: www.catarse.me/LavaJatoLadoB

Acontece que, de vez em quando, esse ministro que-tem-nome-de-pedra voltava ao passado e, refestelado no consultório, atendia alguns clientes com hora marcada.

Foi assim que, certo dia, veio a secretária anunciar:

– Doutor, o touro premiado Uberabix chegou.

– Manda entrar.

O touro premiado Uberabix entrou.

– Senta aí, meu chapa.

Uberabix sentou.

– A que devo a sua visita? – perguntou o veterinário que-tem-nome-de-pedra.

– É que ainda sou virgem, doutor – confessou Uberabix desconfortável.

– E o é que tem de errado ser virgem?

– Veja só, doutor. Sou pai de 125 mil filhos, já produzi 250 mil doses de sêmen, tenho 9 anos de idade – e continuo virgem!!!

 

MAL COMPARANDO

(Não sei se é verdade, mas certo dia um jornalão brasiliano noticiou que alguém “usava apenas bacias de ouro e seus urinóis eram de ônix”. Para você ver a que baixezas desceu o ministro que-tem-nome-de-pedra.)

Voltando a Uberabix, lá estava ele choroso e reclamão, quando o ministro botou a mão no queixo, fez de conta que costumava pensar, e estranhou:

– Desculpe, mas não entendi. O que tem de errado em gerar sem trepar?

– Ah, é que ando sendo objeto de motejos variados por variegados touros, que se dão ao gosto de me ridicularizar.

Imediatamente, o malfalado que-tem-nome-de-pedra ordenou ao interfone:

– Convoca uma reunião supraantiministerial de emergência!!!

A secretária convocou.

Nem havia decorrido meia hora quando chegou, numa correria desenfreada, a chusma de antiministros e, por curiosidade, na rabeira, o antipresidente.

 

RESOLUÇÕES DE CÚPULA

Rápida e sucintamente narrou o que-nome-de-pedra as agruras de Uberabix.

Mal e mal terminou, desandaram os comentários.

– Punheteiro filho da puta! – xingou o antipresidente Bostonaro. – Não tem vergonha na cara? Fazendo filho sem nem ao menos dar uma trepadinha!

– Milagre! – escandalizou-se a antiministra Maldares, da mulher, família e direitos humanos. – E eu que só acreditava na trepada papai-e-mamãe pra gerar filho!

– Inexplicável! – espantou-se o antiministro Mandetta, da saúde. – 125 mil filhos e ainda é virgem? Recorrência tão escandalosa a ciência não explica.

            – Convocarei as universidades privadas pra estudarem o fenômeno – declarou enfático o antiministro Weintraub, da educação. – Para elas dinheiro não faltará.

            – Caso encontremos 100 como Uberabix, serão gerados 12 milhões e 500 mil touros da mais pura raça ariana – pôs-se a sonhar a antiministra Tereza Cristina, da agricultura, pecuária e abastecimento. – Pra eles terra não falta.

            – 12 milhões e 500 mil filhos, cada um com cerca de 500 quilos de peso bruto – multiplicou o antiministro Paulo Guedes, da economia. – Se cada um render esses 500 quilos em carne, vísceras, couro, pelo, ossos e bosta fresca, podemos exportar 6 bilhões e 250 milhões de quilos. A 10 euros líquidos o quilo, arrecadaremos 62 bilhões e 500 milhões de euros de lucro, ou seja: 312 bilhões e 500 milhões de reais!

            – Ainda acho pouco – explicitou ultradelirante o antiministro Arnesto Araújo, das relações exteriores. – Assim não dá pra falar grosso com a Europa e a China.

            – E se em vez de apenas 100 touros premiados tipo Uberabix a gente produzir 10 mil? – conjeturou o antiministro Ricardo Salles, do quarto ambiente. – É só liquidar a indiaiada, desalojar os nortistas, expulsar os nordestinos e queimar o que resta da floresta Amazônica. Pasto não será problema.

            – Concordo com tudo – fechou a questão o antipresidente Bostonaro. Mas ainda acho que esse tal de Uberabix não passa de um punheteiro filho da puta!