Pi π – Edição nº 4 + 1 (Extra), por Rui Daher

Pi π – Edição nº 4 + 1 (Extra), por Rui Daher

Duros os tempos empresariais de hoje em dia. Tentem produzir adubos e defensivos orgânicos, condicionadores de solo, sementes não-transgênicas, vender malhas em Monte Sião (MG) e Socorro (SP), doce de leite em Guaranésia ou Muzambinho (MG), rins de bodes em Petrolina (PE), e extrato pirolenhoso em Eunápolis (BA).

Tudo o que for molécula, princípio ativo, mentiras sintéticas, serão comprados por influência do poder calhorda de divulgação de sua massificação “agronômica”, traduzida em folhas e telas cotidianas.

E assim estará tudo no Brasil. Nosso Grupo, depois de muita dificuldade de patrocínio, trabalho intenso de organização, convites, ‘juridículos’, tentando nos inviabilizar, produzimos o 2º Debate de Presidenciáveis.

Nossos ganhos vêm através de estrelinhas douradas, comentários, apreciações, ‘efezinhos’ no Mark’s Big Brother. Grana mesmo, nenhuma. Somente quando alguém me paga por uma consultoria, fato cada vez mais raro pelas minhas posições políticas, ou quando as livrarias devolvem os exemplares do independente “Dominó de Botequim” que lá ficaram (nunca saberei se foram vendidos ou lá encalharam; caso positivo, por que não me os devolvem?).

Nos casos dos persistentes Nestor & Pestana, quando o primeiro vende um gato para tamborim na Vai-Vai e o outro, dentista por formação, não chora ao arrancar ou tratar de um canal de dente de um freguês pobre, rola alguma sobrevivência.

Fato é que, devido à forma como o debate de ontem, terminou (o que apoio), exceção ao Mr. Mark, sejam lá quais suas razões, os demais patrocinadores (Estampas Eucalol e Ceras Parquetina) estão nos pedindo ressarcimento pelo investimento.

O “Extra”, no título, é uma apelação sugerida pelo Dr. Walther Moreira Salles, em conversa com o grande comerciante Valentim Diniz (1913-2008), pediu que ele convencesse o filho Abílio a nos ajudar.

Leia também:  Brasil no mapa da fome: Luis Nassif entrevista Tereza Campello

O amado Darcy Ribeiro me responde:

– Ruizinho, reproduzo a resposta do português, como nosso saudoso Serafim: “tomar no cu aquele filho de merda que perde até para franceses imbecis. Ele vive de querer mostrar os bíceps. Quando abrimos a doceria, ele já era o mais burro”.

Nota: Hoje, Dia dos Pais. Sou: de Mariana, Júlia e Gabriel, meus amados. Na próxima semana (16), estarei 7.3, pronto a partir. Entre os insistentes, atuais e os passados, creio, quase dois mil artigos na rede: Montbläat, Terra Magazine, Nassif, CartaCapital, entrevistas sobre agropecuária. Obrigado por vocês terem saído as maravilhas que eu e sua mãe Cléo queríamos. Muitos de nossos amigos os conheceram e sabem de nossa tarefa. Quando a finitude virar fim, se algum dinheiro sobrar para pagar minhas dívidas, recolham meus manuscritos, os escritos na Olivetti, e as digitais, e contratem uma paciente estagiária, formando-se em Letras (de preferência da USP, onde me fiz) e transformem tudo num livro póstumo. Não o comercializem, não o conseguirão. É só o que peço!

https://www.youtube.com/watch?v=pkmhyMAWymY

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. PARABÉNS A TODOS PAIS

    Realmente a Vida é Eterna. Renascemos em nosso Filhos. E descobrimos a Imensidão da nossa pequenez. abs.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome