“Um Alka-Seltzer® com 50 cm de diâmetro”, por Rui Daher

Levando em consideração o diâmetro por mim recomendado no título, indica-se efervescência em cada seis litros de água, na mesma frequência.

“Um Alka-Seltzer® com 50 cm de diâmetro”, por Rui Daher

Eu e mais dos 70% de residentes no Brasil (os demais são vermes) sofrem de azia, dor no estômago, indigestão, refluxo, leves dores generalizadas, inflamações, mesmo febres menos persistentes. No meu caso específico, ressacas. Não as marítimas. Tudo o mais que pode ser causado por excesso de ácidos estomacais.

Eis que senão, quando, de forma pertinente, em 1931, o químico inglês J. Maurice Treneer (1881-1968), a serviço da Miles Laboratories, criou o efervescente produto.

A Bayer, logo ciente do sucesso que seria o produto, em 1978, adquiriu a Miles e, sobre isso, ganha rios de dinheiro até hoje.

Assim era o capitalismo, antes de se tornar selvagem, como hoje em dia. Um cientista inventou, e eu, mais forte, comprei. OK, Karl Marx sacou e poucos entenderam.

Não que a fórmula fosse miraculosa. Apenas combinava bicarbonato de sódio, aspirina, e ácido cítrico anidro. Todos regulados pelo efeito da efervescência. Sugiro a quem experimentou absinto, uísque, gim e Caribé 54 graus, se assegurem de efeito diferente.

Não deu certo? Durmam, então, vejam a cama revirar como roda-gigante (se cultos, cantem “Domingo no Parque”, de Gilberto Gil). Se não, dia seguinte, ao acordarem, realizem: “Como minha mulher bebeu ontem”.      

Alka-Seltzer® é o melhor antídoto que temos, hoje em dia, para um Brasil que nos livrará do bolsonarismo. Será como esquecer o maior escândalo do país e puni-lo, como a todos seus atuais e imbecis clãs, acólitos, apoiadores, que como bovina manada o seguem.

A dose

Para uso humano – não bolsonaristas, que humanos não são – recomendamos 300 a 600 mg, a cada 3 ou 4 horas, diariamente.

Levando em consideração o diâmetro por mim recomendado no título, indica-se efervescência em cada seis litros de água, na mesma frequência.

Efeitos

Menos covardias, negadas por alocuções e vídeos gravados; olhar beócio a cada aparição; o ministro atual da Saúde, (astrólogo?)  escolhido para entubar um robalo (apud Ivan Lessa), anta de tênis (apud Jaguar e Sérgio Augusto); só dói quando eu rio (Ziraldo).

Mas, por quê? Porque sim, porra!

Estamos sendo tomados por imbecilidades e burrices. Não acreditava tantos assim. Enganados por um inválido em 2018, que conhecia. Vá lá! Mas ainda hoje? Só posso pedir ao meu assassino em série, Harmônica, continuar nas mortes inexplicadas. Sabemos delas, quando de ricos e usurpadores.

Dos pobres, não traficantes (boa justificativa), o sistema se encarrega. Perdeu lá seu filho, foda-se, você é pobre e “nosso serviço de inteligência é perfeito e diz ele ser traficante”.

O que estamos fazendo para impedir tal mentira? O Poder Executivo destrói, o Legislativo é a merda que sempre foi, no Judiciário, talvez, alguma esperança, por conhecimento, leitura, e alguma – nem sempre aberta – alguma honestidade.

O que nos sobra? Um País destruído por seu próprio escolhido destino.

Agradecem, atuais e futuras gerações. Garantiram a filhos e netos que por serem meritocratas eles também serão?

Inté!

Nota: hoje não tem musiquinha. Tem a morte de 400 mil brasileiros, a quem eu amaria tomar cachaça em tantos botecos, andar beira-mar, e deles estariam salvos de Jair Bolsonaro. Contam-me, em particular, sobre adeptos, como ele. Pois bem, são também assassinos como ele e deveriam estar mortos.

Este artigo não expressa necessariamente a opinião do Jornal GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora