A 9ª Bienal Internacional de Arquitetura

IG

 Arquitetura e urbanismo em discussão 

9ª Bienal Internacional de Arquitetura recebe projetos do mundo inteiro e debate a relação do cidadão e o meio em que ele vive

Lívia Alves,


Apresentar soluções para transformar espaços privados em ambientes públicos é um dos grandes objetivos da Bienal de Arquitetura

Até o dia quatro de dezembro, a OCA, no Parque do Ibirapuera, recebe a Bienal de Arquitetura de São Paulo (BIA), que este ano apresenta o tema “Arquitetura para todos, construindo cidadania”, sob a curadoria do arquiteto Valter Caldana.

Ao todo, serão apresentados 400 projetos vindos de mais 30 países e 20 estados brasileiros, divididos em 20 exposições. Terão ainda seminários e debates com profissionais renomados.

Em sua nona edição, a Bienal foi realizada pela primeira vez em 1973 e, desde 2003, ocorre a cada dois anos, em São Paulo. “Nesta nova fase da BIA pretendemos mostrar por meio dos trabalhos as possíveis alternativas a organização dos espaços e das cidades, além de apresentar soluções para transformar espaços privados em ambientes públicos”, explica Caldana.

Com projetos interativos na área de habitação, infraestrutura, local de trabalho e transporte, a mostra é acessível também para o público não familiarizado com a arquitetura. Durante o evento, os visitantes poderão, por exemplo, colaborar com a construção de uma cidade fictícia em um espaço de 27 m² com 200 mil peças de LEGO. “Queremos que as pessoas entendam o mecanismo de construção de uma cidade”, explica o curador.

Leia também:  Tata Amaral: Brasil avançava contra desigualdades no audiovisual, mas Bolsonaro abortou incentivos

Além dos projetos físicos, a BIA contará também com 78 trabalhos em suporte digital. Caso da exposição “Memórias”, que reúne o trabalho de 50 arquitetos que ajudaram a construir o repertório da arquitetura moderna brasileira, e da “Arquitetura na mídia”, que debate o trabalho de arquitetos e urbanistas renomados.

Para completar a programação, sete oficinas de projetos, 13 seminários, 11 debates e ainda um festival de cinema farão parte do calendário do evento.

Programação internacional

Buscando discutir a arquitetura de forma global, a 9ª Bienal de Arquitetura contará com a presença de profissionais e projetos da França, Alemanha, Argentina, Chile, Dinamarca, Estados Unidos, Itália, Israel, entre outros.

É o caso do renomado arquiteto francês Dominique Perrault que, além de curador da exposição “Metrópolis”, exibida ano passado na 12ª Bienal de Veneza, participa da conferência de abertura da BIA (no dia 3 de novembro) e apresenta um seminário (no dia 4 de novembro).

Destaque também para exposição “Arquitetura não solicitada”, do holandês Ole Bouman, diretor da Netherlands Architecture Institute (NAi), um dos maiores institutos de arquitetos do mundo. A mostra que debate a arquitetura como solução para resolver as grandes questões sociais faz parte das ações comemorativas pelo ano da Holanda no Brasil.

Saiga o Twitter do iG Delas e curta a página no Facebook

Além da OCA, os trabalhos serão apresentados em pelo menos nove escolas de arquitetura, cinco unidades do SESC no interior de São Paulo e em quatro estações do Metrô da capital paulista: Sé, República, Tamanduateí e Vila Prudente.

Leia também:  Domingueira GGN: Yamandu Costa

Serviço:
9ª Bienal Internacional de Arquitetura
OCA ( Parque do Ibirapuera) – São Paulo (SP) 
De 02/11/2011 a 04/12/2011 
3ª a domingo, das 10h às 22h
Ingressos R$ 10 e R$ 5

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome