O conflito entre as formas de comportamento sexual

Do Uol

Alternativas sexuais em conflito

Comentando o “Se eu fosse você”

A questão da semana é o caso da internauta cujo namorado insiste em fazer sexo a três. Ela diz não aceitar de jeito nenhum. O conflito entre tradicionais formas de comportamento sexual e as novas alternativas, se torna cada vez mais comum. Acredito que daqui a algumas décadas haverá grande variedade de relacionamentos. No futuro, provavelmente, as pessoas vão experimentar diferentes formas de estar juntas.

Comparando sexo com culinária, o historiador inglês Theodore Zeldin observa que “o desejo não é mais inexplicável que o gosto. Ao longo dos séculos tem sido extraordinariamente flexível e versátil, servindo a causas opostas, desempenhando papéis muito diferentes na história, como um ator a um só tempo cômico e trágico, às vezes papéis simples, que reproduzem estereótipos corriqueiros, e outras vezes papéis experimentais, complexos, deliberadamente misteriosos. Isto sugere que outras alianças, outros excitamentos, também são possíveis.”

Há algum tempo, passei a receber grande quantidade de mensagens de pessoas casadas dispostas a praticar sexo a três com seus cônjuges. Resolvi então lançar a pergunta: “Você gostaria de fazer sexo a três? Por quê?” Aproximadamente mil e quinhentos pessoas responderam. Quase 80% disseram sim. A palavra que mais aparece nas respostas é “excitante”. O argumento favorável mais comum é o de que a visão do parceiro(a) com outro é muito… excitante.

Alguns defendem a total falta de compromisso entre as partes e somente o desejo sexual conduzindo as ações. Outros, ao contrário, só veem validade em tal experiência se houver paixão, envolvimento, enlace profundo. Os que assumem a bissexualidade são percentual expressivo. Esses argumentam que o sexo a três é o relacionamento perfeito. Há um forte contingente daqueles que gostariam, mas acham que os parceiros jamais admitiriam. E há também os que só o praticam fora de casa, lamentando ter que recorrer ao adultério.

Em histórias e cartas para revistas especializadas, o sexo a três geralmente compreende um casal hétero, que se envolveu com outro homem ou mulher. Em alguns casos as três pessoas estabelecem um vínculo e desenvolvem uma relação estável. Entretanto, na maioria das vezes, a terceira parte não faz parte integral da relação.

Contudo, nada no sexo se justifica se não houver desejo de ambas as partes. Em qualquer prática sexual realizada sem vontade, só para agradar o outro, o preço cobrado depois pode ser tão alto que inviabilize a própria relação.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador