GM retoma produção

Da Agência Estado

GM suspende período de férias coletivas no RS

Parada está prevista somente para a semana do carnaval.
O complexo da GM em Gravataí tem 5,3 mil funcionários.
Da Agência Estado

A General Motors suspendeu o período de férias coletivas que seria adotado entre 26 de janeiro e 8 de fevereiro na unidade de Gravataí (RS), que produz os modelos Celta e Prisma. Com isso, o trabalho na planta seguirá normalmente em janeiro e em fevereiro até a semana do carnaval, quando está prevista uma parada entre os dias 23 e 27, informou a empresa. A decisão foi motivada pela “avaliação constante do mercado”, conforme explicou a montadora.

Na semana passada, o vice-presidente da GM no Brasil, José Carlos Pinheiro Neto, havia dito que a venda de todos os modelos respondeu “positivamente” ao corte do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), mas o Celta foi o que cresceu de maneira mais expressiva. A montadora começou a realizar paradas de produção em outubro em Gravataí.

Por Roberto São Paulo/SP

Da Agência Estado divulgado pelo Último Segundo do IG

Vendas de veículos crescem 1,9% na 1º quinzena de janeiro, informa Fenabrave

SÃO PAULO – As vendas totais de veículos cresceram 1,90% na primeira quinzena de janeiro, na comparação com igual período de dezembro, totalizando 168.454 unidades, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Na comparação com o mesmo intervalo de janeiro de 2008, houve uma queda de 6,11%. Os números incluem automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários.

O segmento de automóveis e comerciais leves, especificamente, registrou aumento de 9,15% na primeira quinzena de janeiro em relação a dezembro e retração de 1,22% na comparação com os primeiros quinze dias de janeiro do ano passado. Ao todo, foram comercializadas 94.547 unidades………………….

Por Ricardo

Olá,

Ué, agora que eu não entendo mais nada:

GM admite revisão das metas e afasta mais de 1.600 no Brasil

Bem, parece que a “avaliação constante do mercado” está beneficiando só nossos amigos gaúchos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

24 comentários

  1. Nassif, bom dia!
    Um colega de
    Nassif, bom dia!
    Um colega de trabalho andou procurando um automóvel “popular” na faixa de R$35.000,00 e, simplesmente, não havia estoque!
    Acredito que a redução de IPI tenha sido um ponto positivo.
    Acredito que uns dois telefonemas autenticarão a afirmativa.

  2. Luis, tomei um susto logo
    Luis, tomei um susto logo cedo ao abrir seu blog,achei que o Gilmar Mendes ja estava fazendo das suas,retomando a produção de HC’s,abraços

  3. curioso a afirmação de quem
    curioso a afirmação de quem garante emprego são as leis de mercado,o governo
    abre 8bi em linhas de credito,reduz a carga tributária,enquanto os patios estavam cheios e as fabricas só deram férias aos funcionários e foram a midia afirmar que,”se a situação não melhorar vamos demitir em massa”mas abaixar preços ,fora de cogitação,na contabilidade deles essas leis de mercado só são aplicadas na medida do interesse deles,onde está aquela da oferta e procura?

  4. Um excelente sinal de
    Um excelente sinal de recuperação das vendas de automóveis em janeiro de 2009.

    É preciso aproveitar esta recuperação da confiança dos consumidores, consolidando o processo com uma forte queda dos juros da Selic.

    Caso seja necessário O COPOM deve aumentar o compulsório e a Fazenda cancelar os incentivos fiscais.

  5. Da Agência Estado divulgado
    Da Agência Estado divulgado pelo Último Segundo do IG
    http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/01/19/fenabrave+vendas+crescem+19+na+1+quinzena+do+mes+3472914.html

    Vendas de veículos crescem 1,9% na 1º quinzena de janeiro, informa Fenabrave
    19/01 – 18:32 , atualizada às 19:03 19/01 – Agência Estado

    SÃO PAULO – As vendas totais de veículos cresceram 1,90% na primeira quinzena de janeiro, na comparação com igual período de dezembro, totalizando 168.454 unidades, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

    Na comparação com o mesmo intervalo de janeiro de 2008, houve uma queda de 6,11%. Os números incluem automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários.

    O segmento de automóveis e comerciais leves, especificamente, registrou aumento de 9,15% na primeira quinzena de janeiro em relação a dezembro e retração de 1,22% na comparação com os primeiros quinze dias de janeiro do ano passado. Ao todo, foram comercializadas 94.547 unidades………………….

  6. Da Agência Estado divulgado
    Da Agência Estado divulgado pelo Último Segundo do IG
    http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/01/19/volks+efetivara+450+e+reduzira+jornada+em+taubate+3473935.html

    TAUBATÉ – De braços erguidos, em clima de festa, 4 mil metalúrgicos da fábrica da Volkswagen de Taubaté, no interior de São Paulo, aprovaram a efetivação de 450 trabalhadores, a renovação do contrato de outros 200 e a redução da jornada de trabalho. A assembleia aconteceu no pátio da fábrica nesta tarde e reuniu metalúrgicos dos dois turnos da montadora.

    A proposta aprovada possibilita que a empresa reduza a jornada em até 25 dias durante o ano de 2009 sem a redução dos salários dos trabalhadores. O contrato de 800 trabalhadores terminaria em fevereiro, mas a montadora decidiu pela prorrogação dos contratos da maioria……………..

  7. Gente, são 700 mil demissóes,
    Gente, são 700 mil demissóes, aonde vcs tão com a cabeça, vc tá louco Nassif?

    Eu não, e você? A propósito de quê esse diagnóstico precipitado? Por acaso já leu a nota “O tsunami de dezembro”?

  8. Seria interessante uma
    Seria interessante uma coleção de notícias (manchetes) dos lucros estratosféricos das grandes empresas e bancos nos ultimos anos, para agora, na primeira dificuldade, demitirem. Foi inclusive o caso das montadoras.

    A GM americana está quebra-não-quebra.

  9. porque as montadoras não
    porque as montadoras não cortam o preço via redução dos custos de materia – prima ? Ex. aço e componentes eletronicos cairam mais que a alta do dolar. Acumulando-se a redução dos impostos mais materia-prima, poderia ter uma expressiva redução de preço final para o consumidor.
    É sempre a mesma receita de empresarios no brasil: só espera o governo. Vide fim da contribuição da saude. Skaf (Fiesp) falou que a redução poderia ser de até 9% dependendo do tamanho da cadeia produtiva mas depois que caiu nenhum centavo foi reduzido pro consumidor. Só aumentou a margem de lucro.

  10. Posso estar errado, mas esta
    Posso estar errado, mas esta redução do IPI só quebrou o galho da montadoras multinacionais falidas .

    Com a redução TODOS os carros usados comprados pelos revendedores do mercado secundário serão fonte de prejuízos, mas no governo quem se importa, o lobby destes não faz barulho, mas os funcionários e as empresas brasileiras do ramo ficam condenadas a falência com este passa moleque.

    Até quando ?

  11. Nassif, as vendas de
    Nassif, as vendas de automóveis e comerciais leves em Janeiro cresceram 9% sobre Dezembro e, com isso, os estoques das montadoras já devem estar bem menores do que antes das paralisações de produção.

    Espero que com a redução da Selic (fala-se numa queda de até 1 p.p. já) e a normalização do crédito, o mercado volte a patamares de produção e de vendas próximos ao que tínhamos antes do início da crise.

  12. A propósito, alguém saberia
    A propósito, alguém saberia explicar porque enquanto a GM oferece garantia de 60 meses nos Estados Unidos, aquí no Brasil a garantia é de 12 meses?. Existe alguma razão objetiva para essa diferença de tratamento ou é simplesmente porque eles nos acham com cara de idiotas? A Ford também oferece 36 meses nos EUA enquanto por aquí ela oferece os mesmos 12 meses.

  13. Da Agência Estado do Último
    Da Agência Estado do Último Segundo do IG
    http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/01/20/cni+nuci+cai+de+826+em+outubro+para+816+em+novembro+3492968.html

    CNI: Nuci cai de 82,6% em outubro para 81,6% em novembro
    20/01 – 13:34 – Agência Estado

    O Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (Nuci) caiu um ponto porcentual em novembro em relação a outubro, passando de 82,6% para 81,6% na série dessazonalizada.
    Na comparação com novembro de 2007, o recuo é ainda maior, já que, naquele mês, a indústria operava a 83,4% de sua capacidade instalada.

    Os dados constam dos indicadores industriais da CNI, divulgados há pouco……………………………..

  14. Creio que precisamos lembrar
    Creio que precisamos lembrar que em função da queda ds exportações e do peso no setor automobilístico no Brasil, o setor automobilístico precisa crescer pelo menos 10% em 2009 em relação a 2008, para o Brasil garantir um crescimento de 3% do PIB.

    E só com a política fiscal isso vai ser impossível, é mais do que necessário a participação da Polítca Monetária no processo de recuperação do ritmo de crescimento do PIB no Brasil.

    No Mundo nem precisa falar foi a primeira coisa que quase todos todos os países fizeram, no Brasil é que estamos aplicando uma Polítca Monetária totalmente maluca.

  15. Caro Nassif,

    A GM pode estar
    Caro Nassif,

    A GM pode estar suspendendo, mas a Honda está aumentando as férias em meses e a nova onda tipo tsunami também:
    Bloomberg:
    Roubini, conferência em Dubai: Predicts U.S. Losses May Reach $3.6 Trillion

    “I’ve found that credit losses could peak at a level of $3.6 trillion for U.S. institutions, half of them by banks and broker dealers,” Roubini said at a conference in Dubai today. “If that’s true, it means the U.S. banking system is effectively insolvent because it starts with a capital of $1.4 trillion. This is a systemic banking crisis.”

    (Eu Tenho encontrado que a perda de creditos pode chegar a U$3,6 trilhões para as instituições americanas, metade para os bancos e corretoras, se isso for verdade, o sistema bancário americano esta efetivamente insolvente, porque começo com um capital de U$1,4 trilhões. Esso é uma crise sistremica dos bancos.)

    http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601087&sid=a746r_1q9OOY

  16. O Povo brasileiro através dos
    O Povo brasileiro através dos governos de são paulo e federal da R$ 8 bilhões (fora isenção de impostos) às montadoras.

    O que ganhamos em troca ?

    DEMISSÕES e carro 1.0 a preço de carro de luxo com juros mais alto do mundo.

    É por essas e outras que o Brasil tem um dos piores índices de distribuição de renda.

    E o pior é que este $$ vai pra fora do país socorrer as matrizes “falidas”.

    Diferente do que a mídia fala, agora é uma das melhores épocas para se comprar carro, não sabemos até quando vai ter esta isenção.

  17. Na prática, sabe o que
    Na prática, sabe o que aconteceu???

    O IPI baixou, é fato, mas quem tinha dinheiro para comprar um carro melhor agora está se contentando com um carrinho.

    Tanto é que o Classic, um carro com desenho meio jurássico, de três volumes, com espaço maior que os hatchs, está em 2o. lugar nas vendas…

    http://carros.uol.com.br/ultnot/2009/01/20/ult634u3356.jhtm

    Isto nunca aconteceu antes. Ele passou outros carros.

    Um carro com mais de 10 anos de projeto ser o 2o. mais vendido é sinal de que as coisas não estão boas.

  18. Gente, tem coisa que não
    Gente, tem coisa que não muda…

    “Brasileiros compram 29 Ferraris em 2008”
    “A montadora italiana Ferrari terminou 2008 com 29 carros vendidos no Brasil, segundo dados divulgados nesta segunda-feira. Desse total, 80% foi comercializado em São Paulo, 15% na região Sul do País e 5% no Rio de Janeiro.
    Desse total, 24 carros vendidos pela marca no País foram do modelo F430. A Maserati, pertencente à marca italiana, vendeu 25 carros no ano passado…”

    O mercado de produtos AAA (isto é, top, super exclusivos) está AUMENTANDO. Não há indícios de que vá cair. Então, qual a conclusão?
    A crise atingiu muita gente da elite em nosso País. E só. Agora, eles querem “socializar” a perda, diminuindo em crescimento e contratações, pra recuperar um pouco sua margem ou aproveitar-se de uma situação para lucrar comodamente. Tudo bem, as exportações caíram, o mercado externo brecou, mas nosso mercado interno está firme e forte.
    Não se divulga quantas empresas ou famílias (como os Ermírio de Moraes) caíram no conto dos derivativos, e o prejuizo foi só deles. E das filiais das multinacionais, que têm de arcar com o ônus de uma matriz falida. Os 8 bilhões foram pros EUA, tenham certeza. Trabalho em uma publicação que cobre o mercado automotivo: o setor de aftermarket (reposição) no nosso País está na mesma boa marcha em produção e vendas. Não importa a choradeira do Sindipeças, fazendo coro com a FIESP. Eles querem é mamar mais. Acreditem.

  19. Aqui em São Caetano, nos
    Aqui em São Caetano, nos bares em torno da fábrica estão todos perplexos.

    Mais de 1/4 dos trabalhadores foram afastados em licença remunerada. Estão todos em pânico. Conseguiram de última hora a licença e não a demissão.

    A GM são caetano produz carros um pouco mais caros.

    Mas se nas montadoras o pessoal ainda consegue uma sobrevida, nas autopeças o facão está correndo solto.

    No começo da crise os primeiros demitidos eram do setor de financiamentos. O Citi Financial acabou. O Creditus idem, assim como inúmeros bancos especializados em financiamentos.

    A GM já se ajoelhou. Quem será o próximo?

  20. Nassif, a crise já atingiu a
    Nassif, a crise já atingiu a arrecadação de impostos, que cai desde Novembro.

    Notícia:

    Receita cai e Orçamento deve perder R$ 26 bilhões

    O resultado da arrecadação federal de tributos voltou a frustrar as expectativas do governo em dezembro e, pelos dados parciais de janeiro, indica que os efeitos da crise econômica sobre os cofres públicos estão se acentuando. O Orçamento da União, segundo apurou o Estado, deverá sofrer um corte de pelo menos R$ 26 bilhões para se ajustar à nova realidade.

    Em dezembro, a arrecadação ficou cerca de R$ 3,5 bilhões abaixo do que estava programado pela equipe econômica, repetindo o mesmo fenômeno de novembro. Em janeiro, a arrecadação da primeira quinzena também se comportou abaixo do previsto em cerca de R$ 600 milhões e, em alguns casos, ficou abaixo inclusive dos valores obtidos no início de 2008.

    http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/01/20/receita+cai+e+orcamento+deve+perder+r+26+bilhoes+3485939.html

  21. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome