Ruiva na área…

Oi, todos! Aqui é a Ruiva da foice 😉

Vou quebrar o galho da Chefia e liberar uns comentários por aqui. Alguns podem ficar parados, à espera da resposta dele, tá?

E vamos ficar com um poema da Comunidade Verso e Prosa, autoria de Pedro Du Bois.

AMOR E LOUCURA

amanso as árvores
e as distraio em raios solares

tenho nas mãos os dedos
ágeis dos batedores:
sei da música o descompasso

resisto ao chamado e não me abro
ao folhetim declarado

sou meu palco
anímico: descrevo arcos
abobalhados dos exercícios
e me retiro em saltos

das ondas refaço movimentos
ao esvoaçar areias
escaldantes: encerradas aos ventos
abundantes de paisagens

sou minha loucura: o amor
conduzido ao ápice da entrega.

Luis Nassif

10 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Ô Renata, que bom um pouco de
    Ô Renata, que bom um pouco de poesia na nossa segundona brava.

    Aí, me lembrei de dividir com você e com os leitores do blog
    uma poesia linda da Cecília Meireles, que li pela primeira vez ontem,
    voltando do Rio. Tão linda, fiquei emocionado quando li. Resume bem
    a nossa fragilidade no cosmo, em todos os sentidos possíveis.
    Adorada Cecília.

    NO MISTÉRIO DO SEM-FIM

    No mistério do Sem-Fim,
    equilibra-se um planeta.

    E, no planeta, um jardim,
    e, no jardim, um canteiro:
    no canteiro, urna violeta,
    e, sobre ela, o dia inteiro.

    Entre o planeta e o Sem-Fim,
    a asa de uma borboleta.

    Cecília Meireles

    RENATA: Gilberto,
    Cecília é absoluta. Uma das minhas preferidas. Tenho um livrinho dela contendo toda sua obra poética. Bem pequenininho, em papel bíblia, já quase se desmanchando, de tanto manuseio. Acho que da década de 60. Deveria mandar restaurá-lo, mas não consigo, tenho medo… Beijo e obrigada pela lindeza de poema!

  2. Olá Ruiva, trabalho duro em
    Olá Ruiva, trabalho duro em plena segunda…
    Este Pedro Du Bois é bem melhor que o Pedro du Bial. Infame, mas verdadeiro…..rsrsrs

    RENATA: haha completamente verdadeiro!
    Ln está sendo paparicado pelas tias e eu aqui moderando essas discussões sobre Israel/Palestina — que você já viu que está pegando fogo! Beijooooo

  3. Oi Ruiva, ter você na área, é
    Oi Ruiva, ter você na área, é um perigo! não pode nem encostar que já é pênalti, por favor, vá devagar com a foice! heeheheh

  4. renata:
    já conheço o pedro
    renata:
    já conheço o pedro dubois e mando um abraço pra ele.
    o josé robson traz uma informação importante:a estrovenga.eu conhecia
    a palavra,mas desconhecia o que era.vejo que é um instrumento poético.
    romério

  5. Do autor do comentário das
    Do autor do comentário das 19:15h. Renata, por favor, exclua o comentário, apesar de eu não ter a mais mínima intenção de ser grosseiro.

    Quiz apenas fazer uma alegoria com o fato de você sempre brincar dizendo moderar os comentários com uma foice à mão!

    A estrovenga é um instrumento parecido com a foice, mas tem dois gumes. Porque corta dos dois lados, é mais prático para os serviços rudimentares de roçada.

    Sory!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador