Em aula magna na UFMG, Dilma afirma que “meritocracia é fake news”

Reprodução

 

do Portal Vermelho

Em aula magna na UFMG, Dilma afirma que “meritocracia é fake news”

O auditório da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ficou lotado, assim como três sala próximas aos telões, nesta terça-feira (7), e cada espaço foi disputado para poder acompanhar a aula magna do curso de Ciências do Estado proferida pela presidenta eleita Dilma Rousseff, candidata ao senado por Minas Gerais.

Dezenas de pessoas fizeram fila que chegou a dar volta no prédio da faculdade para acompanhar o curso “O impeachment de Dilma Rousseff como golpe de estado”.

“Eu nunca esperava que a resposta do público fosse tão boa assim. Muito menos que pudéssemos ter a Dilma aqui. Quem melhor que ela, que sofreu esse processo todo, para poder falar sobre?”, comentou Thomas Bustamante, coordenador do curso e professor de filosofia do direito.
“Nossa democracia foi profundamente arranhada com esse processo. Precisamos entender e explicar o que aconteceu com um olhar teórico, crítico e científico para que não possa ocorrer novamente”, disse Bustamante, ao apresentar a presidenta.

Ao proferir a aula, Dilma apontou que o golpe se desenvolveu em três atos: “O golpe não é um momento, é um processo. O impeachment é o ato inaugural do golpe. O segundo ato foi a aprovação da lei do teto de gastos. O terceiro ato foi a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, salientou. 

Ela apontou que os reais motivos do impeachment sem crime de responsabilidade foram a alteração orçamentária e o investimento em programas sociais.

A presidenta também criticou a grande mídia e a Lava Jato. disse que o impeachment “não deixa de ser golpe por não ser militar”, como repete a grande mídia para falsear os fatos.

Leia também:  Bolsonarista Oswaldo Eustáquio é suspeito de vender ataques a empresas, diz Intercept

“Diferente do que vivemos no passado, o golpe de 2016 começa a se instituir com o uso da legislação e do processo judicial como mecanismo para aplicar o golpe. No meu caso foi a forçação do crime de responsabilidade”, enfatizou.

A ex-presidente condenou o discurso da meritocracia, que, para ela, distorce a realidade brasileira e serve como “tentativa de desqualificação das políticas de inclusão. “Se existe uma coisa que é ‘fake news’ é a meritocracia. Todos sabem o ponto de desigualdade em que começamos”, lembrou.

A presidenta também defendeu as medidas de seu governo e citou a grita feita pela grande mídia com a proposta de manutenção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Temos que parar com essa história de que no Brasil se paga muito imposto. É muito grave não ter CPMF. Uma pessoa faz uma transação de R$ 100 milhões e paga 0,38% disso.”, apontou.

Dilma encerrou a aula magna exaltando a população brasileira e reafirmando a defesa da liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do seu direito de ser candidato.

“A campanha contra ele é a sequência do golpe. Precisamos impedir a reprodução deste processo. Temos que ser capazes de lutar e resistir. Somos uma grande nação com uma grande riqueza, que é o povo. O Lula sabia disso. Lula livre”, encerrou.

 

Do Portal Vermelho, com informações de agências

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome