Lula participa de relançamento do livro ‘A Verdade Vencerá’

Ex-presidente estará em São Paulo, na terça-feira, para lançar a nova edição do livro entrevista que vendeu quase 30 mil cópias em 2018

Lula durante entrevista para o livro: considerado aula sobre política nacional, o livro revela toda a capacidade de análise sobre a sociedade e o carisma do ex-presidente (Reprodução Boitempo)
São Paulo – A nova edição do livro A Verdade Vencerá: O Povo Sabe por que me Condenam será lançada na terça-feira (10), às 18h, na Quadra dos Bancários, no centro de São Paulo. O livro-entrevista com Luiz Inácio Lula da Silva será relançado com a participação do ex-presidente.

 

Para a editora Boitempo, reeditar o livro tem um forte significado após os 580 dias da prisão de Lula em Curitiba, o impedimento de participar das eleições presidenciais de 2018, na qual era favorito, e a volta à liberdade. “Para celebrar, a Boitempo recoloca nas ruas um dos best-sellers de 2018”, informa.

Divulgação

Obra mais vendida pela Boitempo em 2018, será relançada com participação do entrevistado, o ex-presidente Lula

Considerado aula sobre política nacional, o livro revela toda a capacidade de análise sobre a sociedade e o carisma do ex-presidente. Resume três sessões presenciais de entrevistas nas quais Lula sobre sua vida, os governos do PT, o golpe parlamentar de 2016, o futuro do Brasil e a prisão que então era ainda uma ameaça. Os entrevistadores são os jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, o professor de Relações Internacionais Gilberto Maringoni e a editora Ivana Jinkings, da Boitempo.

A reedição trará 12 novas questões, feitas pelos mesmos entrevistadores, e respondidas por Lula, por escrito. Nelas, o ex-presidente relata o período em que permaneceu como preso político na capital paranaense e comenta sobre o governo Jair Bolsonaro, a Venezuela, sua condição pessoal e sua relação com o povo brasileiro.

O livro traz ainda o discurso feito por Lula no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, horas antes de ser preso, em 7 de abril de 2018, uma carta escrita por ele para o Salão do Livro Político de 2019, em São Paulo e a transcrição de sua fala no dia 9 novembro, após ser solto, além de uma nova seleção de imagens.

Leia também:  Lula: Brasil precisa de um governo contra o coronavírus, e não tem

Campeão de vendas

A Verdade Vencerá foi o livro mais vendido da Boitempo em 2018, com quase 30 mil exemplares. A obra foi lançada também em outros países, como Estados Unidos, Itália, Argentina e Espanha. O Brasil vivia, então, o desfecho da fase inicial dessa guerra jurídica nunca antes vista na história do país. E Lula estava na iminência de sua prisão.

Com apresentação de Luis Fernando Verissimo, prefácio de Luis Felipe Miguel, textos de Eric Nepomuceno e Rafael Valim, orelha de Luiz Felipe de Alencastro e cronologia de Camilo Vannuchi, a nova edição de A Verdade Vencerá tem 256 páginas e já está disponível para venda no site da Boitempo, por R$ 41.

O evento de relançamento na terça-feira é uma realização do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região (a quadra fica na Rua Tbatinguera, 192, Sé) e da Boitempo, com apoio da Fundação Friedrich Ebert.


Trecho em que Lula comenta o processo do tríplex

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. ROBERTO CARLOS,O PIRATA DAS ILUSÕES PERDIDAS.

    Ainda nos meus verdes anos,no crepúsculo dos anos 60,na radiola Philips de quatro pés do Papai,predominava e imperava os clássicos do Maestro americano Billy Vaughn,as vozes deslumbrantes de Diane Ross & Marvin Gaye,dos românticos brasileiros Dick Farney,Lucio Alves,Jamelão,Maisa Matarazzo,e segundo ele,do fenomenal Wilson Simonal,do sambista Miltinho,além dos clássicos de Mozart,Beethoven,Chopin e Bach.Ele se deleitava madrugada adentro bebendo sua insubstituível cerveja Brahma e fumando seu cigarro Minister depois Carlton.Ainda com cheiro de leite,caí na onda daquele momento,e colocava na radiola o disco do cantor perneta,que deitava e rolava mandando tudo pro inferno.O Papai impaciente que só ele,balançava a cabeça e me disse várias vezes o refrão que era a marca registrada dele,quando não gostava de alguém:”Este sujeito é uma infelicidade”.Por um bom tempo não dei muita bola para o que Papai continuava falando até que partiu desta para uma melhor,sem antes deixar de acrescentar:”Sujeito ordinário”.Corte no tempo.O perneta em toda sua trajetória de cantor,nada mais é do que um enganador de balzaquianas infelizes no amor e na vida.Tem verdadeira afeição por ditadores sanguinários e genocidas como Augusto Pinochet,que durante 16 anos promoveu um verdadeiro genocídio contra o bravo povo chileno.Sua foto ao lado do ditador no Festival de Vinã del Mar marcou-o com letras de ferro e jaspe.Sempre foi um dos maiores defensores da Ditadura Militar Brasileira quando foi agraciado com medalhas e outras coisitas más.Um alter ego das ditaduras,golpes e arbitrariedades praticada nos Países do Cone Sul.Trago a tona o quanto lutou e luta,sempre contando com a ajuda de algum bandido vestido de toga,para impedir que seja publicada qualquer biografia reveladora da sua verdadeira face.O perneta e Moro são faces de uma mesma moeda,são nazi-fascistas de fraque e galocha,estupradores de leis.Faço o registro de um fato:Dei um tempo por aqui,e aportei no Balaio do Kotscho.Em um destes finais de ano,ele fez mais um show modorrento para a Globo.No outro dia o honrado jornalista Ricardo Kotscho foi ao seu Balaio,e fez o texto do dia enaltecendo a figura do cretino,a ponto de registrar que foi às lagrimas ao ouvir certas canções do perneta fascista.Fui na jugular dele,e lhe mostrei evidências de quem o perneta realmente é.A minha relação com ele já tinha azedado por conta de Alexandre Garcia,que se disse ser amigo dele.Alertei ele sobre o fato,me fez um email(tenho guardado),me esculhambando.As criticas que fiz a Ricardo por conta da admiração que nutria pelo perneta cretino azedou de vez e mandou-me que “eu fosse cantar em outra freguesia”,assim,nestes termos.Quando o safadão perneta não pertencer mais a este reino,o País tomará conhecimento do calhorda que ele é,e Ricardo Kotscho,correto e limpo,me pedirá desculpas de quanto estava enganado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome