Guia dos Bancos Responsáveis 2018: confira o lançamento do estudo

do Idec

Guia dos Bancos Responsáveis 2018: confira o lançamento do estudo

Colocar nas mãos do consumidor o maior volume de informações que facilitem sua escolha em relação aos bancos. Esse é o objetivo do GBR, o Guia dos Bancos Responsáveis, que lança um novo estudo nesta quinta-feira (22).  

Realizado pelo Idec, ONG de Defesa do Consumidor, desde 2011, o GBR é fruto da coalizão internacional de onze países (Alemanha, Brasil, Bélgica, França, Holanda, Índia, Indonésia, Japão, Noruega, Suécia e Tailândia), que também realizam o Fair Finance Guide International (Guia Internacional de Finanças Responsáveis), coordenados pela Oxfam Novib

Em 2018, foram avaliadas as políticas de nove bancos: Banco do Brasil, Bradesco, BNDES, BTG Pactual, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra, Santander e Votorantim. Cada um deles foi avaliado em 18 temas divididos em 3 grupos: temas transversais, no qual entram mudanças climáticas, corrupção, igualdade de gênero, direitos humanos, direitos trabalhistas, meio ambiente e impostos. Temas setoriais, como armas, alimentos, florestas, setor imobiliário e habitação, mineração, óleo e gás e geração de energia; e também em 4 temas operacionais, que são direitos do consumidor, transparência e prestação de contas, inclusão financeira e remuneração. 

Na sétima edição do estudo, a economista Ione Amorim, pesquisadora do Idec em serviços financeiros e responsável pelo GBR, lembra que os consumidores estão cada vez mais exigentes e atentos às responsabilidades das instituições financeiras. 

“O GBR é um instrumento de avaliação importante para o consumidor saber, por exemplo, se o banco com o qual trabalha é transparente, respeita os consumidores e se promove ideias que estejam de acordo com ele. Queremos dar para cada pessoa o poder da informação, e assim, aumentar a sua capacidade de escolhas”, afirma a economista.

Desempenho dos bancos

Na edição 2018, apesar de pequenos avanços, as notas para comprometimento socioambientais dos bancos brasileiros continuam muito baixas. Faltam políticas detalhadas e disposição para o diálogo e transparência com a sociedade.

Em três dos 18 temas avaliados, algumas instituições financeiras superaram a média 5, com notas muito satisfatórias. Contudo, os resultados ruins nos outros 15 temas, principalmente Armas, Mudanças Climáticas e Setor Imobiliário, derrubaram a nota final, que ficou entre 2,0 e 4,3.

Confira os resultados completos aqui.

Sobre o Guia dos Bancos Responsáveis

O Guia foi criado a partir de uma extensa pesquisa que analisou a responsabilidade socioambiental das nove maiores instituições financeiras em número de clientes no País: a relação delas com os clientes, as relações com seus funcionários e os impactos socioambientais dos projetos que recebem financiamento dessas instituições. 

Quem não gostar da conduta do banco, pode reclamar. O site permite o envio de mensagens de satisfação ou insatisfação para cada banco, incentivando os bancos a tornarem suas práticas mais transparentes e a darem mais atenção à voz do consumidor.

O portal oferece também ferramentas interativas para comparação entre bancos e de mobilização social para melhoria das instituições bancárias, além de notícias e informações úteis que podem auxiliar o consumidor no processo de troca de instituição financeira, em caso de insatisfação. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome