Saab lança fábrica dos caças Gripen em São Bernardo do Campo

Foto: Saab do Brasil/Divulgação

Do ABCD Maior

Metalúrgicos comemoram início da fábrica da Saab em São Bernardo

Com início previsto para entrar em funcionamento em 2020, a Saab Aeronáutica Montagens anunciou sua instalação em São Bernardo na quarta-feira (9). A fábrica será no bairro Cooperativa em uma área de cerca de 5 mil m², em que vai produzir parte dos caças Gripen da Saab (fuselagem traseira, fuselagem dianteira, caixão da asa, cone de calda e freios aerodinâmicos). Os primeiros 55 trabalhadores, entre engenheiros e montadores, serão capacitados em Linköping, na Suécia. O processo seletivo está em andamento. Até 2024, a unidade deve ter 200 trabalhadores.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, o Wagnão, e outros diretores da entidade participaram do evento que marcou o início da instalação da Saab Aeronáutica Montagens, em São Bernardo. “É uma vitória para os trabalhadores, um dia para ser comemorado e que vai entrar para a história dos Metalúrgicos do ABC. São novos empregos em um setor extremamente estratégico, com transferência de tecnologia muito avançada, que não existe no Brasil”, afirmou Wagnão.

Em seu discurso, Wagnão fez questão de enfatizar o esforço do sindicato e do então prefeito Luiz Marinho, que administrou São Bernardo de 2009 a 2016, para trazer parte da produção dos caças para o ABC. “Os Metalúrgicos do ABC se envolveram fortemente na conquista desse produto e o nosso companheiro, o ex-presidente do sindicato e ex-prefeito de São Bernardo Luiz Marinho é o grande protagonista, ele insistiu muito para trazer esse produto para a cidade”, lembrou.

Fornecedores – Por sugestão do sindicato, a Saab organizou uma oficina com representantes de 50 empresas da região para apresentar o projeto, conhecer o processo de concorrências e passar por entrevistas com o setor de compras. “Trabalhamos muito em todas as conversas que tivemos com a Saab para que utilize fornecedores locais e desenvolva uma rede que movimente a região”, defendeu Wagnão. “E não basta só a capacitação desses fornecedores, eles têm que ter condições de desenvolver peças para esse tipo de produto, que é novo para o ABC e para o Brasil.”

Entre os produtos estão ferramental, equipamentos, matéria-prima, peças usinadas e de chapas metálicas, além de logística e transporte.

Escolha dos caças – Os Metalúrgicos do ABC defenderam a escolha dos caças suecos pelo governo brasileiro desde 2010. Na ocasião, Sindicato dos Metalúrgicos, Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT, CNM-CUT e IF Metall assinaram uma declaração conjunta por ser a única proposta que assegurava produção, empregos e tecnologia para o País.

O ex-presidente do sindicato e então prefeito de São Bernardo à época, Luiz Marinho, viajou à Suécia em 2010 e voou em um caça Gripen. No mesmo ano, conheceu os projetos concorrentes da França e dos Estados Unidos que estavam em disputa.

A compra dos 36 caças, sendo 28 monopostos (um tripulante) e oito bipostos (dois tripulantes), foi assinada pela Força Aérea Brasileira (FAB) em outubro de 2014.

A primeira aeronave deverá ser entregue em 2019 e a última, em 2024. O investimento total do projeto é de cerca de R$ 13 bilhões.

O secretário-geral do sindicato, Aroaldo Oliveira da Silva, conheceu a fabricação dos caças Gripen da Saab, na Suécia, em outubro de 2015, e confirmou a transferência de tecnologia para o Brasil e a instalação da fábrica de estruturas em São Bernardo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora