Denúncia sobre doação da Odebrecht ao Instituto Lula deve ir para SP, defende procurador do DF

Processo foi enviado ao DF por decisão de Edson Fachin, do STF, que retirou quatro ações das mãos da Lava Jato em Curitiba

Jornal GGN – O Ministério Público Federal no Distrito Federal enviou um manifesto à 10ª Vara Federal de Brasília defendendo que uma ação penal envolvendo R$ 4 milhões em doações da Odebrecht ao Instituto Lula seja remetida para a Justiça Federal em São Paulo.

Na visão da Procuradoria do DF, como as doações foram feitas ao instituto com sede em São Paulo, sem conexão com a Petrobras, a investigação deveria tramitar em foro paulista.

O caso é a quarta ação penal da Lava Jato contra Lula, admitido no ano passado pela 13ª Vara Federal em Curitiba. Mas por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, o processo foi retirado do foro curitibano e enviado para Brasília. Em abril, o plenário do Supremo ratificou, por maioria, a decisão de Fachin.

A Lava Jato alega que a Odebrecht fez doações de R$ 4 milhões ao Instituto Lula como forma de pagamento de vantagem indevida. Como não há provas de ligação com a Petrobras, a turma de Curitiba não pode mais cuidar desta e de outras três ações penais contra Lula ali originadas. Todas foram enviadas para Brasília, e serão analisadas caso a caso. As decisões tomadas por Sergio Moro e seus sucessores em Curitiba foram anuladas. Com isso, Lula está elegível para 2022.

Com informações do Estadão

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora