As vozes que me chegam, 1, por Romério Rômulo

Eu ando, pela moça do meu medo todo o caminho que me tem rasgado.

Gustav Klimt

As vozes que me chegam, 1

por Romério Rômulo

1.
As vozes que me chegam são estranhas
São vozes que me ardem os cotovelos
Têm um cheiro de roubos e barganhas
E me trazem o ar dos teus cabelos.
2.
Meu amor por Maria é tudo amar
O grande, o bom, o mau e o pequeno
É minha água, terra, o fogo, o ar
E em caso de suicídio, o meu veneno.
3.
Eu ando, pela moça do meu medo
Todo o caminho que me tem rasgado.

Que moça é essa feita de pecado?
Que moça é essa feita de segredo?

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome