Doria rebate ataques e diz que Bolsonaro “gosta de errar”

Depois de ser chamado de ‘patife’, governador de São Paulo pede em entrevista que presidente governe mais e cause menos confusão

O Governador do Estado de São Paulo, João Doria. Foto: govesp/via fotospublicas.com

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro recolocou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), como um de seus principais desafetos políticos ao ofendê-lo durante um jantar com empresários realizado em São Paulo e chama-lo de “patife” no Distrito Federal. Contudo, Doria não insuflou a polêmica bolsonarista.

“Faça mais gestão e menos confusão. O presidente Bolsonaro gosta de errar e gosta de fazê-lo permanentemente”, disse Doria, em entrevista ao jornal Correio Braziliense.

“Em vez de se concentrar em buscar soluções para a crise da saúde, a pior pandemia que se abateu sobre o Brasil nos últimos 100 anos, e a crise da economia, do meio ambiente, da educação, da pobreza, ele prefere mergulhar e criar a crise política, eleitoral e ideológica. É uma subversão de valores e de tempo. Ele se aplica ao que não é importante e despreza o que é substantivo”, ressalta o governador paulista.

Sobre a produção de vacinas CoronaVac no Instituto Butantan, Doria afirma que a instituição finalizou a produção com os insumos que havia recebido inicialmente, e mais material será entregue no próximo dia 19. “Continuamos a produzir e a entregar mais vacinas para o PNI, o Programa Nacional de Imunização. Ainda depois do dia 12 teremos uma nova entrega de vacinas e, até o final deste mês, vamos entregar 46 milhões de doses, exatamente o que estava previsto. E depois, mais 54 milhões até 30 de agosto. Era para ser até 30 de setembro, mas estamos fazendo um esforço enorme para entregar até dia 30 de agosto”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora