Eu por aqui vou derreter martelos, por Romério Rômulo

Quantas aguadas vivo sobre mim / Dura canção que me corrói o osso?

Kandinsky

Eu por aqui vou derreter martelos

por Romério Rômulo

1.
Minha memória é tanta que eu perdi meus gados.
Minhas terras se foram e eu me ative aqui.

Fui outro no passado e sou um outro agora.
2.
Minhas avós disseram-me de um ato
De ostentação e dor, se eu fosse louco
De só saber o quanto eu me contenho.
3.
Quantos cavalos trazem minha noite?
Quantas aguadas vivo sobre mim
Dura canção que me corrói o osso?
4.
E as pedras onde fiz o meu amor caber
Que sabem elas do torto do meu corpo
Se em tudo cabe só o olhar vazio?
5.
Eu por aqui vou derreter martelos.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome