A entrevista de Haddad ao Estadão e o conceito de golpe

 
O Estadão deu o título de “Golpe é uma palavra muito dura, diz Haddad sobre o impeachment”. Afinal, o que Haddad quis dizer.
 
Como professor universitário, Haddad pretendeu uma definição mais sofisticada para golpe. Em 1964 o golpe consistiu na deposição de um presidente eleito, no fim das liberdades democráticas e em 21 anos de trevas.
 
E agora, perguntei.
 
O que houve foi uma ruptura institucional, que no jargão técnico equivale a golpe. A Constituição prevê o impeachment, diz Haddad, mas define que tem que haver motivos definidos como crimes administrativos. E, no caso de Dilma, não houve. Ou seja, aplicaram um casuísmo que só será utilizado contra quem diverge do status quo. E isso é uma ruptura institucional.
 
Ou seja, é golpe.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  "Eu acreditava que Bolsonaro seria freado", diz ex-procurador da Lava Jato arrependido

71 comentários

  1. Pois eu faço minhas as palavas de Kiko Nogueira

    OS GOLPISTAS AGRADECEM A HADDAD PELA GRAÇA ALCANÇADA

    Primeiro foi Rui Falcão.

    Na semana passada, o presidente do PT criticou a ideia de realização de um plebiscito sobre novas eleições.

    “Não vejo nenhuma viabilidade para esse tipo de proposta”, disse. Dilma, afinal, estaria abrindo mão de seu próprio mandato. São “artifícios para tentar enganar quem não vai ser enganado”, concluiu.

    O fogo amigo, fruto de um momento de suprema mesquinharia e falsa sinceridade, repercutiu da maneira que se esperava: foi largamente utilizado pelos defensores do impeachment.

    E então apareceu Fernando Haddad.

    Numa entrevista à TV Estadão, o prefeito de São Paulo deu um presente inesquecível aos golpistas. Diante de uma fileira de três jornalistas sentadinhos em suas cadeirinhas, Haddad evocou o que parece ser um pequeno Cristovam dentro dele.

    “Golpe é uma palavra um pouco dura, que lembra a ditadura militar. O uso da palavra golpe lembra armas e tanques na rua”, definiu. Faltou fazer aspas com as mãozinhas à la Chalita, seu vice.

    O impeachment contém, no máximo, “casuísmo”. Temer cometeu uma impropriedade, como que soltou um peido no jantar. “Não me parece de bom tom o que vem acontecendo: um vice se insurgir contra a cabeça de chapa”, afirmou.

    O golpe de misericórdia em Dilma veio ao explicar por que ele não vai chama-la para sua campanha. “Ela está vivendo um momento difícil e me solidarizo. Sobrecarregá-la mais com esse tipo de abordagem não seria justo”, falou, com pena daquela coitada. Tradução: nem a pau.

    A reação à conversa nos comentários da matéria é, obviamente, tenebrosa. De “comunopetista” para baixo. Sem surpresa. O Estadão é o jornal que o chamou, em editoriais, de moleque, irresponsável, higienista, fisiologista e por aí vai. Estou citando literalmente. O público é esse.

    Ok. Haddad aproveita o microfone. Mas essas tentativas de agradar grupos abertamente hostis com palavras de carinho — sem contar as gordas verbas de publicidade —, além de não render um mísero voto, fazem com que ele perca outros.

    Foi assim, para ficar num exemplo, numa “sabatina” da CBN, rádio que se dedica a massacrar a administração municipal, na Livraria Cultura. Eduardo Suplicy foi xingado por ouvintes revoltados on line. Um espetáculo dantesco.

    Acreditava-se que o mentor dessa tática suicida era o ex-secretário de Comunicação Nunzio Briguglio Filho, hoje desaparecido. Agora se vê que é coisa do chefe, mesmo.

    Enfiado em seu buraco, Cristovam Buarque está rindo. Como revelou o DCM, ele pediu a Dilma que tirasse a palavra golpe da misteriosa carta dela aos brasileiros. Depois foi lá e votou feliz da vida pelo parecer de Anastasia.

    Há dias, Bernie Sanders, numa nota em sua página no site do Senado americano, fez um apelo “para que Estados Unidos tomem uma posição definitiva contra os esforços pela remoção da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, de seu cargo”.

    “Para muitos brasileiros e observadores, o controvertido processo de impeachment se assemelha a um golpe de estado”, escreveu. Stop it, Bernie. Pega leve, irmão.

    Hora dessas cai a ficha de Haddad de que essa tentativa eterna de conciliação com setores que odeiam o que ele representa deu no que o país vive hoje. Arregar dessa maneira, além de indigno, não ganha eleição.

    Por enquanto, os golpistas agradecem a ele e a Rui Falcão pela graça alcançada.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/golpe-e-palavra-dura-os-golpistas-agradecem-a-haddad-pela-graca-alcancada-por-kiko-nogueira/

  2. Ou seja, o catedrático da USP tergiversou

    Sinto muito, alcaide, não é hora de tergiversar. O que vossa alteza fez é crime sem perdão, não há atenuantes possíveis para tamanha patacoada. A Tia Erunda já está sambando na cara desde ontem. 

  3. Aos fatos, por inteiro

    Seria bom deixar isso bem claro, de preferência colocando as palavras de Haddad entre aspas.

    Pelo texto, não se sabe exatamente o que Haddad disse. Parece estar havendo uma interpretação de sua fala.

    Haddad é um sujeito centrado, equilibrado e não precisa de interpretes.

    • Concordo

      A matéria saiu no Estadão, que é um dos aparelhos a serviço do Golpe.

      Todos os grandes veículos de mídia têm histórico de manipulação e desonestidade no trato com a informação, quando se trata de enfraquecer o campo progressista.

      Sem o áudio da entrevista, a declaração de Haddad não significa nada. Só serve pra fazer marola nos TTS do Twitter. Tem gente burra que acha isso relevante.

      • O Estadão é um dos jornais

        O Estadão é um dos jornais mais antigos das Americas, tem um bela historia, conservador e não manipulador.

        Não tem comparação a seriedade do ESTADAO na defesa de seu ideario em relação ao GLOBO.

        O ESTADÃO é a cara de São Paulo, de sua elite intelectual e civilizada, um dos seus dirigentes fundou a USP em 1934.

        Depois do AI-5 o Estado esteve sob permanente censura mas não O GLOBO.

        • A CRÍTICA AO  HADAD ESTÁ EM

          A CRÍTICA AO  HADAD ESTÁ EM TODOS OS MEIOS DE ESQUERDA. INFELIZMENTE O LADO COXINHA DO HADAD, QUE É  GRANDE, DIGA-SE DE PASSAGEM, FALOU MAIS ALTO. GOSTARIA QUE ERUNDINA FOSSE 10 ANOS MAIS JOVEM E EU VOTARIA NELA. COM ESSA IDADE TODA NEM PENSAR. MAS HADAD VAI DECEPCIONANDO A CADA DIA UM POUCO MAIS. ACHO QUE ELE FARIA MELHOR CALANDO SEU LADO COXINHA BEM NO FUNDO DO CORAÇÃO, POIS OS PETISTAS NÃO PRECISAM DE MAIS ESSE ESTREPE EM SEU CORPO. 

        • André,Eu acompanhei o Estadão

          André,

          Eu acompanhei o Estadão até o limite da (minha) sanidade. Parei de assinar depois do episódio da perseguição ao José Sarney, bem antes da AP 470.

          Sarney é coronel erudito por quem não tenho nenhuma simpatia, mas o que os Mesquita fizeram com ele, em pleno Século XXI, foi uma afronta à história do Brasil e à Constituição Federal. Coisa de cangaço. Abusaram do poderio de comunicação para fazer uma vendetta particular.

          O Estadão tem uma história e tinha uma reputação que os herdeiros, pouco afeitos ao batente, destruíram. São golpistas de primeira hora e desconhecem o que seja ou como se faz uma nação de verdade.

          Quem dera a elite paulista fosse ilustrada, educada e gentil como os Moreira Salles.

        • Do Estadão gosto da parte

          Do Estadão gosto da parte cultural, do colunista Sérgio Augusto e das tirinhas do Calvin. Não sou de ler editorais, mas vi uma linguagem bem barra pesada contra Dilma e o PT. Mas sou interamente favorável que o Estadão exista, pois ele serve de referência para se tomar uma decisão = se ele apoiar X, escolha o anti-X porque o tempo vai mostrar que o Estadão estava do lado errado, como no apoio ao golpe de 64 e contra as diretas nos anos 80 rss. Se comparada com as elites de outros estados, a de SP talvez seja civilizada – mas cá entre nós esse é um parâmetro bem baixo, André  rss

  4. Oras, oras, Haddad foi picado

    Oras, oras, Haddad foi picado pela lógica da Folha, para quem não se lembra,  ela disse que a ditadura não foi tão dura assim, foi uma “ditabranda”.  Para Haddad foi golprando.

  5. É falta de vergonha? É falta

    É falta de vergonha? É falta de discernimento? Não entendo porque petistas insistem em dar entrevistas para esse tipo de jornal

  6. G   O   L   P   E!! È simples

    G   O   L   P   E!! È simples de entender Haddad,

     

    tudo sob os olhos severos do “festejado” que já vai fechando o caixão de sua pífia administração, triste é saber que a sucessora consegue ser pior antes de sentar na cadeira………

     

  7. tá aqui pra quem quiser ver

    http://tv.estadao.com.br/politica,haddad-critica-alianca-marta-matarazzo-e-defende-bracos-abertos,618071

    Ademais, se o Estadão é golpista ( e é ) pq o Haddad dá entrevista para eles? Enfim, o Kiko disse tudo, na matéria que postei abaixo. um trecho:

    “Ok. Haddad aproveita o microfone. Mas essas tentativas de agradar grupos abertamente hostis com palavras de carinho — sem contar as gordas verbas de publicidade —, além de não render um mísero voto, fazem com que ele perca outros.”

    (…)

    “Hora dessas cai a ficha de Haddad de que essa tentativa eterna de conciliação com setores que odeiam o que ele representa deu no que o país vive hoje. Arregar dessa maneira, além de indigno, não ganha eleição.”

     

  8. Na intenção de prejudicar, o PiG acaba ajudando.

    É tanta manipulação que o PiG faz que na intenção de prejudicar acaba ajudando.

    O Haddad é candidata e candidato precisa de votos.

    Esta manchete retirada do contexto acaba por ajudar o Haddad a conquistar votos de pessoas posicionadas mais a direita.

    Não tem jeito PiG!!!

    Se correr o bicho pega!!!

    Se ficar o bicho come!!!

     

        • Então tá!

          Continua sonhando com o que a direita vai pensar sobre a entrevista do Haddad…

          “Esta manchete retirada do contexto acaba por ajudar o Haddad a conquistar votos de pessoas posicionadas mais a direita.”

          Sonhar é bom demais!

          • Vamos pensar um pouco…

            São Paulo é o estado mais conservador do Pais, certo?

            A grande mídia tem maior influência neste estado, certo?

            O Haddad é prefeito da cidade de São Paulo, certo?

            Logo…

            Radicalizar-se na esquerda não vai ajudar o Haddad a se reeleger.

            Ou seja, o Estadão na intenção de prejudicar, acaba ajudando.

            Os aloprados da esquerda, na reta votarão no Haddad ou na Marta?

            No Haddad ou no Russo?

            O Dória nem entra na conta.

            Ou seja, este tipo de coisa não faz o Haddad perder votos coisa nenhuma, só faz ganhar.

          • Nem é preciso pensar muito

            Basta apenas observar os acontecimentos recentíssimos que estamos vivendo.

            No que deu tanta conciliação e medo de se posicionar?

            Em “casuísmo”, segundo o Haddad.

            Chega de pragmatismo infantil e covarde.

            Infelizmente, é muito provável que o Haddad nem vá ao segundo turno. Ganhar voto da direita ou de centrão a essa altura ele não ganha mesmo. Vai perder voto para a Erundina, isso sim.  

          • Tem que separar o discurso sereno da ação efetiva.

            O PT cometeu um grande erro de não implementar a Lei de Meios.

            Porém, para fazê-lo não é necessário radicalizar o discurso.

          • Timing

            Houve o tempo em que o PT, no governo Lula, poderia ter ao menos enfrentado com coragem a questão da democratização da mídia. Não o fez, Perdeu o timing.

            E agora está perdendo o timing do enfrentamento duro ao golpe. Não há combate a golpe sem radicalização, amigo. Maneirar o discurso nesse momento equivale a admitir que o que está acontecendo não é golpe. É, portanto, fortalecer os que tomaram o poder de assalto. Repetindo o Kiko, mais uma vez: É ARREGAR.

          • Cilada do Estadão.

            A intenção do Estadão é minimizar o efeito da palavra Golpe. 

            A manchete do jornal não condiz com o que disse o Haddad, porém não prejudica sua candidatura e ainda ajuda.

            Prejudica o combate ao Golpe e este problema é nosso.

            O Haddad deve se concentrar na sua campanha e não no combate ao Golpe.

            Toda vez que o Lula radicalizou o discurso ele perdeu.

            Eleição não é pra amadores!

            Enquanto ao Golpe, já está dado, a Dilma não vai voltar, continuaremos combatendo o Golpe, mas é necessário tempo para que as pessoas amadureçam e comecem a perceber que foram enganadas.

            Até 2018 os Golpistas estarão totalmente nús e o PiG terá que rebolar muito para encobrir esta nudez.

          • Então concordamos.

            Quando o Lula radicalizava o discurso, não ganhava uma.

            Depois que se profissionalizou ganhou, porém nunca assumiu realmente o poder por falta de profissionalismo na política. Ou o PT foi muito ingênuo em acreditar nas instituições.

            Nomeou muitos Ministros do Supremo e o que temos? É claro que foram amadores. Não tiveram coragem.

            O PSDB nomeia o primeiro da lista para procurador? Não.

            O PT já tinha se estrepado antes e continuou no erro. O resultado está ai.

            Mas o que estou dizendo é que a ação deve ser feita com coragem e sem radicalizar o discurso.

            A boa notícia é que quando vencermos o golpe, o PT terá aprendido a lição e irá realmente assumir o poder, ou seja, o golpe nos é favoravel, pois de outra forma ficaríamos naquele lenga lenga onde quem ganhou a eleição não manda nada.

            Depois de tudo, quem ganhar vai mandar, e é ai que os golpistas vão se dar mal, inclusive o Ségio Moro que se fize-se o que fez nos EUA seria preso no mesmo dia.

          • Sobre o resultado disto, não há a menor dúvida.

            Lembra o Poder exercido pela Alemanha Nazista?

            O resultado foi aniquilador para a Alemanha, pois os espíritos superiores estavam contra ela. Assim é com o Golpe no Brasil.

  9. O Haddad sabe muito bem que

    O Haddad sabe muito bem que golpe é golpe.

    Mas já deve ter visto que o barco está afundando e resolveu se salvar.

    E quer saber? Acho que ele que está certíssimo. Afunda junto com o Mercadante, com o Cardozo?

    • Em tempo:
      Agora vai recomeçar

      Em tempo:

      Agora vai recomeçar o festival “vamos bater no Haddad”.

      Quem sabe “as esquerdas” paulistas conseguem eleger o “tá russo, mano”, ou talvez o joãozinho dodói.

      E não esqueçam de chamar o Passe (deus me) Livre: são colaboradores de todas as horas desse festival.

  10. O que sobrou do PT

    É impressionante, inacreditável como o que sobrou do PT, a sua militância, é tratada. Aos bofetões. Tomamos um passa-moleque ontem histórico. 

    Fomos publicamente desautorizados, após quase dois anos esgoelando GOLPE pelas ruas e redes sociais. As páginas da Direita estão inundadas com a entrevista ao Estadão, estão sambando na nossa cara desde às 15p4 de ontem. 

  11. Bom, para quem resolveu

    Bom, para quem resolveu proteger os supermercados e vetar a proposta de lei que previa que as sacolas voltariam a ser distribuidas gratuitamente.. e agora mais essa… enfim depois não reclama quando perder…

    Gosto do Haddad, mas tem certas coisas que não dá…. como o Plínio apoiar o Serra por exemplo…eita esquerda como a direita gosta…..

  12. O neogolpismo na América Latina no século 21

    Tenho uma colega e amiga cursando o 4º ano de Sociologia e Política na FESPSP, onde estudei em 2013/2014, que está escrevendo um TCC com o título “O neogolpismo na América Latina no século 21”, abordando, obviamente, Brasil, Paraguai e Honduras (estamos em ótimas companhias). Ontem, entrei em contato com a amiga, estou pensando em encadernar uma cópia de luxo para remeter de presente para o nosso alcaide. 

      • Bom dia, André.
        Estou lendo o

        Bom dia, André.

        Estou lendo o livro “Brasil: Uma Biografia” de LILIA MORITZ SCHWARCZ e HELOISA STARLING. Cheguei no capítulo que trata do Estado Novo, e relembrei a destreza política que Getúlio Vargas possuia…

        E uma coisa ficou clara com essa leitura: o Brasil sempre foi marcado por golpes, a herança escravocrata está Incrustrada em nós e o povo é o coadjuvante de sempre.

  13. “Se o povo brasileiro

    “Se o povo brasileiro permitir a consolidação desse processo de redução de direitos, todos deveremos temer desagradar delegados, promotores de justiça, procuradores, juízes, deputados, senadores, ministros, enfim, qualquer homem público capaz de movimentar o aparato de violência e de punição do Estado.” – TRECHO DO BLOG DO MARCIO VALLEY – PUBLICADO AQUI NO GGN, MAIS CEDO.

     

    Participei dos comentários ao texto do Márcio com a resposta abaixo que reproduzo aqui porque considero pertinente.

     

    Quem deveria falar pelo povo brasileiro está cuidando da própria biografia ou do futuro da carreira na política. Dilma renunciou e ninguém aqui parece se dar conta disso, não foi notícia nos jornais impressos ou na TV. Depois que o PT se uniu a chapa do Maia, o Rui Falcão disse que não apoia o tal plebiscito e novas eleições, Dilma afirmou que mesmo se pudesse, não voltaria à presidência, depois ainda de ser convencida a tirar a palavra “golpe” de uma suposta carta aos senadores que ninguém leu. E para arrematar, Haddad considera a palavra “golpe” muito dura para definir a manobra que derrubou Dilma.

     

    Eu já não tenho mais forças para responder aos que acusam Dilma de ter criado as condições para o golpe devido somente a sua incompetência e falta de talento político. Por que não acusam Lula de não ter feito nada para aprimorar a democracia. Por que não admitem que ele fez concessões demais? Só falta ir conversar com o Temer para selar a grande conciliação nacional. 

     

    E me chateia ler esses textos conclamando o povo brasileiro à reação. O povo brasileiro está reagindo nos tribunais, na justiça, nas arquibancadas, nas ruas, nos comentários às colunas dos serviçais da plutocracia. Mas a classe política não responde porque perdeu completamente qualquer ligação com a base eleitoral. e quando procuram organizar protestos o povo não responde pelo mesmo motivo, porque não acredita mais. A culpa não cabe à Dilma. É do PT, a culpa é do Lula que já não se enxerga como um representante de uma parcela da população. ele se enxerga como um mito. Perdeu a objetividade, o senso de realismo em um certo grau.

    Select ratingRuimBomMuito bomÓtimo ExcelenteRuimBomMuito bomÓtimoExcelente

     

  14. PQP… Que medra de
    PQP… Que medra de jornalismo é esse que sequer se sabe a verdade sobre a fala de um politico.
    Vivemos no mundo das versões e conveniências. Da ma-fé, do disse-me-disse.
    Se há dúvida que se procure Haddad e se colha sua fala e seu pensamento sobre o assunto.
    Puta que o pariu!

  15. Recall político

    O que o Congresso Nacional está fazendo com Dilma é retirá-la do poder mediante a utilização irregular do instituto do impeachment como se fosse uma espécie de recall político, não previsto na Constituição Federal.

    Essa gambiarra só tem um nome: GOLPE!

  16. O PIG está manipulando a

    O PIG está manipulando a declaração de Haddad. 

    Como ainda tem gente que acredita no que sai no Estadão???

    Haddad, ponha um processo neste lixo de jornal.!!!

  17. O PIG está manipulando a

    O PIG está manipulando a declaração de Haddad. 

    Como ainda tem gente que acredita no que sai no Estadão???

    Haddad, ponha um processo neste lixo de jornal.!!!

    • diariodocentrodomundo

      O Diariodocentrodomundo abriu a temporada de caça ao Haddad por conta da declaração.

      Não assistiram o filme, acreditaram na versão do estadão e “Tacalhe Pau”.

      Tá diphicil !

  18. Ele podia ter sido assertivo,

    Ele podia ter sido assertivo, mas não o foi. Isso no momento em que: Dilma põe na conta do PT a treta do caixa 2 do João Santana, Rui Falcão conflita com Dilma sobre a questão do plebiscito e Dilma reavalia usar o termo ‘golpe’ na tal carta. O ponto que mais me chamou atenção foi quando ele diz que não a quer no palanque porque (1) não quer sobrecarregá-la (2) não seria justo e (3) não faz sentido agora que ele já é conhecido, ao contrário do que ocorreu em 2012. Não me parece que Dilma seja nenhuma santa de devoção do prefeito.

  19. Ele podia ter sido assertivo,

    Ele podia ter sido assertivo, mas não o foi. Isso no momento em que: Dilma põe na conta do PT a treta do caixa 2 do João Santana, Rui Falcão conflita com Dilma sobre a questão do plebiscito e Dilma reavalia usar o termo ‘golpe’ na tal carta. O ponto que mais me chamou atenção foi quando ele diz que não a quer no palanque porque (1) não quer sobrecarregá-la (2) não seria justo e (3) não faz sentido agora que ele já é conhecido, ao contrário do que ocorreu em 2012. Não me parece que Dilma seja nenhuma santa de devoção do prefeito.

  20. Até parece que a elite

    Até parece que a elite brasileira vai ficar envergonhada de carregar mais um golpe de estado no currículo, o cinismo dessa gente não tem limites.

    Já a imagem do país do exterior…..

    • Ppenso o mesmo, e digo mais,

      Ppenso o mesmo, e digo mais, qualquer candidato (mesmo do PT) que não utilizar o espaço da campanha eleitoral para radicalizar no discurso contra o golpe NÃO TERÁ O MEU APOIO .

      Estou esmiuçando com pinça para tentar participar desta eleição (farsa?) de 2016 .

      Abraços !!

    • Ppenso o mesmo, e digo mais,

      Ppenso o mesmo, e digo mais, qualquer candidato (mesmo do PT) que não utilizar o espaço da campanha eleitoral para radicalizar no discurso contra o golpe NÃO TERÁ O MEU APOIO .

      Estou esmiuçando com pinça para tentar participar desta eleição (farsa?) de 2016 .

      Abraços !!

  21. Herdei de Papai a virtude da

    Herdei de Papai a virtude da clareza e ouvir dele pela primeira vez  o significado de melifluo.Nao tenho compromisso com erro,venha donde vier.Ou o Estadao mentiu ou Haddad pisou na bola.E feio.

  22. A classe política endoideceu.

    A classe política endoideceu. De um lado essa fala desastrada de Haddad, que é do partido de Dilma. De um outro, Kátia Abreu enfrentando os fdps no senado e falando em alto e bom português que não houve o motivo que usam para tirar Dilma do poder, logo é um golpe. E Kátia Abreu é do pmdb, o partido que deu o golpe. É como disse Tom Jobim = O Brasil não é para amadores rss. E pra coroar, Haddad impõe Chalita como vice, politico ligado a Alckimin. E como está aberta a temporada de caça ao pt, não duvido que achem pelo em ovo, tirem Haddad da prefeitura e aí o Alckimin terá um alido na prefeitura. Eu não entendo mais nada. 

     

     

  23. Voto em Haddad de olhos fechados

    Melhor prefeito. Reduziu a dívida da cidade, melhorou o trânsito. Cumpriu as metas que prometeu em campanha (quantos fazem isso? Lula?). Tem realizações em inúmeras áreas, trabalha em equipe, não é ladrão. Para quem liga pra essas coisas, seu patrimônio diminuiu em 4 anos.

    A explicação do Nassif acima é suficiente. Voto pelo conjunto da obra. Não troco meu voto por nuances semânticas.

    Não voto (mais) em Erundina porque ela é tipo Luciana Genro (por onde anda?). Na hora em que as esquerdas mais precisam de união, ela aparece pra separar.

  24. Ele falou o óbvio.
    Não existe

    Ele falou o óbvio.

    Não existe Golpe. Vejam o Ministro do STF presidindo o julgamento.

    Tem que dar um duplo twist carpado pra dizer que é golpe. Muita ginástica para um mau resultado.

     

  25. E dá-lhe factóide.
    Haddad não
    E dá-lhe factóide.
    Haddad não adota o conceito de golpe mas foi claro, pra quem quis entender, que o que está acontecendo viola regras constitucionais. E que ele é contra. Eu pessoalmente considero golpe, conceito traduzido pelo Nassif. A escolha vocabular não é central pra definir seu posicionamento contra o processo de impeachment que inaugura o golpe jurídico parlamentar no Brasil – até onde conheço. Ele tentou evitar entrar numa polêmica inútil que com certeza tomaria seu tempo discutindo um tema complexo, delicado e que tiraria o foco da sua gestão, o objetivo da entrevista.
    As pessoas estão pegando a mosca e engolindo o elefante: em 30 minutos de entrevista o Haddad se saiu bem de todas as saias justas sem precisar ser grosseiro ou adesista irresponsável – a presidenta também foi acusada por tais pessoas de não perceber o golpe se construindo e de não te-lo denunciado na ONU, as mesmas que agora mordem a isca pra fermentar a idéia de golpismo interno por desconhecerem a história das divergências inerentes ao perfil do partido e dos envolvidos; rebateu todas as perguntas tendenciosas de jornalista despreparada (responsável pelo assunto “metrópole”…), discutiu em alto nível as principais críticas ao seu governo, apresentou resultados, foi combativo na defesa de sua administração e deu um baile na pauta coxinha. A cara de desconsolo (um pouco de vergonha pelo despreparo visível na tentativa infrutífera de colocá-lo em armadilhas, que rendeu apenas o compreensível factóide mordido pela neoesquerda, ex esquerda e por impacientes ingênuos) dos jornalistas ao final mostra que Haddad derrotou o discurso conservador mas estranhamente só se fala de um assunto que na entrevista passou despercebido até pela ânsia provocativa dos porta vozes do golpismo midiático, mencionado ironicamente por
    ele. Por essas e outras que São Paulo sempre volta às mãos de oportunistas sem um centésimo do preparo técnico, arrojo político e administrativo e qualidade moral do Haddad. Com a esquerda legítima batendo cabeça sozinha – descartar o Haddad por uma questão conceitual manipulada pra esconder seu fulcro ao qual é claro em se opor -, basta a direita dar um empurrão que a democracia se revela uma ideia que não saiu do papel e do discurso.
    19:04

  26. Votaria nele se não fosse do PT

    O problema é que com a provável saída da Dilma o PT vai obrigá-lo a abrigar muitos companheiros que até então viviam de parasitar os cofres federais.

    O Haddad passaria a ter o maior cofre nas mãos do PT e isso não é bom, terá que abrir inúmeras boquinhas para figuras para abrigar os derrotados, assim como já fez com o Padilha.

     

  27. Eu não entendo a vergonha da

    Eu não entendo a vergonha da Globo/STF/Banqueiros/Políticos em admitir o golpe.  Está tudo tão escancarado, é tanto cinismo e hipocrisia, o Brasil sendo dilapidado sem cerimônias, Serra implantando o terror e alinhamento imbecil com os EUA, privatização às pressas.

    De qq forma o PT tenta contemporizar pois sabe que perdeu espaço e que quem manda agora é a nossa extrema-direita nazi.  Mas, Haddad pisou na bola, e na minha convicção o PT já abandonou Dilma desde 2013.  O PT achou que Dilma sairia e as estruturas de poder conquistadas pelo PT não seriam alteradas, mas o que aconteceu mudou tudo para muito pior.

    Conclusão, nenhum partido é confiável.  O carisma de Lula é o que sobrou do PT.  Ou o povo de organiza ou vai levar no r… até quando a Casagrande quiser.

  28. Tá certo! O Haddad e os demais companheiros me convenceram.

    Já estou até pensando em faixas e cartazes para levar na próxima oportunidade que houver (se houver e quando for o momento correto, claro, sem precipitação ou radicalismo) um evento público no qual nós, companheiros, possamos nos expressar livremente segundo as regras e ditames da boa eduação e elegância que convém às esquerdas quando ousam se pronunciar a respeito de casuísmos casualisticos casualissísimos.

     

  29.  “Haddad disse uma das

     “Haddad disse uma das maiores asneiras da vida dele,anota o correto Paulo Nogueira Batista do DCM”Na verdade,perdido  por um,perdido por dez.Jogou para a galera,foi o grande erro dele..Se restava alguma esperanca,foi por ralo.Esse  escorregao vai lhe acompanhar pelo resto da vida,e pode  ter jogado uma pa de cal na promissora carreira dele.

    • Vai acompanha-lo pelo resto

      Vai acompanha-lo pelo resto da vida,quis dizer.A correção era imprecindivel,principalmente em se tratando de mesóclise,já devidamente incorporada ao diploma consolidado patrio.

  30. O Estadao jogou o anzol,o

    O Estadao jogou o anzol,o bicho mordeu.A razao me acolhe e acolhera sempre,quando afirmo peremptoriamente que politica nao comporta amadores ou amadoras,e terreno delimitado unica e exclusivamente para profissionais.

  31. Lula esta arrancando a barba

    Lula esta arrancando a barba com alicate.Ricardo Kotscho vai pagar do proprio bolso o terno de posse de Russomano .O Senador Bernie Sanders ficou puto com ele.Ate agora foi o que conseguir apurar sobre a perola de Haddad.

  32. Vou dá por encerrada esse

    Vou dá por encerrada esse episodio de Haddad,não antes se relembrar um fato para que todos tenham a consciencia da extensão do estrago que o Prefeito se permitiu fazer.Eleição presidencial de 2002.Ciro Gomes disputava a eleição pelo PPS,concedia uma entrevista nos estudios Radio Metropole de Salvador ao ex-Prefeito de Salvador Mario Kertész,carreirista,ex pau mandado de ACM,hoje unha e cuticula com Gedel Vieira Lima.Ciro tinha os pés no segundo turno.As pesquisas de ocasião,lhe sorriam.Em determinado momento abriram-se as linhas da Radio,para que os ouvintes fizessem perguntas ao candidato,a pedido do proprio Ciro.Pra que.Uma ouvinte perguntou-lhe,confesso,de forma ironica, qual era influência da atriz da TV Globo Patricia Pillar,então esposa de Ciro,na campanha dele.Resposta de Ciro:”Nenhuma,a não ser dormir comigo”.Ciro ainda tentou consertar.Ciro despencou como uma jaca mole,de uma consideravel altura.A idiotice ganhou as redes sociais,e a velha mídia lhe arrancou o couro. Nem ao segundo turno foi.Se as chances de Haddad eram remotas,tornou-se remotissimas.Um politico não tem o direito de falar uma asneira dessa.Pagará um preço altissimo e,como disse,essa macaquice o acompanhará pelo resto da vida.Ouvi toda a entrevista de Ciro.   

  33. Esqueci-me de alertar sobre

    Esqueci-me de alertar sobre uma coisa importante,importantissima.Aviso aos senhores navegantes de curto,medio e longo curso:se tentarem consertar a asneira de Haddad,a coisa vai ficar bem pior,mas muito pior do que está.É só lê o artigo devastador de Paulo Nogueira Batista.Vale a maxima:Deixa como está,para ver como é que fica.

  34. Juventude esperançosa. Mas o Cunha é forever, no nosso “forever”

    Nesse vídeo, os jovens cantam: “o Cunha vai cair, vai cair, vai cair.”

    Mas como não acredito, pois é o Cunha quem continua governando o Brasil, eu canto: Cunha não vai cair, não vai cair, não vai cair. De qualquer maneira, o ritmo é gostoso. Escutem:

    https://www.youtube.com/watch?v=JzKMT2MRBqM

  35. A democracia morreu

    Pouco importa o nome que se queira dar para a suja, ilegal e truculenta deposição de Dilma/PT do Poder, conduzida por muitos marginais. Depois deste inequívoco golpe, importa mesmo, é a constatação da era de cambalachos, selvagens perseguições, dois pesos e uma medida, incertezas, inseguranças e truculências mil.

    De agora em diante, quem não for da turma de preto, não pertencer à maçonaria ou a alguma outra poderosa organização, terá que dançar conforme a música, ou correrá grande risco de pagar alto preço. Que diga as inegáveis injustiças e violências, jamais imaginadas, cometidas pela turma de preto contra Dilma e de Lula.  A democracia morreu.

  36. Tenho notado com um

    Tenho notado com um sentimento de tristeza,a dificuldade do editor em manter o ritmo do blog.Não sei exatamente o que está a acontecer,apenas registrar,nesses tempos de cachorro doido,conte comigo para o que der e vier.J.S.

  37. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome