Pública Central do Servidor é resposta à reorganização da sociedade moderna, diz dirigente

 
Jornal GGN – A Pública Central dos Servidores enviou ao GGN uma nota do presidente Nilton Paixão defendendo a institutição de reportagem do Poder 360, republicada aqui. A matéria dizia que, na visão das seis maiores centrais sindicais (entre elas, CUT e Força Sindical), o governo Temer está manobrando para mudar as regras voltadas para o setor e permitir a criação de uma nova central específica para servidores públicos, com o intuito de esvaziar protestos e greves e enfraquecer as demais entidades. Segundo as centrais tradicionais, é preciso juntar sindicatos de pelo menos 5 setores da economia para se tornar uma central sindical.
 
A nota da Pública Central, por outro lado, defende a legitimidade da instituição e demonstra o conflito de interesses. Na visão de Paixão, nenhuma dessas centrais já estabelecidas representam os interesses dos servidores públicos. Além disso, ele explicou que a Pública Central dos Servidores tampouco é uma criação do governo Temer, já que existe há dois anos.
 
Leia, abaixo, a nota na íntegra.
 
Pública Central do Servidor é resposta à reorganização da sociedade moderna
 
A Pública não foi fundada agora. Fazem 2 anos. Não foi fundada neste Governo , e sim no Governo anterior. 
 
Expressiva maioria das entidades de servidores públicos não pertenciam à Central Sindical nenhuma. Motivo simples: diferentemente dos colegas trabalhadores do setor privado, cujo compromisso é unicamente com seus interesses, os servidores públicos têm também compromisso com sociedade e o Estado.
 
Na transição de uma sociedade patriarcal e operária, para um caminho de sociedade de serviços que proporcione bem estar social, o segmento dos servidores públicos triplicou de tamanho, alcançando 16 milhões de profissionais nesta área. É um contigente fundamental para o requisito primordial de uma sociedade cidadã: democracia que funcione com bons serviços públicos. É o rumo em curso.
 
O Estado está presente de formas diversas nos mais diferentes setores da economia, seja em serviços, produção, indústria, tecnologia, medicina, etc. Os servidores públicos são a única categoria de trabalhadores que está presente em TODOS os municípios do país. Por isso países da Europa há muitos anos tem centrais sindicais específicas de servidores públicos, que atuam como interlocução com Governo, sociedade e imprensa, monitoram o interesse público de dentro da estrutura que a todos pertence.
 
Nenhuma Central Sindical existente representou até então o interesse e visão plena do servidor público. Agora existe a Publica Central do Servidor, multipartidária, criada nos novos tempos de transparência, cujo estatuto IMPEDE que se atrele a partidos específicos e obriga alternância de poder. Está trabalhando não para negar o sindicalismo até então praticado, mas sim para acompanhar a mesma mudança de valores e boas práticas que a sociedade pede.
 
Para boa parte do serviço público a Publica – cujo slogan é “A Publica pelo público ” é uma noticia bem vinda e alvissareira. Assim já é reconhecida no Congresso e por parlamentares , pelos meios de comunicação, por entidades da sociedade civil e recentemente por Governo.  Tudo isso com naturalidade, porque os tempos são outros.
 
Esperamos assim também sermos reconhecidos pelas demais Centrais Sindicais, na crença de termos muitas causas em comum, cada organização com sua identidade, somando para valorizar o progresso econômico e social através de uma relação digna e saudável entre capital e trabalho, sociedade e Estado.  Não há divisões, apenas novas respostas de organização para os novos tempos.
 
Estamos aprendendo rapidamente – como servidores públicos – a lidar com muitas diferenças entre nós mesmos . Convidamos nossos amigos trabalhadores do setor privado a reconhecer nossas especificidades e que tenham tolerância com nossas honestas aspirações.
 
Portanto, notícia veiculada no Site Poder360 e site GGN, de que o surgimento “agora” de uma Central Sindical exclusiva de servidores públicos seria fruto de uma iniciativa conspiratória deste Governo, não corresponde aos fatos e à verdade. O progressivo fortalecimento, busca de autonomia e visão de mundo do movimento representativo dos servidores públicos não deve ser menosprezado. Veio para ocupar seu espaço de fato e de direito e com tamanho correspondente.
 
Nilton Paixão 
Presidente Publica Central do Servidor 
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. Nós, Servidores, esperamos
    Nós, Servidores, esperamos que esta entidade sindical possa realmente fazer a diferença e nos representar com retidão e profissionalismo, pois o que víamos nas outras centrais era só politicagem

  2. Esta central é uma necessidade urgente

    Não conheço a centra nem seus diregentes, mas existe uma imensa lacuna na representaçao sindical dos servidores e empregados públicos no Brasil. Nem Cut, nem CGT, nem nenhuma outra cental tradicional têm uma proposta de atuação contra as políticas de estado mínimo, de terceirização predatória, de garantia mínima de direitos de aprovados em concursos publicos, ou de limites ao loteamento da máquina pública, entre outras questões que afetam diretamente a vida dos servidores e empregados púbcos. Se estas e outras questões não forem resolvidas, ou no mínimo tratadas, não será possível criar-se bases para a profissionalização da categoria. Seremos sempre relegados à condição de vassalos dos poderosos de plantão.

  3. Nós, Servidores, esperamos
    Nós, Servidores, esperamos que esta entidade sindical possa realmente fazer a diferença e nos representar com retidão e profissionalismo, pois o que víamos nas outras centrais era só politicagem

  4. não me contive………..

    quase fui do riso ás lágrimas ao ler parte da matéria:

    – os servidores públicos têm também compromisso com a sociedade e o estado-

    temos visto realmente muito compromisso de servidores como Moro, Gilmar, e Dallagnois espalhados pelo Brasil.

    posso afirmar sem medo de errar, que o grande compromisso destes pulhas é com o próprio bolso.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome