Bolsonaro acredita que posse de armas diminuiu “invasões” do MST

Dados mostram que o MST mudou o foco de sua atuação, reduzindo em 83% as ocupações de propriedades rurais, e mirando em prédios públicos como formas de protesto

Foto: Reprodução TV Aparecida

Jornal GGN – Para Jair Bolsonaro, a diminuição nas ocupações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) não se deu pela mudança de enfoque – segundo reportagem do Estadão, as ocupações hoje são feitas mais em prédios públicos do que em propriedades rurais. Segundo o presidente, a queda se deve à flexibilização da posse de armas de fogo.

Os dados divulgados pelo Estadão são que o MST mudou o foco de sua atuação, reduzindo em 83% as ocupações de propriedades rurais, em comparação ao auge da luta fundiária, nos anos de 1990. E que, agora, o movimento se soma a outras reivindicações relacionadas ao desemprego, reforma trabalhista, reforma previdenciária, etc. E, nessa linha, as ocupações se dão com maior visibilidade em prédios públicos, como forma de atos e protestos.

De acordo com informações do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), o número de ocupações em propriedades rurais caiu 83% se comparado a 20 anos atrás. Porque em 1997, eram 502 ocupações e, no ano passado, foram 83.

Mas para Bolsonaro, não foram os outros enfoques de lutas dos movimentos sociais que impactaram nestes números. Porque, para ele, foi a possibilidade de maior porte de armas que diminuiu as ocupações, das quais chama de “invasões”.

“O Incra registra só 1 ocupação no 1º trimestre diante 43 ações no mesmo período de 2018. O MST está mais fraco pela facilitação da posse de armas”, escreveu o mandatário, em suas redes sociais.

Leia também:  Dia Internacional de Combate à LGBTfobia destaca retrocessos do governo

Segundo ele, tal conclusão, que não condiz com os dados apresentados pela reportagem, o faz levar à decisão de que terá impacto no seu governo. “[A facilitação da posse de armas] terá derivações pelo governo, falta de financiamento do setor público e de ONGs, algo que não ocorria nos governos do PT”, completou, na sua lógica.

1 comentário

  1. A diferença entre o período anterior a este demente e agora é: os fazendeiros e os capangas ao seus serviços sempre tiveram armas, agora as mesma armas tem licença para matar!!!!!!!
    PQP…..

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome