Bolsonaro diz que Pinochet pôs fim a comunistas como o pai torturado de Michelle Bachelet

Bolsonaro chamou “direitos humanos” de “bandidos”, defendeu o golpe do ditador Augusto Pinochet no Chile, e atacou pai da alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet

Jornal GGN – Jair Bolsonaro atacou a ex-presidente do Chile e alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, nas redes sociais nesta quarta-feira (04). Chamou a agenda de “direitos humanos” de “bandidos”, defendeu o golpe do ditador Augusto Pinochet no Chile, e atacou seu pai, o general Alberto Bachelet que foi preso e torturado por se opor ao golpe militar.

Em seu papel na ONU, Bachelet enviou um alerta das Nações Unidas ao Brasil sobre a “redução do espaço democrático”, sobretudo diante dos ataques contra os defensores da natureza e dos direitos humanos. A Alta Comissária da ONU destacou o aumento do numero de mortos pela polícia no Brasil, afetando desproporcionalmente negros e pobres.

Bachelet destacou que “o discurso publico legitima as execuções sumárias” e a impunidade no Brasil. Mas Jair Bolsonaro tomou o alerta da ONU como uma crítica pessoal e rebaixou os ataques diretamente contra a ex-presidente do Chile, que atua hoje nas Nações Unidas.

Ignorando o papel de Michelle na ONU e que o Brasil é um dos estados membros que deve seguir os protocolos dos quais é signatário, Jair Bolsonaro entendeu que as considerações foram uma “intromissão nos assuntos internos e na soberania brasileira”, que “investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos)”.

Bolsonaro viu ainda o anúncio das estatísticas públicas do aumento da letalidade policial no Brasil como um “ataque” aos “nossos valorosos policiais civis e militares”.

“Michelle Bachelet, Comissária dos Direitos Humanos da ONU, seguindo a linha do Macron em se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira, investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos), atacando nossos valorosos policiais civis e militares”, escreveu o mandatário brasileiro.

Na mesma publicação, foi além, e resolveu atacar diretamente a ex-presidente chilena, defendendo ao mesmo tempo o golpe do ditador Pinochet, em 1973, que deu “um basta à esquerda” no “seu país”, e que “entre esses comunistas” estava “o seu pai brigadeiro à época”.

Leia também:  Os inimigos da democracia e o princípio do fim do bolsonarismo, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Alberto Bachelet foi general da Força Aérea e durante o golpe do ditador militar Augusto Pinochet, se opôs, o que o levou a ser preso e torturado pelo regime militar, morrendo aos 50 anos, pelos maus-tratos sofridos, quando estava sob custódia.

– Michelle Bachelet, Comissária dos Direitos Humanos da ONU, seguindo a linha do Macron em se intrometer nos assuntos…

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Quarta-feira, 4 de setembro de 2019

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Acabei de mandar dois Twitter para Michelle Bachelet:

    “Faz arminha para a @UN @UNHumanRights faz, @jairbolsonaro…
    Manda um cabo e três soldado num jipe prender @mbachelet, manda ‘dipromata’ @BolsonaroSP…
    Um torpedo internacional já começou a ser enfiado no rabo do capitão incendiário. Quanto mais ele espernear melhor @soghetti.”

    “En nombre de Brasil y los brasileños le pido a Bachelet que solo sonría y haga su trabajo sin odio ni miedo. Quien armará la horca y pondrá la cuerda alrededor del cuello del vagabundo Jair Bolsonaro es el propio Jair Bolsonaro.”
    https://twitter.com/FabioORibeiro/status/1169283358519648256

  2. Ele passou além do Limite humano, agora ele Hitler são assemelhados mundialmente!
    Como podemos ter chegado a isso?
    Só pode estar no poder sustentado pelas forças armadas!
    Esse é um ônus que recairá sobre as as forças armadas!
    No mundo inteiro será compreendido assim!

    • Marcos Guimarães, você deve entender que os generais que estão apoiando Bolsonaro eram os capitães e tenentes quando ele foi expulso do exército e pensavam como ele, salvo raras exceções. Eram os militares que apoiavam Sylvio Frota, comandante do II exército, que se opôs a Geisel e era contrário a entrega do poder aos civis.

  3. Com essa Bolsonaro atingiu 100% de selvageria diplomática…
    viver no governo dele é viver na vergonha e no perigo, porque sempre que ele se concentra loucamente em algum inimigo, das duas uma:
    ou o inimigo não existe ou o inimigo será criado nele e por ele mesmo

    Que esta selvageria sirva de alerta: em tese, se conseguir aparelhar as nossas principais instituições democráticas e o sistema judiciário com seis iguais, ficará com tudo para violentar 70% da população brasileira

  4. Acredito que chegamos a isso pela espionagem em Dilma e no STF…
    porque para se atingir este nível de selvageria sem nenhuma preocupação com reações internas, o selvagem precisa da garantia de que fora da política não existe julgamento para o que pretendeu fazer, fez, faz e vai continuar fazendo

    os criadores desse bebê monstro da democracia brasileira que foi parido pela Lava Jato ou com a prisão encomendada de Lula, descobriram que internamente não haveria como impor limites

    qualquer dúvida, recomendo procurar em Temer e Aloysio, quando das relações exteriores ou das palavras de certos milicos daquele então e de agora

  5. Se o Bozo pudesse ficar calado do início ai fim do seu mandato, seria bem possível que se elegesse novamente. Mas como isso não é possível, então assisto de camarote sua hilariante derrocada.
    A cada frase, seu “prestígio” derrete mais que sorvete no deserto do Saara.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome