Em SP, moradores de rua acordam com jatos de água fria

moradores_de_rua_-_rovena_rosa_abr.jpg
 
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
 
Jornal GGN – Além de lidar com temperaturas abaixo dos dez graus, os moradores de rua de São Paulo são obrigados a conviver com o descasos de agentes públicos que fazem a limpeza da cidade. 
 
Segundo a rádio CBN, na manhã desta quarta-feira (19), um caminhão de uma empresa terceirizada jogou jatos d’água nas calçadas da Praça da Sé, acordado os moradores e molhando seus pertences. 
 
“Meu cobertor ficou encharcado. Sempre que isso acontece, a gente perde tudo”, disse um dos moradores de rua entrevistados pela rádio.
 
Outra reclamação é a falta de vagas nos abrigos da cidade. Eduardo Odloak, prefeito regional da Sé, disse que vai investigar o ocorrido e afirma que as equipes são orientadas a abordar os moradores antes de iniciar a limpeza das ruas. 

 
A gestão do prefeito João Doria (PSDB) também disse que distribuiu mil cobertores durante a noite desta terça-feira, e que serão entregues mais cobertores nesta quarta.
 
Ao menos um morador de rua morreu em decorrência do frio, de acordo com a Polícia Militar. Segundo o padre Julio Lancellotti, da Pastoral de Rua, uma outra pessoa morreu nesta terça, em frente à Faculdade de Medicina da USP.
 
Guardas civis
 
Além dos funcionários terceirizados de limpeza, também são comuns os casos de agressões de Guardas Civis Metropolitanos (GCMs) contra pessoas em situação de rua. 
 
No final de maio, uma portaria publicada no Diário Oficial proibia os guardas de abordar moradores de rua e também vedava a retirada de bens pessoais. Além disso, o assunto foi tema de duas reuniões realizadas pela Comissão Extraordinária Permanente de Segurança Pública, na Câmara Municipal. 
 
Assine
 
 

15 comentários

    • O brasileiro não está honestamente informado

      Discordo profundamente do Pelé. A frase correta seria “o brasileiro não está honestamente informado para votar”. E quem lhe dá informações desonestas é a muy amiga do Pelé, a Rede Globo.

      • Mesmo durante a ditadura

        Mesmo durante a ditadura militar haviam eleições. O brasileiro está há décadas votando a cada dois anos e continua fazendo merda. Acho que tá na hora de parar de arrumar desculpas para as más escolhas dos eleitores.

      • Errar uma vez é humano;

        Errar uma vez é humano; cometer o mesmo erro duas vezes é coincidência. Cometer o mesmo erro três vezes é sinal de burrice.

    • Discordo assim, assim…

      Perigosíssima a ideia de que o povo não sabe votar. Em última análise essa ideia ou respalda a ditadura ou referenda a aristocracia.

      Agora que é impressionante e inexplicável a insistência do paulista e do paulistano em votar nos Tucanos, isso é. Se os caras pelo menos iludissem o povo com pão e circo eu entenderia. Mas os caras não fazem nada há 20 anos, SP só piora e o povo continua votando nos mesmos caras com um fanatismo cego impressionante!

      • Talvez eu já tenha percebido

        Talvez eu já tenha percebido que a “democracia” como é praticada atualmente em boa parte do mundo seja pior do que uma ditadura declarada.

  1. Quantos moradores de rua 

    Quantos moradores de rua  morreram em frente a qualquer faculkdade de medicina de Cuba? Deve ser pq os m´pedicos cubanos são ruins como até hoje encontro  médicos falando…

    • .

      A resposta é simples Roxane, não há moradores de rua em Cuba.

      E não será difícil aperecer algum coxinha dizendo que não há moradores de rua em Cuba porque o Fidel matou todos.

  2. Cidade linda, humanidade suja

    É difícil mensurar o limite da desumanidade de certas pessoas.

    Os funcionários da limpeza urbana são todos pobres, mas infelizmente eles não se sensibilizam diante de gente mais pobres do que eles.

    Na verdade eu acho que o Ser humano é um escroto. E a prova disso é a eleição em primeiro turno desse coxinha que se diz prefeito.  

  3. Claro, porque nós votamos no

    Claro, porque nós votamos no Tremer…Também votamos no Gilmar Mendes, no Janot, nos irmãos Marinho, no Olavo Setúbal, enfim, elegemos os que de fato detém o mando nesse país.

    De fato, o problema é o povo.

    Luciana Mota

     

  4. O prefeito margarina

    O João Trabalhador, o prefake da elite (sic) paulistana, apenas cumpre o desejo dos seus eleitores.

    Perfeito, sumiu com os pobres e fedidos miseráveis dos nossos olhos e narizes sensíveis e aristocráticos.

  5. Fazer o que se o povo não

    Fazer o que se o povo não reage ? 

    Tiram-lhes o emprego, a moradia, a saúde, a comida, perseguem criminosamente um presidente que sempre os ajudou, e não acontece nada. NADA !!

    Nem os tibetanos são tão resignados como são os brasileiros. 

  6. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome