Familiares de mortos e desaparecidos na ditadura soltam nota de repúdio por ação do CEMDP de Damares

A última ação de desmonte perpetrada pela Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos foi indeferir processos já deferidos em governos anteriores.

Foto Antonio Cruz - Agência Brasil

Jornal GGN – A Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP), ligado ao Ministério de Damares Alves, vem tentando, em sucessivos ataques, desfazer o trabalho árduo realizado pela Comissão até agora. A última ação de desmonte foi indeferir processos já deferidos em governos anteriores.

A investida do governo de Jair Bolsonaro é pesada. Seus deputados tratam os desaparecidos como pretensamente atingidos por uma ditadura, que não houve. Ou tratar vítimas da ditadura como pessoas de categoria inferior na ordem da democracia e dos direitos humanos.

Familiares das vítimas da ditadura se juntaram em nota de repúdio à postura imprópria do presidente da CEMDP.

“Jamais nos calaremos. Nossa luta é viva e digna. Exigimos respeito, verdade e justiça, sempre!”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Relator especial da ONU pede investigação internacional contra governo Bolsonaro

2 comentários

  1. É um pais de merda mesmo.
    Afinal dizer o que de um pais onde a lei e as decisões mudam conforme a ideologia dos babacas que no momento formam uma “maioria parlamentar”?

  2. O país não é de merda. De merda são esses oportunistas que foram alçados ao poder por eleitores ignorantes e reacionários. E de merda também são muitos daqueles que votaram nesses oportunistas. De merda.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome