Homicídios no Brasil têm raça e gênero

Nota do Brasil Debate

Estudo do Laboratório de Análises Econômicas, Históricas, Sociais e Estatísticas das Relações Raciais (Laeser) apresenta investigação sobre a evolução dos óbitos por homicídio no Brasil.

Segundo o estudo, entre 2002 e 2012, o número anual de homicídios de negros aumentou em mais de 11 mil ocorrências, ao passo que entre a população branca se reduziu em cerca de 4,5 mil casos. Assim, o peso relativo dos homicídios de negros aumentou, como mostra o gráfico abaixo:

grafico vitimas de homicidio

Entre 2002 e 2012, a mortalidade por homicídio de jovens negros cresceu 14,6% e a de jovens brancos caiu 31,9%, considerando jovens de 15 a 24 anos.

Em 2012, em todo o País, a taxa de mortalidade por 100 mil habitantes de jovens negros por homicídios foi igual a 145,8. Comparando essa taxa de mortalidade com:

i)   o mesmo indicador da população masculina negra como um todo, verifica-se assimetria de 131,3%;

ii)  com a da população masculina como um todo (53,8), encontra-se diferença de 169,2%;

iii) com a dos jovens brancos (56,4), encontra-se desigualdade de 158,7%;

iv)  com a das mulheres brancas como um todo (3,2 por 100 mil habitantes), há uma astronômica diferença de 4.457,4%.

Este conjunto de indicadores sobre os homicídios em todo o País revela que homens negros, especialmente os jovens, são as maiores vítimas desse cenário.

As disparidades dos índices de homicídios entre as populações negra e branca, em especial na juventude negra, é um dado a ser considerado, pois vem aumentando expressivamente ao longo dos últimos 10 anos, apesar de diversas melhorias sociais, especialmente na educação, mercado de trabalho e desigualdades sociais.

Leia também:  Bolsonaristas abrem fogo contra Damares Alves

Conheça a página do Brasil Debate, e siga-nos pelo Facebook e pelo Twitter

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

14 comentários

  1. Leitura enviesada

    Como já foi dito, existe as pequenas mentiras, as grandes mentiras e as estatísticas. Escolhendo a dedo os números, você pode provar qualquer coisa. Vou dar um exemplo.

    Mesmo estudo, tabela dois. Taxa de homicídio por gênero no Brasil em 2012: 54,2 por 100 mil habitantes para homens e 4,4 por 100 mil habitantes para mulheres. Conclusão: existe um “masculinicídio” no país: a taxa de homícidios masculina é 12 vezes(!) maior. Logo, existe um preconceito contra os homens, as mulheres estão tentando exterminar os homens Brasil afora.

    Loucura? Não, troque homem por negro e mulher por branco e você vai ter o tom, implícito e explícito de 99% destes artigos.

    Sabe o artigo que eu gostaria de ver? Gostaria de ver um artigo cruzando dados racias de quem mata e de quem é morto. Aposto um doce que tem mais negro matando negro do que branco matando negro, possivelmente há mais homícidios de brancos causados por negros do que o contrário. E a mente bicolor dos “especialistas” entra em parafuso: como assim? Branco/homem/rico é mau; Negro/mulher/pobre é bom – como é que pode ser o negro o agressor e a vítima ao mesmo tempo?

    E é isso aí.

     

  2. Debate do quê? Isto aí em cima está totalmente distorcido.

    Alguém já disse que após espancados os números dizem qualquer coisa.

    Em todas as mistificações esquerdistas sobre a causa e os motivos da violência não entra a geografia, apenas a ideologia. Afastam-se da economia, mas adotam a sociologia do oprimido, uma filha ainda não batizada da pedagogia de mesmo sobrenome.

    Será que o texto tenta dizer que a causa do aumento das mortes violentas dos negros foi causada pelo racismo?

    Em 2002 foram assassinados no Brasil 18.867 brancos e 26.952 negros. Destes 22.853 pardos e 4.099 pretos.

    Em 2010 os números foram respectivamente 14.047 e 34.983, sendo 30.912 e 4.071.

    Em 2002 a região com a maior quantidade de homicídios foi a sudeste onde morreram 12.258 brancos e 13.620 negros.

    Em 2010 o nordeste ocupou o primeiro lugar. Nos nove estados daquela região foram assassinados em 2002, 1.217 brancos e 7.967 negros, em 2010, 1.365 e 15.688 respectivamente.

    Outra região com grande aumento do número dos homicídios foi a norte: de 496 brancos e 2.328 negros para 561 e 5.250.

    Somente no norte e no nordeste o número de negros mortos a mais em 2010 comparado com 2002 foi de 10.643, superior ao aumento total ocorrido no Brasil: 8.031.

    O principal fator que determina o aumento brutal na quantidade assassinados no Brasil foi a redução do número de homicídios na região sudeste e a sua brutal elevação nos estados de ampla maioria negra. A não ser que usemos a sociologia do oprimido como fator primordial da análise, neste caso acusaremos os nordestinos e nortistas de formarem uma Ku Klux Klan na década passada com objetivos genocidas. Serão eles mais “racistas” que paulistas e sulistas?

    Um detalhe em toda a abordagem racialista da questão. O número de pretos mortos permaneceu estável no período, foi de 4.099 para 4.071. Serão então os alvos dos racistas apenas os pardos?

    Na região sul ocorreram em 2002, 3.775 assassinatos de brancos e 808 de negros. Em 2010 os números foram 5.142 e 1.234. Considerando que esta é a única região brasileira com uma expressiva maioria de brancos na população, quais serão os percentuais de mortes de cada grupo? Os brancos assassinados foram 80% do total e representam 77% da população, os negros 20% e 23%.

    Todo o debate em torno da violência não aborda uma causa: a ausência do Estado nas periferias pobres, majoritariamente habitadas por negros. Quando políticas públicas visando prevenir os homicídios são postas em prática esta parcela da população é a maior beneficiada. Enquanto as causas da violência forem buscadas através de estudos político-ideológicos e não com base na realidade o quadro não irá se alterar.

    • Pronto, tudo esclarecido!

      Rebolla já provou com sua profunda estatística e irrepreensível sociologia que morreram mais negros por culpa dos negros.

      E o cientista social e historiador Leonidas daqui a pouco estará aqui dizendo o mesmo – quem mata os negros são os negros. Tudo baseado em profundos e detalhados estudos estatísticos e pesquisas que foram feitas durante 75 séculos.

      (Leonidas dirá isso depois de escrever “rs rs…” dez vezes, deixemos claro)

      • Qual é o percentual de negros…

        …assassinados por negros? De negros por brancos? De brancos por negros? De brancos por Brancos? Não existe estatística no Brasil sobre isso ou até agora não consegui encontrar… Caso tenhas alguma poderias fazer o favor de enviar?

        Então para você aumentou brutalmente o racismo no norte e no nordeste? Quem comanda a KKK lá, diga? Pois esta seria pela ótica esquerdista o motivo para em praticamente uma década, uma única década, o número de negros assassinados nestas regiões ter aumentado em 100%! Com o agravante de ter ocorrido sob o governo do PT, de Lúis Inácio Lula da Silva.

        Caso o meu raciocínio fosse tão limitado quanto o teu diria que a ordem partiu de Brasília! Porém não é…

         

  3. Isso significa que:

    Os negros pobres gostam mais de se meter em encrencas que os brancos. Gostaria de ver a seguinte estatica: quem matou mais? Jovens negros ou jovens brancos. Quem frequenta mais escolas, pobres brancos ou pobres negros? o indice de famílias desestruturadas é maior entre pobres negros ou pobres brancos?. Odêio o coitadismo, cada um escolhe seu caminho na vida e tem que assumir as responsabilidades pelas escolhas, não importa a cor da pele. 

    • realidade

      Vocvê acaba de autenticar o marginalalismo pela cor.

      É claro, que a desestruturação social leva às margens da sociedade!

      Ou você acha mesmo que é por que “esc0olhem esse caminho” ?

      Os brancos cometeram crimes da escravidão contra os negros, e o máximo que conseguimos ajudar é “cotas”

      Quem dera fosse como os Judeus que pediram a devolução do dinheiro roubado pelos nazistas escondido em bancos suíços.

      Solução para isso? 

      Escola

    • Muito fácil falar sem ter vivido na pele!

      Douglas, Bom dia! Não são só jovens negros que “gostam mais de se meter em encrencas”. São os jovens brancos, mimados, de classe média, que estudam nos melhores colégios privados, incentivadores do Bullyng, de brigas e violências nas escolas, basta ver vídeos no youtube. Filhos de empresários que não lhes dão limites e que são ausentes de suas vidas por só pensarem em trabalhar para ter status e posição social. Depois, nada que o dinheiro e uma pequena fiança não pague, não é? Compram-lhes presentes caríssimos e não orientam seus filhos, deixando isso por conta da TV, dos games cada vez mais violentos e das babás (quase sempre negras) que deixam seus filhos em seus lares para educarem os filhos dos outros (isso me lembra um tempo histórico). Agora não dá para argumentar da forma que você fez, porque isso nos remete a uma mentalidade simplista. Hoje os filhos dos brancos frequentam mais as escolas porque se sendo pobres  não frequentarem perdem os benefícios sociais, como Bolsa Família, Família Carioca. Agora se você conseguir pensar que desde que nós nos entendemos como gente, somos incentivados dentro do seio familiar a não nos misturar com pretos porque é tudo ladrão, você pode pensar que ao entrar num ônibus e ver um jovem negro de boné e mochila vamos identificá-lo como ladrão. Escondemos bolsas, dinheiro e documentos. Pensa só Douglas: Mulheres negras sofrem para dar a luz, são mais acometidas pelo câncer de colo de útero, vão menos ao pré-natal, se alimentam com menos potencial alimentar; os homens negros sofrem mais com hipertensão e diabetes e isso sem falar na doença falciforme que acomete parte da população negra. Isso não é COITADISMO, isso é um dado de realidade social que profissionais racistas deletam ou impedem qualquer acesso a um serviço de qualidade pelo simples fato de serem seres humanos pretos. Engraçado, na hora de votar, de pagar impostos, de fazer a economia girar não é levado em conta a cor da pele. Mais interessante ainda é que a CF 88 não estabelece critérios de cor como IBGE para classificar uma pessoa ou lhe dar o título honroso de cidadã…Então, entendo que as pessoas tem suas escolhas, e devem ser responsabilizadas por elas sim. Isso independe da cor! Mas não dá para fechar os olhos para os crimes que vem sendo cometido contra a população negra em detrimento de sua cor ( como classificada pela polícia “padrão” ) que já os tornam alvos fáceis da marginalização social. Sou autodeclarada branca pelo IBGE,  Assistente Social e defensora das causas sociais não poderia deixar de me manifestar e faço isso com todo respeito a você que um dia pode ser meu usuário e será atendido da mesma forma que as demais etnias/raças. ISSO É DEFESA NÃO DA COR, MAS DA CIDADANIA! CHEGA DE HITLLER EM NOSSO PAÍS! CHEGA DE PENSAMENTOS EUGÊNICOS! PRECISAMOS SER HUMANOS…

  4. Muita calma nessa hora!

    tive pouco insumo para tirar minhas conclusões. Por exemplo, já pararam para refletir que os dados não estão claros como parecem, e podem serem vistos ao contrário do que tudo indica? Pode ser uma daquelas pesquisas tipo das boboletas cinzas. lembram?

    Então vou levantar um questionamento:

    Se estamos, e estamos inserindo mais e mais pessoas pobres no ambiente de cidadania e as conquistas são claras e evidentes para todos, inclusive pelas políticas de cidadania, inclusão social e políticas afirmativas. Digo ‘afirmativas’ essas políticas que também promovem a afirmação e identidade da cor/raça. Ora, cara pálida, pra mim está claro que se fizer o encontro entre os dados das políticas de identidade racial com esses dados de criminalidade vamos encontrar que não houve um aumento, e sim uma redução na criminalidade de negros, e talvez uma média de estabilidade.

  5. Enquanto isso…

    Nessa masturbação mental a discussão mais fundamental fica relevada a segundo (terceiro, quarto?) plano: a taxa de homicídios no brasil é troposférica. E assistimos juízes, delegados, policiais, agentes e toda uma gama colaborando para que aumente.

    • Agora fiquei curioso com

      Agora fiquei curioso com esses dados. 

      Gostaria de ver os dados estatísticos de quantos negros foram assassinados por brancos e quantos brancos foram assassinados por negros. 

      Só pra saber se realmente os brancos são culpados. 

      • O culpado não tem cor, é o

        O culpado não tem cor, é o crime, como os negros são mais afetados pelo crime são eles quem mais sofrem e também cometem, mas essa parte é obvio que não mostram.

  6. Há raças e são diferentes. Há

    Há raças e são diferentes. Há espécie humana, não raça humana. Mesmo que a pessoa tenha ligeira carga genética de outra raça, em muitos casos uma raça é predominante sobre a outra no genoma, aparência, e comportamento. Estatísticas do FBI mostram que em 2013, negros cometeram aproximadamente 6.5 vezes mais homicídios do que brancos relativamente, considerando a quantidade de homicídios por percentual populacional.

     

    Os números são aproximadamente 54% de homicídios no país cometidos por negros, que são 12.6% da população americana. Explique isso. Os estados americanos mais seguros são os estados mais brancos, como New Hampshire, Vermont, Maine, e Idaho. Explique isso. Dois cientistas, em experimentos de QI distintos, foram ao continente africano e concordaram que a média de QI dos negros regulares é de 70. Explique isso.

     

    A revista superinteressante quis ser politicamente correta e descartou as evidências, com mil desculpas que não fazem sentido. Nenhum país de primeiro mundo é composto em maioria por negros. Explique isso. A região mais desenvolvida do brasil é a região sul, onde havia nada pros imigrantes brancos, como alemães, italianos, poloneses que vieram pro brasil depois de 1930. Explique isso.

     

    Os melhores países do mundo são os brancos próximos às regiões nórdicas, como Noruega, Finlândia, Dinamarca, Holanda, Liechtenstein, Alemanha, Áustria. Explique isso. Depois da invasão em massa de negros e muçulmanos, esses países tiveram piora drástica na economia, criminalidade geral e ataques terroristas. Explique isso. Contra fatos, não há argumentos, meu caro.

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome