O genocídio estatal brasileiro

Dados do Mapa da Violência de 2014 mostram um crescimento de 13,4% do registro de assassinatos no Brasil em comparação a 2002. As principais vítimas são jovens do sexo masculino e negros. Entre 2008 e 2011, mais de 200 mil pessoas foram assassinadas no Brasil, um volume muito maior do que qualquer outro registrado nas zonas de guerra mundo afora. 

O tema está sendo abordado pela criminologia de forma crítica, com destaque para os estudos abordados pelo filósofo do direito Wayne Morrison. Ele reivindica a ampliação do objeto de estudo da clássica criminologia para que se preste mais atenção aos massacres provocados por ação ou omissão do Estado.

Para debater o tema, o apresentador Luis Nassif convidou o jurista estudioso das propostas de Morrison e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil, Luiz Flávio Gomes e a fundadora e coordenara do Movimento Mães de Maio Débora Maria da Silva.

https://www.youtube.com/watch?v=wnNMGFavrN8

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  TV GGN 20h: Um Projeto de Lei para punir quem defende o golpe

1 comentário

  1. O genocidio dos jovens pobres

    Enquanto o brasileiro tolerar e até incentivar, como se passa nos programas de televisão, vamos ter uma policia assassina dos jovens pobres da periferia, além de toda a violência que os cerca.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome