ONU começa a avaliar situação brasileira nesta segunda-feira

Reunião do Comitê sobre Desaparecimentos Forçados deve colocar mais pressão sobre o governo de Jair Bolsonaro

Divulgação ONU/Rick Bajornas

Jornal GGN – O Comitê da ONU sobre Desaparecimentos Forçados fará sua primeira avaliação sobre a situação do Brasil nesta segunda-feira, o que deve colocar mais pressão no governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em artigo publicado no portal UOL, o jornalista Jamil Chade explica que o exame a ser feito pela ONU pretende cobrar respostas do governo brasileiro sobre temas como violência policial e a atitude do estado em relação aos desaparecidos durante a ditadura militar (1964-1985) – temas que Bolsonaro defende posturas que contrariam o direito internacional.

Clique aqui e veja como você pode colaborar com o jornalismo independente do GGN

O governo Bolsonaro também deve ser pressionado pelo desmonte dos mecanismos de monitoramento e prevenção da tortura, o que tem sido feito para investigar a autoria de crimes cometidos durante a ditadura militar e as investigações sobre as milícias.

A reunião terá a presença de representantes da sociedade civil brasileira, além de autoridades do Itamaraty e do Ministério dos Direitos Humanos, Família e Mulher.

O Brasil será obrigado a dar respostas, uma vez que integra os mecanismos da ONU, em uma das discussões mais delicadas sobre o comportamento do Palácio do Planalto – o país chegou a submeter um informe sobre o tema, mas o Comitê não ficou satisfeito com as explicações apresentadas.

Leia Também

Depois de 48 anos do golpe, qual o legado de Allende para a constituinte no Chile?

Qual a razão de o nome de um Marechal para o Centro de Estudos do Nacionalismo?, por Álvaro Miranda

Empresas que invadiram Esplanada têm histórico de trabalho escravo, crimes ambientais e conflitos agrários

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome