Presidente da Alesp vai cancelar homenagem a Pinochet

Homenagem seria feita a pedido de Frederico D’Ávila, que deve migrar para o novo partido de Jair Bolsonaro

Jornal GGN – A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) vai impedir a realização da sessão solene em homenagem ao ditador chileno Augusto Pinochet, agendada para ocorrer no dia 10 de dezembro.

Segundo a revista Fórum, o presidente da Alesp, deputado Cauê Macris (PSDB) anunciou em suas redes sociais que vai assinar nesta quinta-feira um ato impedindo que a homenagem ao ditador seja realizada na Assembleia. Sua publicação no Diário Oficial do Estado deve ocorrer nesta sexta-feira.

A homenagem seria feita a pedido do deputado Frederico D’Ávila, atualmente no PSL e que deve migrar para o Aliança pelo Brasil, o novo partido do presidente Jair Bolsonaro.

Um detalhe no agendamento está relacionado à grafia do nome do político chileno: a homenagem foi agendada como sendo a Augusto P. Ugarte, ocultando o sobrenome Pinochet.

A ditadura chilena comandada por Pinochet durou de 1973 a 1990, onde mais de 80 mil pessoas foram presas e outras 30 mil foram torturadas. Dados oficiais apontam o assassinato de mais de três mil cidadãos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora