UFRN não vai revogar homenagens a ditadores do regime militar

da Agência Saiba Mais

UFRN não vai revogar homenagens a ditadores do regime militar 

por João Victor Leal

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte não pretende alterar homenagens feitas a dois ditadores do regime militar no Brasil. O general Humberto de Alencar Castelo Branco, primeiro presidente militar pós golpe, e o general Emílio Garrastazu Médici receberam o título de Doutor Honoris Causa pela UFRN. Castelo Branco foi homenageado em abril de 1966 e Médici recebeu a honraria em setembro de 1971. Os dois títulos foram aprovados pelo Conselho Universitário da Instituição, o CONSUNI.

A discussão em torno da revisão de homenagens a membros do regime militar surge junto com as revelações de memorando da CIA, agência de inteligência americana, que reporta a anuência do presidente Ernesto Geisel (1974-1979) para que o governo execute opositores. O memorando relata um encontro entre Geisel, João Batista Figueiredo, então chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI), e os generais Milton Tavares de Souza e Confúcio Danton de Paula Avelino, ambos na ocasião no Centro de Informações do Exército (CIE).

Leia a matéria completa no site

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Deputados pedem convocação de Moro para que explique espionagem a mulheres indígenas

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome