As adolescentes brasileiras detidas nos EUA, por André Araújo

As adolescentes brasileiras detidas nos EUA

por André Araújo

Dois casos em um mês. Não dão explicações, o que seria o minímo para um Pais como o Brasil que é o 5º em envio de turistas para os EUA. Algumas lições tem que ser tiradas desses dois lamentáveis casos.

1. A Polícia Federal brasileira, que é a nossa polícia de imigração, deve IMPEDIR a viagem de menores de idade aos EUA, MESMO COM AUTORIZAÇÃO DOS PAIS. Os EUA simplesmente não reconhecem essa autorização. A punição é desproporcional, absurda, feroz e traumática para os ou as menores.

Detém a menor, em local de onde não pode sair, portanto é PRISÃO, sem prazo. Para soltar a menor a famílea precisa ir aos EUA,contratar advogado, ir a um juiz. É um pesadelo. As famílias recorrem à diplomacia brasileira nos EUA, o que pouco adianta, há seculos diplomatas brasileiros DETESTAM se movimentar para atender brasileiros no exterior.

Portanto em nome do País e da lógica, a Polícia Federal tem que simplesmente não deixar embarcar menor desacompanhado para os EUA, é muito risco, a Imigração americana está no Homeland Security, um Ministério de brucutus paranóicos, nem o State Department mexe com eles, são considerados brutamontes grosseiros.

2.A Polícia Federal brasileira tem que fazer uma cartilha para brasileiros que viajam aos EUA, alertando sobre as maluqices, idiossincrasias, paranóias, implicâncias dessa gente mal educada e pouco civilizada, cismam com bobagens como  tirar foto no recinto deles, não pode dar risadinha, fazer piada, gracinha, falar alto, olhar direto, fazer sinais, tocar neles (ai está ferrado), no guichê vai um de cada vez, não podem ir duas amiguinhas, não fazer pergunta aos guardas, não se mostrar confuso ou atrapalhado, ter o endereço de destino em mãos sem hesitar, ESPECIALMENTE ser claríssimo, repito CLARÍSSIMO e sem hesitação do que vai fazer nos EUA, ou é turismo, ou é estudar, ou é visitar parente ou é fazer negócios, não fale que vai fazer uma coisa e se der tempo também vou fazer outra, se não falar inglês é melhor nem ir aos EUA, vai ao Pantanal, a Itacaré, a Troncoso, Itaipava, Caxambu ou Cartagena.

Leia também:  Alucinações circulatórias da Moeda e do Capital fechando o ciclo, por José Martins

Nessa cartilha da Polícia Federal uma página para o “dress code” de viagem, ajuda muito e pode evitar problemas na imigração. Viajar de roupa composta, não precisa ser de grife mas roupa em ordem, sapato e não chinelo, calça social e não bermuda, um blazer ajuda muito e é bom para guardar documentos, pochete nunca, mochila parece terrorista com bomba, pasta ou maleta de couro e não de pano encardido, tudo isso ajuda a passar na imigração.

Nas academias de polícia nos EUA há curso completo de “profiling” ou seja, como achar suspeito pelo visual, sujeito chumbrega, encardido e cara de doidão aumenta o risco de checagem maior e aí acham pelo em ovo, se for de terno e gravata ai então passa batido. Ja vi sessentão embarcar para Washington em novembro de bermuda, havaiana e camiseta de padeiro e não levava casaco, desceu assim mesmo, a falta de noção é marca registrada de turista brasileiro, especialmente os de primeira viagem tipo “nova classe media”.

Outra dica, se não são viajantes experientes EVITEM destinos de aeroportos secundários, a imigração é mais complicada e implicante, uma das mocinhas desceu em Detroit para ir a Miami, não tem cabimento, Miami, Nova York e Washington estão mais acostumados a latinos, Dallas, Houston, Chicago e Atlanta não recomendo, eu só uso Dallas mas estou acostumado, se vai na primeira vez por um aeroporto, procure ir nas demais vezes pelo mesmo.

3.No mundo há muitos lugares lindos, EUA tem que ser a última opção para quem não é traquejado em viagens internacionais. É um País de muitas regras e horários, jantam e dormem cedo, exigem pontualidade, são chatos e exigentes, cruz credo, só se vai em caso de necessidade.

Leia também:  Moro descumpre Lei de Acesso e se recusa a revelar documentos que deu a Bolsonaro sobre laranjas

4.O Itamaraty deve pegar mais pesado nesses dois casos, duas mocinhas brasileiras foram destratadas e humilhadas, não pode passar batido, ao que eu saiba, NÃO HOUVE UM NOTA DE PROTESTO, o que caberia principalmente pela desproporcionalidade da pena e pela imperdoável falta de explicações do motivo da detenção. Se não quer deixar entrar, é um direito do Pais receptor, então DEPORTA no primeiro voo, não pode é prender sem dizer porque.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

43 comentários

  1. Vim comentar só pra dizer que

    Vim comentar só pra dizer que o autor desse post escreveu um texto para detonar a CLT e os direitos dos trabalhadores. Como se não bastasse, usou de viralatismo para dizer que nos EUA que a coisa é boa. Lá não tem esse monte de direitos.

     

    Hipervalorizado aqui no blog.

     

    Um reaça.

  2. André, entendo sua revolta, mas:

    1 – O que esperar da Polícia Federal, pelo que ela mostra na Lava-Jato?

    2 – O que esperar do Itamaraty do Serra, fora o fato que é conhecido o nojo dos diplomatas brasileiros de ter que tirar a bunda da cadeira para fazer algo para as pessoas que, com os impostos que pagam, os sustentam?

    3 – A responsabilidade dos pais destas adolescentes não é nítida, mandando elas para lá sem ao menos pesquisar as condições de imigração, só por que são pais da classe média do Brazil e acham que mandam as filhas para o paraíso?

  3. as adolescentes….

    Caro sr. André, sinto muito mas acho que o caso não é bem este. Creio que o caso seja da patologia de “anão diplomático com síndrome de cachorro vira-lata”. Já havíamos resolvido em grande parte este problema, no governo Lula com dois diplomatas acima de média, Celso Amorim e Samuel. P. Guimarães. Infelizmente, neste quesito, voltamos ao 5.o mundo.  Lembra do piloto americano, das filas na imigração americana? Lá como cá. Chiaram, muitos brasileiros achavam que merecíamos tal tratamento mas não deveríamos fazer o mesmo no nosso território. Aquela tal síndrome, lembra? Poucos meses e tudo foi resolvido. Quem quer respeito, respeita. Para entrar na Europa pela Espanha foi um período com a  mesma humilhação. Bastou usarmos com seus cidadãos a mesma cortesia que usavam com os nossos. Pena que não temos Politica de Estado.( aqui é politica de partido e para alguns ainda devemos “subordinação a povos superiores”.) Mas sabendo quem é nosso atual chanceler e o diplomata que nos representa nos EUA, já dá para entender a resposta lacaiesca e demorada do Itamaraty.

  4. Diplomatas brasileiros no exterior

    Não servem para nada. Já tentei solucionar problemas com cônsul na Holanda. Vários brasileiros. Simplesmente disse “não é problema meu”.

  5. A matriz vai dá explicações à

    A matriz vai dá explicações à republiqueta de bananas.

    Somos apenas mais um país do cone sul que eles fazem o que querem.

    E tem um bando de brasileiros, em especial os coxas, que adoram essa subserviência, acham chic.

    Nós como povo não nos respeitamos, não cumprimos regras básica de convivência. O mundo está escandalizado com o que está ocorrendo com o país. Como eles vão nos respeitar ? Eles estão cagando e andando para isso aqui. Para o que achamos ou pensamos

    Putz ! E tem gente que  ainda acha que a Dilma não tem que reclamar do que está sofrendo, pois teve governantes anteriores que passaram pelo mesmo processo e ficaram calados.

    Putz ! é brincadeira !

  6. O irônico é que nas duas

    O irônico é que nas duas vezes em que eu tive o desprazer de ir na embaixada americana, para tirar e renovar o visto, fui tratado de forma super grosseira… pelos brasileiros que trabalham lá. Um dos funcionários, brasileiríssimo, um baixinho bom de levar um cascudo, foi capaz de ser grosseiro até com minha esposa que estava grávida e com um barrigão enorme.

  7. Muito bom o texto, óitimas

    Muito bom o texto, óitimas dicas.

    Apesar de ser um assunto sério, dei boas risadas.

    Ponto pro A.A.

  8. Quando um país desce à

    Quando um país desce à condição de República de Bananas, vira-latas etc..como tal deve ser tratado.

  9. Somos o pais dos MILHÕES DE

    Somos o pais dos MILHÕES DE CUNHAS…

    EM LUGAR NENHUM DO MUNDO SEREMOS RESPEITADOS!

    Depois do espetáculo da camera e do senado…

    Exceto, é claro, no Paraguai, Honduras e alguns paises africanos…

    Nem na Coreia do Norte seremos respeitados, ELES TÊM BOMBA ATÔMICA!

    Republiqueta das bananas…

    • Respeito

      Marcos, você só citou o Paraguai e Honduras. Você esqueceu da Argentina, onde seremos bem recebidos, uma vêz que agora somos mais “hermanos” do que nunca.

      Em todo caso o Itamarati já pensa em fazer uma cartilha.

      1 – Já descer com o sapato na mão, pois evita que a “otoridade” tenha que mandar tira-lo.

      2 – Fazer um curso de lambe-botas. Neste caso grande parte da população brasileira já é “hors concurs”.

      3 – Quando for questionado, responder “Yes my lord”.

      4 – Entender que a América vai do Canadá à Terra do Fogo, e só estamos aqui no Brazil, porque eles permitem.

      5 – Quando for abordado, fique de joelhos – já estamos acostumados mesmo – e abaixe a cabeça.

  10. Acho que quando se faz um

    Acho que quando se faz um post como este para comentar um caso específico, o ideal é deixar pelo menos um link para a notícia que relata o caso. Alguém posta aqui, por favor ?

    • Retirar sapatos é obrigatorio

      Retirar sapatos é obrigatorio para qualquer passageiro que embarca DE VOLTA, não quando entra, não tem exceção, todos tem que tirar, é absurdo mas é universal, pode ser brasileiro ou nepalês.

  11. Deve ser frustrante para o

    Deve ser frustrante para o Sr. Araújo (nosso Dick Diver das plagas macunaímicas) vislumbrar um país que exija etiqueta para forasteiros. E mais frustrante deve ser notar que no tio Sam, os salamaleques de soiree tão prestigiadas pelas elites brasileiras são apenas salamaleques, sofisticações (aliás, o que tem a ver dormir cedo com a prisão das garotas?) Se quiser entrar no Wal Mart ou no Macy’s com sua roupa vegonhosa de trabalhador, não será enxotado como seria comum aqui no pseudo Brasil white-collar. Eis a diferença. Jovens, ainda mais garotas, serão sempre assediadas, até mesmo na França iluminista .

  12. O Sr. Araújo (nosso Dick

    O Sr. Araújo (nosso Dick Diver made in Brazil) vislumbrar um país que exija etiqueta para forasteiros é frustrante. E mais frustrante deve ser notar que no tio Sam, os salamaleques de soiree tão prestigiadas pelas elites brasileiras são apenas salamaleques, sofisticações (aliás, o que tem a ver dormir cedo com a prisão das garotas?) Se quiser entrar no Wal Mart ou no Macy’s com sua roupa vegonhosa de trabalhador, não será enxotado como seria comum aqui no pseudo Brasil white-collar. Eis a diferença. Jovens, ainda mais garotas, serão sempre assediadas, até mesmo na França iluminista .

  13. A PF tem razão!
    Se não aceitam a autorização, então, até que O PROBLEMA seja RESOLVIDO pelo Itamaraty, não embarca.
    A sim, um absurdo a situação, hehehe. Olha as fotos, que gatas. Já imaginou isso na cadeia? Um absurdo!

    Mas voltando AO ASSUNTO…
    A decisão deveria ter sido do Itamaraty, mas sabe como é, trabalho de dia a dia e não punhetas geopolíticas não são muito a praia deste palácio tropical.

    Quer dizer que a PF sabendo que um cidadão de seu país será preso deveria fazer….nada. É isso mesmo que eu escutei?

    Outro dia eu li uma reportagem sobre o QI dos seres humanos por país no Globo. Só agora fui entender… que aparentemente é isso mesmo.

  14. saúde pública

    Isso é, apenas, um problema de saúde pública. Viajar pra terra dos gringos faz mal à saúde. Só.

    Quem quiser ir vai, mas avisado.

  15. Houve um época

    Houve uma época que planejei uma viagem aos EUA, gostaria de conhecer NY, Boston e São Francisco.

    Mas as frescuras eram  tantas (vistos, intrevista no consulado etc) qu não fui. Agora é que não vou mesmo.

    Prefiro a decadente Europa, pelo menos nunca tive problemas por lá até hoje.

    Quanto ao diplomatas brasileiros eles detestam gente comum, que paga os seus salarios, eles gostam mesmo de “servir” as autoridades: governo, senadores, deputados etc.

  16. “tourismo”

    Não sou expert em viagens internacionais, até porque numca saí do Brasil. 

    Com relação às adolescentes foi sem dúvida um aboso das autoridades norte americanas.

    Cada vez fica mais claros que o brasileiro não são bem vindos na Europa e EUA, só querem os ricos

  17. Eu não acho ruim ver a

    Eu não acho ruim ver a burguesada que só enxerga este país, que devia ser o último endereço de pessoas civilizadas, como endereço, quebrar o nariz empinado. Que cultura vão aprender lá? A Africa e a Asia tem endereço bem mais interessante, mas…

  18. Eu acho bem feito. Tanto

    Eu acho bem feito. Tanto lugar no Brasil e no mundo muito mais interessante e com mais apelo cultural e os vira-latas brasileiros continuam só enxergando os Estados Unidos. Ah, sim, é o apelo de comprar itens de grife com defeito em lojas de descontos.

     

     

  19. Cada país tem seus costumes

     Os EUA estão certos, lá é a casa deles, e quando a pessoa está em sua própria casa, pode ditar as regras que bem entender. Quem vai ao país deles é que tem de se adaptar. Se tem regras rígidas de convivência, é um direito deles.

     

    Da mesma forma, se moças brasileiras viajassem para a Arábia Saudita de minissaia, e fossem detidas no aeroporto de destino, por violar as normas de vestimenta locais, quem poderia culpar as autoridades locais ?

    Ou, vamos mais longe, se moças indígenas viajassem de suas aldeias, para Brasília, e viessem completamente nuas, seriam abordadas pelas autoridades, sobre a proibição de andar completamente nuas dentro de uma cidade.

    E garanto que ninguém estaria errado, os brasileiros, nem os árabes, nem os indios, desde que estejam dentro de seu país, dentro de sua comunidade.

    —————

    O brasileiro, salvo raras exceções,  tem a fama mundial de quando viaja para o exterior, de ser sem noção sobre regras e costumes locais. E o pior é que ainda se ofende quando os países do exterior não permitem a ele continuar se portando como se estivesse no Brasil.

    Teve um caso de um brasileiro que estava estudando na Austrália, e num feriado participou de uma bebedeira, saiu pela cidade bêbado, e foi saquear uma loja, mas foi cercado por policiais e morto com tesers ( armas de choque).

    Teve outro caso de brasileiros que foram à Guiana, para garimpar ouro, e invadiam terras, e propriedades sem permissão, do mesmo modo que faziam aqui no Brasil, com os índios. Só que na Guiana, eles não são índios. Invadiram tudo, arrogantemente, até que foram expulsos a pauladas pelos moradores e autoridades locais, e ainda se sentiram injustiçados.

    Mais uma história de uma brasileira em Londres, que ao passar na alfândega, voltando para o Brasil, ultrapassou o peso permitido de bagagem. E gritou com o policial, que ele tinha a “obrigação de deixá-la passar. Este vídeo da brasileira gritando com a autoridade foi visto  na Europa inteira.

    Em todo lugar onde há brasileiros, tem alguma história semelhante. E depois ninguém sabe por que o brasileiro tem visto dificultado na maioria dos países, e por que somos tão mal vistos lá fora.

    ————

    Hoje em dia, é fácil, a um brasileiro saber como são os costumes de países onde vão viajar. No you tube, ou no Google, encontram-se grande quantidade de vídeos, blogs ou sites, feitos por brasileiros que trabalham ou vivem no exterior, em português, que explicam muito sobre os usos e costumes locais.

    • Cada Pais pode dizer quem

      Cada Pais pode dizer quem entra e quem não entra, sem dar explicações. MAS o que todos os paises civilizados fazem é DEPORTAR, quem não entra é devolvido no proximo voo, NÃO PODE PRENDER, está claro?

      A menos que seja alguem procurado pela Interpol mas ai não teria sentido a Policia brasileira ter deixado embarcar.

      • Concordo plenamente

        Concordo plenamente, sr. Araújo. Sua análise está corretíssima e seria aplicado nos EUA se… Eles não tivessem sua contumaz arrogância imperialista, que os faz agirem como se fossem os donos do mundo.

        Caso os EUA respeitassem regras de cavalheirismo, não dariam nem apoiariam golpes de estado, nem teriam a Lei Patriótica ( Um AI-5 disfarçado), nem teriam prisões políticas, como Guantánamo, que também mantém presos  sem dar explicações, ou sem a mínima acusação formal.

        Quando eu digo que os EUA são uma democracia de fachada, ninguém acredita. É um regime ditatorial absolutista na verdade.

  20. Calma André

         Que o pessoal do ICE/DHS é troglodita é uma verdade, mas nestes casos alguns reparos podem ser feitos, pois a politica de entrada nos USA foi alterada, percebi isto em abril deste ano com um sobrinho maior de idade, que possui a tempos e renovado constantemente o visto de turista, mas para passar 15 dias em um treinamento no Banco Morgan & Stanley ( NY ), o Banco providenciou junto ao consulado americano um visto especifico.

          Menor desacompanhado : Mesmo que possua visto de turista, que compareça ao consulado com a documentação mais completa possivel, com versão em inglês, solicite entrevista, tanto a/o menor como os responsaveis, indique o local de estada e a pessoa responsavel pelo menor lá, tem que ser LEGAL, com endereço e telefone, apresente um seguro saude valido para Estados Unidos, e passagem de volta – a autoridade consular terá que validar esta documentação, tambem é bom que a responsavel receptora envie – em inglês – um declaração de responsabilidade pela estada da/o menor.

           Estudante : O visto de turista – mesmo que vc. tenha entrado 200 vezes e saido – NÃO serve, é necessário retirar um visto especifico, e caso não seja de “intercambio ” ( outro tipo de visto ), alem do explicitado acima, é necessário o recibo de matricula na escola PARTICULAR que lhe aceitou.

            Nunca em uma entrevista de entrada, com pessoal do ICE, tergiverse, “voe”, e para eles é dificil compreender, até para mim, que alguem desacompanhada e menor de idade, tenha como destino final Miami e entre por Detroit, até sei porque, o ICE não, pois alguns voos da Copa Airlines e da Avianca escalam lá , combustivel e taxas + baratas, e fazem code-share Miami pela AA, e são voos muitissimos visados pelo ICE, pois escalam Colombia ( Bogotá e/ou Barraquilla ) e Panamá City.

    • Voos

          Em complemento ao acima :

          Caso vcs. sejam jovens, com pouca bagagem despachada, passaporte virgem ou semi-virgem, viajando ” a vontade ” ( roupa, cor/etnia, barba, diferentes do povo que irá recebe-los, classe economica ), evitem voos de “2a escala” Brasil, tipo os que tem origem em outros paises da América latina ( Colombia, Argentina, Perú e Bolivia ), pois mesmo que mais “baratos” ( eles lotam no Brasil ), as autoridades aeroportuarias de recepção, sempre os classificam como alerta, tipo mais de 50% dos desembarcados serão “entrevistados”, no caso Europa , os mais complicados são Barajas ( Madrid ) e Schipol ( Amsterdã ) e Vlacav ( Praga ).

  21. motivo real?

    Vários estadunidenses comentam esses casos atribuindo-os a uma política extra-oficial anti-zika!! Acho que faz muito sentido, pois não poderiam declarar isso, e os prazos de aprisionamento duram mais ou menos o período do ciclo de vida do virus, além de explicações convenientes nunca serem dadas. Mas, afinal, pra que ir pra lá? Comer hamburguer? Ou ver um “football” que mal usa os pés?

    • Se é anti-zika deveriam deter

      Se é anti-zika deveriam deter e prender todo brasileiro ou residente no Brasil que desembarca nos EUA.

      Porque só essas duas moças seriam portadoras de zika?

      Alem do mais só é transmitido pela picada de mosquito.

  22. É SÓ COLOCAR AS ADOLESCENTES em avião

    e mandar de volta.

    Puxa-saco não perde a oportunidade para elogiar os Estados Unidos.

    Veterano do golfe deu entrevista durante as Olímpiadas e criticou a ausência de vários jogadores que não quiseram vir para cá dando como desculpa a doença. O veterano diz que todos vão à África que tem vários doenças contagiosas e não reclamam.

  23. Eu ainda não entendi

    Eu me interessei pelo caso porque me interesso por tudo o que não fica claro e levanta suspeita de que embaixo do angu tem caroço. Porque os americanos procederam assim?

    Se não queriam elas lá, bastaria botá-las em um avião e mandá-las de volta. Se elas chegaram lá desacompanhadas, também podem voltar desacompanhadas, a autorização para a viajar sem acompanhante foi emitida pelo governo brasileiro que é o responsável por elas, os EUA  não tem responsabilidade alguma quanto a isso. Por que eles as mantiveram lá dias seguidos, causando despesa ao Estado? Isso não faz sentido.

    Mas eu notei uns pontos que me chamaram a atenção:

    1) São todas meninas. Aparentemente os meninos não têm problema em viajar desacompanhados. Li nos comentários de jornais vários post´s de meninos dizendo que viajaram sozinhos e não houve problema.

    2) São todas bonitas, acima da média. Uma é até modelo e foi miss em seu estado.

    3) Nenhuma tem o perfil de quem quer ficar ilegal. Das 4, 3 são ricas e só uma é pobre.

    Será que eu estou vendo demais?

  24. Decadência
    Srs, tudo isso se repete devido a uma política ipoctra, o Itamaraty está pra resolver assuntos relacionados ao Brasil, aos brasileiros. Está omissão mostra com clareza sua incompetência diplomática.
    Quanto a PF, cabe a ela fiscalizar embarques e desembarques irregulares, ao cometer essas falhas fica desacreditada.
    Todo país tem regras próprias, que devem ser respeitadas, mas no entanto elas não devem ser para constranger, ferir direitos, oprimir,.. etc. Isso acontece com brasileiros devido a ausência e omissão do estado em cobrar explicações.
    Vale a dica, devemos ser mais rígidos na entrada de estrangeiros e cobrar deles respeito e posturas, da mesma forma que nos cobram.

  25. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome