Modelo sueco é bom desde que fique bem longe do Brasil

O GLOBO REPÓRTER E O BOM SUJEITO – O bom sujeito assiste o Globo Repórter sobre a Suécia e deita falação sobre o Brasil.

Sabe o sujeito que a Suécia é um dos países menos desiguais do mundo? Sabe que a diferença salarial entre um médico, um professor, um gari ou um engenheiro é mínima?

Sabe que lá os impostos sobre a renda, a herança e sobre o patrimônio são altíssimos? Sabe que lá a carga tributária é de 50 por cento do PIB enquanto aqui é de 35 por cento do PIB?

O sujeito (ou os sujeitos) ama a Suécia, a Noruega, a Finlândia e a Dinamarca, idolatra o modo de vida da Escandinávia mas, quando o papo é sobre o Brasil, aí tudo muda de figura.

Experimentem sugerir aos amantes da Suécia que se implante no Brasil um sistema tributário direto e progressivo sobre a renda, a herança e o patrimônio…

Experimentem sugerir aos amantes dos descendentes dos vikings que se aumente a carga tributária no Brasil para garantir a gratuidade da educação pública, da pré-escola até a graduação, como é na Suécia…

Experimentem dizer que a brutal desigualdade social ainda existente no Brasil deveria ser eliminada e em seu lugar deveríamos perseguir a quase igualdade social da Noruega…

Experimentem dizer para eles que os salários do gari e do doutor deveriam ter diferenças pequenas entre si…

Experimentem, experimentem!

A verdade é que estas pessoas, quando falam sobre o Brasil, são as primeiras a reclamar da ‘alta carga tributária’, da infernal legislação trabalhista, da pouca vergonha que foi incluir as domésticas na legislação trabalhista porque isto aumenta o ‘custo Brasil’, etc.

Leia também:  Ministério Público do Trabalho registrou 21 mil denúncias de trabalho infantil nos últimos quatro anos

O que dizer do encantamento do sujeito quando viu que lá na Suécia a licença maternidade e paternidade é de 01 ano e 04 meses? O sujeito ficou maravilhado!

Agora, se alguém defender isto aqui na terra das palmeiras, o mesmo sujeito enlouquece dizendo que isto vai quebrar o país!

Defendem eles, na verdade, que o Brasil permaneça eternamente atrasado e desigual. Defendem a civilização desde que essa civilização aconteça lá fora, de preferência na Europa.

Se alguém propõe políticas públicas de aumento do salário mínimo, de combate às desigualdades sociais e regionais ou de aumento na tributação dos ricos, lá vai o nosso bom sujeito vociferar nas avenidas e nas redes sociais contra um tal de ”comuno-bolivarianismo” que se quer instalar em Pindorama.

É que tudo isso na Suécia é muito chique e elegante, mas no Brasil, ao contrário, é ‘comunismo’!

Arrematando, se dependêssemos dos bons sujeitos do Brasil, jamais chegaríamos a ser uma Suécia. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

217 comentários

  1. Na Suécia ou Noruega não

    Na Suécia ou Noruega não temos um Çerra, um Aócio, um FHC (esqueçam o que escrevi). Na Suécia não tem um caiado, não tem um perilo, não tem um calheiros, um henrique alves, não tem um sarney, uma roseana.

    Na Suécia ou Noruega não temos um povo com o paulista/paulistano, que acha que aqui é o paraíso, que são os maiorais. Na Suécia ou Noruega não tem a globo para continuamente desconstruir o povo brasileiro.

    Enfim.

  2. Na Suécia ou Noruega não

    Na Suécia ou Noruega não temos um Çerra, um Aócio, um FHC (esqueçam o que escrevi). Na Suécia não tem um caiado, não tem um perilo, não tem um calheiros, um henrique alves, não tem um sarney, uma roseana.

    Na Suécia ou Noruega não temos um povo com o paulista/paulistano, que acha que aqui é o paraíso, que são os maiorais. Na Suécia ou Noruega não tem a globo para continuamente desconstruir o povo brasileiro.

    Enfim.

  3. Na Suécia ou Noruega não

    Na Suécia ou Noruega não temos um Çerra, um Aócio, um FHC (esqueçam o que escrevi). Na Suécia não tem um caiado, não tem um perilo, não tem um calheiros, um henrique alves, não tem um sarney, uma roseana.

    Na Suécia ou Noruega não temos um povo com o paulista/paulistano, que acha que aqui é o paraíso, que são os maiorais. Na Suécia ou Noruega não tem a globo para continuamente desconstruir o povo brasileiro.

    Enfim.

  4. Diogo, como sempre “matando a

    Diogo, como sempre “matando a pau”.

    Verdade: o que há por essas plagas é muita hipocrisia sobrando. Nenhum, repito: nenhum, progresso social foi alcançado no país sem resistências das nossas seculares elites. A começar pela escravidão, passando pelos direitos trabalhistas na década de 30, o resgate do homem do campo, o respeito pelas minorias, o resgate da dignidade da mulher, programas sociais,e por aí vai. 

    Quando da implantação do 

    A depender delas ainda estaríamos no século XIX. 

  5. sugestão aos amigos

    Senhores navegantes,

    Que tal mandar o linque desta matéria para a cochinhada amiga?

    Pode ser com o título: Leitura de Segunda (feira).

    Ai é só esperar as respostas pedindo a volta da ditadura militar, denunciando que o lulinha é dono da FRIBOI, afirmando que no tempo de fegacê é que era bom, e que a falta de água deve ser creditada na conta daquele santo BOLIVARIANO que atende por S. Pedro.

    Mais uma oportunidade de rir a bessa!

  6. Eu ví algumas minutos do

    Eu ví algumas minutos do programa, como não suporto rede bobo, bobo reporter e aqueles apresentadores chato, fui ler o blog do Nassif! Por acaso citaram que a população toda da Suécia é menor que a da cidade de SP? Que a área de la é muito maior que a do estado de SP? Que até a venda de bebida alcoólica é do estado? Menas rede bobo, menas….

  7. O problema é a nossa midia

    O problema é a nossa midia que reverbera essas falsas ideias, a ideologia dominante, enfiam na cabeça dos  brasileiros essas estulticies e tem gente que repete sem pensar, mesmo em debates de conhecedores do assunto o festival de besteiras graça sem nenhum pudor, estranho que  ninguem se pergunte por que a midia daqui persegui tanto o Cesar Chaves, escondem o fato principal que a Vernezuela é o pais com as maiores reservas de petroleo do mundo e um governo autonomo lá incomoda os paises imperialistas e seus lacaios (inclusive a midia); leio jornais desde meus sete anos infelizmente hoje cheguei a conclusão que a manipulação dessa turma sempre existiu, hoje é escancarada.  

  8. É, no Brasil, a carga

    É, no Brasil, a carga tributária é de 35%, no entanto, o retorno em serviços – saúde, educação, transportes etc – é péssimo. O problema não é a carga tributária mas o uso que o governo faz do dinheiro arrecadado e, no Brasil, dinheiro público é sempre desviado para outras coisas menos nobres: caixa dois, mensalão, desvio de dinheiro de Petrobas etc…

    • Quase a metade do orçamento

      Quase a metade do orçamento anual vai para o estamento financeiro via serviço da dívida. São dois-bi-por-dia, aproximadamente; dois bi!

      Já foi pior mas ainda é o maior item de despesa do orçamento da união disparado. A outra metade é que vai ser pulverizada entre as demais despesas.

      É tabu falar nisso no Brasil – e a contrainformação é violentíssima – mas é para isso que são destinados os impoóóóstos. E é por isso que sobra pouco pra as demais despesas. Corrupção é “pinto” perto disso.

    • É isso aí Antônio. Mas

      É isso aí Antônio. Mas experimente tentar mudar isso, e será execrado em praça pública, como estão fazendo com a Dilma , que vc talvez não saiba, mas é o medo de que as investigações s/ a Petrobrás chegue até os “cheirosinhos. E onde o Prefeito de S.Paulo foi impedido de dar aumento maior aos ricos, do IPTU pelo STF, apesar de ter acabado com uma verdadeira máfia dos fiscais da cidade, que vinha desde muito tempo.

    • E aqui as pessoas são péssimas em matemática

      Calcule: no Brasil, a carga de 34,4% sobr o PIB de 11,8 mil dólares per capita gera em torno de 4 mil dólares per capita de arrecadação.

      A Suécia, com carga de 47,5% sobre o PIB de 40,7 mil dólares per capita, arrecada 19,5 mil dólares per capita.

      Você quer retorno escandinavo com arrecadação emergente? Acha MESMO que dá para fazer com 4 mil dólares o que eles fazem com 20 mil?

      E antes que alguém solte a clássica tolice “se não fosse a corrupção tudo aqui seria diferente”, leiam isto:

      http://homemquecalculava.blogspot.com.br/2013/04/e-se-nao-houvesse-sonegacao-corrupcao-e.html

  9. Ah, a Suécia…

    Ah, a Suécia deve ser realmente um lugar muito melhor pra se viver, vc passa metade do ano sem ver o sol, e quando vê ele não esquenta… As pessoas procuram manter sempre uma distância segura dos seus semelhantes nos transportes públicos… e desodorante não é um item tão difundido como cá…

    As pessoas sempre a valorizar uma ordem que foi conquistada após quanto tempo? A Escandinávia era bárbara equanto os mouros preservavam e difundiam a cultura da antiguidade. Ordem se conquista com muita luta, muito suor, sangue, principalmente  dos outros…

    A história da Europa ocidental é de usurpação, direitos só para quem eles considerem iguais. Vejam o que as multinacionais Européias fazem nos países ditos periféricos, remetem lucros exorbitantes para suas matrizes, que ajudam a manter essa organização, a custo do sangue de asiáticos, africanos, latinoamericanos e etc.

    Não aguento ouvir essas baboseiras sobre a organização européia, a nossa desorganização vem desse sentimento  de superioridade difundido em nossa classe dominante que não enxerga o próprio povo como igual. A raiz de nossa desigualdade é cultural, não apenas econômica.

  10. Então… na Suécia a carga de

    Então… na Suécia a carga de impostos é de 44% do PIB e tem tudo aquilo de retorno

    No Brasil a carga tributária é de 37% do PIB e tem tudo ISSO…

    • O PIB per capita de lá ainda

      O PIB per capita de lá ainda é maior que o nosso…

      Mas é só o PT ficar 50 anos no governo, como aconteceu na Suécia, que a gente chega lá.

  11. É desgraça piguenta comparar

    É desgraça piguenta comparar nação fudnada por gente com outra pelas piores escórias sociais degredadas da Europa, construtoras de um sociedade corrupta das masui vagabundas, execurtivo, legislativo e judiciário preferenfcialmente composto dos piores sacribandas sociias,  leis que seguem os preceitos mais nojento e ,obviamente ,  porco que vive em chiqueiro imundo achando biom não sente  cheiro da podridão

  12. Faltou um detalhe

    Faltou um detalhe importantíssimo:

    O PIB per capita da Suécia é de US 57 mil. O do Brasil, é de US$ 11 mil.

    Se a carga tributária lá é de 50%, cada cidadão fornece ao governo, anualmente, US$ 28,5 mil.

    No Brasil, o mesmo valor anual de tributos equivale a US$ 3,8 mil.

    Então, o pessoal quer serviços da Suécia, mas o disponível para o governo brasileiro gastar com cada cidadão é apenas 13% do que o governo da Suécia dispõe. Sem contar que a Suécia é um ovo, perto da extensão territorial do Brasil.

  13. Alhos e Bugalhos
    A galinha do vizinho sempre é mais gorda. São comparações que não levam em conta as enormes diferenças entre os comparados. Pura vira-latice! A parcialidade, a boçalidade, a inconsequência, e porque não, a ignorância desta mídia comprometida com seu próprio umbigo é inacreditável… De tão toscos, o que fazem de melhor é continuarem tentando o golpe para voltarem a ficar mais próximos do governo republicano à moda antiga. Aquela ação entre poucos amigos bem apartados da grande maioria da população. Amam o bem estar da Suécia, desde que não inclua ex escravos, índios, mamelucos, mulatos e trabalhadores. Eles lá nos sustentando e nós cá na nossa capenga Suécia…

  14. Suécia

    Primeiro ponto a ser resolvido no país, deverá ser a democratização da mídia. Com 50% do que existe na suécia, para normatização dos meios de comunicação, faríamos uma revolução tão grande, que Hugo Chaves passaria a ser o novo ídolo da nossa direita.

  15. Diogo

    O argumento que sempre utilizei contra os Aecistas foi exatamente este que vc disse. Esses países que vc cita, além de outros mais, sempre foram países exploradores de outros povos. Jamais me esqueço de uma frase do Lula quando reclamaram da ajuda do Brasil à Bolívia e outros sul americanos e que me fez “apaixonar” por ele : O Brasil não quer ser um país rico, rodeado de países pobres, queremos todos se desenvolvendo. Ou não  teremos para quem vender nossos produtos”. Quanta lucidez , visão e, pq não dizer pragmatismo nos mostrou a frase. Diferentemente de outros governantes, que querem tudo prá si e p/ isso exploram a mão de obra e recursos naturais dos demais.

  16. Reclamam da unilateralidade

    Reclamam da unilateralidade deste ou daquele veículo e quando comentam, não sabem fazer outra coisa que não repetir os mantra ideológicos de sempre. 

    Quase metade do programa tratou de questões de igualdade e direitos humanos e não teve um único comentário sobre isso. 

    Pouco importa se o país em questão cabe dentro de SP.  O Sudão também cabe e vive um caos político e social. A questão é obviamente outra. La existe um percentual altíssimo de impostos sobre todos enquanto que aqui quem  paga o grosso dos impostos e a classe média e as empresas, em especial as pequenas e médias. Lá  o serviço público funciona com qualidade enquanto que aqui, no geral, os servicos publicos dito universais tratam mal e quem mais sofre e a população mais carente que não possui salários que caiam nas alíquotas do ir  mas dependem dos serviços públicos enquanto que a classe média (e antes que os ingênuos comecem a gritar lembrem que Lula é Dilma são dessa classe média ), paga planos de saúde,  escola particular, veículo próprio,  guarda de noite, porque os serviços que o estado deve prestar não tem qualidade, razão pela qual o sujeito pode deduzir gastos com médico,  escola, etc do ir. 

    Não é  crime de lesa pátria perceber isso.

    Quanto a Dilma, gostaria que me apresentassem quantos projetos de reforma tributária foram apresentados pelo governo. 

    Temos uma fatia pequena até em relação a outros países de carga tributária.  O problema de fundo está na barafunda de normas e burocracia, e o problema prático está na qualidade do serviço prestado. 

    A turminha só fica contente se passarem reportagens sobre as maravilhas de Cuba sem falar da população que carece de coisas básicas,  aí começam os elogios e esquecem das críticas ideológicas que também caberiam, mas no caso seriam coisas de gente atrasada da direita.

     

     

     

     

    • Comece a compara a arrecadação

      A Suécia arrecada 20 mil dólares per capita. O Brasil arrecada 4 mil dólares per capita.

      Além de ser 5 vezes mais rica, a Suécia tem um “estado inchado”: 27% dos trabalhadores são funcionários públicos, contra 11% do Brasil. Com dinheiro e mão de obra, é fácil fazer o estado funcionar.

      O programa da globo falou nisto?

    • Oii Marco a!  Vc foi direto

      Oii Marco a!  Vc foi direto ao ponto! Só estou intrigada pq não me deixaram te dar 5 estrelas… Pq será hein?!… Oops!  Abraço! 

  17. Excelente texto!!!!!!

    Assisti a reportagem falando exatamente o que vc escreveu. Pq é tão óbvio isso. O mais perto que chegamos de modelos sociais mais humanos foi com o governo atual, de Lula e Dilma. Mas o que a sociedade faz???? Vai contra!!!!! Simplesmente porque todos querem melhoria, desde que seja só para si. Quando estas melhorias atinge a maioria, aí começa o drama. Fiquei perplexa ao ver os comentários de pessoas que eu julgava conhecer bem sobre a legalização do trabalho doméstico. O que foi justissimo. Pessoas que declararam publicamente seus preconceitos contra esta classe trabalhadora,  assim como passararm a odiar programas sociais que tem feito um bem enorme a toda sociedade,  como o bolsa família,  as cotas,  o pornatec, a ampliação do acesso à educação e ao ensino superior… Essas são políticas públicas para que um dia possamos alcançar um patamar de sociedade mais igualitária,  onde todos possamos ter acesso aos mesmos direitos. Se as políticas públicas continuarem no ritmo que está não tardará a vermos um Brasil onde não teremos mmais empregadas domésticas porque essas estarão nas faculdades,  e cada um vai cuidar do seu quadrado. O problema hoje é que uma parte da sociedade está tentando atrapalhar isso, com o egocentrismo exacerbado tentam manipular e deturpar a verdade.  E infelizmente não creio que a intenção do programa jornalístico tenha sido o de mudar a mentalidade de alguns, bem oposto, foi clara a intenção de criar jma revolta por não sermos a Suécia,  rs. Principalmente em algumas mentes cheias de massa e com pouco conteúdo.  O BRASIL é feito também por nossas ações. Se cada um fizer sua parte construiremos um país não igual a Suécia,  mas um país melhor para os brasileiros.

    • Padrão FIFA !

      Não era o que pediam  durante a fase do #Não vai ter copa#. Só para os privilegiados, os demais que se mantenham em seus lugares e caladinhos ! ou vão sofrer Impeachman !

  18. Pura verdade

    É isso mesmo. A Suécia e a Noruega só são boas porque ficam do outro lado do Oceano Atlântico… Sugerir esses regimes no Brasil traz imediatamente a pecha de vermelho, comunista, e os gritos ouvidos nas galerias do Congresso de “Vai pra Cuba !”.  A hipocrisia da direita não tem limites.

  19. E os vira-latas acreditam,

    E os vira-latas acreditam, AINDA, depois de tudo, em reportagens da corrupta e antipaís, globo, a sonegadora, a informante do USA, a que está sempre de joelhos fora do país?Aquela que o fhc paga pra permanecer bem na foto, aquela que quer poder comandar os cofres públicos como se dela fossem? Zanchetta, tenho absoluta certeza que tu foi um que só aprendeu a reclamar do teu pais, sabe aquele que vê tudo de forma negativa? Imagino que sejas assim 24 horas por dia. O que fizeste pelo teu pais a não ser reclamar e torcer contra? Os teus ídolos são assim. Enquanto quem apoia Dilma, chico buarque, etc, só se paresentan para falar bem dela, o teu atual ídolo, lobão, não faz outra coisa a não falar mal da Dilma, o candidato de vocês, o vagundo eterno, aócio, alguém fala bem dele? Vocês mesmos não conseguem se centrar nele, o negócio é falar mal da Dilma. Então,  fica com esse teu ódio, negativismo de 24 horas que a gente vai curtindo os elogios de quem está interessado em ver esse BRASIL inclusivo. Pra desespero desses aócios, eles não tem currículo para apresentar do seu candidato que não seja m…, então centram-se em atacar quem orgulha esse país.

  20. Ótimo texto!!!

    Parabéns ao Diogo Costa pelo belíssimo texto. Farei um texto no meu perfil do facebook utilizando algumas citações do texto acima. Obrigado pela bela reflexão.

    Uma abraço!

  21. E tem mais….

    Na Suécia e paises escandinavos a  população está em baixa, não tem que realizar obra praticamente nenhuma (rodovias, ferrovias, escolas, creches, etc) estão tudo prontas não necessitam construir-las, (só precisam gastar com saúde, educação e segurança, ao contrário do Brasil está tudo pra se construir e o imposto lá 50% e aqui no Brasil 35% e tem gente que tem coragem de comparar…… qua, qua, qua………….

    •  Um paisinho de 9 milhoes de

       Um paisinho de 9 milhoes de habitantes quase sem jovens e do tamanho do Pará… facil de governar e adminstrar.. e não um continente desse tamanho com um recorde de corrupção… assim nem da pra comparar.

      Em 2012, 67.5% dos suecos eram membros da igreja – o que significou uma queda de 1,3% em relação a 2011. Menos de 4% dos membros da Igreja da Suécia frequentam os cultos semanalmente; cerca de 2% frequentam regularmente.4 Muitos outros grupos religiosos estão representados na sociedade sueca. A historia dos judeus na Suécia pode ser traçada desde o século XVII. Em decorrência da imigração, há também um número significativo de muçulmanos e de cristãos siríacos. A imigração, sobretudo originária da Polônia e da antiga Iugoslávia, motivou o rápido crescimento da Igreja Católica Romana no país.

      Segundo pesquisa realizada em 2005 pelo Eurobarômetro, instituto de pesquisa da Comissão Europeia,10

      23% dos cidadãos suecos “acreditam em Deus”.53% “acreditam que exista algum espírito ou força vital”.23% “não acreditam em qualquer tipo de espírito, Deus ou força vital”.

      O professor Phil Zuckerman 11 , do Pitzer College, em Claremont (Califórnia), cita fonte acadêmica, segundo as quais, nos últimos anos, a taxa de ateísmo na Suécia oscila entre 46% e 85%12 ; em contrapartida, outras fontes afirmam que apenas 17% dos respondentes se declararam “ateus”.

  22. um raro participante, Diogo, parabéns, tb. GGN. E pra gente:

    A Globo num globorepórter s/o Nepal,fantasioso,omitindo guerrilha, gover-nos,desigualdade,”felicidade”da população(exceto monges:sabem como vivem e como viviam e dominavam no antigo Tibet? …).Melhores documentários numa BBC ou num canal de TV francesa,p.ex.,(há “A TV que se faz pelo mundo” , TV Brasil,ou TV Cultura,mas com certeza no canal CURTA! q de vez em qnd reprisa de madrugada ou noutro horário,p ex,um ótimo s/A Guerrilha do Caparaó ,depoimentos de alguns dos q sobreviveram,e vários sobre 64 e um longuissimo em 6 ou 7 partes,”Adeus, Camaradas”, mas tb sobre Cartola, outros assuntos, de menor interesse ao grande público. Já postei o último, completo, 300 minutos, no Multimídia do Dia.

  23. Claro…aqui temos tudo do
    Claro…aqui temos tudo do bom e do melhor. Tudo funciona,boas leis, excelente aplicação dos impostos arrecadados. O Brasil é um ótimo lugar para se viver e ter uma maravilhosa qualidade de vida.

  24. Comparar dois países como

    Comparar dois países como Suécia e Brasil pelo modelo de tributação é de um reducionismo atroz! Não sei quem seria esse “bom sujeito” que integra a matéria, mas as comparações são rasas, os parâmetros forçados.

    Parece haver uma incrível dificuldade nos que pensam o Brasil em encontrar uma rota própria, um modelo que se alinhe a sua dimensão, a sua história política, a formação do seu estrato social. O programa Globo Repórter mostrou um modelo pronto, para um povo que já enfrentou diversas guerras, já viveu e vive com a escassez de recursos e, apesar de pacífica, a transição do modelo político sueco para o que eles têm hoje foi tardio, há tensões, não é perfeito, como tudo que é humano.

    O Brasil tem acertado em alguns pontos, com destaque para os investimentos em universidades, o acesso pela via das cotas, como medida transitória, mas tem problemas com a saúde básica, com o ensino básico, especialmente devido ao modelo de repartição de atribuições e também de receitas, resultado direto do nosso modelo de federação centrífuga.

    A CF/88 inaugurou modelo que transmite mais autonomia aos municípios, o que é acertado, mas há problemas com a fiscalização da gestão, devido às dimensões do nosso país. E isso contribui para a queda na qualidade dos nossos serviços e aí, sim, tornam nossa carga tributária injusta.

    Bem, essas abordagens são apenas para demonstrar o que afirmei no início do comentário. Por favor, mais profundidade! Há muita gente boa nesse espaço e não devemos desperdiçar oportunidades com frivolidades, o assunto é sério. Precisamos retomar o crescimento, para acertar nossa rota de desenvolvimento.

     

    Não sei se meu comentário será publicado, pois há “filtros” dos admistradores do sítio e meus pontos podem não estar à altura da matéria. De qualquer forma continuarei acompanhando as publicações.

    Obrigado pela oportunidade.

    • Falou tudo André. Além do que

      Falou tudo André. Além do que vc falou, com certeza  a Suécia não tem o nível de corrupção daqui, por isso a diferença de salários entre garis e doutores pode ser pequena… Já era de se esperar a análise rasa… vindo de quem escreveu…

  25. Tem uma pesquisa que diz que

    Tem uma pesquisa que diz que o índice de suicidio entre jovens nos países nórdicos é acima da média mundial.

    Nem sempre ter tudo de mão beijada é garantia de felicidade.

    • Nem tudo pode ser creditado ao modelo econômico

      Nem tudo pode ser creditado na conta dos modelos econômicos. A Suécia tem sim altas taxas de suicído, mas elas são fruto das condições ambientais. Sabe-se que esses suicídios ocorrem nos meses mais frios quando não há sol. Isso provoca nas pessoas uma queda dos índices de seotonina e aumenta a depressão, com o consequente aumento dos suicídios. Os modelos econômicos ainda não conseguem alterar o clima conforme a vontade das pessoas. Infelizmente as alterações climáticas devidas ao modelo capitalista são adversos e embora indesjáveis, mas não são combatidos, pois caso o sejam o próprio modelo será questionado.

  26. E cá pra nós, que reportagem fraca viu…

    Pra ser uma reportagem “padrão Globo de qualidade” essa passagem pela Suécia deixou muito a desejar…
    Se era pra falar sobre a qualidade de vida do povo sueco, a emissora sabiamente omitiu cerca de 80% do que o governo realmente faz pela população.

    Por que será que ela não citou que: “A partir do dia do nascimento, cada criança recebe um subsídio mensal do governo no valor de 1.050 coroas suecas (aproximadamente 355 reais).”

    E que: “Após completar 16 anos de idade, cada criança passa a receber um subsídio mensal do governo no mesmo valor, como assistência financeira enquanto completa seu período de estudos.” E que: “Se decidem cursar a universidade – que também é gratuita – os estudantes suecos têm direito a uma assistência financeira mensal, até completar os estudos. Esta assistência é composta por um subsídio de cerca de mil reais por mês, além de um empréstimo no valor aproximado de 2,3 mil reais mensais. O prazo para o reembolso do empréstimo é o dia em que o ex-estudante completa 60 anos de idade.”? Ah, já sei! Não ia pegar bem mostrar que políticas sociais que beneficiam financeiramente o povo não são práticas exclusivas de países que estão no caminho do bolivarianismo.

  27. Modelo Sueco


    Beth

     

    Modelo sueco realmente me despertou e não obstantes os comentários em contrário, tenho para mim que o modelo sueco é invejável.

     

    Com certeza o que os suecos pagam de impostos aparentemente chega a assustar. No Brasil o que se paga considerando os impostos diretos e indiretos,não ficamos  longe da realidade do que pagam os suecos. Mas o comentário primeiro não consierou a contra prestação ou como o governo daquele país retribui com um esmerado serviço pelo que cobra.  No nosso querido país que amamos e retribuimos muito mais em impostos do que podemos pagar, não ha nenhuma contra prestção em tyermos de serviços públicos. Falta hospital, escola, serviços píblicos e tantas coisas mais que seria ocioso comentar.

    Vamos torcer para chegarmos perto da invejável situação de vida dos suecos, sem perder o bom humou e a amizade com que tratamos os nossos irmãos.

     

    Ivan Martins

    • Reportagem sobre a Suécia no Globo Repórter

      Concordo em gênero número e grau com a Beth, e não se trata de modelo sueco, se trata de sistema de governo que é a social democracia européia, o Estado não é mínimo como defendem os neoliberais americanos e brazucas, na Suécia por exemplo 70% da Economia é Estatal. E é uma prova que funciona. Que é possível ter um país sem desigualdade com a participação do Estado com o mínimo de desigualdade e corrupção. A carga tributária pode ser alta desde que retorne em qualidade de serviços públicos para o povo. Não ter que se preocupar com Educação, Saúde e a Aposentadoria não tem preço. Discordo quando falam do tamanho do país, tamanho não é documento, se valesse de algo o Haiti e o Paraguai por exemplo estariam em uma situação muito melho que o Brasil. Portugual seria um dos países mais ricos da Europa. Sempre admirei a social democracia européia e o meu sonho é que o Brasil pelo menos se aproxime desse modelo em um futuro não muito distante.

  28. Não existe modelo sueco. 
    Não

    Não existe modelo sueco. 

    Não existe modelo pronto de sociedade.

    Cada sociedade é única e evolui a sua maneira.

    A grande maioria daqui não conseguiria viver sequer um ano convivendo com a sociedade suéca. 

  29. Não há mágica, é uma questão

    Não há mágica, é uma questão de dinheiro. Tudo bem que a inversão de prioridades melhore a questão da desigualdade, políticas públicas mais agressivas adiantem nosso avanço, mas sem dinheiro isso não mudará tão cedo.
    A Suécia tem menos de 10 milhões de habitantes, ou seja, menos de 20 vezes o quantitativo do Brasil, e seu PIB é apenas 4 vezes menor, daí como conseguem fazer do seu país um exemplo para o mundo.

    No entanto, nossa classe média alta e alta não têm muito o que reclamar, ou contrário do que pensam, pagam bem menos impostos que a classe média e uma parte da população pobre, o imposto de renda de 27,5%, tem uma infinidade de abatimentos, que vão de serviços de saúde, a serviços de educação, abatia-se inclusive o INSS de empregadas domésticas, fogem dos impostos com compras nos EUA, colocando suas despesas nas contas da empresa própria, e por aí vai. O Brasil é um paraíso, justamente para aqueles que mais reclamam.

  30. Custo por habitante. .

    Bom nível de vida, educação e saúde para a maioria pagas pelo contribuinte só existem  em países onde salários são suficientes para se pagar em média por habitante mais valor em tributos ou mensalidades privadas do que a maioria dos trabalhadores tem de renda no Brasil; pois os custos são em valor de dinheiro por pessoa; não em porcentagem do PIB de cada país. Porém quando trabalhadores qualificados e sérios falam em ter poder de compra ao menos semelhante ao dos poucos analfabetos ou especiais com déficit de inteligência em países com carga tributária e alíquotas de IR maiores para não dependerem tanto de governos rotulam isto de querer implantar o comunismo e mais recentemente bolivarismo.

  31. Suécia é sonho lá , pesadelo cá.

    Nassif , sempre arrasador. 

    Concordo plenamente. Vi a  reportagem e nada me surpreendeu pois já li muito não só sobre Suécia , mas sobre todos os países escandinavos. De fato é tudo maravilhoso .Mas tem um  preço.
    Gloria Maria devia ter dito em algum momento :”Esse país é um sonho , mas tudo isso tem preço . Impostos altissimos. E no Brasil NINGUÉM aceitaria pagá-los. Eu mesma seria uma a não aceitar .”

    Uma maranhense que ela entrevistou deixou isso bem claro , quando disse que ” o imposto é alto , mas é tudo direcionado para o povo” .  OK . Obviamente , Gloria não se importou muito em alongar a opinião da moça , chocaria muita gente por aqui . Talvez alguns imaginem que aquela maravilha toda cai do Reino de Valhala , Salão dos Mortos , enviado por Odin…
    Preferiu mostrar os lindos parques e ilhas suecas . Se ela começasse a falar sobre a política de controle estatal do mercado financeiro sueco, que não é  nem de longe a baderna que reina no Brasil , o povo aqui começaria se assustar . Especialmente os sanguessugas do mercado financeiro.
    Lá é sonho , aqui seria pesadelo, especfialmente para os gananciosos  . Por uma razão simples : lá eles entendem a dcécadas , talvez séculos o que significa o termo “bem comum” .

  32. Resposta a matéria
    Claro que reclamamos , o imposto da Suécia pode ser até o quádruplo do Brasil,mas pelo menos é bem investido.E o do Brasil?Não vejo investimento em lugar algum .Se não tivesse tantos ladrões no poder , o Brasil tinha capacidade de ser BEM melhor que a Suecia

  33. Não entendi

    Ué. Eu deveria apoiar o aumento drástico da carga tributária, mesmo sabendo que uma quantia ínfima seria destinada  a  diminuir a desigualdade social? Mesmo sabendo que  iriam ” meter a mão” no dinheiro” sem dó nem piedade? Mesmo sabendo que no  Brasil se chegou ao máximo do descaramento de regular por decreto o desvio de dinheiro público via emendas de parlamentares ao orçamento? Aliás será que os custos ao cidadão impostos pelo governo no Brasil são menores mesmo que nós países escandinavos? Lá, por exemplo, eles pagam IPVA e também  tarifas de pedágio escorchantes? Eles precisam arcar com a carga tributária e também o convênio médico, escola, seguros com valor altíssimo etc? Realmente não entendi o artigo. Se puder explicar melhor eu agradeço.

    • Mas não seria um começo
      Mas não seria um começo inverter nosso sistema tributário que é robin hood ás avessas, que rouba os pobres (assalariados) para dar aos ricos.
      Muita hipocrisia nos comentários. Gostariam que mudasse, desde que cintinuem do mesmo geito que está.

    • resposta a Waldenir

      CONCORDO PLENAMENTE COM O SENHOR.sE TIVESSEMOS CERTEZA DO BOM USO DO NOSSO TRIBUTO.o QUE ESTAMOS VENDO AQUI, É QUE QUANDO A ESQUERDA CONSEGUIU O PODER FEZ PIOR QUE O GOVERNO MILITAR,E  A DIREITA JUNTOS.o PROBLEMA DESSE PAÍS FOI A COLONIZAÇÃO,ATÉ d. jOA

      ÃO ROUBAVA O DINHEIRO DOS SANTOS IMAGINA,QUE PAÍS SERIA SÉRIO SE COLONIZADO POR VAGABUNDOS BANDIDOS PROSTITUTAS,PODE SER UM PAÍS SÉRIO ? O PROBLEMA É GENÉTICO.

  34. Mais um detalhe

    Acrescento dizendo que os países nórdicos não sofrem nem sofreram os mesmos desmandos estrangeiros em suas terras aqui como nós. Isso ajuda muito na condução das políticas sociais, sem depender da influência norte=americana por aqui. E nosso passado como colônia sempre fez dintinção entre classes, que permanece até hoje.

    O estrato da elite se arroga merecedor de benesses e admira os escandinavos, mas se esquecem que para alcançar o mesmo modelo são exatamente eles que devem fazer concessões.

  35. Jornalismo, isso? Piada…

    Que matéria miseravel… O que nos difere de lá é o destino dos impostos, as pessoas no poder, a nossa cultura de sempre se aproveitar das situações… lamentável! 

  36. EXPERIMENTE

    Experimentem deixar de superfaturar. Experimentem deixar de fazer obras sem planejamento. Experimentem exinguir a propina obrigatória, Experimentem reduzir a burocracia, Experimentem melhorar a segurança, Experimentem reduzir drasticamente o custo político dos governos. Experimentem construir moradias dignas para acabar com as favelas e experimentem com o que sobrar de recursos investir na melhoria da qualidade de vida do cidadão. Apenas com isso o “bom sujeito” vai amar o Brasil e jamais invejar a Suécia ou qualquer outro país onde a dignidade está acima do poder.

    • EXPERIENTE

      Continuando: experimentem governar para o futuro, experimentem aplicar devidamente os altos impostos pagos pelo cidadão, experimentem falar a verdade antes da eleição, experimentem aceitar como legítimo e óbvio que um período de bonanza se deve a um trabalho de base sempre feito com o sacrifício de alguém que chegou primeiro, experimentem entender que política paternalista perpetua a miséria, experimentem compreender que postos de gerenciamento não podem ser cabides para acomodar apadrinhados políticos, experimentem dizer NÃO, quando o tema ferir a ética e a decência, experimentem, sobretudo, respeitar as liberdades individuais e jamais flertar com ditadores. Não seríamos nunca a Suécia, mas certamente estaríamos perto de ser o Brasil que todos

      desejamos.

      • Experimente então dar um

        Experimente então dar um cartão vermelho ao rentismo e ao monetarismo, cobrar adequadamente os impostos dos mais ricos, dos bancos e banqueiros, aí começamos a ter uma sociedade mais igual.

    • EXPERIENTE

      Continuando: experimentem governar para o futuro, experimentem aplicar devidamente os altos impostos pagos pelo cidadão, experimentem falar a verdade antes da eleição, experimentem aceitar como legítimo e óbvio que um período de bonanza se deve a um trabalho de base sempre feito com o sacrifício de alguém que chegou primeiro, experimentem entender que política paternalista perpetua a miséria, experimentem compreender que postos de gerenciamento não podem ser cabides para acomodar apadrinhados políticos, experimentem dizer NÃO, quando o tema ferir a ética e a decência, experimentem, sobretudo, respeitar as liberdades individuais e jamais flertar com ditadores. Não seríamos nunca a Suécia, mas certamente estaríamos perto de ser o Brasil que todos

      desejamos.

  37. Devemos mencionar que o Brasil começou a apenas 12 anos

    O que a Suécia tem a uma centena de anos.

    Mas vamos continuar na luta de manter os tucanos afastados do governso federal e vamos alcançar a Suécia !!!

     

    Sei que essa limpeza toda que se tenta fazer vai demorar mais tempo pra acontecer do que alcançar desenvolviemnto social, pois o judiciário ainda está aparelhado pra ser serviçal da elite,mas depois da reforma politica e tributária vamos perseguir a reforma no judiciário.

    • O judiciário está aparelhado

      O judiciário está aparelhado para servir a elite é? Mesmo que tenha sido nomeado em grande parte pelo atual governo… hum… tá certo então.

       

      Reforma política, tributária e perseguir a reforma no judiciário. Aí quando este estiver subserviente estará ótimo né? Ningúem pra se opor… conheço essa história…

      • Bem isso a pessoa é tão leiga

        Bem isso a pessoa é tão leiga que nem sabe que o proprio governo é que indica os ministros do judiciario, e o pior essa é a maioria militonta …

      • Bem isso a pessoa é tão leiga

        Bem isso a pessoa é tão leiga que nem sabe que o proprio governo é que indica os ministros do judiciario, e o pior essa é a maioria militonta …

  38. Análise extremamente rasa e

    Análise extremamente rasa e que generaliza um pensamento de quem tem pouquíssimo conhecimento sobre os países escandinavos. 

    Também pagamos altos impostos e, além de não recebermos nada de volta, temos que pagar por tudo (educação, saúde, transporte…) Na Suécia, além de não se pagar por educação, se recebe uma mesada do governo para estudar em escolas incomparáveis com as mais caras do Brasil. Há aulas (além das matérias básicas) de dezenas de idiomas, artes, música, circo, culinária, fotografia, marcenaria, estética, enfim, o que se pretender aprender, há aulas! 

    Além de não se pagar por saúde, ligam na sua casa para te informar que está na época do seu check-up! 

    Portanto, quem realmente conhece o modelo do Wellfare State, pagaria, SIM, mais impostos se existisse a mínima possibilidade de chegar aos seus pés, o que, infelizmente, não é a realidade do Brasil, com a mentalidade retrógrada de que de tudo deve-se tirar vantagem e com a consequente corrupção infinita.

     

    • Não pagamos altos impostos

      A Suécia arrecada 20 mil dólares per capita. O Brasil arrecada 4 mil dólares per capita. Além disso, os empresários aqui sonegam 25% da arrecadação.

      Além de ser 5 vezes mais rica, a Suécia tem um “estado inchado”: 27% dos trabalhadores são funcionários públicos, contra 11% do Brasil. Com dinheiro e mão de obra, é fácil fazer o estado funcionar.

  39. Politicos da Suecia

    Eu realmente ficaria muito surpreso se tivessemos politicos iguais as da Suecia.

    Se todos do PT e PSDB fossem semelhantes aos politicos da Suecia…quanta diferença….

    .

    • Os políticos são simplesmente

      Os políticos são simplesmente um espelho do povo… ou a extensão deste… Somos, enquanto cidadãos, iguais aos suecos?

  40. Ilusionismo.

    É inacreditável como tem gente que ainda se leva por esta coversa de Indice de retorno que só existe no Brasil. Os  custos da saúde e educação são em valor de dinheiro por pessoa e não em % de PIB. Se quer ter igual em países de povos mais ricos tem que pagar os mesmos valores médios em dinheiro que eles pagam em tributos ou mensalidade privadas. Matemática básica. Desculpem-me.

  41. Padrão Globo.
     
    Uma amiga que

    Padrão Globo.

     

    Uma amiga que assistiu ao tal Globo Repórter me disse que a taxa de impostos lá era de 30%. Duas outras pessoas confirmaram a informação passada pela Globo ao país. k k k k k

     

    Eu mostrei às pessoas manipuladas pela eterna Vênus que a Suécia tem uma tributação diferente do Brasil e progressiva. Daí, falei um pouco do conheço sobre isso: 

     

    * há uma tributação municipal de 30%.

    * outra estadual que varia de 20 – 25% para quem ganha mais de 320 mil coroas suecas por ano.

    * ainda uma tributação por valor agregado;

    * e sobre alguns serviços sobre telefonia de forma diferente.

    * citei a tributação sobre a herança.

     

    Resultado: o programa não passou de uma diversão inútil para cansados e revoltados de plantão. Informação que é bom, quase nada.

     

    Se o brasileiro quiser saber como a Suécia consegue uma qualidade de vida tão alta com serviços públicos de tamanha qualidade precisa esquecer a Glória Maria e seus patrões como forma de conhecimento sobre o mundo.

     

     

  42. Nossa primeiro: la o que o

    Nossa primeiro: la o que o governo recolhe aplica e aplica direito! Segundo o povo aqui nao gosta de mais imposto porque 35% ja esta de bom tamanho e os mais de 1 trilhões de reais que foram coletados só esse ano no impostômetro mostram que ja daria para fazer muita coisa não precisa de 50 % de imposto 35% ja esta alto até demais o problema é o desvio e projetos furados mesmo como o porto de Cuba, mas que bosta de texto o seu acorda mô  querido!

  43. Patologia crônica
    preciso descordar em certos pontos…aqui, ainda que pagássemos 50% de imposto, jamais veríamos a cor do dinheiro retornando para nós. O Brasil é patologicamente corrupto e qto mais o povo paga, mais embolsam em suas cuecas e contas na Suiça… 

  44. Patologia crônica
    preciso descordar em certos pontos…aqui, ainda que pagássemos 50% de imposto, jamais veríamos a cor do dinheiro retornando para nós. O Brasil é patologicamente corrupto e qto mais o povo paga, mais embolsam em suas cuecas e contas na Suiça… 

    • Não tão corrupto quanto você

      Não tão corrupto quanto você pensa. Em 2010, a Transparência Internacional divulgou seu relatório anual segundo o qual, numa escala crescente de 178 países, o Brasil estava em 69º, ou seja, bem dentro da primeira metade dos MENOS corruptos. A Argentina estava 36 posições pior que nós, em 105º. Não somos tão corruptos assim.

      • Brasi x Suécia

        Há 15 anos atrás,nós estávamos fazendo comparações com o Haiti,hoje com a Suécia:Evoluimos muito na Ética!

  45. Culturas diferente

    O sistema da Suecia e bom se aplicado nos paises nordicos onde as pessoas nao admitem corrupcao.

    aqui no Brasil a maioria dos programas do governo a metade do dinheiro e desviado,

    vide o PT que antes de entrar no poder pregava honestidade e malhava a corrupcao e agora e o partido mais corrupto de todos.

    uma amostra e quando o governo iniciou as concessoes muita coisa da imfraestrutura comecou a funcionar com mais eficiencia,

    Exemplos nao faltam de desperdicio   como o metro de Salvador, a Estatal Valec que coloca trilhos e nunca funciona, o trem bala que ja tem 190 funcionarios contratados fazem anos e o projeto nem tem prazo para comecar.

    Uma coisa  funcionou bem, os dirigentes sindicais que apoiaram o governo estao todos milionarios mamando nas tetas do governo.

    • Vamos a uma suiça

      Quando um país é dito de primeira, a primeira coisa era não deixa dinheiro ilicito para os cofres de seus bancos ditos licitos e sem  corrupção. Pode não corromper mais auxilia nos desvios e isso é fato.

    • As nefastas inserções politicas nas estatais, eis os resultados

      Muito bem lembrado pelo Maven, que os países Nórdicos não admitem corrupção, baseado nisto pode-se afirmar que a maioria dos atuais partidos politicos daqui não sobreviveria, e já estariam extintos, e seus membros execrados, o que seria uma ótima medida!!!

  46. O autor só desconsiderou um

    O autor só desconsiderou um detalhe, minúsculo. Os países escandinavos tem a população do Espírito Santo e o PIB de São Paulo.

  47. Matéria Ridícula

    Ninguém se dá ao trabalho de se informar como a Suécia chegou até lá né? Até parece que o PT vai fazer o Brasil chegar até lá hahahaha é rir pra não chorar se falando de um partido que governa para poucos e não para o povo de fato, como a propaganda tenta vender. Sempre o sonho do Brasil de ser a Suécia dos trópicos, mas não chegaremos lá sem o nível adequado de educação e liberdade econômica. O paraíso social democrata só foi possível porque a Suécia nunca aboliu e, pelo contrário valoriza, o livre mercado e o empreendedorismo, ao contrário daqui, onde o empresário só é visto como capitalista opressor e inimigo dos pobres. O Brasil tá muito mas muito longe de querer almejar condições semelhantes, principalmente porque a nossa situação atual é muito delicada, o Brasil está conseguindo quebrar a confiança, que nunca foi muito grande, dos investidores, e isso se não revertido terá consequencias catastróficas para o país, afinal de contas, por mais que os socialistas de plantão achem o contrário, riqueza não se cria do nada e o Brasil ainda é um país pobre se relativizado a outras nações, principalmente a Suécia, que tem um PIB per capita 4 vezes maior que o nosso.

    • Infelizmente os tucanos não

      Infelizmente os tucanos não conseguem visualizar nada de bom quando o foco é governo de esquerda…

      • Agora vamos discutir em alto nível por favor?

        Estado esse que pelo grau de educação da população e leis rígidas se atém a tomar atitudes em prol da população, e não fica fazendo populismos baratos, que são inclusive mal vistos pela população sueca no geral, essa mesma população que jamais aceitaria um governo que vive sustentado em mentiras, sim, MENTIRAS e das mais diversas formas. Não vou nem entrar no mérito se isso funciona ou não no longo prazo, mas de qualquer forma o welfare state da Suécia só é sustentado porque é baseado em uma economia liberal, o tão malvado e demônio do liberalismo inimigo mortal do povo, com índices de liberdade econômica próximo ao do grande opressor imperialista capitalista (é uma ironia, em parte verdadeira, mas assunto para outra discussão), os EUA, com direito a propriedade privada bem definido, leis que facilitam o empreendimento e imposto sobre pessoa jurídico mais baixo que no Brasil. Mas como sempre a capacidade de querer reescrever a história da esquerda aqui no Brasil sempre impera sobre quem não busca se informar melhor. Não vou nem entrar no mérito de quem me chamou de tucano, que só demonstra a falta de argumentos pra discutir em alto nível. Aliás, falar sobre sonegação em um país como o Brasil, em que o retorno é simplesmente terrível pra população enquanto os políticos enchem os bolsos, compram mansões, carros de luxo, vivem do bom e do melhor financiados pelo SEU dinheiro e irrigam suas contas em paraísos fiscais, chega a ser cômico. O pobre pequeno e microempresário, e até mesmo o médio, fazem esforços absurdos pra continuar sobrevivendo e investindo aqui no Brasil, que só privilegia as grandes corporações e os amigos do rei (leia-se amigos do PT e do Lula) onde infelizmente fingir que ajuda o pobre vale mais do que gerar riquezas e empregos. O problema aqui é que ainda estamos longe de achar um equilíbrio entre políticas humanistas e assistencialistas, que são necessárias apenas em um certo momento pra poder diminuir as desigualdades históricas, sendo de forma majoritária na educação, e políticas que favoreçam também a geração de riquezas, as atuais políticas do governo estão fazendo o Brasil muito mais próximo da Argentina e da Venezuela do que da Suécia.

        Recomendo a leitura deste artigo vindo diretamente dos nossos colonizadores:

        http://expresso.sapo.pt/a-revolucao-liberal-da-suecia=f607385

        E deixo aqui também outros links interessante pra fazê-los refletirem, reparem bem nas posições de Brasil e Suécia, tirem suas próprias conclusões: 

        http://heritage.org/index/heatmap 

        http://portugues.doingbusiness.org/rankings

        • Acho que não leu e se leu não entendeu..

          A Suécia é um pais capitalista, mas pratica um capitalismo social, ou seja muito mas muito mais a esquerda que o modelo americano, e até que o modelo inglês e francês.

          Portanto está equivocado seu comentário. A Suécia pratica a justiça social com os impostos regressivos (quem ganha mais paga mais), com políticas salariais progressivas, reduzindo as desigualdades entre os maiores e menores salários, tudo que o modelo liberal condena, portanto meu amigo, erra redondamente em seu comentário. Lá se pratica o estado necessário e forte, para prover a todos igualdade de oportunidades, e não o ESTADO MÍNIMO, que prega os demo-tucanos brasileiros, portanto uma análise correta, mostrará que a política de bem-estar-social sueca é muito mais próxima da política preconizada pelo PT e parte de nossa dita esquerda menos radical, que a dos demo-tucanos, que caminha para mais desigualdade.

          • Estude

            Você certamente se refere a suécia de 1992, que quebrou. Estude a suécia atual. Estado mínimo e liberalismo economico são as suas bases. Não por menos que criou gigantes como Nokia, Ericsson e Volvo. Imagine se isso seria possível em um país anti-empresariado, como o Brasil.

            O comentário inicial, ao qual você respondeu, é o correto. A solução para você é estudo. A mesma que para o Brasil.

          • E a economia que é bom…

            Que ela é mais a esquerda, apesar dessa dicotomia entre esquerda e direita me dar nos nervos, eu não discordei em momento algum.

             

            Agora eu não estou em nenhum momento enganado no meu comentário, visto que não misturei liberdade econômica com políticas sociais, só falei que uma é amparada na outra no caso sueco, creio que você nesse mundinho fechado de só pensar em igualdade social que não conseguiu interpretar direito o que eu falei. Você demonstra também o mesmo argumento falho de que os “demo-tucanos” (a esquerda brasileira e a capacidade incrível de criar apelidos pejorativos para quem não concorda com os seus ideais hahaha) pregam o estado mínimo, se eles privatizaram na década de 90 era simplesmente um movimento mundial, induzido pelo consenso de Washinton em que mesmo governos de esquerda promoveram privatizações de empresas ineficientes em todo o mundo, mas acho que você preferia manter o estado controlando as empresas de telefonia, exemplo de bons serviços e eficiência para o povo. O PSDB até pode tender a direita, induzido principalmente por um contexto histórico, mas está longe de ser direita propriamente dita, até porque as bolsas começaram com o governo FHC, aliás o PSDB é partido da Social Democracia, o mesmo que governa a Suécia a quase 100 anos, irônico não? Pode ser que alguns de seus princípios de criação do partido tenham se perdido, mas a base que fundamentou é de esquerda, assim como é toda a constituição brasileira. E não eu não sou tucano mais uma vez, acho que os 2 partidos não fizeram o suficiente para o Brasil e deram maus exemplos de administração pública, ambos mergulhados em corrupção, mas também ambos com alguns méritos.

             

            Agora a análise correta é só você entrar nos links que eu indiquei e comparar os indicadores, o Brasil é muito mais próximo da Argentina do que da Suécia. O PIB per capita lá é só 4 vezes maior que o nosso, o PIB per capita do Brasil nos últimos 4anos está nos 50% que menos cresceram no mundo, então amigo a diferença pra Suécia é abissal, e as políticas do PT antes estivessem como as suecas mesmo, eu adoraria viver em um país como lá ou pelo menos vislumbrar algo parecido, assim como em qualquer da Europa, já morei na Espanha e na Alemana, conheço boa parte da Europa e sei bem a diferença abissal que existe entre aqui e lá, e volto a reafirmar, o Brasil caminha a passos muito mais largos pra Venezuela e Argentina do que pra Suécia. 

    • Ridículo é não enxergar a verdade…

      Não sei se o PT vai fazer a gente chegar lá, mas tenho certeza que com as teses tucanas e do neoliberalismo, iremos nos distanciar cada vez mais deste ideário. Pelo menos o governo trabalhista prioriza o homem, a redução das desigualdades e maior oferta de oportunidades aos menos assistidos e é só assim que se reduz a desigualdade.

      É muito fácil pregar a falácia demo-tucana neoliberal, quando se está do lado forte, do lado que já parte na disputa com  um upgrade muito superior, como defender uma corrida onde alguns poucos competidores já largam montados em potentes fórmulas 1 e os milhares de outros competidores largam com fuscas, outros milhões com carroças, acha justo a disputa?

      Costumo afirmar que nossos políticos, economistas neoliberiais e elite empresarial, o trabalhor ideal é aquele que tem “A DISCIPLINA DE JAPONÊS, A PRODUTIVIDADE DE UM ALEMÃO, A ESCOLARIDADE DE UM FINLANDÊS, A EFICÁCIA DE UM SUECO, TRABALHE COMO UM CHINÊS E ACEITE UM SALÁRIO PAQUISTANÊS”. Este seria o trabalhador que nossa eleite procura.

  48.  
    Suécia tem elevado nível de

     

    Suécia tem elevado nível de instrução.E é baseada em ética e trabalho.Estamos muito longe ,muito longe de atingir a posição Sueca ,escandinava.Um exemplo para o mundo.Quase todos podem viver com dignidade

  49. Comparação feita pela metade.

    Querido, vamos fazer as contas. A carga tributária da Suécia é 50% do PIB de $558.9 bilhoes (2013) = $279,45. A carga tributária do Brasil é 35% do PIB de $2.246 TRILHÕES (2013) = $786 bilhoes! Será que não pagaríamos impostos de 50% do PIB felizes e contentes se tivéssemos o mesmo retorno que a Suécia tem? Com muito mais dinheiro que a Suécia recebemos muito menos em troca. O motivo? Nosso dinheiro vai pro ralo. Aí é que está o problema. Assim, não queremos pagar nem os 35%!

    • Falta um dado importantíssimo

      Falta um dado importantíssimo nas suas contas: População da Suécia 10 milhões e população do Brasil 200 milhões. Agora divida 279 bilhões por 10 milhões de habitantes e 786 bilhões por 200 milhões de habitantes. E olha que não estou nem contando o que o Brasil tem que comprometer do seu orçamento com o pagamento dos juros da dívida pública. Acho que deu pra entender como a Suécia faz tanto com menos da metade da arrecadação do Brasil.

    • Querido, vamos brincar de ser

      Querido, vamos brincar de ser menos tapado e fazer outras contas de matemática básica não só as que te interessam.

       

      População da Suécia: 9 415 295 habitantes

      População do Brasil: 202 658 788 habitantes

      Ou seja, população 21 vezes maior.  Não contente com esse argumento simples pense em termos de área

      Area da Suécia: 449 964 kilometros quadrados

      Area do Brasil: 8 515 767 kilometros quadrados

      Ou seja, o Brasil é 18 vezes maior. 

      Com uma discrepância tão grande entre área e população é de se espantar mesmo que os retornos sejam menores?

      😉

    • Querido, vamos brincar de ser

      Querido, vamos brincar de ser menos tapado e fazer outras contas de matemática básica não só as que te interessam.

       

      População da Suécia: 9 415 295 habitantes

      População do Brasil: 202 658 788 habitantes

      Ou seja, população 21 vezes maior.  Não contente com esse argumento simples pense em termos de área

      Area da Suécia: 449 964 kilometros quadrados

      Area do Brasil: 8 515 767 kilometros quadrados

      Ou seja, o Brasil é 18 vezes maior. 

      Com uma discrepância tão grande entre área e população é de se espantar mesmo que os retornos sejam menores?

      😉

    • PER CAPITA. CAPITE.

      Irmão coloque na sua equação a população de cada pais e veja a renda per capita, o imposto arrecadado per capita. A ìndia deve arrecadar mais do que o Brasil mas tem um bilhão de habitantes.

       

    • Simples Comparação

      Apenas para registrar um detalhe, é correto que a carga tributária em cima do PIB da Suécia é bem maior do que o Brasil, mas além disso temos que lembrar que a renda percapta da Suécia é 3 vezes a do Brasil, ou seja, ainda assim nossa capacidade fincanceira de oferecer servições públicos com alto padrão de qualidade é 4 vezes menos, çevando em consideração a carga tributária e renda percapta. Sem contar que muitos problemas que nós estamos longe de resolver a Suécia já nem sabe como é isso(superlotação em presídios por exemplo). Então qualquer comparação como esta “Será que não pagaríamos impostos de 50% do PIB felizes e contentes se tivéssemos o mesmo retorno que a Suécia tem?” carece de no mínimo raciocínio lógico, quando essa afirmação vai para o seguinte patamar “Com muito mais dinheiro que a Suécia recebemos muito menos em troca. O motivo?”, basta lembrar que a diferença de renda não é tão grande lá quanto é aqui, o Canadá, outro país com índices parecidos de serviços públicos, que possui uma renda per capta ainda maior que a Suécia enfrenta vários problemas parecidos com o Brasil, como emerg~encias de hospitáis públicos superlotadas. Pessoal, vamos reaciocinar um pouco, por favor né!

    • Arrecadação per capita

      Realmente, Naná a comparação foi feita pela metade: a sua.

      A Suécia possui uma população de cerca de 10 milhões de pessoas. A do Brasil é 20 vezes maior.

      A arrecadação per capita brasileira é irrisória perto da sueca.

    • O PIB suéco é em torno de um

      O PIB suéco é em torno de um quarto do PIB brasileiro, mas o matemático esqueceu de referir a população suéca, que é em torno de 1/20 da população brasileira. Nem vou me aprofundar mais aqui pra você não passar vergonha, ok? Abraço e bons estudos, caro comentarista.

    • Vai mesmo comparar os 9 415

      Vai mesmo comparar os 9 415 295 de habitantes da Suécia com os 202 768 562 de habitantes do Brasil? Sempre há um motivo pra classe média se defender! Condordo que é a que mais sofre com a redistribuição de renda e com os programas assistencialistas, mas o erro está aí, no egoísmo humano. Mas pra tal classe é preferivel mater a miséria pra que se possa gastar no shopping. Ai, Brasil, quando vai deixar de se colônia de exploração?

    • população

      Mais uma conta legal

      População da Suécia: 9,593 milhões (2013)

      População da cidade de São Paulo (cidade): 11,32 milhões (2011)

      Se retornassemos o 50% PIB todo do Brasil só para cidade de SP colocariamos Europa no chinelo.

      Fácil assim não 

    • Comparação idem.

      Querida,

      Você precisa refazer as contas, pois também comparou pela metade. Esqueceu dados importantes: a área da Suécia é de cerca de 450.000 (mil) quilômetros quadrados, enquanto a do Brasil é de 8.515.767.49 (milhões) de quilômetros quadrados; a população de Suécie é de 9.420.000 (nove milhões), enquanto a do Brasil passa dos 202.000.000 (duzentos e dois milhões). Já pensou, por exemplo, em quantos quilômetros a mais de estradas precisamos construir e manter? e quantas mais escolas precisamos ter? e quantos hospitais? Enfim!

    • Naná Sales, alguém já lhe

      Naná Sales, alguém já lhe ensinou a fazer contas?

      Uma carga tributária de $ 279,45 bilhões para uma população de 9,2 milhões de habitantes significa algo perto de $ 30.375 per capita, enquanto que $ 786 bilhões para 201 milhões de habitantes resulta em $ 3.910 per capita. Apenas 10 Vezes viu, minha cara? Está bom para você?

    • complementado

      vc esta certo, mas precisa fazer mais uam conta: a da população, que é 20 vezes maior no brasil

    • Sim, temos mais território e

      Sim, temos mais território e população muito mais numerosa, mas ainda assim se formos aumentar a carga tributária, temos primeiro que melhorar a gestão de recursos públicos, diminuir a corrupção, respeitar a lei de responsabilidade fiscar, fazer mais gastando menos (o que é possível com gestões competentes). Acredito que não seria bom aumentar a carga tributária para 50% se o dinheiro se perde…

      Outra observação para o autor, não é 50% do PIB, é o equivalente a 50% do PIB. Quando se fala em PIB de $100 bilhões, por exemplo, não estamos falando no montante de cédulas igual $100 bi, e sim, o dinheiro circulou e gerou produção interna bruta de $100bi. Por isso é impossível destinar % do PIB para qualquer coisa. O que se destina a educação, saúde, etc., é o imposto arrecadado que EQUIVALE a tantos % do PIB.

      Corrijam-me, meus queridos, se estiver errada. ;-D

  50. A diferença é que lá os tributos que a população paga é revertido em benefício da população, enquanto que aqui no Brasil é embolsado pelos políticos. Se, ao menos pudessemos confiar no nosso sistema político com certeza não reclamariamos em pagar mais tributos. O autor do texto esquece que o aumento atual da gasolina por exemplo não é para melhorar a vida e dar mais benefícios aos brasileiros e sim para pagarmos o maior esquema de corrupção de uma estatal brasileira. Acorda meu filho, seu texto foi infeliz e ridiculo. 

    • E interessante ver que muitas

      E interessante ver que muitas pessoas reclamam dos politicos, Nao deveria se reclamar do eleitor,  que mesmo tendo a conciencia que vc aparenta ter, ajudou a eleger todos que estao ai? Se o texto acima deixa claro uma coisa, o brasileiro quer ter uma Suecia pra morar, mas nao quer arcar com os custos. O Brasil nao é e nem será uma Suecia por uma questao cultural, mas se quiser que sejar, entao que aceite arcar com a responsabilidade de eleitor. Que tal começar a votar visando o bem da coletividade e nao o seu proprio umbigo? Afinal nos temos politcos que ficam sendo reeleitos por anos e mesmo assim, continuam votando neles. Porque reclamam tanto do País? por que depois de 500 anos, vive por 12 anos uma evolução social? 

       

    • Suécia

      Em se tratando de  desvio de dinheiro no Brasil leio somente: “os políticos, os políticos…”. É raríssimo uma matéria no rádio, tv ou jornal falando das altas classes sonegadoras.

  51. Faltou citar o mais

    Faltou citar o mais importante: experimente sugerir ao bom sujeito que aprecia os vikings que seja feito no Brasil uma regulação da imprensa, tal qual é feita na Suécia!

    • A regulaçao da imprensa na

      A regulaçao da imprensa na Suécia é feita pela própria imprensa e pela sociedade civil. Partiu das pessoas, e nao do governo, a regulamentaçao.

      • Lá as pessaos tem educação e

        Lá as pessaos tem educação e dicernimento da necessidade de partir da população para decidir o regimento da imprensa, e não os coxinhas que “habitam” o congresso. Primeiro eduque os cidadãos, proporcione igualdade material, concretize a democarcia de fato e depois venha falar em “sociedade civil” regulamentar lei.

      • Lá as pessaos tem educação e

        Lá as pessaos tem educação e dicernimento da necessidade de partir da população para decidir o regimento da imprensa, e não os coxinhas que “habitam” o congresso. Primeiro eduque os cidadãos, proporcione igualdade material, concretize a democarcia de fato e depois venha falar em “sociedade civil” regulamentar lei.

      • Lá as pessaos tem educação e

        Lá as pessaos tem educação e dicernimento da necessidade de partir da população para decidir o regimento da imprensa, e não os coxinhas que “habitam” o congresso. Primeiro eduque os cidadãos, proporcione igualdade material, concretize a democarcia de fato e depois venha falar em “sociedade civil” regulamentar lei.

  52. Complexo de vira-latas dos amestrados pela mídia.

    A camada média brasileira é totalmente dominada por uma mídia que é porta-voz de uma classe dominante entreguista, reacionária e corrupta. É evidente que querem o modelo sueco bem longe do Brasil!

    A mesma TV Globo que apresentou o tal programa sobre a Suécia tem vários “rolos” na Receita Federal! Ela deveria mostrar o DARF antes de deitar falação sobre o modelo sueco.

    Segundo o economista Paul Krugman, Prêmio Nobel, os impostos representam 63% do PIB na Suécia. No Brasil, somam cerca de 27% do PIB. Os propalados 35% vêm de fontes não confiáveis que colocam o opcional FGTS e o dinheiro da Previdência Social (que não é do governo) como “impostos”. E o Imposto de Renda, principal fonte de receita do orçamento do Estado na Suécia, existe para valer. No Brasil, o IR é uma piada, com alíquotas de paraíso fiscal e cheio de mecanismo de escape ao pagamento como as famigeradas “isenções” e “descontos”, impensável em países desenvolvidos.

    • Completando

      Todos trabalhem, e principalmente paremos de espelhar em modelos RENDISTAS dos concenso de Washington, e nas políticas monetaristas e concentradoras de renda, pois senão que adianta trabalhar e continuar na miséria.

      Leia um pouco de Pikkety e e mesmo das novas teses econômicas do FMI, que mostram que se não tiver políticas de distribuição de renda e redução das desigualdades, não há saída para o capitalismo.

      Faça esta pergunta: porque se trabalhar cada vez mais, aumentar ao máximo sua produtividade? Qual o ganho em sua qualidade de vida? Sobrou mais tempo para curtir sua família, para o lazer, para a cultura? Quem realmente está ganhando com este seu esforço???? 

      Os suecos pagam muito mais impostos, ganham muito mais e um detalhe, curtem muito mais a vida.

    • você precisa passar fome para trabalhar?

      Vagabundo é quem ganha muito para trabalhar pouco.

      Ninguém precisa temer passar fome e frio para trabalhar. Você não precisa disso.

      Dê a todos o mínimo para viverem e deixe que trabalhem para conquistar mais.

      • Cocordo plenante, afinal,

        Cocordo plenante, afinal, como se pode ensinar a pescar a quem não tem o que comer. Para se aprender alguma coisa, é necessário ter o mínimo para se viver. Como pode haver meritocracia sem que haja igualdade de oportunidades e condiçóes mínimas de vida. Isto é função precípua do estado, não por ideologia, mas por necessidade. Só gente muito burra é que não entende isso.

         

  53. O falso dilema existencial
    O falso dilema existencial espelhado na área tributária. Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?  A qualidade dos serviços públicos na Suécia, ou pa​í​ses similares, é muito boa porque a carga tributária é alta, ou pode ser alta porque os eventuais retornos valem o investimento tributário da população beneficiada? ​Alguns fatos e dados podem ajudar a esclarecer este falso dilema. ​A​ carga tributária na Suécia é alta há décadas, ​oscilando entre 45 e ​50​%, a depender​ ​do ano, e​portanto o retorno veio durante, e cada vez mais e melhor, durante a construção, e agora manutenção, de uma​ grande estrutura de serviços públicos qualificados.  E hoje, a arrecadação de impostos lá serve praticamente para se manter a qualidade dos serviços prestados, e não mais para construir. No Brasil estamos construindo ainda o sistema de qualidade em educação, saúde, e segurança, ​e ​com ​mais ​seriedade e eficácia há poucos anos​ somente.​  Em síntese, começando a construir os alicerces de um Estado Social, fato iniciado em grande parte da Europa após a Segunda Guerra, e como medida preventiva ao avanço educacional e político das massas, e principalmente por pressão e temor ao concorrente vindo do leste próximo, o comunismo.  Devemos este capitalismo europeu pós guerra, menos selvagem e mais socialmente justo, à proximidade física e ideológica das fronteiras ‘vermelhas’, físicas e ideológicas. A carga tributária brasileira ultr​a​passou a barreira dos 30% somente na década de 90, ficando estagnada em 25% por ​03 ​décadas​ desde​ a reforma tributária efetuada pela ​Ditadura Militar​’ em 1967. ​​ Antes desta reforma, provando que o militares também fizeram algumas mudanças importantes para a construção de um grande país, a carga tributária ficava em torno de 15%​, um valor irrissório diante das necessidades estruturais e sociais de um país com uma herança forte na concentração de renda, e com as contas de 300 anos de escravidão​ a pagar ainda, e com juros muito altos. Além de injusta e regressiva até hoje, a nossa carga tributária ​ainda ​é pequena em relação às nossas seculares carências e injustiças históricas, principalmente as derivadas​ dos​ ​séculos​ de escravidão, diferencial muito significativo e que a Suécia, e a Europa em geral, não experimentaram. O já saudoso e grande Adib Jatene já afirmava isto há anos, e muitos fizeram “ouvidos de mouro” para o mesmo, evidentemente por interesses próprios​,​ egoístas​, e olhando sempre para o próprio bolso, e com visão de curtíssimo prazo. O problema maior do Brasil nesta área crítica para o desenvolvimento de qualquer país​ não é o patamar da sua carga de tributos, dentro da média mundial e em torno de 35%, mas na regressividade injusta, nas fontes distorcidas em prioridade, e na sonegação gigantesca.  A sonegação fiscal brasileira é a segunda entre os países mais ricos do mundo, em relação ao PIB anual, com cerca de 13% do PIB, ou perto de R$ 450 bilhões, perdendo somente para a Rússia e empatada ‘técnicamente’ com a Itália, não por acaso.  ​Um dado importante e que é​ pouco discutido e mostrado: a carga, ou arrecadação, tributária “per capita” no Brasil e na Suécia, por exemplo. Enquanto no Brasil a mesma está atualmente em torno de U$ 4​ mil​​​, na Suécia ​a mesma está em cerca de U$ 16​,​5​ mil. Em resumo, na Suécia o governo tem 04 vezes mais dinheiro para investir em cada sueco nas áreas de saúde, educação, infra estrutura, segurança, etc, etc.. E isto há décadas… E lá é para fazer somente a manutenç​ã​o do sistema, repetindo, enquanto aqui ​ainda ​estamos construindo tudo, depois de décadas de descaso, egoísmo, e insensibilidade das elites políticas e econômicas. Acho que isto mostra claramente o absurdo de certas comparações​, em um país que se cobra muito mais sobre o consumo do que sobre a renda e a propriedade​, situação típica de países com sistema judiciário ineficiente, por ação ou omissão cúmplice deste poder, para cobrar e punir os maus pagadores de tributos, geralmente os mais ricos e poderosos. Em um país em que os que recebem menos pagam cerca de 50% de seus ganhos ao Estado atrávés do consumo, enquanto quem está no topo da pirâmide social paga a metade disto, ou seja 25% dos seus ativos monetários. ​Neste caso resta ao Estado garantir as receitas na fonte, por que o vigoroso e secular sistema de privilégios de classe, não lhe permite acreditar no recebimento futuro por outras fontes e comprovações de renda, e principalmente nas eventuais punições judiciais derivadas da sonegação tributária, de boa ou má fé. A justiça brasileira não funciona bem ainda, muito pelo contrário, e continua muito lenta, principalmente em casos tributários. ​Os gráficos, em anexo, mostram como nossa carga tributária é injusta​, regressiva e baixa para as nossas necessidades, e como nossa sonegação é insustentável para que se posssa continuar a construir um rico e justo país para a grande maioria dos brasileiros. Mais dados e gráficos sobre o tema na fonte linkada. Fonte:  https://brasilfatosedados.wordpress.com/ – categoria: Carga Tributária   

     

     

     

    ​Fonte: – https://brasilfatosedados.wordpress.com/ ​ 

  54. Coluna mal explicada! A direita da Suecia!
    O author deste artigo só aborda os benefícios sociais da Suécia e não o que faz com que esses benefícios sociais sejam possíveis, que é a velocidade nao bureocratica da Suécia de gerar empreendedorismo e incentivar empresas de uma forma rápida e eficiente, dando oportunidade para que todos possam ter sucesso e criar firmas que criam vagas de trabalho, que depois se transforma em receita para o pais na forma de imposto, que depois se transforma em benefícios para a sociedade.

  55. Questão de Conceitos

    Interessante as colocação, embora tão preconceituosa quantos os preconceituosos que tenta apontar. Uma análise comparative entre Suécia e Brasil só é coerente a partir de parãmetros históricos, de modelos. Enquanto lá vive-se uma monarquia republicana unitária parlamentarista de cultura protestante há mais de 400 anos, aqui temos uma oligarquia republicana presidencialista de cultura católica. Enquanto lá temos uma economia basicamente tecnológica (fala-se em automóvel sueco, avião sueco, até o aparelho sueco usado pelo humorista Shaolim, etc), aqui ainda temos uma economia predominantemente “açucareira”, baseada na agropecuária e na extração de minérios. Nossa indústria ainda é de produtos agropecuários ou de processamento de minérios em suma. Enquanto lá temos uma população de diplomados em ensino superior eminentemente público de alta qualidade, aqui ainda temos uma população de garis. O trabalhador brasileiro, em sua maioria, sabe pouco mais do que carregar objetos de um ponto a outro. Vem sendo formado, instruído, para isso, pois é a exigência do nosso próprio modelo econômico. Como a distribuição de renda leva em conta a demanda do mercado e a oferta da qualidade de mão-de-obra, lá temos uma elevada distribuição de renda. Um gari ganha quase quanto um juiz. Este, p. ex., ganha entre 50 a 100 mil coroas suecas (R$ 16,5 a 33 mil reais). Aqui é de R$ 26,5 a 30 mil (fora auxílio moradia, verba de gabinete, adicional por convocação e carro oficial, coisas de oligarquia – lá proibidos por norma constitucional), É verdade que para bancar o alto padrão de ensino e saúde públicos o sueco tem uma carga tributária de cerca de 50% (com índices de sonegação e corrupçãso próximos a zero). Aqui nossa carga tributária beira os 40% (com índice de sonegação próximo a 50% e de corrupção próximo a 30%, considerado o superfaturamento de preços de obras e serviços). Entretanto, aqui ainda temos que pagar ensino particular e plano de saúde, se quisermos algum retorno. Medicamentos, lá, são desitribuidos gratuitamente pelo sistema de saúde. Aqui, nós os compramos com imposto e sem qualquer abatimento no Imposto de Renda. Logo gastamos no Brasil bem mais de 50% dos nossos salários com impostos, saúde e educação. Isto para termos uma população doente e sem qualificação profissional. Portanto, ao trabalhador sueco, saudável e devidamente educado, sobra muito mais viver. Não se trata de preconceito, mas de conceitos, conceitos, no plural.

  56. Arrematando

    Parem os governantes de roubar, de gastar mal, e investir com qualidade e seriedade que tudo vai dar certo, não precisaremos nos reportar à Suécia. Hoje nos reportar ao Chile já seria pretensão.

  57. Quetão de Conceitos

    Interessante a colocação, embora tão preconceituosa quanto os preconceituosos que tenta apontar. Uma análise comparativa entre Suécia e Brasil só é coerente a partir de parâmetros históricos, de modelos. Enquanto lá vive-se uma monarquia republicana unitária parlamentarista de cultura protestante há mais de 400 anos, aqui temos uma oligarquia republicana presidencialista de cultura católica. Enquanto lá temos uma economia eminentemente tecnológica (fala-se em automóvel sueco, avião sueco, até o aparelho sueco usado pelo humorista Shaolim, etc), aqui ainda temos uma economia predominantemente “açucareira”, baseada na agropecuária e na extração de minérios. Nossa indústria ainda é de processamento de produtos agrícolas ou de processamento de minérios em suma. Enquanto lá temos uma população de diplomados em ensino superior eminentemente público de alta qualidade, aqui ainda temos uma população de garis. O trabalhador brasileiro, em sua maioria, sabe pouco mais do que carregar objetos de um ponto a outro. Vem sendo formado, instruído, para isso, pois é a exigência do nosso próprio modelo econômico. Como a distribuição de renda leva em conta a demanda do mercado e a oferta da qualidade de mão-de-obra, lá temos uma elevada distribuição de renda. Um gari ganha quase quanto um juiz. Este, p. ex., ganha entre 50 a 100 mil coroas suecas (R$ 16,5 a 33 mil reais). Aqui é de R$ 26,5 a 30 mil (fora auxílio moradia, verba de gabinete, adicional por convocação e carro oficial, coisas de oligarquia – lá proibidos por norma constitucional). É verdade que para bancar o alto padrão de ensino e saúde públicos o sueco tem uma carga tributária de cerca de 50% (com índices de sonegação e corrupçãso próximos a zero). Aqui nossa carga tributária beira os 40% (com índice de sonegação próximo a 50% e de corrupção próximo a 30%, considerado o superfaturamento de preços de obras e serviços públicos). Entretanto, aqui ainda temos que pagar ensino particular e plano de saúde, se quisermos algum retorno. Medicamentos, lá, são distribuidos gratuitamente pelo sistema de saúde. Aqui, nós os compramos tributados e sem qualquer abatimento no Imposto de Renda. Logo gastamos no Brasil bem mais de 50% dos nossos salários com impostos, saúde e educação. Isto para termos uma população doente e sem qualificação profissional. Portanto, ao trabalhador sueco, saudável e devidamente educado, sobra muito mais viver. O cronista, numa infelicidade, deixa a entender que a culpa pela situação do Brasil é da “elite branca”, sempre ela, que se nega a mais impostos e é contra (in contesti) qualquer política de inclusão do Governo. Para mim, não se trata de preconceito, mas de conceitos, conceitos, no plural.

    Select ratingRuimBomMuito bomÓtimoExcelenteRuimBomMuito bomÓtimoExcelente

  58. Nassif, repetindo agora, pois

    Nassif, repetindo agora, pois o primeiro comentário saiu sem paragráfos e portanto muito dífiicil de ler e assimilar. 

    Favor republicar:

    ‘O falso dilema existencial espelhado na área tributária. 

    Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?  

    A qualidade dos serviços públicos na Suécia, ou pa​í​ses similares, é muito boa porque a carga tributária é alta, ou pode ser alta porque os eventuais retornos valem o investimento tributário da população beneficiada?

    ​Alguns fatos e dados podem ajudar a esclarecer este falso dilema. ​

    A​ carga tributária na Suécia é alta há décadas, ​oscilando entre 45 e ​50​%, a depender​ ​do ano, e ​portanto o retorno veio durante, e cada vez mais e melhor, durante a construção, e agora manutenção, de uma​ grande estrutura de serviços públicos qualificados.  

    E hoje, a arrecadação de impostos lá serve praticamente para se manter a qualidade dos serviços prestados, e não mais para construir. No Brasil estamos construindo ainda o sistema de qualidade em educação, saúde, e segurança, ​e ​com ​mais ​seriedade e eficácia há poucos anos​ somente.​  

    Em síntese, começando a construir os alicerces de um Estado Social, fato iniciado em grande parte da Europa após a Segunda Guerra, e como medida preventiva ao avanço educacional e político das massas, e principalmente por pressão e temor ao concorrente vindo do leste próximo, o comunismo.  

    Devemos este capitalismo europeu pós guerra, menos selvagem e mais socialmente justo, à proximidade física e ideológica das fronteiras ‘vermelhas’, físicas e ideológicas. A carga tributária brasileira ultr​a​passou a barreira dos 30% somente na década de 90, ficando estagnada em 25% por ​03 ​décadas​ desde​ a reforma tributária efetuada pela ​Ditadura Militar​’ em 1967. ​​ 

    Antes desta reforma, provando que o militares também fizeram algumas mudanças importantes para a construção de um grande país, a carga tributária ficava em torno de 15%​, um valor irrissório diante das necessidades estruturais e sociais de um país com uma herança forte na concentração de renda, e com as contas de 300 anos de escravidão​ a pagar ainda, e com juros muito altos. 

    Além de injusta e regressiva até hoje, a nossa carga tributária ​ainda ​é pequena em relação às nossas seculares carências e injustiças históricas, principalmente as derivadas​ dos​ ​séculos​ de escravidão, diferencial muito significativo e que a Suécia, e a Europa em geral, não experimentaram. 

    O já saudoso e grande Adib Jatene já afirmava isto há anos, e muitos fizeram “ouvidos de mouro” para o mesmo, evidentemente por interesses próprios​,​ egoístas​, e olhando sempre para o próprio bolso, e com visão de curtíssimo prazo. 

    O problema maior do Brasil nesta área crítica para o desenvolvimento de qualquer país​ não é o patamar da sua carga de tributos, dentro da média mundial e em torno de 35%, mas na regressividade injusta, nas fontes distorcidas em prioridade, e na sonegação gigantesca.  

    A sonegação fiscal brasileira é a segunda entre os países mais ricos do mundo, em relação ao PIB anual, com cerca de 13% do PIB, ou perto de R$ 450 bilhões, perdendo somente para a Rússia e empatada ‘técnicamente’ com a Itália, não por acaso.  

    ​Um dado importante e que é​ pouco discutido e mostrado: a carga, ou arrecadação, tributária “per capita” no Brasil e na Suécia, por exemplo. Enquanto no Brasil a mesma está atualmente em torno de U$ 4​ mil​​​, na Suécia ​a mesma está em cerca de U$ 16​,​5​ mil. 

    Em resumo, na Suécia o governo tem 04 vezes mais dinheiro para investir em cada sueco nas áreas de saúde, educação, infra estrutura, segurança, etc, etc.. E isto há décadas… E lá é para fazer somente a manutenç​ã​o do sistema, repetindo, enquanto aqui ​ainda ​estamos construindo tudo, depois de décadas de descaso, egoísmo, e insensibilidade das elites políticas e econômicas. 

    Acho que isto mostra claramente o absurdo de certas comparações​, em um país que se cobra muito mais sobre o consumo do que sobre a renda e a propriedade​, situação típica de países com sistema judiciário ineficiente, por ação ou omissão cúmplice deste poder, para cobrar e punir os maus pagadores de tributos, geralmente os mais ricos e poderosos. 

    Em um país em que os que recebem menos pagam cerca de 50% de seus ganhos ao Estado atrávés do consumo, enquanto quem está no topo da pirâmide social paga a metade disto, ou seja 25% dos seus ativos monetários. ​

    Neste caso resta ao Estado garantir as receitas na fonte, por que o vigoroso e secular sistema de privilégios de classe, não lhe permite acreditar no recebimento futuro por outras fontes e comprovações de renda, e principalmente nas eventuais punições judiciais derivadas da sonegação tributária, de boa ou má fé. 

    A justiça brasileira não funciona bem ainda, muito pelo contrário, e continua muito lenta, principalmente em casos tributários. ​

    Os gráficos, em anexo, mostram como nossa carga tributária é injusta​, regressiva e baixa para as nossas necessidades, e como nossa sonegação é insustentável para que se posssa continuar a construir um rico e justo país para a grande maioria dos brasileiros. 

    Mais dados e gráficos sobre o tema na fonte linkada abaixo.

    Fonte:  https://brasilfatosedados.wordpress.com/ – categoria: Carga Tributária 

      

     

     

     

    ​Fonte: – https://brasilfatosedados.wordpress.com/ ​

  59. Que isso????

    Não vi o programa televisivo a que o autor faz referência. Entretanto, tratando apenas do que ele escreveu, considero o texto raso, sem explicar os porquês da diferença entre os países e apenas interessado em apontar “falhas de caráter” da população dita “sujeito”. A carga tributária brasileira é altíssima quando avaliada a qualidade do serviço prestado à população. Ela pode não atingir a mesma relação percentual do PIB sueco, mas é muito alta quando pensamos no que é devolvido à população brasileira. E o autor esqueceu de mencionar outras variáveis, como o tamanho da população, a formação histórica da sociedade sueca e, mais importante, a educação oferecida ao povo sueco e a justiça desse país. Cada vez mais me convenço que o problema da sociedade brasileira não é falta de dinheiro ou carga tributária elevada, mas sim a qualidade do gasto e, sobretudo, o trato da “coisa pública”. Sem falar da educação, cada dia mais precária. Tanto a formal quanto a que revela a vida em sociedade. 

  60. Lamentável

    Fiquei profundamente indignado com essa matéria. É de uma mediocridade ímpar. Deixa entender que a culpa pela situação do Brasil é da famigerada “elite branca” que se recusa a pagar mais impostos e é contrária as medidas de inclusão do austero Governo. A carga tributária é medida à partir da arrecatação em relação ao PIB. Na Suécia a sonegação é quase zero, assim o Governo arrecada cerca de 50% do PIB. Aqui para cada dois reais arrecadados um é sonegado. Portanto quando se fala que a carga tributária no Brasil é de 35% tem-se a falsa impressão que pagamos de impostos pouco mais que um terço daquilo que ganhamos. ERRADO. Pois quem paga impostos no Brasil é o assalariado e este paga quase 47% em impostos diretos e indiretos. A sonegação, além daquela proveniente da informalidade, é proporcionada mesmo por aqueles que financiam nossos políticos e contratam com a administração. Nossa carga tributária, não houvesse sonegação, ultrapassaria em muito os 50% pagos pelos suecos.

    • Conceito de sonegação.

      Sonegação de impostos é justamente quando a “elite branca” deixa de pagar o que deve ao governo… então a culpa é também dessa elite…

      A carga tributária não se mede pelo tanto que é arrecadado (não é uma definição quantitativa), é uma estimativa feita com base nos impostos que naturalmente incidem sobre o produto e/ou patrimônio… então havendo ou não sonegação, a nossa carga tributária é de aproximadamente 35%. Não fosse a sonegação nós arrecadariamos mais, mas ainda assim o percentual seria de 35%.

      no mais, o nosso problema é que a carga tributária está em sua maior parte nos impostos indiretos, e desses ninguém pode fugir… acontece que esse impostos indiretos são essencialmente injustos, pois tributam na mesma proporção um magnata e um gari…

      • A sonegação no Brasil vem da

        A sonegação no Brasil vem da informalidade e dos conhecidos “caixa 2”, a “elite branca” que tem vaiado essa presidente a postura anti-ética do PT soma um número bem maior

        • Caixa 2????? ELITE

          Caixa 2????? ELITE BRANCA?????? Que vergonha !!!! Vc ,provavelmente usa pseudonimo para incitar as pessoas de pouco juizo, que parece que vc tbem nao tem…..JUIZO RAPAZ….isso que vc disse pode produzir muita coisa…deixe de  escrever ..m.. com manguaça na cabeça…

      • Nao entendi

        Jonas, vamos refletir:

        Se o pib valor 1000, entao 350 vai ser de imposto.

        supondo que tenha havido 150 sonegado, entao imposto = 500, assim 50 %.

        mas se o imposto todo for 500 e esses 150 ainda não foi somado no pib, subiria para 1150 e os 500 seriam 43,5 %.

        PIB é tudo o que foi produzido e de verdade até hoje não entendi se no preço de custo ou valor de venda.

        Se o preço das coisas abaixa, a soma pode indicar recessão mesmo que tenha se produzido igual quantidade ao comparador.

        A Alemanha servia melhor prá comparação conosco. Quem sabe alguém que fale alemao sabe explicar isso. Nem precisa ser alemão, basta falar. Alemão é tão complicado quanto calculo do pib e carga tributária.

         

        Eu não sei com que armas eles vão lutar a 3ª grande guerra, mas a 4ª será com paus e pedras.

         

  61. PIB indica a quantidade de tudo o que foi produzido

    A conclusão que eu cheguei é que os Suecos são muito eficientes, afinal, conseguir produzir um PIB per capita desse tamanho a ponto de taxar os seus cidadaos em 50 % dos rendimentos e ainda enriquecer a população…. Não é a tributação brasileira que é baixa, é o PIB. Se melhorarmos os métodos de produção, a infraestrutura, o valor da moeda, entre outras coisas, logo avançaremos muito nessa questão

    Um destrave vai ser feito no seguro deseprego que tem servido prá amenizar o sofrimento de quem fica desempregado, mas também de abrigo prá improdutivo. Comecem a mudança por aí.

  62. Comentário

    O que acaba com o nosso pais é a corrupção e a impunidade.

    É muito bonito tudo o que foi falado sobre a Suécia, mas não podemos comparar um pais com menos de 10 milhões de habitantes com o Brasil.

    Num pais pequeno é muito mais facil implementar ações que visem a satisfação geral da população do que no Brasil que é um pais continental e com mais de 200 milhões de pessoas.

     

     

  63. modelo sueco é bom desde que fique bem do Brasil

    Os deslumbrados, na verdade, querem distância, de taxação de grandes fortunas, equidade salarial e de políticas sociais inclusivas.

  64. É engraçado se achar que a

    É engraçado se achar que a Suécia ficou rica porque cobra muitos impostos. Pouco param para analisar o porquê de ela ter chegado onde chegou, observando apenas a realidade atual e ignorando o contexto.

    Ignora-se que esse país tenha vivido 100 de laissez-faire antes de entrar nas atuais políticas estatistas das última duas décadas. E que, após franco crescimento, agora sua economia esteja estagnando. 

    Recomendo o vídeo em:
    http://www.libertarianismo.org/index.php/videos/suecia-ficou-rica/

  65. Ótimo texto, que pena que não está bem informado

    A verdade é: 100 anos de laissez-faire, 20 anos de estatismo, e uma volta ao livre mercado, assim pode se resumir a história da economia da Suécia.

  66. Suécia

    A Suécia só ficou rica depois que descobriu petróleo. Antes era a lanterninha da europa em poder aquisitivo.

    Nada tem a ver com essa lenga -lenga de carga tributária e outras excentricidades.

    Fábio Furquim Pires.

    • Primeira vez que vejo a

      Primeira vez que vejo a produção de petróleo da Suécia  ser considerada significativa. Você deve estar confundindo com Noruega.

       

    • Suécia e petróleo

      Você confundiu a Suécia com a Noruga. Não existe petróleo na. Suécia mas grandes empresas como a Volvo, Erksson, Ikea, etc. Todas pagam impostos para o bem comum! Eu, simples professora vivo na Suécia, pago bastante imposto  também, mas feliz de viver num pais onde as injustiças sociais e corrupção são mínimas quando comparadas com o Brasil. A Noruega tem um modelo parecido e como é bem mais rica ajuda economicamente outros países. Leia um pouco mais antes de escrever um comentário, evita esse mico! 

       

       

  67. “gratuidade da educação

    “gratuidade da educação pública, da pré-escola até a graduação, como é na Suécia”

    aqui também existe essa gratuidade.

    enfim, o que importa aqui nao eh a implantaçao do modelo economico e politico da suecia, mas sim da MENTALIDADE, pois ê justamente essa a diferença entre paises de terceiro mundo e de primeiro: a mentalidade de seu povo.

    e essa mentalidade nunca alcançaremos sem uma boa base educacional…sem sairmos todos da ignorancia que cega, que deixa as coisas estarem como estao.

    vale salientar que la na Suecia (e escandinavia em geral) pagar imposto eh um dever civico, que todos nunca sequer cogitam criticar! pois sabem muito bem que cada centavo que eles pagarem sera devolvido para eles em infraestrutura, otima educaçao facilmente acessivel a todos, segurança publica, qualidade de vida e o escambal….

    tenho certeza absoluta que brasileiro pagaria com gosto mais imposto do que atualmente paga, contanto que houvesse esse retorno como ha na suecia, pela adm publica.

     

     

    • Esse artigo é muito

      Esse artigo é muito raso….há inumeras comparações que não foram feitas, por exemplo….juízes e políticos vivem como cidadãos comuns. Aqui vivem as nossas custas, como reis,  um acinte ao povo brasileiro

    • Pelo contrário

      Pelo contrário. Dinheiro pago de imposto vai pra onde? Já dinheiro sonegado vira consumo, investimento, poupança, riqueza de verdade, por quem trabalhou e para quem trabalhou para tê-lo.

      • oh! O sonegador é então uma

        oh! O sonegador é então uma espécie de herói para você. Que interessante! Conte mais. Al Capone concordaria com você.

      • oh! O sonegador é então uma

        oh! O sonegador é então uma espécie de herói para você. Que interessante! Conte mais. Al Capone concordaria com você.

  68. indice de corrupção na Suécia

    Falta acrescentar que, se tivessemos governos sérios e se pudéssemos usufruir de algum benefício gerado pelos impostos, seríamos com certeza mais felizes. Sugiro acrescentar à matéria os valores desviados anualmente das verbas de saúde, educação, transportes, etc.

    Governo  sério gera contribuinte satisfeito:

    São Paulo – O Índice de Percepção da Corrupção da ONG Transparência Internacional mostra que as instituições públicas precisam ser mais transparentese os funcionários, mais responsáveis. É isso que a ONG afirma com base no dado de que dois terços dos 176 países observados no ranking de 2012 registraram pontuação inferior a 50, em uma escala de zero a 100. 

    As pontuações referem-se à percepção da corrupção – ou seja, quão corrupto o setor público de um país é considerado. O índice combina pesquisas e avaliações de corrupção coletadas nos 176 países observados. 

    No ranking geral, Dinamarca, Finlândia, Nova Zelândia são os menos corruptos, com 90 pontos cada, na sequência, estão Suécia (com 88) e Cingapura (87). O relatório destaca, nos três primeiros países, o forte acesso a sistemas de informação e regras para o comportamento daqueles que estão em cargos públicos.

    • Não falta acrescentar nada.

      Não falta acrescentar nada. Falta é muitas pessoas perceberem que os impostos são muito menores e regressivos aqui e que isto inviabiliza que os mesmos benefícios sejam gerados. Além do mais, falta perceberem que aqui a sonegação é muito maior que a corrupção, e que um país civilizado não se faz do dia para a noite, que Suécia e Noruega são países que tem mais de mil anos e que não foram colônia de exploração como nós. Quer dizer, falta espírito crítico (não no sentido de criticar, mas de saber diferenciar uma coida da outra) e aulas de história. O resto é papagaiada e tentativa de justificar que aqui a coisa não vai funcionar, sendo que o principal empecilho pra que funcione é este pensamento mesquinho e vira-lata. 

      • Qual a “idade” da Austrália?

        A Austrália é um país tão novo qto o Brasil e muito mais desenvolvido….onde estamos errando?

        • Colônias de exploração versus
          Colônias de exploração versus colônias de povoamento. Isso você aprendeu com uns 10 anos de idade. E o sistema de bem estar social lá é fortíssimo.

        • A Austrália é tão nova quanto

          A Austrália é tão nova quanto o Brasil, mas foi uma colônia de povoamento, tal qual os EUA foi dos ingleses diferentemente aqui do Brasil que foi de exploração.

  69. O mito sueco

     

    “O melhor lugar para achar uma mão que ajude é no final do seu braço.” (Provérbio Sueco)

    Muitos são os que utilizam o relativo sucesso escandinavo para defender o modelo do Estado de bem-estar social. Essas pessoas argumentam que elevados impostos e um extenso “welfare state” são benéficos para a economia e a população, ignorando a relação causal entre as coisas. Na verdade, os países com pesado “welfare state” ficaram ricos a despeito desse modelo, não por causa dele.

    Se replicarmos tal modelo na África miserável de hoje, teremos apenas mais miséria. O economista Stefan Karlsson, que trabalha na Suécia, escreveu para o Mises.org um artigo chamado “The Sweden Myth”, visando a derrubar certas falácias sobre o modelo escandinavo. Veremos expor em tradução livre os principais pontos do autor.

    Até a segunda metade do século XIX, a Suécia era bem pobre. Mas reformas de livre mercado adotadas nos anos 1860 permitiram que o país se beneficiasse da crescente revolução industrial. A economia rapidamente se industrializou durante os séculos XIX e XX, vendo aumentar bastante o número de empreendedores e inventores.

    Surgiram empresas como a Volvo, Saab e Ericsson. Além disso, um fator que muito contribuiu para a prosperidade sueca foi o seu afastamento de ambas as guerras mundiais, que destroçaram a Europa. Desde 1809, a Suécia não participa de guerra alguma. Juntando tudo isso, a Suécia teve o maior crescimento de renda per capita do mundo entre 1870 e 1950, tornando-se uma das nações mais ricas do globo.

    Porém, as sementes de grandes problemas já haviam sido plantadas em 1932, quando os social-democratas subiram ao poder por conta da Grande Depressão. A expansão do governo na economia foi assustadora, mas vindo de uma base bem pequena. Os gastos estatais eram inferiores a 10% do PIB. Mesmo nos anos 1950, a Suécia ainda tinha uma das economias mais livres do mundo, e os gastos estatais eram menores que o dos americanos.

    Mas entre 1950 e 1975, os gastos subiram de 20% para 50% do PIB. As mudanças tornaram o país menos competitivo em termos globais, e a moeda, o krona, acabou sendo desvalorizada. A inflação começou uma escalada contínua. A insatisfação era grande, e uma coalizão de centro-direita chegou ao poder em 1976, quebrando 44 anos de gestão ininterrupta dos social-democratas.

    Entretanto, os partidos de centro-direita não estavam dispostos a levar adiante reformas liberais mais radicais. Quando privilégios são concedidos, dificilmente um governante enfrenta sua retirada impopular. A inflação continuava incomodando e a moeda foi novamente desvalorizada.

    Em 1986, o mais pragmático Ingvar Carlsson tornou-se Primeiro Ministro, e implementou várias reformas de livre mercado. Aboliu os controles de moeda e reduziu impostos. Como quase todo remédio, o impacto imediato foi amargo. No começo dos anos 1990, a economia estava em queda, enfrentando certos ajustes necessários por anos de irresponsabilidade do governo.

    A crise do petróleo causada pela invasão ao Iraque agravou a situação. Somando tudo, a economia sueca estava em recessão no começo da década de 1990, com o emprego caindo mais de 10% e o déficit fiscal subindo para mais de 10% do PIB. Em termos de renda, a Suécia ficou perto da vigésima posição no mundo, uma queda que jamais foi recuperada.

    Novas reformas foram adotadas, privatizações foram feitas e vários setores foram desregulamentados. O déficit fiscal foi eliminado. Essas reformas liberais permitiram uma certa recuperação da economia sueca. O Banco Central sueco, Riksbank, adotou uma meta inflacionária de 2% ao ano. Ainda assim, a renda per capita da Suécia, perto de US$ 30 mil [hoje é US$ 40 mil], está bem aquém da americana, perto de US$ 40 mil [hoje é US$ 50 mil].

    A renda de Cingapura, que não contava com o acúmulo de riqueza da Suécia nem com seus recursos naturais, já colou na sueca [hoje, já ultrapassou a americana e está em US$ 60 mil], graças ao modelo de ampla liberdade econômica.

    Até mesmo em uma nação que já era rica e com apenas 9 milhões de habitantes, o peso do “welfare state” tem sido duro de carregar. Os incentivos – e indivíduos reagem a incentivos – não encontram-se no lugar adequado. Quando o “papai” Estado oferece tudo “grátis”, há menos incentivos para o trabalho e o sustento por conta própria. A epígrafe no começo do artigo mostra que nem sempre os suecos ignoraram esta obviedade.

    Usar a Suécia como ícone de sucesso do modelo de “welfare state” é, como vimos, uma falácia. Na verdade, a Suécia enriqueceu por conta do liberalismo, e o inchaço estatal plantou as sementes do relativo fracasso. Reformas liberais têm sido implementadas para reduzir o estrago causado pelo tamanho do Estado. A Suécia desfruta de boa qualidade de vida a despeito do “welfare state”, não por causa dele.

    E o mais lamentável de tudo é que, pela ótica brasileira, a Suécia seria considerada “ultraliberal”. O índice de liberdade econômica do Heritage coloca a Suécia em 19º lugar no ranking [hoje 18º], enquanto o Brasil está em 81º lugar [hoje caiu para 100º]. Para o Brasil chegar ao modelo sueco, teria de adotar inúmeras reformas liberais.

    Infelizmente, aqui muitos ainda consideram até mesmo o PSDB como um partido liberal. Ou seja, não só não foi o “welfare state” que gerou o relativo sucesso sueco, como estamos muito longe até mesmo desse modelo, tachado injustamente por aqui de “neoliberal”.

  70. Modelo sueco x Modelo Brasil

    Um artigo bem fraco. Há muitas diferenças e outras comparações deveriam ser feitas. Por exemplo, lá na Suécia políticos e juízes ~vivem como cidadãos comuns,  lá não há mordomias dessas figuras sustentadas como aqui com nossos impostos.

  71. Análise distorcida

    Quando alguém quer defender seu ponto de vista utiliza os dados conforme sua lente.
    Esse artigo é completamente distorcido para justificar o injustificável modelo brasileiro.
    Lamentável !

  72. A Suecia ficou com uma otima

    A Suecia ficou com uma otima qualidade de vida depois que fez fronteira com a Uniao Sovietica .Ou os capitalistas cediam os aneis ou perderiam tudo .

  73. Atrasol

    O estágio em que se encontra o Brasil, no campo político e ideológico, é tanto, que, se o PT fosse para a Suécia o seu ideário lá seria de direita!…

  74. Petroleo na Suecia???

    Petroleo na Suecia?

    É meu caro, você deve estar se confundindo com a Noruega … É bom pesquisar antes de entrar numa batalha ..

    Apenas na Noruega há E&P de Petróleo.

  75. Impostos sobre PIB

    Imposto sobre PIB no Brasil, sem restituições: 26,0 % (Suécia 31,9 %)

    Imposto sobre PIB no Brasil, com restituições: 15,4% (Suécia 21,5%)

    Dados de 2012. Fonte: Banco Mundial.

  76. Concordo

    Ótimo artigo, concordo em grande parte com q vc falou! Tenho a mesma impressão,  bonito é tudo isso lá fora. Trocar o carro pela bicicleta. Separar o lixo. Menos desigualdade salarial e social. Na hora de fazer concessões e ver os fatos além do prórpio umbigo pensando no coletivo as pessoas não querem. Os brasileiros tem q abrir mais a cabeça, mas pra isso é preciso melhorar a educação…

  77. Gostei da forma que vc impoe

    Gostei da forma que vc impoe um padrao simples pelo o IR mas esquecendo da media salarial de la.Gostei da forma que vc impoe o IR sueco como mais alto, simplesmente ignorando o imposto que nos brasileiros pagamos sobre o preco do produto. Gostei da forma em que vc simplesmente ignora a distribuição do imposto recolhido. Gostei tambem da forma como voce compara um pais onde a maioria tem condicoes de vida que seriam consideradas “da elite” “coxinha” aqui no Brasil. Gostei tambem da forma que vc simplemente ignorou o indice de desemprego, fome, miseria e a PEA da Suecia em relação ao Brasil.

    Sinceramente? Uma pessoa que ignora tantos dados e faz uma comparação tao incompetente e ignorante nao deve entender que o que acontece no Brasil é sim, uma exploração.

  78. O problema do Brasil

    O problema do Brasil é o brasileiro…! Povo sem origem, aqui temos um tipo de sul americano, que não é negro, não é índio, não é europeu, diria que a maioria em todas em esferas sociais,  que não tem cultura, costumes… e nem uma educação formal adequada, senso crítico, de fato não da para comparar com esses países.

    • Meu Deus… Para comentar é

      Meu Deus… Para comentar é preciso ter entendido PELO MENOS UM POUQUINHO o que o autor quis dizer!!!  Este comentário coloca seu/sua autor(a) PRECISAMENTE na “linha de tiro” do autor do texto – ou seja: a pessoa mostra ser exatamente o tipo de “bom sujeito” que o autor estava denunciando – será que a pessoa não percebe?… Affff!

       

      • Resposta para Ralf Ricki

        Já ouviu falar de deboche, ironia, coisas do gênero? Aposto que o autor, sim.

        Até porque o obvio é muito sem graça, bom é pensar, cutucar, provocar, entende?

      • Resposta para Ralf Rikli

        Realmente concordo com você sobre entendimentos. Agora que eu sou obrigada a concordar com o autor, disso, eu juro, não sabia. Pensava eu que ainda vivíamos numa democracia e que posso pensar, falar, escrever de forma diferente, certo sr. Ralf Rickli? Ah! Acho que entendi, você é estrangeiro? Não sabe o que anda acontecendo no Brasil… Ou isso é um pseudônimo?

        Perguntando de novo (com voz de Pelé, se é que você me entende…) : Entendeu?

         

    • Qual é o problema???

      Duro é quando temos uma parte da população sem uma “educação formal adequada” e outra parte, que supostamente teria essa educação, embarcando em delírios deterministas, racistas e preconceituosos de diversas formas.

  79. Sofisma.

    Apenas um comentário: a Suécia não assumiu o comunismo como capa para instituir o seu invejável estado de bem-estar. Os países que o fizeram, como Cuba e Venezuela na atualidade, estão em condição social diametralmente oposta à da Suécia. Pior que antes da “revolução”.

      • Assim como dizem que os

        Assim como dizem que os homens vieram do macaco, mas tem macaco que continua macaco até hoje.

        • Quem diz que viemos do macaco

          Quem diz que viemos do macaco não sabe o que está falando. Todos os primatas, incluindo nós humanos, temos um ancestral em comum e nenhuma das especie existente hoje é descendente uma da outra.

        • “o homem veio do macaco” é

          “o homem veio do macaco” é uma afirmação que entrega seu autor como semi-analfabeto, e torna ridícula qualquer argumentação posterior vinda do mesmo.

  80. Modelo sueco é bom

    Eu sou o bom sujeito e admito toas as mudanças necessárias para o Brasil virar uma Suécia, desde que o dinheiro não seja roubado, desviado, para pagar propinas e outras cositas mas, principalmente pela zelite vermelha, a esquerda caviar. Fora corruPTos!

    • Ai, se for pra construir

      Ai, se for pra construir aeroportos para a elite cheirosa, tudo bem… 
      Espero sinceramente que o comunismo petralha dê educação de verdade e compulsória para coxinhas indignados como você.

  81. Mais um!…

    Mais um autor protetor do “coitadismo”. Utilizando hipérboles contra opositores ao modelo de governar atual. Poucos são os que concientemente pensam no ótimo modelo “econômico liberal” Suéco e são contra impostos elevados. Arriscaria dizer que a grande maioria seria a favor de pagar um imposto de 60% do total de seu capital bruto anual e, em troca, tivesse um dos melhores modelo de ensino educacional “grátis”, transporte de excelente qualidade “grátis”, segurança, em fim, tudo que de melhor, “grátis”.

    A reclamação não é do imposto, nem do tempo que a mamãe grávida fica em casa, é não ter retorno de nada que você paga.

    • É isso ai… parece que todo

      É isso ai… parece que todo mundo ficou bobo… A reclamação do brasileiro é de não receber nada como retorno do que se paga, e não do que se paga…

  82. Manda o PT pra Suécia!

    Comparou Uva Européia com Genipapo! Agora a Suécia se tornou exemplo de Estado Bolivariano…meu Deus, é o fim do mundo!!!

  83. Matemática Básica.

    Deixem de ser besta!! Com salário médio 6000 mil Reais por mês abaixo do médio na Suécia, vão dizer que é só o dinheiro da corrupção e impostos que faz falta em nosso bolso? O retorno de nossas horas trabalhadas ninguém cria índice para comparar com países de impostos maiores e preços em média menores? Não adianta fantasias de mídias e picuinha política para pessoas simples; só existe bom nível de vida, educação, saúde e infraestrutura paga pelo contribuinte em tributos ou mensalidades privadas, onde a maioria dos trabalhadores tem poder de compra suficiente para pagar maior valor em impostos do que a maior parte dos trabalhadores esforçados e sérios no Brasil ganha de salário; é uma questão de matemática básica. O problema é que quando o trabalhador fala em ser capitalista de verdade e ganhar de acordo com sua capacidade e esforço, ou ao menos igual analfabetos ou especiais com déficit de inteligência em países com carga tributária maior e custos trabalhistas em valor de dinheiro mais elevados apesar de preços ao consumidor em média menores, rotulam isto de querer implantar comunismo, socialismo e mais recentemente bolivarismo para desvincular de mentiras antigas já desmascaradas.

    • A síncope que tiozinhos como

      A síncope que tiozinhos como você sofreriam se vissem o que é o programa de renda mínima deles seria bem engraçada de se ver.

      Tiozinho recalcado empilha palavras compridas, fingindo furiosamente a todo custo ser um merecedor de seus privilégios.

    •  
      Matemática básica… 6000

       

      Matemática básica… 6000 mil reais por mes… equivale a 6 milhões de reais por mes… realmente está no básico. Calma… perguntinha… sem emprego é trabalhador?