Xadrez do elo perdido que liga Flávio Bolsonaro a Marielle, por Luis Nassif

Peça 1 – o suspeito-chave

No “Xadrez do fim do governo Bolsonaro” montei um mapa mostrando uma série de correlações entre Flávio Bolsonaro, as milícias e a morte de Marielle Franco.

Agora de manhã, foi deflagrada a Operação Intocáveis do Rio das Pedras, que visa uma das maiores milícias do Estado, entocada no Rio das Pedras. Segundo as primeiras informações, se teria chegado ao Escritório do Crime, braço armado da organização especializado em assassinatos sob encomenda.

https://extra.globo.com/incoming/2781403-892-07e/w640h360-PROP/x2011101444059.jpg.pagespeed.ic.gS3xYr4fxN.jpgFoi detido o Major Ronald Paulo Alves Pereira, um dos grandes assassinos mantidos na Policia Militar do Rio. Ele foi o responsável pela Chacina da Vila Show, sequestro e assassinato de quatro jovens que saíam de uma festa.

Ronald passou em um concurso para a PM, foi considerado inapto no exame psicológico, por “demonstrar irritabilidade e onipotência”, segundo o laudo, o que indicaria um perfil incompatível com a função. Conseguiu entrar graças a uma liminar obtida em 1995. Um mês após a chacina, recebeu uma moção de louvor do então deputado Flávio Bolsonaro.

Mas o personagem-chave na saga das milícias é o Capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como o chefe do Escritório da Morte, grupo especializado em execuções sob encomenda, e também preso na operação.

É mais grave que isso.

Há pelo menos seis meses a equipe que investiga a morte de Marielle Franco tem convicção de que foi ele o autor dos disparos que mataram a vereadora. Demorou-se mais tempo que o normal nas investigações depois que a equipe se deparou com as ligações do capitão com o gabinete de Flávio Bolsonaro, filho de Jair. As menções a figuras políticas influentes que impediriam as investigações não se referiam a meros vereadores, deputados ou políticos do PMDB. Era a uma força maior. Daí o nome da operação: Os Intocáveis.

Redobraram-se os cuidados para alicerçar a denúncia em provas irrefutáveis. Se, hoje, houve a prisão de Adriano Nóbrega, provavelmente é porque as provas foram consideradas consistentes.

Na operação foi detido também o contador da milícia e apreendido o cofre forte que guardava toda a documentação das operações – incluindo pagamentos de subornos.

E aí se entra no maior imbróglio político das últimas décadas.

Leia também:  Vídeo: Witzel manda polícia em casa para intimidar Luis Nassif

Peça 2 – o mapa das correlações

Vamos a uma pequena atualização do mapa anterior, à luz de novos fatos.

No episódio do assassinato de Marielle Franco, aparecem três personagens centrais:

  • Vereador Marcelo Siciliano, apontado como o homem que encomendou a morte de Marielle.
  • Zinho, chefe de milícia, detido na Operação Quarto Elemento, e apontado como a pessoa que acertou com o assassino.
  • Capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, principal suspeito de ter sido o assassino.

Até agora, aparecem as seguintes correlações com os Bolsonaro

Marcelo Siciliano à Michele Bolsonaro.

O vereador foi autor de lei autorizando a construção de um templo de cinco andares da Igreja Batista Atitude, na Barra da Tijuca, frequentado pelo casal Jair Bolsonaro, depois que Michele rompeu com o pastor Silas Malafaia. O guru do casal é o pastor Josué Valandro Jr. Foi lá que Jair apareceu, logo após as eleições, orou, ficou de joelhos, chorou e atribuiu a vitória a Deus, segundo reportagem da Folha.

Capitão Adriano à Flávio Bolsonaro à Fabrício Queiroz

O Capitão Adriano foi um dos homenageados por Flávio, nas moções periódicas que dedicava a militares violentos. Mais grave: a mãe, Raimunda Vera Magalhães, e a esposa do Capitão Adriano, Danielle Mendonça  da Costa Nóbrega, conforme revelado pela operação, eram funcionárias do gabinete de Flávio.

Há mais coincidências incômodas. Segundo reportagem de O Globo, Raimunda é sócia de um restaurante localizado na rua Aristides Lobo, no Rio Comprido. Ele fica em frente à agência 5664 do Banco Itaú, na qual foram realizados 17 depósitos em dinheiro vivo na conta do motorista Fabrício Queiroz.

Uma nota na coluna de Lauro Jardim, de O Globo, diz que, no período em que se escondeu da imprensa e do Ministério Público Estadual, Queiroz se abrigou no Rio das Pedras, totalmente dominada pela milícia que comanda a região, alvo da Operação Os Intocáveis.

Segundo reportagem de 26/10/2018, de O Globo,  os milicianos dominam completamente o Rio das Pedras . Cobram pela água, pelo estacionamento, cobram taxas de segurança. Antes, a taxa era cobrada apenas do comércio. Agora, é de toda a população.

Fabrício Queiroz à Michele Bolsonaro

E aqui se chega no Fiat Elba de Bolsonaro – aliás, episódio muito mais grave que o álibi encontrado pelo Congresso para o impeachment de Collor: os R$ 40 mil depositados na conta de Michele Bolsonaro pelo motorista Fabrício Queiroz. O cheque coloca o presidente no meio da fogueira. Não é verossímil sua explicação de que foi pagamento de dívida. Ainda mais depois de reveladas as movimentações na conta de Queiroz.

Leia também:  Caso Marielle: tuíte que reforça história de porteiro que citou Bolsonaro não bate com horários de sessão na Câmara

Flávio Bolsonaro aparece enredado em várias teias. Dois dos PMs detidos, membros da mil[icia, trabalhavam em suas segurança. A irmã deles é tesoureira do PSL. Vários dos milicianos foram alvo de homenagens e moções de aplauso. Mãe e esposa do principal suspeito pela morte de Marielle trabalhavam em seu gabinete. E ainda há o aumento patrimonial e as transferências de dinheiro mal explicadas.

Peça 3 – a frente de brigas dos Bolsonaros

Até agora, os Bolsonaro abriram as seguintes frentes de briga:

  • Com o Congresso, com a estratégia de negociar com blocos e não com partidos.
  • Com o sistema CNI (Confederação Nacional da Indústria) e CNC (Confederação Nacional do Comércio) com a ameaça de cortar os recursos do sistema S.
  • Com a mídia off-line, com a mudança de diretrizes da Secretaria de Comunicação. Mais especificamente, com as Organizações Globo e a Folha
  • Com os movimentos sociais.
  • Com sua própria base política, devido ao estilo extremamente truculento dos filhos.
  • Daqui para a frente, com o agronegócio, depois de anunciado o descredenciamento de frigoríficos brasileiros que exportavam para a Arábia Saudita, em represália à proposta fundamentalista de Bolsonaro, de mudar a capital de Israel para Jerusalem.
  • E, agora, com o próprio mercado, depois do vexame histórico de Davos, não apenas pelo total despreparo de Bolsonaro, mas pela incapacidade da equipe de chegar a um consenso mínimo sobre o discurso a ser feito. Dos 30 minutos a que tinha direito, utilizou apenas 6 minutos, tempo suficiente para expor seu notável despreparo. Pior: a notícia de que manteria encontros apenas com líderes nacionalistas antiglobalização, comandados por Steve Bannon, o homem da eleição de Donald Trump.

Enquanto isto, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, tem sido cada vez mais procurado pelo meio empresarial, por aparentemente ser o único foco de racionalidade no governo, capaz de ouvir e entender.

Leia também:  Caso Marielle: polícia ignorou segundo registro de carro clonado

Peça 4 – a campanha do impeachment

O que vai restar dessa lambança toda?

Há uma certeza e uma incógnita. A certeza é que Bolsonaro será impichado. A incógnita é quanto ao tempo que irá demorar o processo.

Seu único trunfo, junto ao bloco do impeachment, seria a eventualidade de sua queda provocar a volta do PT. Não ocorrerá. Sua queda promoveria a ascensão natural do general Mourão, preservando a unidade em torno de um comando mais racional.

Positivamente, não tem WhatsApp ou Twitter que o salve da fogueira.

Será curioso analisar o comportamento do Ministro Sérgio Moro, da Justiça. Na foto divulgada, do voo para Davos, vê-se Bolsonaro ao telefone. Com todo o Estado Maior no avião, a hipótese aventada é que estaria tratando da estratégia de defesa com o filho Flávio. No mesmo ambiente, uma das testemunhas da conversa é seu Ministro da Justiça, ex-juiz Sérgio Moro.

Enquanto isto, a cobertura das Organizações Globo tem sido de uma objetividade mortal. Há seis meses seus repórteres já sabiam das suspeitas com o capitão Adriano. Mas mantiveram um pacto de silêncio com o Ministério Público Estadual (MPE), para não atrapalhar as investigações.

A nota sobre o refúgio de Queiroz no Rio Comprido saiu um dia antes da Operação Os Intocáveis. Nos próximos dias – talvez até no Jornal Nacional de hoje – serão revelados os detalhes sobre o capitão Adriano.

Os Bolsonaro estão apanhando até no seu campo de batalha: as redes sociais.

É até possível que a Operação Marielle tenha acontecido sem conhecimento prévio de Flávio Bolsonaro e ele não passasse de um joguete nas mãos do motorista. É significativo o fato de ter publicado um Twitter se solidarizando com Mairelle e, em seguida, tê-lo apagado. Fará diferença em uma investigação criminal, não em um julgamento político.

Se valer um palpite, acho que haverá um desfecho relativamente rápido dessa crise.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

143 comentários

  1. Mãe e Esposa de Miliciano assessoraram
    A Mãe e a Esposa de um Miliciano assessoraram o Flávio Bolsonaro mas ele diz que não tem nada a ver com isso, pois foi o Queiroz quem as indicou.

    Será que foi também o Laranja Queiroz que indicou os Milicianos para receberem moção de louvor do Flávio Bolsonaro na Alerj?

  2. Choque e terror

    Que as Forças Armadas e desalmadas tomaram o poder em brasilia nunca se teve dúvidas.

    O novo e chocante agora a chegada da Milicia ao governo.

    Como se dará a relação entre as milicias e as FAs é que serão elas.

    Será que as FAs irá chancelar o governo dos milicianos?

    Isso sim, seria um governo de choque e terror.

     

    • Acho que um caminho para

      Acho que um caminho para sabermos o que vai acontecer, Edivaldo, passa pelo tresloucado governador Wilson Witzel – que, como se sabe, é animado demais com a possibilidade das milícias substituírem CV e TCP no controle das comunidades – e sua relação com o general Mourão dando as cartas no governo federal.

      • estamos lendo aqui e ali a

        estamos lendo aqui e ali a separação das milícias do tráfico com as milícias da extorsão, como se fossem separadas. são bandos de psicopatas do mesmo calibre, vazam pelos corredores dos condomínios fechados, dos palácios, dos tribunais, ocupam as celas mas também as salas com ar frio, andam de havaianas mas também de colarinho branco. quer dizer, não se separam a não ser nos territórios dominados por uma ou por outra, dividindo os lucros e os assassinatos. são o que de mais deletério uma sociedade doente e corrupta pode produzir. são nosso espelho, nossa cara até sermos capazes de extirpar da vida tais seres perversos. bandidos incapazes dos prazeres de uma vida civilizada, frutos da miséria moral da qual provêm. onipotentes porque sabem-se fracos. vou vomitar…

  3. Bom, vamos lá.
    Não acredito

    Bom, vamos lá.

    Não acredito em impeachment de Jair Bolsonaro, porque impeachment é uma decisão política, e não vejo vontade política dos grupos majoritários no Congresso de afastá-lo da presidência; no entanto, e isso parece cada vez mais claro, é que, caso não renuncie por **motivos de saúde**, será um presidente tutelado, sem voz ativa no seu governo, simplesmente assinando as medidas que forem tomadas pelos seus tutores, sem direito a pestanejar ou reclamar, já que existem provas suficiente para cassar o seu mandato e o mandato dos filhos.

    Já Flávio Bolsonaro… bem, esse não escapa de um processo por quebra de decoro.

    A ida a Davos foi de um ridículo sem tamanho; agora todo mundo sabe que o capitão da reserva não tem ideia do que falar pra fora dos seus convertidos, e o adiamento da operação de retirada da bolsa de colostomia me parece estar começando a cobrar sua fatura.

    Com relação às redes sociais, parece que hoje houve uma tentativa de contra-ataque no Whatsapp, com ataques à Globo e à Folha, no dia seguinte da limitação do forwarding (que não vai funcionar, mas isso fica pra outro dia) e pouco antes de instabilidades do serviço na América Latina e na Europa. O Twitter virou, o Facebook imagino que tenha virado.

     

    Até o Carnaval ainda saberemos mais, muito mais da relação de parceria entre os Bolsonaro e os milicianos.

      • Porque é ridiculamente fácil

        Porque é ridiculamente fácil pegar uma linha celular com um CPF de algum velhinho incauto, vincular a algum farm bot e usar um script para mandar uma mensagem de 5 em 5 contatos.

        (O ataque de fake news no Whatsapp denunciado pela Folha no início do segundo turno foi, basicamente, isso.)

  4. Nao acho que vai ser rapido.
    Nao acho que vai ser rapido. Esse pessoal é orgulhoso da propria estupidez e arrivismo. É mais provavel que se machuquem bastante.

    Por outro lado, ver globo e boçalnaro se afundando em uma luta na lama é até um premio de consolaçao nestes tempos estranhos.

  5. Vingança é um prato frio ? O

    Vingança é um prato frio ? O meu está pelo menos morno. Na Peça 3, exceto os movimentos sociais, os restantes todos estão aquecendo meu prato. Nenhum deles merece comiseração. 

      • Mais para um desabafo,

        Mais para um desabafo, Amoraiza. De verdade vingança, quente ou fria, é uma bobagem. Se eu tivesse realmente essa intenção canalizá-la-ia não aos Bolsonaros ou aos elencados pelo Nassif na Peça 3, sim aos que o elegeram; claro, entre esses últimos estão os da Peça 3, exceção dos movimentos sociais. Digo isso porque faço justiça a essa família que assumiu a presidência, eles nunca enganaram, politicamente, ninguém. Sempre se mostraram como são de corpo inteiro, sem dissimulação. E o povo SEMPRE vota certo, isso de dizer que brasileiro não sabe votar é coisa de Pelé. Pode ser enganado, sim, como foi com Fernando Collor, que se tivesse dito que seqjuestraria a Poupança não teria sido eleito. Mas se Bolsonaro tivesse dito que implementaria políticas públicas inclusivas, favoráveis aos mais necessitados, que não era pró tortura, que não destruiria o meio ambiente, teria menos votos que Geraldo Alckmim.  Então, a tragédia, quem nele votou, votou certo, certíssimo, sem engano. São os que querem menos direito, menos meio ambiente, menos quilombos, menos índios, menos educação pública, mais exclusão, mais armas, mais “deus”, mais “família”, mais “pátria amada”, mais milícias. E são a maioria. E contra eles é desnecessário o desejo da vingança, que virá por conta própria. Só torço que venha sem deixar um rasto de sangue.

  6. Agora a pergunta a ser

    Agora a pergunta a ser respondida é : Por que mataram Mariele?

    Em tese março, antes da corrida eleitoral, seria o pior momento para criar uma comoção em torno de uma figura política de esquerda…

    …a não ser que a figura política soubesse de algo que mudaria a corrida eleitoral inteira, daí a comoção seria o menor preço a pagar.

    • O pior é que a tal comoção

      O pior é que a tal comoção não se criou !!!

      O assassinato de Marielle pelo comntrário, criou uma espiral de repúdio e ódio a própria vítima !!! Os Bolsonaristas tinham certeza de tudo o queestamos sabendo agora !!!

      Marielle é tratada pela nossa sociedade como se tivesse sido uma terrorista morta !!!

      Os 57 milhões de eleitores do Bolsonaro são francamente favoráveis ao assassinato dela !!!

  7. Não acredito que será

    Não acredito que será impichado. Penso que ficará menos humilhante renunciar por motivo de saúde.  Mourão vai assumir. A questão levantada pelo comentarista Edivaldo Dias é bastante pertinente, como se dará a evolução da dinâmica forças armadas/milícia ?  Lembremos que o general Vilas Boas deu uma força para eleger o presidente das milícias. Como afirmei em comentário antigo, ou as forças armadas não sabem da ligação do Bolsonaro com a milícia e, nesse caso, são incompetentes para cuidar do próprio quartel ( que dizer do país) ou sabem da ligação e, nesse caso, a coisa é mais granve aiinda.

    • Falava sobre isso, no FB. Um

      Falava sobre isso, no FB. Um general,por esses dias, deu um piti pq Dilma não tinha dado devido valor ao serviço de inteligência. Aí o  Rio de Janeiro sob uma intervenção militar que se revelou um fiasco, “elege” uma renca de milicianos, em todos os níveis e,  as FFAA, tão orgulhosas de sua inteligência, depois de um ano de Rio de janeiro, desconhecem, completamente o envolvimento de parlamentares e/ou candidatos à milícias que muito mais que tráfico de armas e drogas, atormentam os moradores. Ficam duas perguntas: 1- Qual foi a real intenção dessa intervenção, já que além de não surtir qq efeito,ainda parece ter fortalecido as milícias. 2- E,mais importante Pq razão, SABENDO ( não acredito q não soubessem ) que esses parlamentares/candidatos eram vinculados à milícias, as FFAA optaram por respaldar tanto a fraude eleitoral, evidente a essas alturas qto o governo Bolsonaro? 

      Hoje mourão teve o desplante de dizer que o único problema do Flavio Bolsonaro era o sobrenome….Os caras são suspeitos de assassinato e o argumento mais elaborado que um general conseguiu produzir foi esse aí.

      A imposição de um general no STF visava garantir a fraude e não proteger os milicianos, serviço que ficou a cargo de Fux, a Damares de peruca.

      Agora é esperar pra ver até onde vai a desgraça que o STF arranjou pra gente.Pelo sim, pelo não. Melhor que os ministros MAM e Lewandowski não entrem em avião pra nada até 2022, no mínimo.

       

      • Não se sabe o que é pior: saber ou não saber!

        Boa, Cristina! Das duas uma: ou esse serviço de inteligência não vale dois vinténs e não viu as quadrilhas e o crime organizado a um palmo do nariz ou é cúmplice das milícias e da bandidagem barra pesada.

        Take your choice.

  8. Poderiam perguntar ao

    Poderiam perguntar ao “presidente” qual era o assunto da conversa entre ele e o filho pelo zap quando ele disse “Não vou te visitar na Papuda”.

  9. Concordo contigo que

    Concordo contigo que Bolsonaro vai cair, e talvez, logo. Mas não creio em impeachment. No parlamento, ele sempre terá o apoio da bancada da bíblia, com certeza. Terá o apoio da bancada da bala. Quanto a bancada do boi, não se sabe. Mas para derruba-lo via impeachment é muito complicado e moroso. Mais fácil, me parece, seria os militares o persuadirem a renunciar. Isso me parece muito viável. Podem oferecer algo em troca dessa renúncia, como algum alívio penal para ele e a família. Isso me parece plausível. Mourão assumiria e a paz retornaria para a direita tradicional. Renunciaria falando, como Janio, em forças ocultas, e ponto. 

     

  10. há muitos fatos aí além os

    há muitos fatos aí além os fatos indeterminaos que

    parte do judiciário já usou para condenar  pessoas dos partidos progressistas

  11. Olha agora tá difícil de

    Olha agora tá difícil de achar um eleitor desse b**ta. Isso que estou numa cidade onde 75% dos votos foram pra ele…. Na época das eleições era impossível enfiar um argumento racional na cabeça oca dessa gente… Eram os donos da razão….

    Existem coisas difíceis no mundo. Uma delas é admitir que se é um imbecil. E hoje mais de 57 milhões de pessoas estão nessa situação.

    Pior pra eles, pois agora chegou a minha vez e vou tripudiar. Quando eles se lamentam eu, como muitos deve estar fazendo, simplesmente digo: “eu bem que avisei”….. 

     

  12. “Seu único trunfo, junto ao

    “Seu único trunfo, junto ao bloco do impeachment, seria a eventualidade de sua queda provocar a volta do PT. Não ocorrerá. Sua queda promoveria a ascensão natural do general Mourão”:

    So se ele estiver sangrando fezes da buceta por falta de Modess, Nassif.

    Eh que ninguem gosta de militar tapado.

  13. Acho que mais uma vez…

    o Nassif está sendo tomado de seu inesgotável otimismo. Lembro-me HOJE, como nunca, de um dos posts da série “xadrez” onde ele garantiu que não haveria golpe, acreditando na solidez e no funcionamento das instituições.

    O resultado é este o que vemos hoje.

    Pra mim, estamos vivendo um tremendo jogo de chantagem. A RGT não quer perder o modo atual de partilha de verbas publicitárias… e com isso está com a faca no pescoço do MITO. Tanto que, por enquanto, só se revelaram podres do seu filho. Algo como quem avisa: “veja o que já podemos falar do seu filhinho. Imagine se começarmos a soltar o que sabemos de você!!”. Tão logo a RGT tenha a garantia do seu lugar na partilha dos recursos de propaganda, o escândalo vai acabar.

     

    TOMARA que eu esteja errado…

     

     

    • PrezadoSeria bom que, quando

      Prezado

      Seria bom que, quando viesse aqui dizer de coisas que acha que eu disse, mostrasse o link da matéria  desde 2012 o GGN vem alertando para a possibilidade de golpe e para a fraqueza do STF  

       

      • Nunca me esqueço

        Nunca me esqueço que o Nassif num xadrez  foi o primeiro a apontar a cumplicidade do Janot com a lava jato de Curiitiba. Agora, foi o primeiro a dizer que a operação que iria derrubar o Flavio seria a do quarto elemento. Parabéns Nassif. Não perco a leitura de um Xadrez ha anos. 

        • Outro trunfo do Nasssif, na

          Outro trunfo do Nasssif, na parte econômica = foi um dos primeiros a ver, na hora que a coisa tava sendo implantada, a desgraça do Plano Levy-Dilma no segundo mandato dela – enquanto a Mídia Oficial dizia que o país estava no rumo certo. 

      • Prezado Nassif

        A quem realmente tanto prezo…

         

        Minhas excusas se não fui suficientemente claro.

        Não tenho dúvidas que o blog, na sua pessoa em particular, alerta desde 2012/13 sobre a possibilidade de um golpe. A série “xadrez” colocou as coisas tão às claras ao longo do tempo que EU sugeri, em determinado momento, que fosse criado um link para organizar todos os artigos da série, de forma que pudéssemos acompanhar a cronologia dos fatos e o desenrolar dos acontecimentos. Não sei se a criação do link já era ideia sua, também não sei sequer se você se lembra dessa sugestão, ou se mesmo a viu. É trabalho demais para uma moderação…

        De forma que quero dizer que acompanho diuturnamente o GGN, e mesmo não tendo a memória das mais apuradas, há um artigo na transição 2015/2016 onde você aventa a possibilidade de não haver golpe, acreditando no funcionamento das instituições. Não lembro, sinceramente, o contexto em que o artigo foi escrito. E era realmente um contraponto, uma possibilidade que pareceu ter alguma concretudo no fim de 2015. 

        Veja este seu artigo de 2016, onde você falava sobre a possibilidade de uma repactuação… https://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-da-repactuacao-ou-das-novas-eleicoes.

         

        Agora veja este seu outro artigo…

        https://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-do-fim-da-sindrome-de-pilatos-no-stf

        Por fim, este… https://jornalggn.com.br/noticia/o-xadrez-da-defesa-da-democracia

        E nenhum deles é o artigo que estou procurando, onde você elenca, com toda propriedade, aliás, que não haveria golpe por um bom número de razões, em especial a crença no funcionamento de nossas instituições. Me perdoe… o artigo é da mesma época, mas eu não consegui (ainda) encontrá-lo.

        Nunca, em momento algum, como leitor assíduo do blog e de suas colunas, eu quis dizer que você duvidou que haveria golpe. Mas que houve flertes com otimismo em determinados momentos, e a dúvida de que o país seria incapaz de abraçar a loucura em que se meteu, isso houve… e que mal há em reconhecer isso? 

          • Por fim…

            Nassif, meu caro, novamente peço desculpas se não fui claro ao dizer que você, em algum momento, garantiu que não haveria golpe.

            Quando eu disse isso, lembrando de um dos artigos da série, não fica claro que houve toda uma dinâmica por trás do movimento das peças que fez a imprensa progressista e todos nós acreditarmos que haveria a possibilidade real de barrar aquela insanidade. Não quis dizer em momento algum que você sempre garantiu que não haveria golpe. Mas sim, durante o movimento de algumas peças do tabuleiro em fins de 2015.

            Sinceramente, eu sempre lhe achei muito otimista, mesmo àquela época. O desnorteamento do PT, a falta de mobilização de sua militância e o bombardeio da grande mídia não me faziam enxergar coisa diferente da tragédia que nos assolou. 

          • Este artigo…

            é dotado de uma lucidez ímpar.

            https://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-em-tempos-de-impasse-na-novela-do-golpe

            Porém, que lucidez a mídia e as instituições tiveram de 2014 pra cá? Merece ser lido, e veremos que nada do que foi especulado, em tempos de lucidez, se cumpriu.

            A conclusão é brilhante: “Não se sai da crise sem um novo pacto.”

            Não houve tal pacto. O PT assistiu Lula ser preso, apostando no funcionamento das instituições… e temos o que temos hoje no poder. 

          • Meu caro…

            Todos nós fomos. De sã consciência, nunca imaginei que iríamos cair numa armadilha tão desgraçada quanto a do impeachment de Dilma. Rapaz… eu vim de uma família POBRE. Ter a oportunidade de estudar foi tudo o que meus pais puderam me dar. Com um bocado de trabalho e estudo, quiçá um pouco de sorte, terminei minha graduação, fiz meu mestrado e meu doutorado em universidades públicas. E hoje, com orgulho, sou professor de uma…

            O que vi acontecer neste país de 2003 pra cá me fazia crer que jamais seríamos capazes de aceitar, enquanto nação, um retrocesso tão absurdo como o que estamos presenciando. Não que teríamos governos progressistas para todo o sempre, pois a alternância de poder é importante para a democracia. Mas que nunca admitiríamos a possibilidade de ter um governo apadrinhado por EDUARDO CUNHA como foi o governo Temer. Aliás, o fato de Dilma não ter se curvado a Cunha é um ponto que engrandece, e muito, sua biografia. E menos ainda a possibilidade de eleger uma figura desprezível como o atual mandatário. 

            Todos nós fomos torcedores… a desgraça, infelizmente, se abateu sobre nós. E por isso não sou otimista… se o país foi capaz de admitir tal boçalidade, está fadado a sofrer um bocado na mão destes picaretas. Instituições corrompidas, movimentos sociais emparedados, classe artística que não tem força nenhuma… OLHA QUEM É NOSSA CLASSE ARTÍSTICA HOJE EM DIA, meu caro. Quem vai levantar bandeira contra esse mal que assolou o país? Anitta?? Gustavo Lima?? Jorge e Matheus?? Nego do Boréu?

            Universidades amedrontadas, porque dependem do financiamento público para poder tocar o pouco de pesquisa que se faz neste país e tocar graduações com padrão razoável de qualidade. Um movimento estudantil fragmentado, que não tem conhecimento algum de História e não tem como se mobilizar.

            É realmente desolador…

          • A alternância de poder é importante pra democra
            Que o diga a política do café-com-leite.

    • Não é bem assim
      Acompanho o Nassif há anos. Nunca vi otimismo, mas perseverança na luta. E ele nunca disse que não haveria golpe. Assim como não diz que após o impichamento do zémanémiliciano o Brasil será feito democracia e rosas.

  14. deviam ir para a igreja “Deus nos livre desta gente”. Os aliados

    sabiam do Queiroz, sabiam destas máfias? Que importa para eles, afinal eles sabiam da indústria de fake news.

  15. plim plim

    Me contaram que o Mourão já piscou para a globo. Ai reside o perigo. Não haverá tempo para o bolço acabar com a globo, o que é muito ruim.

    Nem para nomear o moro juiz do supremo de phrango, o que é muito bom.

    Duvidas: haverá tempo para salvar o que resta do présal e da Petrobrás? e a Embraer, a Caixa e o banco do Brasil, sobreviverão?

    Ruim para o Lula. A globo o condenou à prisão perpetua!

    • A alternativa bolsonariana à

      A alternativa bolsonariana à ruína planejada da Globo é a Record. Com todos os poréns possíveis e imagináveis que se conhece da trajetória da Globo, a Record tem o principal instrumento que precisa para ser muito pior para o país do que a empresa dos Marinho. Ambas compartilham de um sede insassiável por poder, mas a empresa do bispo carrega consigo um aparato religioso absolutamente obscurantista, que por si só já seria capaz de causar um dano quase irreparável à sociedade. Agora, imagina esse discurso religioso totalmente retrógrado (e fundamentalista!) permeando o debate político e as políticas econômicas do país, sob a batuta de uma empresa de comunicação extremamente poderosa! Sinceramente, passo! É melhor lidar com a Globo do jeito que ela é…

    • O capitão-ainda-presidente

      O capitão-ainda-presidente não terá tempo de destruir a Globo porque ele, e o grupo em torno dele, e o grupo em torno do grupo em torno dele, não tem ideia do que fazer além da coisa simples que é a PL da proibição do BV (que, acho, mas só acho, terá vida complicada no Congresso).

      A proibição do BV não vai mudar muito o panorama atual, porque os concorrentes não se fortalecerão muito nesta situação.

      Idealmente, qualquer governo disposto a enfrentar a Globo teria que fazer uma reforma no setor de radiodifusão, no mínimo, com:

      – a derrubada do limite constitucional no artigo 222

      – a troca da Lei do SeAC, que garante que a Globo vá pegar a parte do leão no lucrativo mercado de programação para a TV paga e livra os filhos do Doutor Roberto da parte cara de manter rede de TV/telefonia, por algo menos enviesado a favor da Globo (digamos, mais próximo do original da Ley de Medios argentina, em que se permitia que as operadoras de TV paga e de telefonia possam ser também programadoras).

      Aí você vai lá e diz isso pro astronauta, ou pra alguém da **comunicação**, ou pro nome de chuveiro. Eles vão olhar pra você com cara de quem está falando sânscrito arcaico.

  16. Ex-capitão PM não foi preso na operação de hoje

    Nassif, posso estar enganado, mas pelo que li e vi na TV, o ex-capitão do Bope, Adriano, não foi preso hoje. Ele está foragido.

    Abçs

    Luiz

  17. Pode ser, mas vai demorar

    Ontem, ao elogiar a densidade da matéria do NASSIF, terminei manifestando ceticismo em relação a um desfecho coerente com a gravidade dos fatos. Ao ler a matéria de hoje, me invadiu a sensação de que estamos diante de algo da grandeza de Watergate, com desfecho inevitável. Mas pelo estilo brasileiro de acochambraçã e embromaçãoo, vai demorar…Vai depender do investimento (inédito) da Globo.

  18. renúncia causa nova eleição?

    Se o nosso ‘querido’ presidente for impedido antes de 1/jan/2021 será feita uma nova eleição pelas leis atuais. No caso de renúncia, também seria feita uma nova eleição ou simplesmente o Mourão assumiria? 

        • A constituicao diz…

          … o que os poderosos falarem o que ela tem que dizer.

          Impeachment sem crime de responsabilidade.

          Prisao sem transito em julgado.

          Juiz natural de ocasiao.

          O que for necessario pra manter o poder.

          Quando enjoarem, deixam a gente brincar de democracia de novo.

           

    • Mourão assume

      Só tem nova eleição direta antes de dois anos do  mandato se for cassada toda a chapa, presidente e vice. Fora isso o vice assume.

    • Renúncia não causa nova eleição, nem impedimento.

      De acordo com a Constituição Federal de 88, o vice sempre assume em caso de impedimento ou vaga. As eleições só são previstas em caso de impedimento do presidente e do vice ou dupla vacância dos respectivos cargos, caso isso ocorra nos 2 primeiros anos do mandato. Se o duplo impedimento ou dupla vacância ocorrer nos 2 últimos anos do mandato, a eleição será indireta, feita pelo Congresso Nacional.

      Leia os artigos 79, 80, 81 da C.F.

      Vice-presidente NUNCA é um cargo decorativo.

  19. Da frigideira para o fogo
    Acredito que o impeachment deva ocorrer num espaço de uns 6 meses…dando um chutão.
    O Bozo será impichado por sua absoluta e contundente burrice e sua falta de noção. Acostumado a roubar, pensou numa “mão grande demais pra seu clã”, o brazil.
    Ele não tem ligação com os grandes endinheirados do mundo. Não tem ligação com o deep state (nem o Trump), então saiu procurando o Trump, sabe-se lá o verdadeiro porquê desse flerte com Israel e Netanyahu ( me parece uma negociata com armas e equipamentos bélicos)…enfim não tem como se segurar…
    Ele/eles estão saindo da frigideira para o fogo…
    E o povo brasileiro também…o Mourão vai fazer o serviço.
    O único ponto a favor de mourão é sua posição em relação às Venezuela, ele não tem interesse em enfrenta-los ( aliás, a Venezuela poderia deixar Roraima sem energia elétrica… aliás, deveria fazê-lo por umas doze horas alegando problemas técnicos para contextualizar ao povo e aos bozos do que se trata esta “fronteira”).
    O Mourão também é despreparado, mas segundo tudo que eu ouvi dele, sua cabeça está devidamente “embebecida” pelo neoliberalismo.
    Ele vai seguir com Guedes o programa (de desmonte) econômico exigido pelas oligarquias locais e estrangeiras.
    Aí de nós!

  20. Não haverá impechment agora,

    Não haverá impechment agora, pois isso obrigaria a novas eleições. Só depois do terceiro ano é que a eleição é indireta. Bolsonaro ficará na mão de Mouro e da Globo e se fizer o que eles querem a fervura de agora será devidamente esfriada. Marinhos são craques nisso (lembro como se fosse hoje antes da copa de 2002, o brasil ameçado de não ir pra copa, e a globo investiga a cbf e a cbf retalha pondo um jogo de copa na hora do JN. O Brasil ganhou a copa 2002 e Marinhos e Ricardo Teixeira se entenderam e hoje os Marinhos chegam ao requinte de comprar os direitos autorais de um livro em que a Globo é denunciada de fazer parte do sistema de corrupção da cbf ) Bolsonaro será uma figura tão decorativa quanto a Elizabeth II. Enfim, na prática, teremos um sistema que mistura monarquia ( rei Bozo I ) e regime militar eleito (Mourão) e polícia política a ala Stasi, Sérgio Moro, pra ter aquela conversa estilo Tenho Uma Oferta que Você não pode recusar, e aí passará pelo congresso até uma nova consituição . Enfim, o Brasil contribuirá com uma jabuticaba política exótica rs. O certo é que as milícias continuarão com o seu poder nas comunidades e os militares com o poder de mandar na infraestrutura do Brasil. Cada um no seu quadrado .Quanto ao PT, não precisam se preocupar com ele = o partido tem o mérito de procurar casca de banana pra escorregar e o único que saberia o que fazer está preso. 

  21. Pátria à Venda

    Nassif: cá entre nós, será que é por isto, a ligação do Grupo daBala com a liquidação de Marielle e o motorista dela, que os VerdeSaúva tiveram dificuldade de localizar os autores do crime? A intervenção estava a todo vapor. Trazer à tona atrapalharia os planos, arquitetados desde 2002.

    Até porque, não estranharia. A sordidez, desde a destronação do Monarca Pedro II, que o grupo terrorista de SilvaJardim (o avô do Príncipe de Paris era da patota e um dos insentivadores) queria passar o serol, conduz a tal raciocínio histórico.

    Àquela altura tal fato poria em risco todo plano de liquidar todos os vestígios do SapoBarbudo, a quem juraram de “morte política”. Melaria o que os NaziSionistas e a CIA tiveram tanto trabalho em arquitetar. A PraiaVermelha deve ter ficado em palvorosa. Melhor abafar, como o RioCentro e na Mansão dos Horrores (Petrópolis). Depois que assumissem, com EliotNessTupiniquim no abafacrime as coisas se ajustariam, sem ter que botar a tropa na rua. O Judiciário, com uma moradiazinha, ficaria na sua. Aqui ou ali um Procurador, divorciado de EspiritoGogoboy, botaria a boca-no-trombone. Mas nada que umas verbinha publicitária não acalmasse a grande mídia. Porém, neste ínterim, alguem mijou fora do pinico e deu na merda que tamos vendo.

    Lógico, há de chover “laranjas” e até “tangerinas”. O Pomar tá repleto de outros citrus, prontos para colaborar no refresco militar. E com um Congresso cada vez mais corrupto as coisas haverão de se ajustar. Os do Templo e o ProfetaMaldito (que anda emudecido) chamarão as hordas celestes para socorrer o Messias e sua trupe. E as trombetas do inferno se abrirão para receber aqueles 91 milhões de eleitores que não cairam na lábia moralista dos quarteis.

    E o Brasil? Boa pergunta. Mas você sabe que a riqueza é grande. Dá prá vender bastante. Sobrará uns tocados no présal e nas matas da amazônia. O suficiente para que as classes dominantes possam se locupletar e manter seu status de larápios.

    Quanbto a militar indígina bom, devo mencionar Rondon, que nem sequer é lembrado em Realengo…

  22. Gráficos muito pequenos e ilegíveis

    Nassif, venho alertar para que a visualização dos gráficos postados em suas matérias estão muito pequenos, dificultando a leitura. E isso vem acontecendo há muito tempo em suas outras  postagens. Haveria como você corrigir de agora em diante?

     

    Obrigado!

  23. Quem contribuiu?

    Quem contribuiu para jogar o Brasil nesse precipício? Foram muitos, os jornalistas que viraram “morionetes” como Merdal, Mainardi, Boechat, Augusto Nunes, Miriam Leitão, Josias de Souza, Otávio Frias, Eliane Cantanhede, Elio Gaspari. Os donos da mídia como irmãos Marinho (Globo), Bispo Edir Macedo (Record TV), Silvio Santos (SBT), Família Saad (Band) e Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho (RedeTV!). O Judiciário e Ministério Público como Moro, Dallagnol, Carlos Fernando, os três patetas do TRF 4, Carolina Lebbos (carcereira do Lula), os seis votos do STF contra os direitos humanos (Carminha, Alexandre de Moraes, Fachin, Rosa Weber, Barroso e Fux). E os políticos golpistas, fortes em conspirações e fracos em votos, como Aecio, FHC, Alckmin, Temer, Moreira Franco, Eliseu Padilha, Juca, Anastasia, Rodrigo Maia, ACM Neto…

  24. A corda parece ter se
    A corda parece ter se esticado mesmo na relação Globo/Bozo; não é mais um mero rosnar ou arreganhar de dentes. Isso, por si, é uma luz no fim do túnel. Esse “racha” entre forças conservadas/entreguistas abre uma chance ao resgate/descriminalização da política com “P” maiúsculo, um reenquadramento do ativismo exacerbado, parcial e seletivo das instituicoes policialescas e juristocratas, isso tudo a despeito da inefetividade dessa oposição preguiçosa e contemplativa. Enfim, já dá pra voltar a torcer por um futuro mais promissor ao nosso povo batente; não em razão da (atu)ação das forças progressistas, mas sim pelo racha das forças conservadoras

  25. É interessante notar que os

    É interessante notar que os nomes do mpRj nao aparecem na notícia… certamente são conhecidos os promotores que estão tocando o caso… nenhuma linha nas analises sobre eles, sobre os oassos que tem dado… muito estranho… seria mais uma fakeinvestigacao??? 

  26. Duas lembranças nesta

    Duas lembranças nesta questão: Raul Jungmann ,quando Ministro da Segurança Pública, afirmou que as difiuculdade para resolver o caso Marielle era que havia figuroões (tubarões) políticos envolvidos e milicianos; O Ministro Sérgio Moro,atual Ministro e da Segurança Pública está num mutismo total, nada diz. Teria o ministro verificado que o seu antecessor estava com a razão, passou a dispor das mesmas informações, e preferiu se resguardar, não se envolver na questão para não ser obrigado a tomar partido? Agora, ao que parece, espera o desfecho para, não se envolvendo, tirar proveito.

  27. O Bode na sala

    Prezado Nassif,

    Desde seu post anterior – https://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-do-fim-do-governo-bolsonaro-por-luis-nassif – senti certo incômodo numa frase (não pelo teor, mas sim, pelo que representa em si) e que voltou a memória neste novo xadrez: 

    “Forças Armadas – dificilmente manterão o aval a um governo ligado às milícias, tendo se mostrado um carro desgovernado, incapaz de se articular minimamente.”

    Sabemos que havia um desejo enorme dos militares voltarem ao centro do poder. Parte por nostalgia dos áureos tempos onde mandavam e desmantavam; parte por vingança, já que mesmo não tendo dissecado, tampouco, culminado em punição para certos facínoras, as diversas comissões meia-bocas da verdade que pipocaram nos quatro cantos do país serviram para destruir alguns ídolos com pés de barro do período militar pós 1964.

    Com relação a Bolsonaro, não é novidade alguma para o meio castrense o que ele era efetivamente – um militar desqualificado sem pundonor para o oficialato.

    O que me preocupa é que apesar de toda imagem desfigurada – algumas doutas autoridades militares hoje inseridas na administração pública foram instrutores ou pares de Jair Bolsonaro – ou seja, tinham pleno conhecimento de o seu oblíquo caráter, mas abraçaram como loucos a missão de tornar figura por eles tão menosprezada Presidente do Brasil.

    Importante pontuar que não estamos falando de um meio qualquer em relação a troca de informações e bisbilhotice da vida alheia. Todos nós sabemos que as forças armadas detêm o melhor sistema de informações dentre os órgãos de segurança pública do país – frise-se que a intervenção no Rio de Janeiro acabou a pouco tempo e era comandada por um general. Com certeza gerou infindáveis informações sobre milícias e suas relações nada republicanas com políticos – dá tranquilamente material para o jornal nacional ao longo de 2019.

    Assim, fica a seguinte indagação: a volta dos militares ao centro do poder foi por acaso ou planejada nos mínimos detalhes, inclusive com a famosa colocação do bode, digo do bolso na sala? 

  28. Por que só agora?
    E que fim levou aquela intervenção militar federal (com FFAA e Jungman) que por um ano atuou sobre o Rio de Janeiro? Será que sua “inteligência” não pescou nada sobre Rio das Pedras, seu Escritório do Crime e suas ligações com agentes públicos, inclusive com os filhos do seu candidato preferencial e o assassinato de Marielle e de seu motorista? Será que se esqueceram que Bolsonaro foi expulso das FFAA por crime de terrorismo e que, reincidentemente, em 27 anos como parlamentar pouco disto se distanciou em seus discursos incendiários à violência e à tortura? Será que não teriam uma outra opção melhor na caserna? Ou será porque com Bolsonaro sempre se identificaram? E por que só agora? Ah…é porque são refinados para sujar suas próprias mãos? “Deixemos o ‘louco’ com suas travessuras, na esperança do caos e nós como a salvação?” Bolsolixo vai para o lixo. Literal. E os “salvadores” ocuparão o centro do poder fantasiados de “Ordem e Progresso”. “ORDEM” para o povo e “PROGRESSO’ para os ricos. Mais uma vez. Até que um dia todos nós tomemos vergonha na cara e não mais o permitamos.

  29. O Xadrez do elo perdido..
    Oi Nassif!
    Muito bom seu texto. Faço apenas uma observação. Caso haja impeachment concluído até 31 DEZ 2020,50% do tempo de mandato, caem os dois, presidente e vice. Logo, não vejo nesse cenário como o vice possa subir ao posto como você supôs. Nesse caso, convocam-se novas eleições pelo que sei.
    Mas… Como estamos na Terra Brasilis!!
    Abçs.

    • Sobre a sucessão em caso de vacancia
      Acho que isto esclarece suas dúvidas:

      Art. 81. Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga.

  30. A GLOBO ajudou no crime

    A unica coisa de bom nessa história é que já tem gente que começou a cospir os feijões ..isso enquanto JOÂO DORIA, em clima de GOLPE, tentando facilitar a opressão, dá mascara ninja aos policiais, e código digital pras suas identificações.

    É o HORRO que nos tomou.

    AS forças GOLPISTAS precisam se perguntar a quem serve este VIGARISTA, o BOZO, tamanhos os prejuízos trazidos ao país por esta famiglia em tão curto espaço de tempo.

    E tudo pra tirar o PT e LULA do Poder ?  ..francamente  ..e os EUA sabiam da merda em que estavam metendo “seus parceiros e irmãos”, por acaso ? ..evidente

    NÂO !!!! Os militares tem que ser responsabilizados, a IMPRENSA também  ..TODOS, todos sabiam da ligação desse FDP com o crime organizado, trafico de drogas, roubo de cargas, CHANTAGEM e abuso frente as populações mais pobres,pela cobrança de serviços básicos e urgentes, e pela subtração da CIDADANIA e dos direitos do cidadão.

    OS EVANGÈLICOS SABEM o quanto de CANALHAS que seus templos escondem …TUDO ISSO precisa vir a tona !!!

    O país não pode se contentar com o bode na sala  ..que aliás, BOZO em verdade é a casa inteira enfiada no Ù do Bode.

    Pensar que o vice Mourão – homem de Fidelis – é a salvação, é o cumulo da falta de opção.

    Infelizmente, as FFAA, suas forças DISSIDENTES (dizem que na aeronautica e marinha, em maioria) precisam deixar claro que não tem nada a ver com este CONLUIU, com esta omissão criminoso da imprensa e do exército, dos militares e do judiciário brasileiro ..com este ENGODO que alguns FDP impuseram a parte do eleitorado  ..visto que uma outra GRANDE parte votou consciente SIM, consciente de seus pastores, de seus pecados e de seus preconceitos.

    DIAS que parecem noite sem fim  ..pobre BRASIL

     

    • “DIAS que parecem noite sem

      “DIAS que parecem noite sem fim “

      Não parecem.São. Apesar da certeza do blogueiro sobre o impeachment do atual mandatário,é preciso lembrar que este sujeiro não foi eleito apesar disso. Foi eleito por causa disso.

      Dias que parecem noite sem fim…

    •  Concordo com vc e, Aqui no

       Concordo com vc e, Aqui no Rio, a coisa complica pq com o fortalecimento das milícias, em todos os níveis, a facilidade para aquisição de armas, não só vai colocar os moradores de áreas dominada em risco óbvio como, tb,  deixará à seus cpfs à mercê das milícias para aquisição de armas.  A situação aqui,parece mais complicada que no resto do país pq, se as FFAA, não estiverem apoiando as milícias, como parecem estar ou não teriam chancelado esse governo, terão que ,minimamente, simular combatê-las. e, aí está forjado o cenário pra uma guerra, em que o mesmo grupo  simula estar em lados opostos para detonar o país. Bozo= milícia Mourão=FFAA Moro=judiciário/MP, correr pra onde????? A PGR já declarou que o Brasil manifestou -se contra a corrupção qdo elegeu esse governo. Eu espero, sinceramente que, 2022 chegue logo. De qq forma alguém acredita que as milícias vão convocar eleições?

  31. Duvido de Impeachment

    Não convém aos detentores do poder. Seria longo e traumático.

    A saída poderia ser ao estilo Tancredo ou, se Bolsonaro viver, negociaria o perdão da família e cumpriria um papel de Rainha da Inglaterra, com o Mourão comandando. A câmara tentará novamente o Parlamentarismo. Será um longo governo antipopular e coberto de protestos.

    Haverá um novo desfeito, nas eleições municipais, aonde a esquerda irá se recuperar.

    No mais, o valor do cheque da Michelle é de R$24 mil e não de 40 mil (acho)

  32. Sem querer ser “orculo” e nem original…….

    Ja foi dito por outros postadore, mas a tal da operação do Bozo……acidentes acontecem e uma “derrapagem de bisturi” é sempre possivel…..e quanto a filharada, eu se fosse eles adotaria a “estrategia” do calado ja ta errado pois quando se trata de “queima de arquivo”…..talvez comprar passagem de avião  para o exterior só “por via das dúvidas”….

    Mundando de assunto, nesse ultimos dias o Brasil ta parecendo serie “interativa” da netiflix…….algo como um Narcos:Bandersnatch….so que com nos todos detro da trama……

  33. Acho que caberia uma retificação quanto a menção a Rio Comprido.

    Nassif, bom dia!

     

    Na matéria você inicialmente fez menção a Rio das Pedras, e penso estar correto por área controlada pela milícia. Entretanto, depois fala em Rio Comprido. Aqui, penso eu, que caberia uma correção. Rio Comprido é um bairro da região mais central do Rio de Janeiro….

     

    Onda Vermelha

  34. Globosauro maldita

    A GLOBO SEMPRE SOUBE DE TUDO OU QUASE: A Globo criminosa entende de crime pois ja nasceu criminosa em 1964 com dinheiro dos EUA. “m 1962, um acordo assinado entre a Time-Life e o Grupo Globo proporcionou a Roberto Marinho o acesso a um capital de trezentos milhões de cruzeiros (seis milhões de dólares, segundo o documentário Beyond Citizen Kane),[22] o que lhe garantiu recursos para comprar equipamentos e infraestrutura para a Globo.[23] A TV Tupi, à época a maior emissora do país, havia sido montada com um capital de trezentos mil dólares.[22] O acordo foi questionado em 1965 por deputados federais na CPI da TV Globo, pois seria ilegal segundo o artigo 160 da Constituição da época, que proibia a participação de capital estrangeiro na gestão ou propriedade de empresas de comunicação.[23][22] Segundo Marinho, o acordo previa apenas a assessoria técnica da Time-Life.[23] A CPI terminou com parecer desfavorável à emissora, mas em outubro de 1967 o consultor-geral da República Adroaldo Mesquita da Costa emitiu um parecer considerando que não havia uma sociedade entre as duas empresas.[23] Com isso, a situação da TV Globo foi oficialmente legalizada.[23] Mesmo assim, Marinho resolveu encerrar o contrato com a Time-Life, ressarcindo o grupo através de empréstimos tomados em bancos nacionais e pondo fim ao acordo em julho de 1971.[23]” Na CPI de 1967 Roberto Marinho pau mandado dos milicos e um tremendo de um canalha e capacho da gringaiada disse em 20 de abril de 1966: “As empresas jornalisticas sofreram, mais talvez do que quaisquer outras, certas injunções, coma depressões politicas, acontecimentos militares. Os prognósticos que estamos fazendo na TV GIobo dependem muito da normalidade… da tranqüilidade da vida brasileira. Esses pIanos podem ser profundamente alterados, se houver urn imprevisto qualquer ou advir uma situação que não esteja dentro dos esquemas tratados, coma se vê nas operações de guerra”. Na mesma CPI de 1966 em 13 de abril, João Calmom Dep. Federal disse: “E esta ema guerra – não e uma guerra quente, mas urn episodio da guerra fria. Entretanto, se perdemos neste episodio, o Brasil deixara de ser urn pais independente para virar uma colonia, um protetorado. é muito mais facil, muito mais comodo e muito mais barato, não exige derramamento de sangue, controlar a opinião publica através dos seus órgãos de divulgação, do que construir bases militares ou financiar tropas de ocupação”.

  35. Eles sabiam

     O Coaf, o MinisterioPublico, a Globo, já sabiam muito antes da eleição do laranja Queiroz para a família Bolsonaro, mas esperaram passar a eleição , segundo turno confirmando Bolsonaro para revelar o laranja Queiroz, senão corriam o risco do PT ganhar a eleição com esse escandalo, quebrando a aura de honestidade dos Bolsonaros.

  36. Escrevo apenas para agradecer

    Escrevo apenas para agradecer por tua lucidez, e capacitadade de nos esclarecer os fatos. Tenho acompanhado o que escreves já ha bastante tempo, espero que continues com este zelo, acuidade e compromisso com a verdade.

  37. Outro impeachment? Não sei…

    Outro impeachment? Não sei… Acho que vão chamar o coiso para uma reunião a portas fechadas e oferecer um salvo conduto familiar em troca da renúncia, sem a opção de recusar o acordo.

  38. Não é Rio Comprido onde o

    Não é Rio Comprido onde o Queiroz teria se escondido, como diz o texto, mas sim Rio das Pedras.

  39. Guardadas as devidas e

    Guardadas as devidas e imensas diferenças, podemos pensar que tá chegando o momento em que o exército, ao se envolver mais a fundo com a segurança no Rio, espantou-se com o alcance das milícias no crime e no poder cariocas. Bolsonaro só fica (o que é o interesse dos poderosos, principalmente para manter o deslumbrado ministro da justiça no lugar) se promover um expurgo (incruento, evidentemente) nas suas SA, como aconteceu na noite dos longos punhais na Alemanha nazista quando notou-se que elas estavam se tornando um exército paralelo e poderoso. A diferença também reside no fato de que o Röhm não era filho do Hitler…

  40. A Família Bozo é contra as milicias
    A Família Bozo é a favor dos direitos humanos e contra as milicias:

    “Quero dizer aos companheiros da Bahia — há pouco ouvi um Parlamentar criticar os grupos de extermínio — que enquanto o Estado não tiver coragem de adotar a pena de morte, o crime de extermínio, no meu entender, será muito bem-vindo. Se não houver espaço para ele na Bahia, pode ir para o Rio de Janeiro. Se depender de mim, terão todo o meu apoio, porque no meu Estado só as pessoas inocentes são dizimadas. Na Bahia, pelas informações que tenho — lógico que são grupos ilegais —, a marginalidade tem decrescido. Meus parabéns!” – Jair Messias Bolsonaro

  41. “Na operação foi detido
    “Na operação foi detido também o contador da milícia e apreendido o cofre forte que guardava toda a documentação das operações – incluindo pagamentos de subornos…”
    No filme o contador foi metralhado dentro do elevador, a caminho do tribunal,,,,,

  42. Devagar com o andor 3.

    Novamente é preciso tomar alguns cuidados.

    A não ser que Luis Nassif tenha acessado o teor das apurações, e saiba de algo que não publicou, o que é razoável, todo seu texto aponta em diversas direções, assim como os produzidos pela famiglia marinho (bom não esquecer que se os capi marinho estão atrás de alguém, não é boa coisa, ainda que os alvos sejam quem são).

    Já vimos esse filme com os Collor.

    Acho que um jornalista do calibre do Nassif deveria ter alguma cautela, porque no seu texto está expresso um símbolo que resume bem as manipulações e a sanha das acusações da rede plim-plim e associados (à época, a revista “óia”):

    – A Fiat Elba.

    Os supostos desvios de conduta dos Collor e PC nunca, em uma país com instiuições amadurecidas, provocariam a queda de um presidente, apesar de sabermos que o impeachment é um processo de natureza política, mas que não pode se afastar dos princípios do processo legal.

    A desproporção entre os supostos delitos (aliás, nunca provados, porque ninguém foi preso ou condenado por eles) e a punição são evidentes!

    Hoje esses mesmos delitos são tratados pela mesma mídia e judiciário, se não for no PT, como caixa 02, não é zé çerra e alckimin?

    E nós da esquerda (por que não) reivindicamos que sejamos tratados da mesma forma, ou seja, a pergunta que fica é, por que não legalizamos logo o caixa dois e o lobby privado, como nossa matriz, os EUA?

    Então, voltando ao caso em si:

    – Sim, a milícia (esse nome de fantasia que se carimbou qualquer grupo ou facção de policiais e X9) do RJ sempre foi ligada a uma grande base parlamentar estadual e federal, a governadores, e etc.

    – Todo mundo sabe por aqui que esse modelo de gestão de segurança paralela sempre foi tolerado no RJ, e em 2007, com o pânico do fiasco da segurança no PAN 2007, abriu-se espaço ainda maior para que as milícias “pacificassem” as rotas olímpicas e seu entorno, justamente a zona oeste do RJ.

    Não sou eu quem diz isso, é o relatório do deputado estadual Marcelo Freixo, e apesar de eu ter várias críticas a ele, nesse caso ele acertou na mosca.

    Aquilo que era uma ação sistêmica (grupo de extermínio) mas desestruturada, ganhou uma precária estrutura orgânica, diante do ambiente propício já criado pelo fracasso das guerras às drogas.

    No entanto, assim como o tráfico de drogas, milícias são organismos ainda medievais se olhados dentro da estrutura capitalista.

     

    Bem, então não vamos fingir surpresa.

     

    A ALERJ é povoada de policiais militares na segurança dos deputados, e esses laços vão se espalhando em uma rede intrincada, onde seguranças e motoristas policiais vão evoluindo na hierarquia política dos gabinetes, de acordo com suas “vocações”.

    Nem todo mundo é “do mal”, diga-se.

     

    Agora, a ligação do crime de Marielle com as milícias e daí com os coisos é, repito, uma forçação de barra, a não ser que Nassif, o mp e a polícia civil do RJ saibam de algo que não sabemos.

    Podem ter sido eles (os milicianos) os executores?

    Mas duvido do modus operandi da execução, que não combina com o “milícia style”, e duvido mais ainda que a iniciativa seja deles.

    O que se faz com a milícia hoje é o que foi feito algum tempo atrás com os traficantes.

    Na busca da legitimação de políticas de segurança equivocadas, que se baseiam justamente no terror da classe média, que confere o consenso para o “tiro, porrada e bomba”, a mídia (também sócia do clima de terror, pelos motivos que já sabemos) abraçou a tese do “crime organizado”, dos “chefões”, etc, etc.

    Ridículas as matérias que mostravam “o estilo nababesco de vida” dos traficantes dos morros, enquanto assistíamos imagens de casas precárias nos morros adaptadas como equipamentos comuns em motéis baratos da RJ 104 (Niterói-Alcantara).

    Uns zé ninguéns que nunca saíram dos limites dos seus feudos.

    É bom ressaltar que o fato de não serem organizados e/ou “chefões” não lhes retira periculosidade e/ou letalidade, ao contrário, a desorganização estrutural do crime só o torna mais violento.

    Vejam o jogo do bicho: quanto mais organizado e sociabilizado em escolas de samba e clubes de futebol, menor a violência, que só regurgita quando há disputas sucessórias e territoriais ocasionais.

    Com os “milicianos” estamos fazendo o mesmo, isto é, dando uma dimensão bem maior que eles têm, e depois, de tanto insistirmos, eles vão acabar se parecendo com aquilo que dissemos que eles são!

    Esse troço de segurança, crime, etc, deve ser tratado com todo cuidado, e mesmo assim será pouco.

    Milcianos são um bando de brucutus estúpidos, que adoram se exibir e exibirem suas conexões políticas, atuando como prepostos de senhores feudais, incapazes de fazer uma conta de somar ou diminuir, embora contem com senso de uso da violência incomum, e por isso prevalecem, além do fato de terem face “legalizada” pelas suas funções públicas.

    Novamente afirmo: isso não quer dizer que sejam inofensivos, e devam ser subestimados, mas é preciso tratar cada coisa pela sua natureza:

    – Não se combate hooligans como se fossem a Cosa Nostra.

    Ou:

    De tanto gritar socorro em vão, ninguém virá nos ajudar quando for verdadeiro o perigo!

    • Será o Felipe Silva um lobo em pele de cordeiro?
      Parece que, apesar de atacar (de leve) os Bozos, o Felipe Silva é um Bolso Minion disfarçado de socialista.
      Seja como for, o comentário dele faz a gente refletir.

      • Devagar com o andor 5.

        Caro Rui, meus respeitos. Que bom que tenha lhe provocado reflexão, já é alguma coisa.

        Rótulo é bom para comida e sabão em pó, agora para gente é meio complicado.

        Só porque não zurro e escoiceio como parte da dirreita (a maioria dela) e da esquerda, ou porque não utilizo com os coisos o mesmo linguajar chulo e vulgar não quer dizer que minhas convicções sejam menos respeitáveis que as suas.

        Vou desenhar para você:

        – Sim, eu disse no texto que os coisos estão misturados a milícia, a pasme, caro Rui, boa parte (eu diria uns 70%) da população brasileira também está, pois que concorda com esse jargão bandido bom é bandido morto (inclusive muita gente boa que vota no Lula);

        – Sim, eu disse que a milícia existe, mas não com a dimensão pregada pela mídia, assim como fizeram com os traficantes de morro, o que está em curso é a criação de outro inimigo público, e os objetivos eu imagino que você conheça, tal seu conhecimento;

        – Sim, eu não acredito que a milícia tenha assassinado a moça, mas se o fez, não é por interesse deles, mas sim por empreitada;

        – Sim, eu disse que a polícia do Rio está atolada;

        – Sim, eu disse que vincular os coisos, as milícias, tudo ao crime de marielle acaba por criar menores chances de que os verdadeiros culpados entrem em cana. Isso é truque conhecido das comunidades de informação, chama-se diversionismo;

        – Sim, eu disse que o caso Collor foi uma aberração golpista, e não se assuste pelo que vou dizer:

        Foi ali que o PT começou a ajudar o lawfare que hoje nos atinge, porque quem com lawfare fere, com lawfare será ferido.

        Se é para atacarmos os coisos com golpe, com assalto ao Palácio de Inverno, criando mentiras que se desdobrem em impedimentos, opa, tô aí, mas desde que se dê o nome certo aos atos.

        Isso de lustrar e dourar nossos atos para que pareçam melhores não dá muito certo.

        Sim, eu disse que tudo que eu disse pode ser contraposto por boas e robustas provas da investigação, ah, não serve “páuerpoint”, nem achismo.

         

        • Caro Felipe, eu não lhe rotulei
          Eu não fiz nenhuma afirmação a seu respeito. Eu fiz indagações.
          Obrigado pelos desenhos.

          • Bom…
            Não li nenhuma indagação. O verbo “parecer”se presta mais a ilações ou até provocações.

            Mas o discurso é seu.

            Então espero sinceramente ter satisfeito as suas “dúvidas”, embora tenha que confessar que sua opinião sobre mim tem nenhuma importância.

            Passar bem

          • As aparências não enganam, não
            São 4 os Estados da mente perante a verdade: ignorância, dúvida, opinião e certeza.
            Eu não tenho opinião sobre você, eu TINHA dúvidas.
            Você não tem certeza do significado do verbo parecer, você tem opinião sobre o significado do referido verbo. O mencionado verbo se presta para o que você quiser que ele se preste. Fique à vontade para dar a tal verbo o significado que você quiser.
            Você provocou, desnecessariamente, uma tempestade num copo d’água. Espero memorizar o seu nome a fim de ignorar seus comentários.
            Desculpa, Senhor.

      • Xadrez do elo perdido que liga Flávio Bolsonaro a Mariele

        -> o Felipe Silva é um Bolso Minion disfarçado de socialista. Seja como for, o comentário dele faz a gente refletir

        enquanto isto, Rui, vc continua sendo o mesmo, e nunca será quem deveria ser…

        e nem adianta disfarçar, sua postura descarada é de um Lulista fanático e puxa-saco, sempre a postos para defender o grande líder e a respectiva seita.

        por isto mesmo, nada consegue postar que propicie um mínimo de reflexão.

        foi assim que Lula, “o cara”, acabou apodrecendo solitário numa masmorra gelada na sempre nublada Curitiba.

        .

        • Se eu tomasse a parte pelo todo…
          Se eu tomasse a parte -lulismo- pelo todo -capitalismo-, eu seia quem eu deveria ser?

        • O todo é sempre maior q suas partes constituintes
          Arkx, você continua sendo quem não deveria ser: aquele que toma a parte pelo todo.
          O problema não é (só) o Lulismo, é o capitalismo.

    • Xadrez do elo perdido que liga Flávio Bolsonaro a Mariele

      -> Já vimos esse filme com os Collor.

      em 1989 o desgaste do setor dominante no Brasil era profundo. os Generais haviam se desmoralizado. em 10 anos de ascensão de lutas, a Esquerda se aproximava vitoriosa do Planalto. apesar de já tropeçar nas próprias pernas, o PT e a CUT ainda eram fortes vetores de transformação social.

      então a lumpenburguesia não tinha a menor idéia de como tirar algum coelho viável de sua cartola furada.

      fez-se Collor. sempre com a manjada bandeira da “luta contra a corrupção”. com antes Jânio e agora Bolsonaro.

      e, suprema heresia, como em 2002 fez-se Lulinha Paz e Amor.

      pois também em 2002 a lumpenburguesia não tinha mais nenhuma opção, senão ceder a uma conciliação altamente condicional e com prazo de validade.

      só que do caráter provisório deste pacto a  lumpenburguesia jamais se esqueceu, enquanto o Lulismo fingiu se tratar de amor eterno.

      não importa o quanto Haddad derive para a Direita, a lumpenburguesia sempre vai preferir o Dória.

      -> Os supostos desvios de conduta dos Collor e PC nunca, em uma país com instiuições amadurecidas, provocariam a queda de um presidente,

      aqui justiça se faça: Nassif foi um dos que se colocou contra o impeachment de Collor.

      enquanto Lula e Mercadante foram beijar mãos, anéis e dedos de Roberto Marinho, na ingênua e vã ilusão de uma vitória certa  em 1994. exato como após o Golpeachment em relação às Eleições de 2018.

      tudo se repete, se repete, se repete…

      -> No entanto, assim como o tráfico de drogas, milícias são organismos ainda medievais se olhados dentro da estrutura capitalista.

      compreendo seu ponto de vista. discordo.

      as milícias, os grupos paramilitares, as firmas de segurança, as empresas militares privadas e os exércitos de mercenários estão na linha de frente da guerra não convencional travada pelo capitalismo contemporâneo contra todos nós.

      assunto complexo. melhor desenvolver em outra oportunidade.

      -> Mas duvido do modus operandi da execução, que não combina com o “milícia style”, e duvido mais ainda que a iniciativa seja deles.

      o inteiro teor de seu comentário permite vários desdobramentos. não vou fazê-lo aqui e agora, senão minha réplica vai ficar extensa demais.

      mas este trecho destacada acima é o que considero mais importante.

      no quebra-cabeças da execução de Marielle faltam ainda as peças decisivas. o clã Bolsonaro pode ser uma delas. mas não me parece a que define o crime.

      qual seria? hipóteses carecem de evidências.

      talvez, e só talvez, estejamos seguindo uma linha de análise lógica racional para desvendar um crime que tem em si muito de irracional.

      p.s.: a situação hídrica na Serra da Mantiqueira no Sul de Minas entra em alerta. não chove em Janeiro! um mês de tanta chuva que a roupa não seca e chega a mofar. na área rural a água começou literalmente a secar.

      .

      • Medievais
        Amigo, o fato desses grupos atuarem na linha de frente da guerra híbrida que ora se trava não lhes confere um status de organicidade ou excelência, pois lembremos que sendo o crime e o capitalismo faces da mesma moeda, quanto menor o grau de eficiência capitalista de uma nação, mais atomizado e desorganizado serão suas falanges criminosas.

        Crime organizado quase nunca se mostra com violência. Só em raras e calculadas ações.

        Paradoxalmente, as atividades criminais exercidas dentro de estruturas legais (como bancos e a lavagem de dinheiro) são extremamente eficientes.

        Novamente eu apelo a noção de que quando eu falo desses grupos, não lhes retiro a letaludade ou importância.

        • Xadrez do elo perdido que liga Flávio Bolsonaro a Mariele

          -> Medievais

          -> sendo o crime e o capitalismo faces da mesma moeda, quanto menor o grau de eficiência capitalista de uma nação, mais atomizado e desorganizado serão suas falanges criminosas.

          entendi e concordo perfeitamente.

          minha discordância é em relação ao “medieval”. e não que as milícias, e demais falanges criminosas tais como as aqui denominadas, não sejam medievais. com certeza são.

          inclusive na extrema brutalidade em sua aplicação de penas naqueles que pune.

          ouvi outra dia relato de uma execução por atropelamentos seguidos, com a vítima amarrada e presa ao chão. numa outra execução, antes de ser queimada viva, uma mulher foi torturada com vários sacos plásticos pegando fogo sendo lentamente jogado sobre seu corpo.

          minha argumentação é:

          com a progressiva transformação da segurança em mercadoria, num contexto global de enfraquecimento dos Estados-Nação, proliferam todo tipo de atividades de segurança particular, com o Estado terceirizando seu monopólio da violência para agentes privados.

          desde firmas de segurança atuando na vigilância de condomínios fechados, até mesmo exércitos de mercenários cuidando do ambiente de negócios das grandes corporações.

          neste cenário, os grupos paramilitares tem a função não só de manter “pacificadas” as comunidades pobres, como mesmo de atuar como a ponta de lança da contra-insurgência, dado não estarem sob os limites legais.

          no capitalismo globalizado contemporâneo, a contra-insurgência se tornou o principal princípio de governo. unindo de modo absolutamente não “medieval” (mesmo que sua brutal violência o possa ser) tanto a Academi (BlackWater) com as milícias dos ruralistas brasileiros e os esquadrões da morte na Filipinas de Duterte.

          mas como a contra insurreição é também insurgência, o modelo aplicado em toda parte, em maior ou menor grau, é o mesmo: o Daesh.

          a bandeira negra do ISIS é o estandarte atual do capitalismo global financeirizado.

          .

          • Medievais ou a nova idade média
            Adjetivos e frases de efeito trazem esse problema.

            Mas no nosso caso parece não ser problema.

            Vamos lá :

            Se concordamos que entramos na fase da extinção do capitalismo como ele é conhecido, produção, circulação de valor e mais valor, a partir da expropriação da mais valia e tendo o Estado Nacional seu liebesraum, e que sua produção social se desloca cada vez mais para a reprodução fictícia, com a desnecessidade de estado, trabalho e sistemad políticos tradicionais, poderemos chamar o que vem de um tipo de nova idade média.

            Apesar das conexões globais que distinguem a nova da velha idade media, as pessoas se dividirão entre quem está protegido nos feudos de prosperidade e todos os demais miseráveis e excluídos que disputam antropofagicamente um lugar dentro da proteção senhorial das corporações e seus lacaios (milícias, seguranças privadas, policiais que vão ficar cada vez mais parecidos).

            Note como há também um paulatino processo de fragmentação das unidades monetárias, como o dólar, que até então tem funcionado como padrão universal de monetização da realização do valor (mas também do antivalor) em outra milhares de sub unidades de medida ( CDS, CLO, BITCOINS, ETC).

            Foi nesse sentido que mencionei o adjetivo medieval para esses grupos, justamente porque eles funcionam como pretores dessa nova nobreza e seus clientes.

            Até porque a crueldade humana é quase um fenômeno atemporal, apesar de, paradoxalmente, ser uma construção recheada de historicidade.

            Grato pelo bom debate.

  43. Devagar com o andor 4

    Outra informação crucial para análises que esqueci de mencionar no meu comentário:

    – As prisões estão relacionadas a ação do grupo na grilagem, extorsão e homicídios na região e em nada têm relação com o caso Marielle, salvo as ilações nesse sentido da mídia e talvez, da própria polícia sufocada que está na sua incapacidade de resolver o caso, porque é um caso para não ser resolvido.

    A ligação com os coisos dá às “ilações” de que foram milicianos o contorno dramático da credibilidade da tese, restando no fim a impossibilidade de anexar o crime aos coisos, e ficando os “buchas” com a culpa conveniente.

    • Xadrez do elo perdido que liga Flávio Bolsonaro a Mariele

      -> As prisões estão relacionadas a ação do grupo na grilagem, extorsão e homicídios na região e em nada têm relação com o caso Marielle, salvo as ilações nesse sentido da mídia e talvez, da própria polícia sufocada que está na sua incapacidade de resolver o caso, porque é um caso para não ser resolvido.

      o X-9 da questão do caso Marielle não são os motivos. sobre estes pode-se estabelecer hipóteses:

      – vingança contra Freixo. não podendo a este atingir diretamente, dada sua permanente escolta de proteção, executam sua ex assessora na CPI das milícias;

      – impedir que Marielle despontasse com ainda mais força do que Freixo na luta contra as milícias, cortando pela raiz esta possibilidade;

      o X-9 da questão é o profissionalismo da execução.

      desde a perícia dos disparos, o tipo de arma, o local escolhido, o desligamento de câmeras de monitoramento e a falta tanto de ameaças anteriores como de assinatura do crime.

      ou seja: tem todo um aparato de recursos utilizados, e também um modo de operação, que parecem estar além da capacidade de milicianos.

      como vc escreve: “um caso para não ser resolvido”. ao que poderia se expressar com outras palavras, como: “grande demais para ser resolvido”.

      .

      • Grande demais
        Amigo, ninguém até o momento olhou para a atuação da moça na CPI dos ônibus.

        Com ramificações em todos os governos de todas as bandeiras, atento stf, herdeiros da tradição de uso da violência de seus antecessores que tornaram o transporte público rodoviário como modal quase exclusivo no país, esse pessoal seguem mandando de desmandando nas cidades e no nosso ir e vir.

  44. Isso não resolve

    Isso não resolve absolutamente nada !!! 

    O povo repudia a esquerda que está TOTALMENTE FORA do jogo !!!

    PArabéns aos envolvidos !!! Mourão promoverá o desmanche do país com muito mais destreza que esse lixo !!!

  45. Operação renúncia

    Lembram do filme A Grande Escapada? Não esqueçamos que Papai Bolsonaro tem cirurgia agendada no Einstein para os próximos dias, para corrigir sabe-se lá o quê. Para ele ainda há uma saída pelo bisturi. 

  46. No Globo de hoje, 23/1

    “O “número um” da organização, Adriano Magalhães da Nóbrega, ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope), conseguiu escapar da operação.”

    Portanto, ao contrário da matéria acima, o ex-capitão NÃO foi preso (ainda).

  47. Elos

    E aquele vídeo, Nassif, que enfatiza o comportamento de ‘seguranças’ e ‘voluntários’ quando da facada de Bolsonazi em Juiz de Fora?

    Ou seriam milicianos?

    Quem foram os produtores?

    Só pra colocar a pulga atrás da orelha.

  48. Quem nasceu para ser Bidú, nunca chega a Rin-Tin-Tin.

    Talvez o que os Bolsonaristas e toda a corja que os rodeiam das mais diferentes denominações, evangélicos de direita, Militares do Alto Comando da década passada, conservadores adeptos do Guru astrólogo, não entendam uma coisa básica na política, quem nasceu para ser Bidú, nunca chega a Rin-Tin-Tin.

    Estou falando mesmo do Bidú, personagem de história de quadrinhos do Maurício de Sousa e do Rin-Tin-Tin do seriado norte-americano que aparece a quase um século no passado e perdurou até a década de 60. Bidú é um personagem de um cachorrinho simpático, mas insignificante em termos de modelo icnográfico e internacional, como o garboso cão Rin-Tin-Tin.

    Pois bem, por mais que apoiem Bolsonaro e sua trupe, a raça do cão mostra a sua origem. Por mais que procurem seus apoiadores, que vão rareando rapidamente, mostrar Bolsonaro com algum sinal de líder internacional, regional, nacional ou mesmo local, ele nunca passará de um Bidú na política, ou seja, um verdadeiro zé ninguém que aparecerá nos livros de história nacionais daqui a cinquenta anos como uma bizarrice ou como uma anormalidade política.

    Bolsonaro e sua família real, nasceram para ser o que são, chefes de milícias cariocas que nunca deveriam sair da posição de vereadores ou no máximo de deputado estadual. Porém fizeram o grande erro, dar um passo muito maior do que suas pernas, ou distenderão seus músculos ou cairão no chão num ridículo espacate.

    Por que desta predestinação? Simples, homens minúsculos se cercam de anões menores ainda para não os fazerem sombra ou simplesmente por não conhecerem figuras maiores.

    A pergunta que pode ser feita, é qual a serventia de uma figura patética no governo federal, que na realidade nem sabe o que deve fazer?

    Alguns grandes intelectuais brasileiros que aliam a capacidade intelectual a praticidade, poderia dizer que o objetivo central do governo Bolsonaro é a imposição de um regime fascista no Brasil. Várias características de Bolsonaro permitiriam isto. A truculência do mesmo, o anticomunismo irracional, a total falta de vergonha de perseguir o seu povo, a adoção de políticas deslavadas de privatização e entrega do governo ao grande capital com o capital estatal junto e mais outras características desejáveis de todo o político que endossa uma política fascista.

    Entretanto vou tomar a liberdade de abrir uma divergência com estes ótimos pensadores atuais num ponto que não está sendo levado em conta. Em todos os regimes fascistas, todos os líderes tendo todas estas péssimas qualidades há um fator extremamente desestabilizador a ser considerado. Mussolini, Hitler, Salazar e outros líderes fascistas de maior ou menor capacidade de sobreviver ao tempo, há uma característica comum que deve ser levada em conta. Para administrar um regime que tem tudo para se tornar impopular e provocar um forte movimento de reação do proletariado, há uma necessidade mínima que se encontrava nos líderes citados e é totalmente ausente no Bolsonaro, a inteligência política de manter o fascismo no poder e se manter no poder. Podemos execrar Mussolini, Hitler e demais por todas as deficiências morais que tinham estes líderes, porém a falta de inteligência política para manter o regime e para se manter sempre esteve presente nestes “lideres”. Tanto Mussolini como Hitler eram figuras exóticas com um gestual que chegava próximo a pantomina, mas este gestual que tentava ser impressionante as multidões que os acompanhavam a distância era associado a um discurso mentiroso e farsesco que deveria conseguir a iludir quem já era convertido e impressionar aqueles que o odiavam.

    Bolsonaro, mostrou durante a sua curta campanha eleitoral, que foi interrompida por uma providencial “facada”, que o mesmo não tem a capacidade de emocionar um público por mais de poucos minutos, e pior que ele não tem nem capacidade de elaborar um discurso mentiroso, porém plausível para as massas. Se o mesmo não consegue elaborar um discurso que satisfaça os seus adoradores (que são uma minoria muito pequena), imaginem se o mesmo discurso for ouvido pelos seus apoiadores do grande capital?

    Em resumo, o governo Bolsonaro, tem um prazo de validade mais curto do que um iogurte natural feito não pela grande indústria, mas sim por produtores autônomos. No primeiro calor este iogurte começará a estragar.

    O mais grave é que a incômoda presença dos herdeiros da dinastia Bolsonaro, são o principal apoio do mesmo, e se ele não abre mão do apoio do Clã, é porque com os “conselhos do clã” ele consegue no máximo é falar uma dezena de minutos, com a ausência dos mesmos este tempo ficará reduzido a pouquíssimos minutos.

    A instabilidade do governo Bolsonaro, visível em menos de um mês de mandato, onde quase 100% dos eleitos gozam de um apoio relativamente confortável, quando este ultrapassar o terceiro mês a incapacidade de continuar com o governo se tornará evidente, e o mesmo grande capital que o elegeu, fará tudo para defenestra-lo.

     

  49. Uma outra certeza, (se não já

    Uma outra certeza, (se não já aconteceu), é que gente vai desaparecer, morrer, sumir, se acidentar, logo logo. A coisa fedeu demais.

  50. Volto a insistir que esquerda deve ter opções ao PT

    A esquerda volta a ter alguma chance de ganhar a parte da população não radicalizada. Mas enquanto as Gleisis mandarem no partido, ao invés dos Haddads, nem eu voto no partido, nem uma multidão de milhões de pessoas vai querer saber dele. A direita já tem alternativas a Bolsonaro. Quais são as alternativas da esquerda ao PT?

    • Voce é filiado ao PT? Se não é porque o veto a Gleisi presidente

      do PT? Nesse momento que Lula, o unico político capaz de tirar o Brasil do buraco, esta preso lá na cidade onde Gleise vive, procure entender como funciona a estratégia politica, de combater o fascismo no estado do Paraná, de onde vem inclusive o atual minsitro  da justiça! |É preciso que a força de reação da esquerda tenha forte impacto nesse estado, e Haddad está viajando por vários países, porque vc acha que o PT esta fazendo isso, pense!!Qual a estartégia? Porque o Pimenta em Brasilia esta na liderança do PT, vc acha que essa movimentação é espontânea, sem estratégia?

      Se vc como a esquerda ou a direita vai criticar tudo no PT, saiba que ele ainda tem 30% das preferências do eleitorado num pais que tem mais de 30 partidos ( já perdi a conta do numero total). Vc acha que isso não tem representatividade?

      Os fascistas que elegeram o miliciano, 57 milhões de Somos todos Aécio, Cunha, Moro, etc, são barbabros, visigodos, acham que sua vida será resolvida com a posse de armas, eles vão estar sempre ai! 

      Quem se abteve, se ausentou a cada ano que passa aumenta, isso porque a midia promove a destruição da politica, veja na Europa, como eles conseguiram anular os partidos de esquerda e compare com o PT? Tem certeza de que o PT é o problema?

      Acho que o PT é solução e não só ao Brasil, mas como exemplo para outros paises!

  51. Há uma clara articulação para substituir Bolsonaro por Mourão

    “Mas mantiveram um pacto de silêncio com o Ministério Público Estadual (MPE), para não atrapalhar as investigações”.

    Na verdade foi para não atrapalhar as eleições. É evidente que Bolsonaro nunca foi o candidato preferido do golpe. Com Alckmin, Meirelles e Marina fora do jogo, Bolsonaro era o que havia para evitar a volta de um modelo nacional desenolvimentista e popular.

    Ainda antes da eleição eu dizia que Bolsonaro viria a ser substituído por Mourão, sobretudo em função dos interesses dos orquestradores do golpe contra o PT no exterior. .

    Não nos esqueçamos que a articulação golpista internacional, o governo real dos EUA (deep state), que representa o sistema finaceiro global e as multinacionais e controla CIA, NSA, Pentágono (sua fábrica de terror e golpes), é ligado majoritariamente ao partido Democrata.

    A estratégia de golpes dos EUA inclui justificá-los com a narrativa de luta pelos direitos humanos e pela democracia. Daí um governo como Trump  ser tão incômodo aos interesses externos estadunideses, pois sempre que demonizarem um governo não alinhado haverá quem aponte o dedo para Trump dizendo que a primeira proeocupação dos EUA com direitos humanos deveria ser interna.

    O mesmo evidentemente vale aqui para Bolsonaro. Por isso é bom ter  no poder alguém que maquie o facismo e não o escancare como faz Bolsonaro.

    Acredito que haja uma articulação entre os representates locais dos interesses do imperialismo: Globo, Moro e uma parcela dos militares, para substituir Bolsonaro por Mourão.

    Além do interesse externo, ainda há o incômodo entre os militares por ter como representante alguém tão desqualificado quanto Bolsonaro.

    Mourão seguiria uma linha mais racional no palacreado e na política externa, obviamente levando adiante a mesmíssima política econômica neoliberal. Seria uma espécie de FHC de farda.

     

     

     

  52. Xadrez do elo perdido que liga Flávio Bolsonaro a Mariele

    a rápida e profunda fragilização do clã Bolsonaro dá também a justa medida de como é apenas aparente uma suposta inexpugnabilidade do setor dominante no Brasil.

    não apenas os empreiteiros e donos de frigoríficos, também os banqueiros, os exportadores de commodities e os donos da grande mídia, todos eles tem como fonte principal de seus lucros a apropriação de recursos públicos, mesclando negócios especulativos com todo tipo de atividades abertamente ilegais.

    e disto  a Lava Jato & Associados forneceu o mapa da mina. basta segui-lo para se chegar ao coração das trevas do Brasil: uma lumpenburguesia neo-colonial e semi-escravocrata.

    o tatibitate de Bolsonaro em Davos é a exata expressão de uma lumpenburguesia completamente despreparada para governar o Brasil, a não ser em seu projeto único de espoliar nossos recursos naturais e humanos.

    enquanto um setor dominante parasitário e não-produtivo não for por nós combatido e derrotado, continuaremos sendo nada mais do que atônitos espectadores acompanhando uma Guerra de Famiglias, na qual por mais que torçamos seremos sempre os únicos vencidos.

    com ou sem Bolsonaro. com ou sem Mourão. com ou sem Lula. com ou sem os Generais.

    no momento, o lance pertence aos Generais.

    uma magnânima História lhes oferece a chance para se redimirem de seu humilhante fracasso durante a Ditadura Civil-Militar.

    mas a História é também impiedosa. cheia de armadilhas e trapaças para aqueles a ela se considerando superiores.

    o açodamento brasileiro em reconhecer um governo interino na Venezuela, seja qual for o desdobramento do cenário, causará prejuízos monumentais ao Brasil e impactará diretamente tanto o governo Bolsonaro como mesmo os Generais.

    relembrem a Síria. ponham também toda atenção nas consequências da continuidade dos bombardeios israelenses ao aeroporto internacional de Damasco.

    vivemos os tempos perigosos das ruínas de um Imperium.

    mas os Generais se demonstram perdidos no tempo e no espaço, bem distantes da tempestade de fogo frente a qual estamos num passageiro dia de véspera.

    nem sinal ainda do fundo do poço. não restará pedra sob pedra. Deus não é brasileiro e não terá qualquer misericórdia desta Nação.

    .

  53. Que me responda o senhor
    Que me responda o senhor editor,com o bandolim mais afinado do que o de Jacob,pai de Sergio Bitencourt:Milicianos säo criminosos de baixa,média ou alta letalidade?

  54. Que me responda o senhor
    Que me responda o senhor editor,com o bandolim mais afinado do que o de Jacob,pai de Sergio Bitencourt:Milicianos säo criminosos de baixa,média ou alta letalidade?

  55. Que me responda o senhor
    Que me responda o senhor editor,com o bandolim mais afinado do que o de Jacob,pai de Sergio Bitencourt:Milicianos säo criminosos de baixa,média ou alta letalidade?

  56. Corrigir.

    A nota sobre o refúgio de Queiroz no Rio Comprido saiu um dia antes da Operação Os Intocáveis.

     

    Aqui o correto seria Rio das Pedras e não Rio Comprido.

     

  57. Que perfeicao de texto.
    Que perfeicao de texto. Absolutamente objetivo e esclarecedor. Porem, mesmo assim a grande maioria dos que votaram No Bolsonaro, nao sao dotados do minimo discernimento, de que foram enganados e ajudaram a colocar o Brasil na intranquilidade, inclusive internacional. Estamos mal parados !

  58. É mais do que evidente, do que convicção de que temos um

    presidente miliciano.

    Acho que a ala do judiciário que só deixou vazar depois das eleições é de adversários de direita, que querem derrubar o “mito” e sua familia para substituir, essa é minha leitura, eles também são perigosos. 

  59. Caso Flávio-Queiroz não dá impeachment
    Corrijam-me se eu estiver errado, mas o escândalo do Queiroz/Flavio Bolsonaro/Michele – apesar de gravíssimos e ao que tudo indica envolverem quantias maiores do que a soma dos valores alegados na farsa da reforma do triplex e do sítio de Atibaia (ao menos 7 milhões movimentados em 3 anos) – não serviriam pra fundamentar um pedido de impeachment, porque o presidente não responde por atos anteriores ao exercício do mandato…  

    • Constituição Federal, Artigo 86

      Constituição Federal, Artigo 86, § 4º: “O Presidente da República, na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções”.

  60. Não sei por que tanta pressa. Basta o impeachment. O resto será consequência, inclusive ver Bolsonaro(s) na cadeia, para onde ele deveria ter ido desde o malfadado plano de destruir Estação de Tratamento diÁgua da Cedae e explosivos no banheiro de seus colegas de EsAO, no Rio de Janeiro.

  61. Essa turma antes de cair deixará um cenario de terra arrasada que ja me faz sentir saudades até da “velha política “!!!

  62. Essa turma antes de cair deixará um cenário de terra arrasada que ja me faz sentir saudades até da “velha política “!!!eu nunca comentei aqui.como dar como comentário repetido?

  63. Vamos reagir, povo do Brasil! Não podemos ficar calados diante disso tudo. Vamos nas redes sociais, nas ruas, nas universidades, nas associações todas, nas fábricas, em todos os lugares mostrar nosso descontentamento com essa situação de penumbra e violência que domina o Brasil, graças a esses calhordas opressores que agora dominam nosso país, cheios de racismo, ódio e ignorância. Somos nós , povo, os que temos de reagir e expor essa farsa fascista elaborada para oprimir e explorar o pobre. Lula Livre e Justiça no caso Marielle!!!!

  64. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome