Carta aberta ao general Antonio Hamilton Mourão, por Paulo Fonteles Filho

 
do Blog de Paulo Fonteles
 
 
por Paulo Fonteles Filho
 
Caro general Antonio Mourão, desde sábado (16), é que se multiplicam vossa manifestação nas redes sociais, blogues, sites, portais e afins por conta de tua última palestra, em Brasília, em evento ligado à maçonaria quando, em ameaça velada, falaste abertamente de intervenção militar, como se contasses com o amparo de teus companheiros de armas, ou seja, o próprio generalato tupiniquim. Na caserna, o tiro parece ter saído pela culatra.
 
Ao invés de um palavrório decente, apaziguador em momentos de crise democrática – sim, porque a democracia e os direitos do povo foram usurpados por Temer e sua quadrilha – assistimos, atônitos, a cantilena de um militar estreludo, talvez um delfim tardio dos tiranos que ensejaram o golpe militar em 64 e que levaram as forças armadas brasileiras a cometer crimes hediondos, de lesa-pátria, com torturas, assassinatos, exílios, perseguições, censura e desaparecimentos forçados. 

 
Entre militares decentes deves estar passando vergonha, muita vergonha. Sim, porque quero crer que há militares decentes, gente preocupada com o futuro do país e que detesta a verborragia bolsonazi e o discurso do medo, próprio dos fascistas de plantão, ávidos por quarteladas, linchamentos e carne humana violada.
 
Confesso general, desde ontem estou me remoendo. O sentimento que nos alcança é de assombro. Meus amigos, família, pessoas que amo estão intimidadas, sequestradas pelo pavor que tal irresponsabilidade enseja. Os dias estão muito estranhos e o medo é uma potente arma ideológica, assim foi no Reich de Hitler ou no “Brasil Grande” do Garrastazu.
 
Sabe general, sou de uma geração de perseguidos políticos. Meus pais eram estudantes da Universidade de Brasília (UNB), amantes das liberdades, do Chico Buarque e dos Beatles e sem cometer qualquer tipo de crime – a não ser o de opinião – foram presos em outubro de 1971 e submetidos a terríveis torturas, além de condenações pela famigerada Lei de Segurança Nacional (LSN), dispositivo que transformou o Brasil num purgatório de lobos bem felpudos, como o coronel Brilhante Ustra ou o major Sebastião Curió, conhecidos torturadores. 
 
Eu nasci na prisão e tive um irmão gerado no cárcere: o serpentário dizia que “Filho dessa raça não deve nascer” e isso ocorreu dentro das dependências do próprio Ministério do Exército, lugar onde dás expediente como servidor público federal. Deves saber que no subsolo do teu ganha-pão foi uma espécie de patíbulo secreto da infâmia.
 
Minha mãe, general Mourão, me pariu com 37 quilos, foi cortada e costurada sem anestesia e não disse um ai. Depois de nascido – entre as feras do PIC – fui sequestrado porque não haviam algemas para os meus pulsos de recém-nascido. Imagina que um bebê de poucos dias era considerado inimigo do status quo, aliás, muitas crianças assim foram tratadas pelo regime do terror. Como nós, o Cristo perseguido por Herodes.
 
Talvez a Hecilda, minha mãe, atualmente professora da UFPa, tenha sido a única mulher a ter tido dois filhos na prisão, sob peia. Meu pai foi morto em 1987 e seu assassinato organizado por um ex-agente da comunidade de informações, James Vita Lopes. Paulo Fonteles, pai amoroso de cinco filhos, era advogado e defendia trabalhadores rurais na Amazônia.
 
O que o Brasil precisa general, com urgência, é a reconstrução da democracia, um judiciário independente, uma mídia imparcial, um parlamento sensível aos interesses da maioria na forma do respeito ao voto popular, de mais direitos, de Estado Democrático e defesa da soberania nacional, além de uma forte cruzada contra a ignorância, o desemprego, a pobreza, a violência, a corrupção, o racismo, a misoginia e a homofobia. O fascismo levará o país à convulsão, além das vidas de uma geração que tem a responsabilidade com a felicidade coletiva.
 
É muito doloroso falar sobre isso general Antonio Mourão e lembrar que muitos foram mortos pela histeria malsã que repetes, como um ventríloquo de satanás. Mas minha tarefa também é a lembrança de que os tumbeiros que mancharam nosso solo de vergonhas, como na escravidão ou na ditadura militar de 64, jamais poderão ficar impunes. 
 
Tenho pena de ti general, estás num quarto escuro e sem janelas, vitima da própria bílis que lanças no ar.
 
#DitaduraNuncaMais

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Mais brutalidade: mulher foi torturada e estuprada no Carrefour por furtar comida

19 comentários

  1. 2017 e o Mourão

    Paulo Fonteles Fllho lembrando o que é uma ditadura militar ou civil. O caminho, ja entendemos, não é esse. A nossa luta é para que saiamos das trevas da ignorância e possamos construir um Brasil diferente do que fizemos até aqui para todos nos.

    • Bem que podiam fazer nesta

      Bem que podiam fazer nesta hora, PRENDAM O TEMER, o GILMANTA, o CAJU, o ANGORÁ, o QUADRILHA e todos os que querem “vender” o Brasil.

      Fariam um grande bem à nação.

    • E nem a maçonaria.

      Juntando milico e maçon, de onde menos se espera, é que não sai nada mesmo que se aproveite.

    • Para que serve um milico

      Fácil.

      Para nos proteger do milico do outro lado.

      E vice-versa.

      Dizia o Raul:

      “Assim os discos-voadores nunca vão pousar.”

  2. Golpe militar só tornaria a elite mais odiosa aos olhos do povo

    Tiro pela culatra dos milicos
    mirinho 24/05/2005 05:07

    Militar só serve pra sugar dinheiro público e promover golpezinhos de merda, por falta do que fazer. Vida na caserna deve ser mesmo uma coisa enriquecedora!: Lustrar botina, fazer ordem unida, hastear bandeira, fazer exercício, limpar alojamento, desmontar e montar armas, correr, pular, sentinela, meia volta volver, aula de educação física, aula de “planejamento tático” para uma guerra nuclear e outras piadas; puxar o saco do sargento; aulas sobre intimidação dos paisanos; como dirigir um brucutu e simulação de guerras que jamais existirão. (Já imaginaram as forças armadas tupiniquins enfrentando uma invasão de mísseis americanos ou tropas chinesas? Ia ser uma rendição incondicional antes de iniciada a guerra).

    Chega! Não quero mais que meus impostos sirvam pra bancar a boa vida dessa cambada de inúteis e suas famílias.

    (…)

    Vejam que interessante resultado: os milicos foram contratados pelos empresários, banqueiros e políticos para dar o golpe no Brasil há malfadados 40 anos. Entre outras coisas indecentes, sujeitos criminosos como o coronel passarinho e seus cúmplices destruíram o ensino público de qualidade, sempre a mando de seus “benfeitores” da iniciativa privada.
    Agora, como o plano deu certo, a população nem sequer sabe o que são as tais forças armadas!

    Não é uma beleza?

    Felizmente não teremos nunca mais um golpe semelhante no Brasil, porque seria abortado no nascedouro. Afinal, quem vai seguir ordens de uma entidade desconhecida? Saiu-lhes o tiro pela culatra!!!!

    O grande erro da guerrilha no Brasil foi parar no meio do caminho. Viva os companheiros mortos na guerrilha do Araguaia! Abaixo as direitonas estúpidas e assassinas. Que não botem as manguinhas de fora de novo porque desta vez o povo não está pra brincadeira. Vai ter militar borrando a farda quando enxergar a multidão que tem pela frente. Agora os golpistas não terão mais pela frente apenas os pobres estudantes, intelectuais, artistas e jornalistas, fáceis de assassinar.

    O “inimigo” dos milicos golpistas e lacaios dos EUA agora ganhou nova cara. É o povo todo, faminto e de saco cheio. Não vai sobrar pedra sobre pedra e as tais esposas de militares vão, finalmente, ver o que é bom!

    As direitas golpistas que permaneçam em seu pântano doméstico, cochilando em seus pijamas malcheirosos e não pensem em tumultuar. Deixem em paz quem trabalha e dá duro pra sustentar a família, em vez que ganhar soldo pra ficar à toa na vida. Vão lustrar botina que é o máximo que seus “cérebros” permitem. E olha lá!
     

  3. Tudo bem que pode não parecer

    Tudo bem que pode não parecer muitos os apoiadores, mas me admira as pessoas acharem que é caso isolado, que ele é assim mesmo, polêmico, e outros argumentos que li. Sabemos o que uma loja maçônica e o que seus frequentadores representam. Não são turminhas de ginásio ou clubinho de adolescentes. E se deram palavra, voz e convite a uma pessoa cujo histórico polêmico já era conhecido, então de certa forma assinam embaixo ou consentem. De forma alguma quem é contra a ditadura pode agir na ingenuidade nesse caso. Hanna Arendt já alertava que o facismo pode sim se desenvolver em sociedades democráticas. Vocês deveriam no mínimo conferir, por exemplo, as tendências nas redes sociais a partir da divulgação do vídeo, por exemplo, #bolsonaro2018 ou #militares.

  4. Parabéns, Paulo, pelas suas

    Parabéns, Paulo, pelas suas palavras. Pena que nem o general, muito menos os maçônicos (mais comprometidos do que nunca) lerão seu texto. E, se lerem, darão de ombros, pois, para os miliquentos-golpistas, a salvação são os temeristas-GOLPISTAS-ladrões. Haja país de merrecas. Aí está o ministreco da dita defesa, mais golpista do que todos, bem como o dito chefe das forças aramadas. Dão nojo em lesmas.

  5. Quinta coluna

    Os militares brazileiros são a quinta coluna do imperialismo. Gostam de se perfilar na frente da bandeira, aquela que nunca será vermelha, e baterem continência uns para os outros. Passam a vida num dolce far niente, desde a academia até a aposentadoria. O nacionalismo deles é fake. Basta ver o Bostonaro tentando agendar encontro com investidores americanos. O país deles é o Brazil. Falo com conhecimento. Tem uma milicada na minha família. Todos tem merda na cabeça. Pra eles o inimigo é o MST. Foda-se o pré sal, a Petrobras, o setor elétrico e a economia nacional.

  6. As Cadelas estão tentando guiar seus donos

    Cadê a integral submissão dos militares ao poder civil, como diria a Miriam Leitão em artigo intitulado “Encontro Adiado”, acessável no link abaixo?

    http://blogs.oglobo.globo.com/miriam-leitao/post/encontro-adiado-438377.html

     

    “Parece uma maluquice que, quase 50 anos depois do golpe militar que fechou o Congresso, suspendeu direitos constitucionais, prendeu, cassou, exilou, torturou, matou e ocultou cadáveres, ainda seja preciso explicar que isso não se comemora. Nas divergências dos últimos dias o país mostrou os equívocos nascidos do silêncio. A democracia confundiu não punir com não saber. Assim, adiou um encontro inevitável”. (…)

  7. Muitos dizem: “Minha bandeira jamais será vermelha”. Será?

    Peito cheio, muitos dizem: “Minha bandeira jamais será vermelha”. Será?

    (Inclusive, ofereceram-se para hasteá-la, em outubro, no coração da floresta amazônica brasileira (?))

  8. Esse cara não tem moral e nem

    Esse cara não tem moral e nem quartéis para intervenção, é um louco bem pago pela maçonaria para falar asneiras e depois a imprensa ficar bajulando esse tirano. 

  9. Parabéns

    Pitbulls e Rottweilers por lei deveriam ser castrados, as raças exterminadas.

    Milico + Maçom + Judiciário + as ratazanas graúdas e miúdas

     

     

  10. e aí?

    Qual Brasil construímos até aqui?

    O das milhares de crianças fora da escola?

    O dos bilhões desviados pela corrupção?

    Qual fantasma atormenta mais?

    Aquele que limita a voz dos comunistas ou aquele que mata uma criança em uma comunidade?

    Façam favor?

    Visitem uma comunidade e falem sobre abandono e corrupção!

    Saiam da zona e conforto!

  11. golpe da quadrilha do PMDB

     

     Sinceramente, o cinismo do presidente golpista Temer, causa nojo. Espero que o General Vilas-Boas, coloque as tropas nas ruas do Brasil,o quanto antes, e ponha esse presidente bandido na cadeia!  

  12. Deploravel esse Artigo

    Golpe Militar, com o povo pedindo e imprensa apoiando?

    Uma Ditadura onde nao existe o nome do Ditador?

    Ditadura com mandato de 5 Ditadores? Estranho essa Ditadura hein.

    Quantas mortes cometidas a mando do governo? 357 mortos.

    Em qto tempo? 20 anos. Perai. Cada Ditador tinha media de 17 mortes por ano???

    Hj os governantes DEMOCRATICOS sao indiretamente responsaveis por 60 mil homicídios por ano, sem contabilizar hospitais, falta de saneamento.

    Apaga esse artigo, a galera nao cai mais nesses livrinhos do MEC.

    Socialismo e Comunismo vao a falencia.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome