Auxílio emergencial poderá ser renovado se o país continuar registrando altos números de mortes por Covid-19, diz Guedes

As declarações de Guedes foram dadas durante a videoconferência "Diálogos com a Indústria", da Coalizão Indústria. O evento virtual foi invadido por hackers, que exibiram fotos e frases obscenas

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira, 27, que não é sua “expectativa”, mas o governo federal poderá renovar novamente os pagamentos do auxílio emergencial, caso a campanha de vacinação contra Covid-19 não avance e os altos números de mortes pela doença persista no país. 

A segunda rodada do auxílio emergencial foi promulgada pelo Congresso Nacional em março, com um valor quatro vezes inferior ao da primeira leva de R$ 600. São quatro parcelas de R$ 150 a R$ 375, que devem ser pagas as famílias de baixa renda até o fim de agosto.

“O auxílio emergencial é uma arma que nós temos e que pode, sim, ser renovado. Se, ao contrário do que esperamos, a doença continuar fustigando, as mortes continuam elevadas, a vacina por alguma razão não está chegando, tem que renovar”, disse Guedes. “Não é nossa expectativa hoje [renovar o auxílio]. Nossa expectativa é que está avançando a vacinação, mas vamos observar. Achamos hoje que, se a vacinação em massa progride, pode ser que não seja necessário”, afirmou.

As declarações de Guedes foram dadas durante a videoconferência “Diálogos com a Indústria”, da Coalizão Indústria. O evento virtual foi invadido por hackers, que exibiram fotos e frases obscenas.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador