CNE: Luta pela Eletrobrás pública continua

Carta aberta dos trabalhadores da categoria critica decisão do TCU que deu aval para privatização da estatal; leia

Fachada de um prédio da Eletrobras. Foto: © Reuters/Pilar Olivares/Direitos Reservados – via Agência Brasil

O Tribunal de Contas da União (TCU) “manchou a história dessa Corte” ao dar o aval para a privatização da Eletrobras, segundo carta aberta emitida pelo Conselho Nacional dos Eletricitários (CNE).

Na última semana, o TCU autorizou por seis votos a um pela venda da estatal ao capital privado – a categoria destaca que apenas o voto do ministro revisor Vital do Rego “cumpriu com seu papel de fiscalizador de uma das operações mais nefastas que o Brasil já viu”.

Os trabalhadores lembram que a luta contra a privatização tem acontecido ao longo dos últimos cinco anos e, após a decisão do TCU, novas estratégias serão definidas para a defesa da Eletrobrás pública.

Veja abaixo a íntegra da carta aberta do Conselho Nacional dos Eletricitários (CNE).

A LUTA EM DEFESA DA ELETROBRAS PÚBLICA CONTINUA

Na tarde da quarta-feira (18), o Tribunal de Contas da União (TCU) manchou a história dessa Corte para o país e para a população brasileira. Apenas o Ministro revisor Vital do Rego, cumpriu com seu papel de fiscalizador de uma das operações mais nefastas que o Brasil já viu.

Ao apresentar 6 pontos de ilegalidade bem fundamentadas, o Ministro Vital honrou mais uma vez com seu País. Na maior parte dos discursos proferidos, os ministros da Corte se abstiveram da sua responsabilidade com a entrega da maior estatal elétrica da América Latina ao conceder ao Deus mercado todas as “atribuições” para consertar e decidir sobre o futuro do setor elétrico brasileiro. A vergonhosa decisão da maioria do TCU não é o fim do jogo. Ontem, foi mais uma etapa nessa batalha que já dura cinco anos.

Registramos que, nesse período, os eletricitários e eletricitárias, com o apoio de movimentos populares e parlamentares, têm feito uma luta honesta, com firmeza e unidade, sendo responsável pela manutenção da Eletrobras pública.

E é pela continuidade do controle estatal das nossas empresas e dos nossos empregos que o Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE) definirá novas estratégias para a luta em defesa da Eletrobras pública. São muitas irregularidades neste processo baseado na conta de chegada. Nesse próximo cenário de luta, contamos mais uma vez com a unidade, mobilização e alegria da categoria eletricitária, que tem resistido bravamente a cada etapa desse processo.

Temos alguns meses de intensa peleja pela frente, e reafirmamos que é possível vencer essa grande guerra. Cada um de nós tem uma grande responsabilidade com o Brasil. Contudo, precisamos derrotar esse governo também nas urnas, porque só assim é possível garantir definitivamente a Eletrobras pública para todos os brasileiros e brasileiras.

Toda luta pela Eletrobras pública vale a pena!

Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente.

Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn

Leia Também

A privatização da Eletrobras e seus jabutis

Os impactos da privatização da Eletrobras para a população

De pipocas, mercados de capacidade e privatização da Eletrobras, por Ronaldo Bicalho

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador