Problemas no atendimento da Vivo

Por Antonio Carlos Ramos

Comentário do post “A baixa qualidade dos serviços de telefonia móvel

Desculpe-me pegar carona no seu comentário, porém o que aconteceu agora a pouco é estarrecedor. Eu e minha esposa temos uma pequena empresa prestadora de serviços e temos um contrato com a Vivo. A Vivo não enviou o boleto com a conta de dezembro de 2012 e, consequentemente, não pagamos. Tentei entrar no site da Vivo empresas para conseguir uma segunda via e não consegui. O site mudou o cadastro e meu login e senha não mais funcionam. Cadastrei outra, seguindo as intruções e nada.

A partir do dia 15 de janeiro passamos a receber ligações de uma terceirizada cobrando a conta. Contavamos a história cima e pediamos que a segunda via fosse enviada por e-mail, coisa que não acontecia. A cada ligação a irritação aumentava, pois o problema era muito simples de resolver. Tudo culminou no dia 21 de janeiro à tarde, quando a Vivo cortou o sinal de nossos celulares sem nenhum aviso prévio.

Entrei em contato com a pessoa que me vendeu o plano e rapidamente ela resolveu o problema enviando o boleto por e-mail e acelerando a religação. Fiquei irritado e entrei em contato coma a ANATEL. Devo dizer que o atendimento foi ótimo para os padrões de call center.

Hoje, sábado dia 26 de janeiro, por volta das 10h00 recebi uma ligação da Vivo, onde uma atendente irritada dizia que eu abri uma reclamação e ela queria acabar logo com isso. Informei que estava dirigindo e que ligasse na segunda-feira em horário comercial.

Por volta das 11h40 recebi do mesmo número uma ligação de uma pessoa que se identificou como Patrícia e como sendo da ANATEL. Informou o número do protocolo da reclamação e questionou-me sobre se eu teria mais alguma dúvida pois ela iria encerrar o protocolo. Eu pedi que não pois havia a primeira ligação em aberto, e no momento não me atentei que o número era o mesmo. A partir daí a tal Patrícia, sempre se identificanco como funcionária da ANATEL disse que eu tinha uma conta em aberto que venceria em 01 de fevereiro. Estranhei, pois fiquei imaginando como uma funcionária da ANATEL teria acesso aos meus dados cadastrais da Vivo. Comecei a fazer perguntas e a tal Patrícia entrou em pãnico, talvez percebendo que tinha falado demais.

Demais é uma empresa muito ruim noatendimento aos seus clientes ainda praticar falsidade ideiológica fazendo-se passar por uma agência reguladora. Não quero nem pensar na possibilidade da tal Patrícia ser mesmo funcinária da ANATEL, pois então será um caso de Ministério Público, uma vez que passa a ser prevaricação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome