O efeito da crise externa nas exportações

Do EStadão

Comércio recua no mundo

GENEBRA – O Estado de S.Paulo

O Brasil passa a ser uma das maiores vítimas da recessão na Europa e registra uma queda de vendas bem superior à média das economias do G-20. 

A constatação é da Organização Mundial do Comércio (OMC) em relatório divulgado ontem onde aponta que, pela primeira vez desde 2009, o comércio mundial sofreu contração.

No segundo trimestre do ano, a OMC registrou retração no fluxo de bens, o que não era visto há três anos, quando a economia mundial registrou o pior ano para as exportações desde a 2ª Guerra Mundial.

Em termos de volume, o primeiro semestre do ano registrou uma contração de 1,3% nos fluxos comerciais na comparação com o mesmo período de 2011. Nos países ricos, a queda foi de 2,2%. Nos emergentes, a expansão foi mínima, de apenas 0,8%.

Com menor investimento, corte de salários e demissões por causa das políticas de austeridade, o consumo nos mercados desenvolvidos desabou. O resultado foi uma queda nas importações de 3% nos países ricos, afetando as vendas de países emergentes.

Comprando 35% de tudo o que o mundo exporta, a Europa acabou pesando no comércio internacional. No geral, os europeus reduziram suas importações em mais de 10% em agosto.

Um dos países que já sentiu a redução do mercado europeu foi o Brasil, que também passou a sofrer com a desaceleração do mercado chinês. O resultado foi uma contração de 14% em valores nas exportações em agosto e setembro. / J.C.

Leia também:  Petrobras anuncia abertura de processo de venda de mais quatro refinarias

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome