O fator psicológico nas vendas

Por Antônio César

Nassif,

Veja notícia do Globo. Parece que só quem acreditou em alarmismos foram as montadoras. Veja como o fator psicológico é importante. Se tivéssemos embarcado nesta de demissões logo de cara, a crise estaria instalada aqui: clique aqui.

Concessionárias têm fila de espera por carro novo

Publicada em 05/02/2009 às 00h09m

RIO e SÃO PAULO – A redução do IPI e a maior oferta de crédito ajudaram a recuperar as vendas de veículos novos no país em janeiro , como mostrou levantamento da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgado quarta-feira, segundo o qual, no mês passado, foram licenciados 158.250 automóveis (passeio e comerciais leves), número 5,11% maior que os 150.560 de dezembro.

Reportagem do Globo, publicada nesta quinta-feira, revela que muitos modelos – dos mais populares aos mais caros – estão em falta nas concessionárias, com fila de espera. Isso indica que as montadoras erraram a mão na freada na produção nos últimos dois meses, com milhares de trabalhadores em férias coletivas. Em revendedoras, até 90% dos modelos estão sem previsão de entrega.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Democracia e o mercado financeiro, por Joel Pinheiro da Fonseca

27 comentários

  1. Oi Nassif
    Meu marido trabalha
    Oi Nassif
    Meu marido trabalha como representante de componentes de telefonia móvel, utiliza um K, está na hora de trocar o carrinho adivinhe, não tem no mercado, a espera é de 60 dias no mínimo. Poderia ser um tema para discussão sobre as montadoras utilizarem a dita “crise” e desempregarem ou receberem ajuda estatal.
    Um abraço

  2. PING!
    A propósito, o Jornal
    PING!
    A propósito, o Jornal Nacional de ontem, 04-02-2009, trouxe uma extensa reportagem sobre o atual cenário brasileiro: contratações, ações do Governo contra a crise, empresários otimistas etc etc! Alguém poderia fazer o favor de explicar o que foi que acometeu esse JN de ontem?

    PONG!
    Quem viu também a reportagem de ontem da TV Record sobre a merenda escolar no Estado de São Paulo? O Estado mais rico da federação e gerido pela mais fina flor do chamado choque de gestão? Quem se aventuraria a comer daquela merenda e a recomendaria ao seu filho?

  3. “Veja notícia do Globo.
    “Veja notícia do Globo. Parece que só quem acreditou em alarmismos foram as montadoras”

    Nao me diga! Voce esta insinuando que o que chegou da crise ate agora por ai foi culpa da cricrise mediatica e da cricrise financial do bc?

    Nao Acredito! Nao Pode Ser Verdade! Como Poderia? Oh, My God!

    “matéria abaixo, publicada na coluna Negócios & cia do jornal O Globo, mostra bem o desejo que os jornalistas demonstram em agravar fatos, distorcendo a realidade”

    Agora lembrei como foi que aconteceu…

  4. Agora as concessionária vão
    Agora as concessionária vão ter que correr muito para aumentar o estoque de veículos com redução do IPI para poderem passar aos seus clientes com valor de revenda menor, quando acabar a redução do IPI.

    Mas mesmo assim, as concessionárias vão cobrar alguma coisa a mais para aumentar as suas receitas sobre as vndas de veículos adquiridos com alíquota zero do IPI.

  5. O Miguel do Rosário, do blog
    O Miguel do Rosário, do blog Óleo do Diabo postou um texto sobre isso. Ele, como eu, acha que as demissões surpreendentemente altas em dezembro foram obra de uma sabotagem maquivalicamente planejada pela Fiesp, através do seu presidente, o Skaf. Com o Serra por detrás de tudo, claro. Tudo para desgastar o governo. O que foi um tiro no pé, pois o Lula bateu recorde de popularidade de novo, e as montadoras estão deixando de lucrar.
    Cabe aos empresários decidir se vão apostar no economia brasileira, ou se vão jogar todas as fichas nessa aventura perigosa do Serra, do Pig e da elite empresarial recionária, representada pelo Skaf. Eu desconfio que o Serra tenta seduzi-los com a privataria 2, a missão, cujo filé é o pré-sal

    Esse tipo de articulação é improvável e impossível. Foi paúra dos empresários mesmo e terrorismo midiático.

  6. Nassif,

    Não acho que foi
    Nassif,

    Não acho que foi paúra ou conspiração, acho que foi oportunismo das empresas para demitir com a desculpa da crise. Assim, cortam a gordura sem pressão do governo ou sindicatos. Quando os estoques voltarem ao normal, começam a recontratar em condições mais favoráveis (para eles, claro!) e com uma folha mais enxuta.

  7. Concordo com o Adriano Alves
    Concordo com o Adriano Alves Pinto. Foi oportunismo com uma boa dose de erro de estratégia. O terror midiático colaborou e muito para a corriria empresarial no sentido de “pedir” flexibilização das leis do trabalho e facilidades enormes de crédito, como por exemplo o presidente da Vale e da FIESP. Isso tudo sem contar com a grana empenhada em forma de socorro financeiro de origem federal e do Estado de S. Paulo.

  8. Já faz um bom tempo ouço
    Já faz um bom tempo ouço dizer que as montadoras não estavam deixando carro em estoque nas concessionárias. Quando alguém se interessava por um modelo (este, sim, na loja) a concessionária fechava a venda e, só então, solicitava o veículo. Em Belo Horizonte, pelo menos, vinha funcionando assim.

    Com isto, as montadoras tinham informação praticamente on-line do que deveriam fabricar.

    Não é isto que continua acontecendo, não?

  9. Então quer dizer que grandes
    Então quer dizer que grandes grupos industriais como as montadores com décadas de esperiencia e centenas de analistas de mercado foram as unicas que “cairam no alarmismo da midia”?

    Que coisa, hein…

    Quem entende mesmo de oconomia é que está comprometendo até 50% do salário em financiamentos de 5 anos ou mais. Essa gente sim é muito responsavel. São uns verdadeiros heróis da patria.

  10. A matéria abaixo, publicada
    A matéria abaixo, publicada na coluna Negócios & cia do jornal O Globo, mostra bem o desejo que os jornalistas demonstram em agravar fatos, distorcendo a realidade.

    “PERDAS NA KRAFT

    O LUCRO da gigante Kraft Foods, de alimentos e bebidas, caiu 72% no 4º trimestre, para US$163 milhões. No ano, a empresa teve lucro de R$2,9 bilhões, alta de 12% sobre 2007.O resultado foi influenciado por gastos com reestruturação e redução de estoques da clientela.” Os grifos são os apresentados no jornal impresso.

    Fico aqui pensando o que diriam os professores dessa jornalista. Devem ser acometidos de profunda tristeza.

    Como pode um título começando com PERDAS ser imediatamente seguido por uma sentença que informa que o LUCRO aumentou 12% em relação ao ano anterior?

  11. Nassif,
    Acabo de ouvir na
    Nassif,
    Acabo de ouvir na CBN: ” Governo Lula inaugura hoje 2ª hidrelétrica, como parte do PAC, porém estará em funcionamento SOMENTE em 1º de Março…”
    Ou seja, daqui a menos de um mês.
    A imprensa golpista declarou guerra ao governo Lula, mesmo quando a notícia é boa tem uma forte dose de pessimismo declarado.
    Se deixar contaminar estaremos perdidos, empresários, trabalhadores e o povo brasileiro…

  12. Creio que demosntra que as
    Creio que demosntra que as medidas de incentivos fiscais foram corretas, principalmente diante da lentidão do COPOM.
    Alguém precisa fazer alguma coisa.

    A recuperação das vendas de véculos, única no mundo, pode ser o início da recuperação econômica, caso o COPOM não estrague tudo.

    O COPOM precisa derrubar mais acentuadamente os juros da Selic para consolidar a recuperação econômica.
    O ideal seria a diretoria do BACEN convocar uma reunião extraordinária do COPOM, cortar os juros da Selic em 1,5% e impor um viés de baixa, pois números piores da economia no Brasil e no mundo estão por vir, e é preciso reverter totalmente as expectativas.

    A recuperação da vendas de automóveis no Brasil, única no mundo, deve servir de base para uma recuperação da confiança que a nossa Autoridade Monetária precisa aproveitar, podendo servir de exemplo até para o mundo.

  13. Nassif,

    se não há carros,
    Nassif,

    se não há carros, qual a razão de certas montadoras concederem férias coletivas, ousar na redução de salários e jornadas? Sei que importadores estão com dificuldades em certos modelos, mas os nacionais não justificam. As vendas não pararam e, com a redução (pífia) de impostos, o mercado voltou com tudo. E agora? Qual a justificativa?

    Estoques altos e impresibilidade das vendas. As empresas tendem a serem mais pessimistas do que o necessário. Se era por otimismo, quebra; por pessimismo, deixa de ganhar.

  14. Segundo a imprensa, as
    Segundo a imprensa, as montadoras levaram 4 bi do BNDES mais quatro do est. de São Paulo e ainda tiveram redução do IPI. Com isso, as vendas aumentaram em dezembro e janeiro, mas mesmo assim demitiram e fizeram acordo pra diminuir jornada de trabalho e salários.

    E ainda os comentaristas políticos e econômicos criticam o aumento do Bolsa Família.

  15. Nassif,seria somente “Paura
    Nassif,seria somente “Paura de (maus)empresários,e o terrorismo midiático em ação”? ou estaria havendo um movimento de pressão total deste segmento que é importantíssimo na economia doméstica,no sentido de recuperar,através de subsídios governamentais,já que “tomaram”4 bilhões de reais do BNDES,e outros tantos do Gov.do Estado de São Paulo,para recuperar o que perderam com suas aplicações em derivativos e papeis que “viraram pó”na ciranda financeira ?
    A sua explicação de que houve um êrro deste setor que estavam com os estoques altos e a imprevisibilidade nas vendas,soa um pouco ingenuo,se me permite pensar ao contrário do analista.

  16. “O Globo” colaborou com a
    “O Globo” colaborou com a dissiminação do aqui chamado “terror midiatico”?
    E o JN ?

    Até para nos protegermos deste terrorismo, seria conveniente que fossem dados mais indícios desta prática anti-nacional ( com hífen ou sem??? sei lá…).

  17. Era uma vez um homem que
    Era uma vez um homem que vivia na beira de uma estrada e que vendia cachorro-quente.
    Ele não ouvia bem, então não tinha rádio.
    Ele tinha problemas com os seus olhos, então não lia jornais.
    Mas ele vendia bons cachorros-quentes.
    Colocava cartazes pela estrada, oferecia seu produto em voz alta, e o povo comprava.
    Lentamente foi aumentando as vendas, e também, cada vez mais aumentava a compra de salsichas e pão.
    E também comprou um fogão maior para atender os fregueses e o negócio prosperava. Conseguiu dar boa escola ao filho.
    Finalmente, o filho formado, voltou para a casa para ajudar o pai. Mas uma coisa aconteceu.
    O filho falou para o pai.
    – Pai, então você não ouve rádio? Você não lê jornais? Há uma grande crise no mundo e a situação aqui no país é ainda pior. Tudo está indo para o vinagre!
    E o pai pensou:
    “Bem, o meu filho estudou, lê jornais, ouve rádio, e só pode estar com a razão”.
    O pai foi diminuindo a compra de salsicha e pão. Tirou os cartazes de propaganda.
    Já não forçava as vendas em voz alta, abatido pelas noticias de crise.
    As vendas foram caindo. Depois de um tempo, o pai falou para o filho:
    – Você estava certo meu filho, nós estamos no meio de uma grande crise…

  18. Vou provocar o Nassif,embora
    Vou provocar o Nassif,embora tenha feito uma promessa de não fazer mais isto,enfim…
    Na reunião anual da Cia onde trabalho,o atual Presidente do Conselho de Administração,após mostrar os axcepcionais resultados do ano,falou uma frase,que seria apenas de incentivo,se não refletisse na prática,aquilo no qual acredita: “A crise está somente na cabeça de quem acredita nela,e aceita-a como fato consumado,e daí começa a contar os dias,até “a morte chegar” e esta prática não é aceita nesta companhia ! Vamos trabalhar mais e não aceitar o canto fúnebre doa agourentos e descrentes da nossa capacidade de vencer qualquer crise !
    Estamos entrando neste novo ano fiscal,com um suporte financeiro que nos garante tranquilidade para qualquer sobresalto,e com a bagatela de R$ 1.4 bilhões de reais,para investir na ampliação da capacidade instalada e na aquisição de empresas que estejam à venda,e que estejam dentro do perfil desta companhia.
    Contra a crise,só existe uma saída,o trabalho e a confiança.

    Ué, cadê a provocação?

  19. Considerando que o PIB de
    Considerando que o PIB de 2008 ficou em R$ 3 trilhões, um crescimento de 4% significaria um crescimento de R$ 120 bilhões além do diferencial de inflação dod IBGE em 2009, é muita coisa.

    A recuperação das vendas de véculos, única no mundo, mostra que o Ministro Guido Mantega está no caminho certo, e ele tem demonstrado ser um especialista em tirar leite de pedra, apesar da Política Monetária do COPOM.

    Vai depender de uma forte redução dos juros da Selic, mas as antecipações do projetos do PAC, o programa de troca de refrigeradores e um novo programa de construção de moradias populares, pode alavancar o PIB no segundo semestre de 2009.

    Além disso a forte queda do PIB no quarto trimestre de 2008, aumenta o impacto de um crescimento acelerado no quarto trimestre de 2009, e ainda é possível um aumento da demanda externa por conta dos programas de recuperação da atividade econômica internacional, nos EUA, Europa, Jaoão e China.

    Mas de qualqquer maneira é muito difícil, e quase imposssível caso o COPOM não altere radicalmmente a Política Monetária.

  20. Do
    Do BNDES
    http://www.bndes.gov.br/noticias/2009/not017_09.asp

    Programa Especial de Crédito ultrapassa R$ 1,2 bi em menos de dois meses de operação 04.02.09

    Criado pelo BNDES no início de dezembro de 2008 para financiar capital de giro de empresas nacionais, o Programa Especial de Crédito (PEC) completou um mês e meio de operação com números bastante positivos. Entre operações em consulta, em análise, enquadradas e aprovadas, a carteira do PEC acumula 96 operações, que totalizam R$ 1,21 bilhão. Desse total, 24 são operações diretas, que somam R$ 868,76 milhões, e 72 são operações indiretas, que atingem R$ 342,57 milhões.

    Dentre os setores que mais acessaram o PEC, estão Indústria de Transformação, com 66 operações em carteira (das quais 15 do segmento de produtos alimentícios), e Comércio e Serviços, com 26 operações (das quais 14 do segmento de comércio). Esses números correspondem a 68,8% e 27,1% do total, respectivamente…………..

    ……………. linha de crédito tem valor máximo de R$ 50 milhões por empresa beneficiária, limitada a 20% da Receita Operacional Bruta (ROB) do último exercício fiscal.

  21. Ola, estou há séculos
    Ola, estou há séculos dominados pelo poder ideológico. Aqui apoiando a ditadura nasceu a mais fina flor da indecência e imoral idade que é o sistema rede globo.

    Utilizá-se da liberdade de imprensa para defender os seus interesses que não os interesses do Brasil.

    Em São Paulo o Serra financia o grupo ABRIL adquirindo de tudo, até apostila. A prefeitura e o Estado são fiéis clientes do Grupo Abril. É uma mão lava a outra.

    O Serra financia o grupo Abril para que a revista Veja denegrir a imagem de homens como o Nassif e plantar coisas do tipo da escuta do Gilmar Mendes Dantas. ]
    Abraços.
    Luís Moreira
    http://olhosdosertao.blogspot.com/

  22. Creio que o pacote de aumento
    Creio que o pacote de aumento de investimentos públicos americanos deveria manter o protecionismo e tentar maximar o máximo possível a recuperação da economia americana, com o maior número de empregos possíveis.

    Uma rápida recuperação do consumo das família americanas poderia impulsionar a demanda externa, recuoperando a atividade econômica no mundo inteiro.

  23. nos ultimos 36 meses sairam
    nos ultimos 36 meses sairam noticias de contratações por parte da industria automobilistica e setores por ela alavancados. O número de empregados na industria cresceu X%, sempre assim. A midia deu a noticia. Por quê será que o empresario deveria manter gente ociosa em seus quadros ? Se nao há queda de produção industrial, enfim, se não há problema algum, por quê é que a mídia anuncia diariamente que o governo toma mais essa e /ou aquela medida anticrise ? Prá que tanta medida de urgência se não há problema ?De minha parte , leigo, eu nem sabia que o governo poderia ter tanto dinheiro como eles dizem que vai aparecer, e se dependesse da minha caneta, pegava esse R$ 1.xxx.000.000.000,00 (Trilhão e poucos reais) e  recomprava todos os titulos de dívida que estão registrados em nome do país, no final , em nome do POVO do país, prá ver se conseguíamos recomeçar um país menos endividado.

  24. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome