Obesidade pode reduzir 5,5% do PIB brasileiro nas próximas décadas, alerta OCDE

A doença cresceu 67,8% no Brasil, entre 2006 e 2018. Um a cada cinco brasileiros é obeso

Foto: AP Photo/M. Spencer Green

Jornal GGN – Os gastos com tratamentos de doenças predispostas pela obesidade podem impactar em 5,5% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, entre 2020 e 2050. Os dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgados no segundo semestre deste ano, também indicam que metade da população de 34 países analisados está acima do peso.

Segundo o Ministério da Saúde, a obesidade cresceu 67,8% no Brasil, entre 2006 e 2018. O alerta é para as doenças consequências da obesidade, já que um a cada cinco brasileiros se encontra nesta condição e pode sofrer com tipos de câncer, hipertensão e diabetes.

De acordo com estudo da OCDE, a expectativa de vida dos brasileiros também pode diminuir em 3,3 anos. O índice está acima das demais nações, com média na redução de expectativa de vida em 2,5 anos.

A OCDE ainda estima que, nos próximos 30 anos, os países analisados devem destinar 8,4% dos orçamentos de saúde para tratar a obesidade. No mundo, o valor gasto com esses tratamentos pode chegar a US$ 311 bilhões por ano.

No cenário macroeconômico, o impacto no PIB dos países que compõe a organização e nos europeus poderá chegar a 3,3%, já que a condição afeta o rendimento e a produtividade dos trabalhadores. Para a OCDE, o cenário é consequência do baixo esforço dos países em ações na redução do número de pessoas com sobrepeso.  

 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome