Raio X da balança comercial por intensidade tecnológica, a primarização das exportações

O nível de desenvolvimento de um país é medido pela intensidade tecnológica das suas exportações. Quanto maior o nível de intensidade tecnológica, mais avançada é a economia.

A análise da balança comercial brasileira, sob esta ótica, mostra o profundo retrocesso que marca a economia brasileira, em função de política cambiais continuadas e crises políticas intermináveis.

Peça 1 – a balança comercial

Pegamos três momentos distintos: os 12 meses encerrados em novembro de 2017. 2018 e 2019.

O primeiro gráfico mostra um estreitamento entre exportações e importações, com redução do saldo comercial. No segundo gráfico, essa redução fica mais nítida.

Os dois gráficos seguintes mostram o comportamento das exportações e importações, em uma perspectiva de curto, médio e longo prazo. Por lá se percebe que as importações apontam para uma nova onda de crescimento, ainda não muito definida, mas presente na curva de 3 meses (que compara o acumulado de 12 meses com o acumulado de 12 meses, três meses antes). E a curva das exportações mostram uma tendência de queda.

No último gráfico, esse movimento fica mais nítido.

Em 2018 e 2019 as exportações cresceram em níveis inferiores aos das importações, levando a uma redução expressiva no crescimento do saldo comercial.

Peça 2 – os produtos de acordo com a intensidade tecnológica

Vamos a dois gráficos simples, para demonstrar a pobreza da pauta de exportações brasileira.

E aqui, juntando de um lado NCIT + baixa tecnologia + média baixa, e, na outra ponta, alta tecnologia e média alta tecnologia.

Um histórico dos quatro últimos anos mostrará, na composição das exportações, um crescimento da participação dos produtos de baixa tecnologia e uma queda nos de alta tecnologia.

Leia também:  Como o fundamentalismo impediu o Brasil de se tornar uma potência exportadora

Ou, em uma tabela com números.

Peça 3 – a tendência por intensidade tecnológica

Vamos a um apanhado dos produtos e suas tendências de curto, médio e longo prazo.

Na Indústria de Transformação de Alta Tecnologia e da Média-Alta, as exportações vem caindo ano a ano.

 

 

 

A mesma queda se observa na Indústria de Transformação de Baixa e Média-Baixa Tecnologia

Resta apenas o dinamismo dos produtos sem identificação do grau tecnológico.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Temos a pior elite do mundo e, como disse Nassif, um país é aquilo que sua elite quer ele seja
    Nas mãos desse regime miliciano apoiado por pastores que vendem apoio político por grana, estamos virando um Grande Haiti
    …..

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome