América Latina tem as cidades com mais homicídios no mundo

Policiais no México

Jornal GGN – Um ranking elaborado pelo Conselho Cidadão para a Segurança Pública no México lista as cinquenta cidades mais violentas do planeta, com uma predominância da América Latina na lista. Um terço dos homicídios no mundo acontecem na região, mesmo com somente 8% de toda a população global, de acordo com as Nações Unidas. Tráfico de drogas, disputa de organizações criminosas, instabilidade político e pobreza são fatores que contribuem para os elevados índices de violência na região.

Nas dez cidades com maior número de homícidios por 100 mil habitantes, estão João Pessoa (PB), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e São Luís (MA). A cidade com o pior indíce é San Pedro Sula, em Honduras, com mais de 171 homicídios por 100 mil habitantes. A lista só coloca locais com mais de 300 mil habitantes e não inclui mortes em zonas de guerra ou cidades com dados indisponíveis.

Do Business Insider

50. Cuernavaca, México – 25.45 homicídios/100 mil habitantes

49. Medellín, Colombia –  26.91 homicídios/100 mil habitantes

48. Torreón, Mexico – 27.81 homicídios/100 mil habitantes
 
47. Cúcuta, Colômbia – 28.43  homicídios/100 mil habitantes
 
46. Macapá, Brasil – 28.87 homicídios/100 mil habitantes
 
45. Tijuana, México – 29.90 homicídios/100 mil habitantes
 
44. Curitiba, Brasil – 31.48 homicídios/100 mil habitantes
 
43. Chihuahua, México – 33.29 homicídios/100 mil habitantes
 
42. Belo Horizonte, Brasil – 33.39 homicídios/100 mil habitantes

 
41. Victoria, México – 33.91 homicídios/100 mil habitantes
 
40. Baltimore, EUA – 33.92 homicídios/100 mil habitantes
 
39. Aracaju, Brasil – 34.19 homicídios/100 mil habitantes
 
38. Durban, África do Sul – 34.48 homicídios/100 mil habitantes
 
37. Porto Alegre, Brasil – 34.65 homicídios/100 mil habitantes
 
36. Pereira, Colômbia – 34.68 homicídios/100 mil habitantes
 
35. Nelson Mandela Bay, África do Sul – 34.89 homicídios/100 mil habitantes
 
34. Nuevo Laredo, México – 34.92 homicídios/100 mil habitantes
 
33. Manaus, Brasil – 37.07 homicídios/100 mil habitantes
 
32. Palmira, Colômbia – 37.66 homicídios/100 mil habitantes
 
31. Obregón, México – 37.71 homicídios/100 mil habitantes
 
30. Campina Grande, Brasil – 37.97 homicídios/100 mil habitantes
 
29. Recife, Brasil – 39.05 homicídios/100 mil habitantes
 
28. New Orleans, EUA – 39.61 homicídios/100 mil habitantes
 
27. Juárez, México – 39.94 homicídios/100 mil habitantes
 
26. Kingston, Jamaica – 40.59 homicídios/100 mil habitantes
 
25. Guatemala, Guatemala – homicídios/100 mil habitantes
 
24. Culiacán, México – 42.17 homicídios/100 mil habitantes
 
23. Goiânia, Brasil – 44.82 homicídios/100 mil habitantes
 
22. Detroit, EUA – 44.87 homicídios/100 mil habitantes
 
21. Barquisimeto, Venezuela – 46.46 homicídios/100 mil habitantes
 
20. Teresina, Brasil – 49.49 homicídios/100 mil habitantes
 
19. St. Louis, EUA – 49.93 homicídios/100 mil habitantes
 
18. Belém, Brasil – 53.06 homicídios/100 mil habitantes
 
17. Salvador (e Região Metropolitana, Brasil – 54.31 homicídios/100 mil habitantes
 
16. Cuiabá, Brasil – 56.46 homicídios/100 mil habitantes
 
15. Vitoria, Brasil – 57 homicídios/100 mil habitantes
 
14. Cidade do Cabo, África do Sul – 60 homicídios/100 mil habitantes
 
13. San Salvador, El Salvador – 61.21 homicídios/100 mil habitantes
 
12. Ciudad Guayana, Venezuela – 62.13 homicídios/100 mil habitantes
 
11. Natal, Brasil – 63.68 homicídios/100 mil habitantes
 
10. São Luís, Brasil – 64.71 homicídios/100 mil habitantes
 
9. Cali, Colômbia – 65.25 homicídios/100 mil habitantes
 
8. Fortaleza, Brasil – 66.55 homicídios/100 mil habitantes
 
7. Valencia, Venezuela – 71.08 homicídios/100 mil habitantes
 
6. Maceió, Brasil – 72.91 homicídios/100 mil habitantes
 
5. Distrito Central, Honduras – 77.65 homicídios/100 mil habitantes
 
4. João Pessoa, Brazil – 79.41 homicídios/100 mil habitantes
 
3. Acapulco, México – 104.16 homicídios/100 mil habitantes
 
2. Caracas, Venezuela – 115.98 homicídios/100 mil habitantes
 
1. San Pedro Sula, Honduras – 171.20 homicídios/100 mil habitantes

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora