Após discurso de secundarista, Richa perde maioria no Legislativo

 
Jornal GGN – O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), sofreu derrota na Assembléia Legislativa, após a secundarista Ana Júlia, de 16 anos, dar uma aula de direitos e cidadania para os deputados estaduais. O emocionante relato em defesa das ocupações nas escolas da rede pública estadual fez com que os parlamentares derrubassem três vetos do mandatário tucano.
 
Ao defender a legitimidade das ocupações, de acordo com a legislação brasileira, a jovem estudante fez também duras críticas ao projeto da “escola sem partido”, da reforma no ensino médio e da PEC 241, que impõe limite aos gastos públicos, interferindo na saúde e educação. 
 
Segundo Ana Júlia, o projeto Escola Sem Partido “nos humilha” e a PEC 241 “é uma afronta” à Constituição de 1988. “A nossa única bandeira é a educação”, completou a secundarista.
 
https://www.youtube.com/watch?v=8gGpuwZlNcg width:700 height:394
 
Após o discurso da estudante de 16 anos do Colégio Estadual Senador Alencar Guimarães e a grande repercussão que dominou as redes sociais, levou a adesão de mais 14 deputados estaduais, incluindo as bancadas do PSC e do PSD, aos 18 parlamentares oposicionistas, gerando 32 das 54 cadeiras da Assembleia contra propostas de Richa.
 
O blogueiro Esmael Morais aponta que esta pode ser uma reviravolta no apoio ao tucano no Legislativo do Estado.
 
 

O governador Beto Richa (PSDB) teve três vetos derrubados esta semana, na Assembleia Legislativa do Paraná, fechada ontem (26) com o histórico pronunciamento da estudante Ana Júlia, de 16 anos, que deu uma aula de cidadania e democracia ao explicar para os deputados os motivos das ocupações nas escolas da rede pública estadual.

Fato é que o tucano perdeu a maioria no legislativo estadual, pois as bancadas do PSC e PSD — leia-se Ratinho Junior –, que contam com 14 votos, se somaram aos 18 parlamentares oposicionistas. Com isso formaram maioria com 32 das 54 cadeiras.

As matérias vetadas em si não vem ao caso, pois relevante é que esta reviravolta na Assembleia pode favorecer muito professores — da educação básica e universitária — e demais servidores em breve há 10 dias.

Richa quer que os deputados votem a Mensagem 403 para revogar a data-base de janeiro de 2017, isto é, quer oficializar o calote na reposição inflacionária dos servidores públicos do Paraná. No entanto, parece que o tucano não tem mais força em plenário — por isso agora blefa com bravatas tipo “prendo e arrebento”.

Aparentemente, não há saídas para o governador do PSDB. Está isolado em todos os frontspossíveis da política. As ocupações de escolas e universidades, bem como as greves das categorias do funcionalismo, já lhe consumia as energias. Agora, para agravar, a Assembleia também lhe vira as costas.

Para fechar o repolho, se o candidato de Richa em Curitiba, Rafael Greca (PMN), perder eleição no domingo (30), muito provavelmente, os deputados não lhe darão nem bom dia. É a ingratidão da política. É esperar e conferir.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

22 comentários

  1. Realmente, a Ana deu uma aula

    Realmente, a Ana deu uma aula sobre a cidadania ontem aqui no Paraná. E ainda teve humildade de se desculpar, após dizer que os deputados tinham as mãos manchadas de sangue – devido à morte de um  estudante numa das escolas ocupadas.

    O discurso da estudante é de causar ânimo àqueles que desejam uma sociedade crítica e participativa. Quanto ao Richa, bem, ele é um político de bravatas: fala o que deseja ouvir, não importa a realidade contrária.

    O PAraná está com investigações graves na Receita Estadual, na Assembléia, na Secretaria de Educação/Obras, o Judiciário ‘seduziu’ os deputados e conseguiu um auxílio moradia, que daria vergonha a qualquer um sujeito decente, e o Richa diz que tudo é pontual.

    Tomara que ele receba a opsentadoria quando tentar uma vaga ao Senado. 

    Com relação ao seu ‘pupilo’, o Greca, já deu o tiro de misericórdia e partiu para uma campanha bem ao tipo tucano: baixaria. Não que Ney Leprevos seja uma opção necessária, longe disso, mas ter o candidato do governador derrotado na capital será muito bom para não dar palanque a ele aqui em Curitiba.

  2. E vamos derrubar este golpe.

    E vamos derrubar este golpe. ~Há muita gente como Ana Júlia talvez sem a sua força de expressão mas,  com o coração pulsando e a cabeça a mil. Força, coragem , persistência , para todos nós.

    E parabéns ao presidente Lula. Lembrem.

  3. Essa é a primeira vitória

    Essa é a primeira vitória depois de dois anos…

    A PEC 241 precisa ser barrada. Depois dela aprovada, não adianta vencer o golpe, tacar os golpistas na cadeia. 

    O tempo é curto.

  4. Queremos ela em Brasília

    Nassif,

    Lindemberg ou Vanessa deveriam convidar essa jovem para discursar no Senado no dia da discussão da PEC da Morte! Seria fantástico ver Cristovan Buarque falar para os jovens diretamente interessados no destino da educação que ele próprio é a favor do congelamento de recursos por 20 anos, tempo em que ele não mais estará vivo. Seria apoteótico.

    Abraço,

     

    Djalma Oliveira

  5. Queremos ela em Brasília

    Nassif,

    Lindemberg ou Vanessa deveriam convidar essa jovem para discursar no Senado no dia da discussão da PEC da Morte! Seria fantástico ver Cristovan Buarque falar para os jovens diretamente interessados no destino da educação que ele próprio é a favor do congelamento de recursos por 20 anos, tempo em que ele não mais estará vivo. Seria apoteótico.

    Abraço,

     

    Djalma Oliveira

  6. Pessoal,
    se fosse o discurso

    Pessoal,

    se fosse o discurso de uma garotinha do MBL contra o PT, os governos Lula e Dilma ou a favor do Moro, com certeza Ana Júlia já estaria sendo convidada a participar dos programas da Ana Maria Braga, da Fátima Bernardes, do Danilo Gentili, Jovem Pan etc etc. Aliás, a agenda dela para entrevistas já estaria lotada até o fim do ano. Mas como suas palavras expressaram tudo o que contraria os poderosos e a mídia golpista, ela simplesmente é ignorada. Não fosse os blogs “sujos”, o histórico discurso de Ana Júlia jamais teria qualquer repercussão.    

    • Se existe alguma esperança, ela está nos proles

      “A CORAGEM DE DIZER A VERDADE

      É evidente que o escritor deve dizer a verdade, não a calar nem a abafar, e nada escrever contra ela. É sua obrigação evitar rebaixar-se diante dos poderosos, não enganar os fracos, naturalmente, assim como resistir à tentação do lucro que advém de enganar os fracos. Desagradar aos que tudo possuem equivale a renunciar seja o que for. Renunciar ao salário do seu trabalho equivale por vezes a não poder trabalhar, e RECUSAR SER CÉLEBRE ENTRE OS PODEROSOS É MUITAS VEZES RECUSAR QUALQUER ESPÉCIE DE CELEBRIDADE. Para isso precisa-se de coragem. As épocas de extrema opressão costumam ser também aquelas em que os grandes e nobres temas estão na ordem do dia. Em tais épocas, quando o espírito de sacrifício é exaltado ruidosamente, precisa o escritor de muita coragem para tratar de temas tão mesquinhos e tão baixos como a alimentação dos trabalhadores e o seu alojamento.

      Quando os camponeses são cobertos de honrarias e apontados como exemplo, é corajoso o escritor que fala da maquinaria agrícola e dos pastos baratos que aliviariam o tão exaltado trabalho dos campos. Quando todos os altifalantes espalham aos quatro ventos que o ignorante vale mais do que o instruído, é preciso coragem para perguntar: vale mais porquê? Quando se fala de raças nobres e de raças inferiores, é corajoso o que pergunta se a fome, a ignorância e a guerra não produzem odiosas deformidades. É igualmente necessária coragem para se dizer a verdade a nosso próprio respeito, sobre os vencidos que somos. Muitos perseguidos perdem a faculdade de reconhecer as suas culpas. A perseguição parece-lhes uma monstruosa injustiça. Os perseguidores são maus, dado que perseguem, e eles, os perseguidos, são perseguidos por causa da sua virtude. Mas essa virtude foi esmagada, vencida, reduzida à impotência. Bem fraca virtude ela era! Má, inconsistente e pouco segura virtude, pois não é admissível aceitar a fraqueza da virtude como se aceita a humidade da chuva. É necessária coragem para dizer que os bons não foram vencidos por causa da sua virtude, mas antes por causa da sua fraqueza. A verdade deve ser mostrada na sua luta com a mentira e nunca apresentada como algo de sublime, de ambíguo e de geral; este estilo de falar dela convém justamente à mentira. Quando se afirma que alguém disse a verdade é porque houve outros, vários, muitos ou um só, que disseram outra coisa, mentiras ou generalidades, mas aquele disse a verdade, falou em algo de prático, concreto, impossível de negar, disse a única coisa que era preciso dizer.

      Não se carece de muita coragem para deplorar em termos gerais a corrupção do mundo e para falar num tom ameaçador, nos sítios onde a coisa ainda é permitida, da desforra do Espírito. Muitos simulam a bravura como se os canhões estivessem apontados sobre eles; a verdade é que apenas servem de mira a binóculos de teatro. Os seus gritos atiram algumas vagas e generalizadas reivindicações, à face dum mundo onde as pessoas inofensivas são estimadas. Reclamam em termos gerais uma justiça para a qual nada contribuem, apelam pela liberdade de receber a sua parte dum espólio que sempre têm partilhado com eles. Para esses, a verdade tem de soar bem. Se nela só há aridez, números e factos, se para a encontrar forem precisos estudos e muito esforço, então essa verdade não é para eles, não possui a seus olhos nada de exaltante. Da verdade, só lhes interessa o comportamento exterior que permite clamar por ela. A sua grande desgraça é não possuírem a mínima noção dela…” – Bertolt Brecht

      http://resistir.info/brecht/brecht_a_verdade.html

      Quem quer holofotes é o Hipster da Fedeca e o Moro. Os Estudantes querem educação de verdade, pública, gratuita e de qualdiade.

      Esses Estudantes já chegaram muito longe. O Movimento sindical está ficando a engolir poeira

  7. Devem mesmo…

    ….convida-la para que vá ao Congresso Nacional para dar um choque de realidade nesse pessoal que faz essas merdas, achando que fazem coisas para ninguém exceto seus companheirinhos…

    Ótimo discurso, por ter sentido cada palavra, nem se calou com aquele “presidente” despeitado que tentou intimida-la, talvez por ela representar o que ele nunca foi nem jamais será.

    Realmente discurso emocionante e forte.

    Como já comentei aqui, muito otimista ao ver aqueles patetas do Golpe, PECs, etc. tendo que lutar contra essa rapaziada…Vão perder feio.

  8. Que aula de cidadania! Essa

    Que aula de cidadania! Essa menina é um monstro (no bom sentido).

    O próprio presidente da sessão levou uma bofetada moral no mesmo instante em que ameaçou suspender a sessão.

    A resposta dela veio fulminante: “eu peço desculpas, mas o próprio ECA nos diz…

    Pode lavar suas mãos, insignificante deputado. Suas mãos estão sujas de sangue, sim. Infelizmente de um estudante.

    Queria ver essa sua “autoridade”,  caso o sangue fosse de um filho seu.

    Ao mesmo tempo, duvido que os senhores senadores tenham peito de ouvir essa menina. Não terão coragem, pois sabem

    que, por mais preparo que tenham para tergiversar sobre qualquer assunto, serão engulidos por Ana Julia.

    Tão menina e tão mais brasileira que qualquer politico no “poder”.

    Ana Julia, você me representa. 

     

  9. Criar dificuldades…

    Duvide-ó-dó que esses partidos se mantenham na oposição. Aposto que logo receberão algum tipo de “incentivo” de Richa e voltarão a apoiá-lo.

  10. O discurso dessa brilhante

    O discurso dessa brilhante brasileirinha me fez recordar de uma conversa com membro da tfp e do movimento monarquista em 1994. Ele me disse: “Mulher devia ficar em casa, lavando roupa e cuidando das crianças”. Esse é o pensamento conservador que veio espalhando… É essa Direita preconceituosa que cooptou boa parte dos remediados homens e mulheres.

  11. CIDADANIA

    ANA JÚLIA   tem  16 anos. Atualmente, só pode votar!

     Em 2018  terá 18 anos e, com certeza, irá para a Câmara Federal !   

    Como na canção dos LOS HERMANOS : 

    Oh, Ana Júlia,a,a,a,a

     Oh, Ana Júlia,a,a,a,a

    Eu boto fé é na fé da moçada ! (Gonzaguinha)

     

    Aninha, que você continue no seu caminho e que não deixe se influenciar pelos maus políticos.

     

  12. Não façam isso! Não a levem

    Não façam isso! Não a levem pro Congresso, ela pode se contaminar com tantos “canalhas”… Concordo que a jovem seja palestrante para professores e estudantes, que não sabem nem o que é a PEC.

    Mas é certo que ela é uma amostra de que o Brasil tem jeito, novas lideranças devem e podem surgir. Tem que ser breve, mas não podem sufocá-las…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome