Atos por revogação da reforma, democracia e Lula marcarão o 1º de Maio

Principal atividade será em Curitiba, com um ato unificado em defesa da liberdade do ex-presidente Lula (PAULO PINTO/AGPT)

CUT 1º de Maio

da Rede Brasil Atual

Atos por revogação da reforma, democracia e Lula marcarão o 1º de Maio

Será o primeiro ato depois da “reforma” trabalhista. Principal atividade está programada para Curitiba, que terá encontro inédito das centrais. Ato da CUT em SP será na Praça da República

por Redação RBA

São Paulo – No primeiro 1º de Maio depois de implementada a “reforma” da legislação trabalhista, a revogação da Lei 13.467 e a defesa dos direitos sociais e da democracia marcarão as atividades da próxima terça-feira em todo o país. A principal está prevista para Curitiba, onde as centrais sindicais farão uma inédita manifestação conjunta no Dia do Trabalho, pedindo a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o dia 7, e a realização da eleições livres. 

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, será um dia histórico, por ser o primeiro ato unificado desde a redemocratização do país. “A CUT entende que defender os direitos dos trabalhadores é ter Lula Livre e candidato à Presidência, para que possamos eleger um presidente que revogue a reforma trabalhista“, afirma.

A concentração das centrais (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Intersindical, Nova Central e UGT) será na Praça Santo Andrade, também conhecida como Praça da Democracia, no centro histórico de Curitiba. Fica a aproximadamente oito quilômetros da Superintendência da Polícia Federal, onde Lula está preso. Além de integrantes das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo e políticos de diversos partidos, também são esperados sindicalistas de Argentina, Paraguai e Uruguai, entre outros países. 

Estão previstas manifestações de 1º de Maio por todo o país, embora de alguns estados sairão caravanas rumo a Curitiba. Na capital paulista, a manifestação será na Praça da República, na região central, a partir das 12h. Entre as atrações confirmadas, estão a banda Liniker e os Caramelows, a rapper Preta Rara e a sambista Leci Brandão, além do grupo Mistura Popular, a escola Unidos de Santa Bárbara e intérpretes da Paraíso do Tuiuti no carnaval, Grazzi Brasil e Celsinho Mody. Esse ato é organizado pela CTB, CUT e Intersindical, além das duas frentes.

Já no Rio de Janeiro, a concentração convocada pela CUT está marcada na Praça XV, no centro, às 14h. Haverá uma caminhada pelo Boulevard Olímpico até a Praça Mauá.

Em Porto Alegre, será no Parque da Redenção, às 10h, e contará com a apresentação de Nei Lisboa, Raul Ellwanger, Grupo Unamérica e outros artistas. Em Brasília, o ato, no estacionamento da Funarte, inclui debate com movimentos sociais, apresentações culturais e atividades para as crianças.

Há outro ato previsto em São Paulo, organizado pela Força Sindical. Será na Praça Campo de Bagatelle, na zona norte, das 9h às 15h. A UGT realizou nesta quinta-feira (26) um seminário sobre os impactos da 4ª Revolução Industrial no mundo do trabalho. Amanhã, a entidade promove debate com candidatos.

No dia 2, o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, na região metropolitana de São Paulo, promove lançamento do livro sobre José Ibrahim, escrito pela jornalista Mazé Chotil. Ibrahim foi presidente daquela entidade e participou do 1º de Maio de 1968 na Praça da Sé, que terminou com tumulto, forçando a retirada do então governador, Abreu Sodré. A Câmara dos Deputados deve realizar, em 10 de julho, uma sessão solene em homenagem aos 50 anos das greves dos metalúrgicos de Osasco e Contagem (MG).

Outras regiões

Em Maceió, segundo a CUT, o ato em defesa de direitos, democracia e Lula Livre será às 8h30, no Posto 7, no bairro de Jatiúca, com participação de representantes da CSP-Conlutas, CTB e Nova Central. Em Fortaleza, o local será o Centro Poliesportivo de Parangaba, na Avenida General Osório de Paiva, a partir das 15h, com CTB, CUT e Intersindical. Ainda no Nordeste, a Frente Brasil Popular faz ato a partir das 9h, na Praça da Democracia, em Recife. E em Salvador, a manifestação começa às 13h, na Barra.

Em Macapá, será realizada uma vigília às 9h, na sede da central, no bairro de Laguinho. Manaus terá atividade a partir das 15h, na esquina da Sete de Setembro com Avenida Eduardo Ribeiro, no centro da capital amazonense. 

Em Goiânia, a manifestação está prevista para a Praça Universitária, no Setor Leste. A abertura será às 14h, com a banda Sã Consciência, além de rodas de conversa, oficina e a exibição de curtas-metragem. Também na região Centro-Oeste, em Campo Grande, o ato começa às 17h, na esquina da Rua Afonso Pena com a Rua 14 de Julho.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora