Boulos é liberado pela polícia após 10 horas de detenção

“MTST estava lá para buscar construir uma saída pacífica”, afirmou dirigente logo após detenção

da Rede Brasil Atual

Boulos é liberado pela polícia após 10 horas de detenção

Segundo coordenador do MTST, episódio mostra avanço do Estado de exceção. Ao ser detido, tentava negociar saída sem conflito para a reintegração de posse em terreno ocupado por 700 famílias
 
por Redação RBA

São Paulo – O coletivo Jornalistas Livre informou há pouco que Guilherme Boulos, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), acaba de ser liberado pela Polícia Civil. Ele ficou mais de dez horas detido. Boulos foi preso na manhã de hoje (17) pela Tropa de Choque da PM ao tentar negociar uma saída para a reintegração de posse em terreno ocupado por 700 famílias de trabalhadores sem-teto, na Ocupação Colonial, na região de São Mateus, zona leste de São Paulo. 

A PM alegou desobediência para justificar a prisão. “Foi uma prisão política, evidente. Alegaram incitação à violência. Despejam 700 famílias com violência e eu que incito a violência”, ironizou o dirigente após a detenção e o depoimento ao delegado. “O MTST estava lá para buscar construir uma saída pacífica”, disse ainda. Segundo ele, o episódio mostra o avanço do estado de exceção no país e uma ofensiva de criminalização dos movimentos sociais. “Isso é notório. Cada vez mais há uma tentativa de desmoralizar os movimentos.”

A reintegração de posse foi pedida pelo prefeito João Doria (PSDB) e realizada pela Tropa de Choque do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Um membro da Tropa de Choque justificou a prisão o ativista: “Temos horas de filmagens suas de outras manifestações e ocupações e sabemos que você é liderança, você está detido por desacato, obstrução da via, obstrução da justiça e incitação de violência”, disse o militar.  

A ação da polícia e a prisão do líder do MTST desencadearam também uma onda de solidariedade ao movimento. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Barbárie

    A Constituição (sim, ela ainda existe!) diz que a propriedade tem que finalidade social. Ora, aquele terreno estava abandonado há 40 anos! E o Estado criminoso usa um exército armado até os dentes para jogar na rua 700 famílias pobres.

    Em qualquer país minimamente civilizado, isso seria motivo para a queda de governantes. Mas aqui na República da Banânia…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome