Cala a boca já morreu – ASSIBGE repudia censura a Luis Nassif, Patrícia Faermann e GGN

A capacidade dos comunicadores de fornecerem informações e opiniões para a sociedade nunca esteve tão comprometida desde a redemocratização.

da ASSIBGE – Associação dos Servidores do IBGE

Cala a boca já morreu – ASSIBGE repudia censura a Luis Nassif, Patrícia Faermann e GGN

Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves, juiz da 32ª Vara Cível do Rio de Janeiro, obrigou o jornal GGN a tirar do ar uma série de reportagens de Luis Nassif e Patrícia Faermann sobre o Banco BTG Pactual, sob pena de pagamento de multa diária de 10 mil reais em caso de descumprimento. As reportagens censuradas abordam vários contratos suspeitos envolvendo o banco.

As matérias escritas pelos jornalistas revelam desde o favorecimento em uma licitação da Zona Azul da Prefeitura de São Paulo até uma estranha venda de “créditos podres” do Banco do Brasil à empresa ligada a Paulo Guedes.

O Jornal GGN, irá recorrer da decisão no STF (Supremo Tribunal Federal), com o apoio da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, da ABI (Associação Brasileira de Imprensa) e do Instituto Vladimir Herzog.

*A capacidade dos comunicadores de fornecerem informações e opiniões para a sociedade nunca esteve tão comprometida desde a redemocratização.

Sigamos, juntos, CENSURA NÃO.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome