Caminhoneiros realizam protesto no Porto de Santos; sindicalista é preso

Quanto à prisão do sindicalista, ainda não se tem informações sobre o motivo, já que o movimento é pacífico e não desobedeceu a liminar sobre fechamento de vias.

Foto Revista Fórum

Jornal GGN – Alexsandro Viviani, o Italiano, presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos (Sindicam) foi detido pela Força Tática da Polícia Militar durante protestos de caminhoneiros.

O grupo realizou protesto na manhã de hoje, 17, no Porto de Santos. A intenção é um protesto de 24 horas, que começou a zero hora. Estão reunidos na Avenida Engenheiro Augusto Barata.

Não houve bloqueio de acesso, já que o juiz Roberto da Silva Oliveira, da Justiça Federal de Santos, determinou multa diária de R$ 200 mil caso a liminar não seja cumprida. O presidente da Sindicam garantiu que iam cumprir a decisão.

A movimentação é um protesto contra o fechamento de dois grandes terminais de contêiner no Porto de Santos. Isso por conta do PDZ – Plano de Desenvolvimento e Zoneamento. Com o PDZ, dez mil pais de família perderam seu trabalho. Além disso, brigam contra o fim do piso mínimo de frete e a questão do preço dos combustíveis.

Segundo o ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas, o PDZ é um rearranjo de terminais portuários, ‘um conceito de clusterização’, que irá concentrar cargas por tipos em determinadas áreas do Porto.

Quanto à prisão do sindicalista, ainda não se tem informações sobre o motivo, já que o movimento é pacífico e não desobedeceu a liminar sobre fechamento de vias. Também não se tem informações do porquê a Polícia Militar usou bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes.

Pelos relatos, a ação truculenta da Polícia foi para impedir que os grevistas conversassem com caminhoneiros que estavam chegando ao Porto, para conseguir maior adesão.

Após a prisão do sindicalista, a entrada de caminhões no Porto foi liberada.

Com informações do jornal A Tribuna.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora