Caso Jacarezinho: operação precisa ser investigada, diz HRW

Em nota, entidade afirma que Ministério Público “tem a competência e obrigação constitucional de exercer o controle externo sobre a polícia”

Policiais fortemente armados saem de um veículo blindado durante uma operação em 6 de maio de 2021 na comunidade Jacarezinho, no Rio de Janeiro, Brasil. © 2021 AP Photo/Silvia Izquierdo - reprodução via Human Rights Watch

Jornal GGN – A operação policial deflagrada na comunidade de Jacarezinho, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (06-05),  deveria ser alvo imediato de “uma investigação minuciosa e independente” pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, segundo a Human Rights Watch.

Em nota, a entidade lembra que o Ministério Público “tem a competência e obrigação constitucional de exercer o controle externo sobre a polícia e garantir investigações criminais adequadas de abusos policiais”.

“O Ministério Público deve fazer todas as diligências para conduzir uma investigação com respeito à legislação e protocolos do Brasil e aos parâmetros internacionais, estabelecidos no Manual das Nações Unidas sobre Prevenção Eficaz de Execuções Extrajudiciais, Arbitrárias e Sumárias, conhecido como Protocolo de Minnesota”, diz a Human Rights Watch.

A entidade também lembra que, em decisão liminar de 2020, o Supremo Tribunal Federal determinou ao Ministério Público do Rio que conduza suas próprias investigações em casos de possível abuso policial. “Essa determinação do STF é especialmente importante nos casos de operações com envolvimento da polícia civil, como a desta manhã, uma vez que também é a polícia civil a responsável pela investigação e que, portanto, estaria investigando seus próprios agentes”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora