Caso Jacarezinho: Oxfam Brasil pede esclarecimentos sobre ação policial

Em nota, associação diz que “política de confronto é a expressão brutal das desigualdades e de uma sociedade classista e racista”

Foto: Reprodução/Voz das Comunidades

Jornal GGN – A ação da Polícia Civil do Rio de Janeiro na comunidade do Jacarezinho nesta quinta-feira (06/05) “é a expressão brutal das desigualdades e de uma sociedade classista e racista, em que o resultado recorrente é a morte de pessoas negras e pobres”. A afirmação é da Oxfam Brasil.

Em nota, a instituição lembra que a ação policial foi a mais letal já realizada na cidade e afirma que, apenas no ano passado, 1.239 pessoas foram mortas em operações policiais no Rio de Janeiro.

“Reconhecendo esse contexto, o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu em agosto de 2020 operações policiais em comunidades e favelas do Rio de janeiro durante a pandemia de covid-19”, diz a entidade. “Há denúncias feitas por moradores da comunidade a respeito de inúmeros abusos e violações de direitos humanos cometidos durante a operação. As investigações devem ser realizadas de maneira autônoma e independente, por órgão diferente daquele envolvido na operação”.

A Oxfam ressalta que o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro “tem o dever de apurar as condições em que a operação foi realizada e as devidas responsabilidades pelo uso excessivo da força e demais abusos contra os moradores da comunidade do Jacarezinho”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora