Chacina comove o Mundo

Quase 48 horas depois da chacina, polícia ainda não divulgou a identidade dos mortos. Nesta sexta-feira, centenas de manifestantes fizeram uma passeata nas ruas da favela

Foto: Reprodução/Voz das Comunidades

do Portal Favelas

por Xico Teixeira

O número de pessoas mortas na chacina do Jacarezinho sobe para 28 e jornais e emissoras do mundo todo repercutem a tragédia da última quinta-feira. Os moradores da favela fizeram protestos contra a ação violenta da polícia e gritam por justiça. Quase 48 horas depois da chacina, polícia ainda não divulgou a identidade dos mortos. Nesta sexta-feira (dia 07), centenas de manifestantes fizeram uma passeata nas ruas da favela, no subúrbio do Rio de Janeiro.

Mortos identificados até a noite de sexta-feira, dia 7, Segundo Comissão de Direitos Humanos da OAB:

Carlos Avelino da Costa Júnior, 43 anos

Cleiton da Silva de Freitas Lima, 27 anos

Francisco Fabio Dias Araujo Chaves, 25 anos

Isaac Pinheiro de Oliveira, 22 anos

Jhonatan araujo da silva, 18 anos

John Jefferson Mendes Rufino da Silva, 30 anos

Jorge Jonas do Carmo, 31 anos

Marcio da Silva, 43 anos

Marcio Manoel da Silva, 41 anos

Mauricio Ferreira da Silva, 27 anos

Natan Oliveira de Almeida, 21 anos

Raul Barreto de Araujo, 19 anos

Ricardo Gabriel da Silva Ferreira, 23 anos

Rômulo Oliveira Lúcio, 20 anos

Toni da Conceição, 30 anos

Wagner Luís de Magalhães Fagundes, 38 anos

E o Policial Civil André Frias, 45 anos.

Dezenas de pessoas foram para as ruas protestar contra ação da Polícia do Governador Claudio Castro:

Nota de repúdio do Núcleo de Políticas Públicas e Direitos Humanos, professores e entidades da Universidade Federal do Rio de Janeiro:

NOTA PÚBLICA DE DISCENTES DO PPDH/NEPP-UFRJ E DEMAIS SIGNATÁRIOS EM RESPOSTA À CHACINA DO JACAREZINHO

Nós, discentes do Núcleo de Políticas Públicas e Direitos Humanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro, junto aos demais signatários (entre servidores, professores, técnicos, colaboradores e estudantes de demais cursos da UFRJ), que subscrevem a esta nota, repudiamos veementemente a violência letal perpetrada em territórios de favelas e periferias e cobramos a apuração célere, meticulosa e independente de todas as 25 mortes e demais violações ocorridas no contexto da operação conduzida pela polícia civil, no dia 6 de maio de 2021, na favela do Jacarezinho, Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.

Vale destacar que a realização da referida operação vai contra a determinação judicial da Suprema Corte, que, no bojo da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 635, proibiu que operações policiais sejam realizadas no contexto da pandemia.

Trata-se da operação policial mais letal da história do Rio de Janeiro, a qual revela na prática os impactos nefastos da militarização e do pretenso combate a drogas e armas no marco da (necro)política de segurança pública do Rio de Janeiro.

A forma como as autoridades do Estado têm lidado com as questões de segurança demonstra como a lógica de guerra tem resultado em violação frontal dos direitos à vida, à integridade física e a viver uma vida livre de violência. A atual política de segurança pública tem promovido historicamente um aniquilamento da população negra e favelada. É importante destacar que o papel da polícia civil deveria ser, conforme preceitua a Constituição Federal, o de apuração de infrações penais, destacando seu caráter investigativo e de mobilização da infraestrutura como única resposta a quaisquer práticas delituosas. De modo algum, se por esses princípios orientada, a operação policial poderia produzir tantas mortes. A instituição policial deve, por princípio balizador, proteger a vida dos cidadãos, agindo exclusivamente pela garantia de direitos, nunca violando-os.

As informações amplamente veiculadas pela imprensa, bem como as denúncias circuladas por moradores, movimentos sociais e organizações da sociedade civil nas redes sociais, apontam a necessidade urgente de uma investigação célere, imparcial e independente, assim como a adoção de medidas de acolhimento às famílias das vítimas e de proteção a potenciais testemunhas por parte das autoridades. Além disso, é fundamental que se apure o número total de mortes, que, de acordo com a imprensa, já chegariam a 25 pessoas, sendo uma das vítimas um policial civil.

Além disso, é importante ressaltar que a tentativa de criminalização imediata das vítimas repercute negativamente no imaginário social e reverbera, em muitos casos, nos aparelhos jurídicos numa tentativa absurda de justificar as mortes produzidas. Uma operação que resulta em 25 mortes jamais deverá ser considerada como de sucesso. Não há o que justifique mais tanta violência e execução policial. Não se pode mais tolerar que o pretexto da guerra ao tráfico de drogas justifique os diversos massacres, como o que aconteceu ontem (06), em que as polícias têm realizado sobre a população favelada. Essa lógica de guerra historicamente promove violações de direitos humanos e precisa imediatamente ser interrompida.

A política de segurança pública deve ter por princípio básico a vida e a promoção da cidadania.

Assinam tambem::

Lígia Batista, advogada, fellow da Década Internacional Afrodescendente das Nações Unidas e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ;

Daniel Octaviano, analista em políticas públicas e mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ;

Brigida Nogueira, socióloga e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ;

Grace Kelly, advogada e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ;

Valeriano Dju, sociólogo e mestrando PPDH/NEPP-UFRJ;

Shirleia Peixoto, advogada, pedagoga e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ;

Miguel Lopes, advogado e mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ;

Jackson Quitete, Servidor Público estadual, Graduado em Direito pela UERJ, Pós Graduado em Direito Público e Mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ;

Ana Paula Brandão, historiadora e mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ;

Giowana Cambrone, advogada, professora, vice presidente Comissão de Diversidade Sexual e de Gênero OAB/RJ, mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ;

Aline Francisca de Souza Pereira Pires, assistente social, membro da Unegro Caxias, integrante do Coletivo de Negros e Negras Dona Ivone Lara da ESS/UFRJ, mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ;

Wesley Tress Monteverde, advogado, militante, presidente da Comissão de Diversidade Sexual e de Gênero da OAB/Colatina-ES, membro da Comissão Estadual de Direitos Humanos do Estado do Espírito Santo, membro da Anistia Internacional e mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ;

Marcio Santos de Carvalho, cientista social, mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ;

Pedro Barreto Pereira, trabalhador da UFRJ

Márcio Borges da Silva, Especialista em gestão pública e mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ

Carolina Cagetti, economista e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ

Maria Eduarda Pessoa, advogada e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ

Hugo Rosa Alves Almada, professor e mestrando do PPDH/NEPP-UFRJ

Tatiana Vasconcelos da Rosa, professora e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ

Camila Marins, jornalista, editora da Revista Brejeiras e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ

Thaís Castro Madeira, assistente social, editora da Revista discente Akeko (NEPP-DH) e mestranda do PPDH/NEPP-DH

Murilo Peixoto da Mota, sociólogo do NEPP-DH/UFRJ

Maísa Pinheiro, advogada e mestre pelo PPDH/NEPP-DH

Louise Lima Storni Rocha, cientista social e mestre pelo PPDH/NEPP-DH

Iara Amora dos Santos, advogada e mestranda do PPDH/NEPP-DH

Fernanda Tomé de Almeida Bonifacio, advogada, servidora pública e mestranda do NEPP/DH

Clarice Araujo Imbuzeiro, assistente social e mestranda do PPDH/NEPP-DH

Simone Ramos, assistente social e mestranda do PPDH/NEPP-DH

Suzana Brito Devulsky, jornalista e mestranda do PPDH/NEPP-DH UFRJ

Ingrid David Alves de Carvalho, comunicadora social, especialista em acessibilidade cultural, integrante do Coletivo Agbara, cofundadora do Coletivo Pretxs no Topo e mestranda do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Rejane Barbosa de Sousa Nogueira, jornalista e mestranda do PPDH/NEPP-DH UFRJ

Vitor Maurício dos Santos Matos, Professor de Educação Física e mestrando do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Bárbara Menezes Silva Santos, assistente social, mestranda do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Marina Afonso Siqueira, advogada e mestranda do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Danielle Paula de Jesus de Souza, advogada criminalista, servidora pública e mestranda do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Lilian Luiz Barbosa. Assistente social,pesquisadora, educadora popular, militante antirracista e mestranda do PPGSS/UFRJ

Luiz Gustavo da Costa Carlos, Internacionalista, mestrando do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Victoria Alves de Oliveira, Geógrafa, mestranda do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Daniel Antoine Abou Jaoude- Advogado, Mestrando do PPDH/ NEPP-DH/UFRJ

Roberta Barbosa Miranda. Advogada e Mestranda do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Pedro Cláudio Cunca Bocayuva Professor do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Ana Carolina Lima Claudino, Publicitária, colunista da Mídia NINJA e Mestranda do PPDH/NEPPl UFRJ

Joana Moscatelli, jornalista da EBC e Mestranda do PPDH/NEPP/ UFRJ

Paula Lopes, Assistente Social e Mestranda do PPDH/NEPP/UFRJ

Andrezza Lelles da Cunha Oliveira, Assistente Social e Mestranda do PPDH/NEPP-DH/ UFRJ

Angela Bittencourt, advogada e mestranda do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Fernanda Barros dos Santos, Cientista Política, Professora PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Jadir Anunciação de Brito, Professor Associado PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Tauan da Silva Satyro, Assistente Social, Mestrando do PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Marcelo Mariano Nogueira, Colaborador do curso de extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos/NEPP-DH, membro da Coordenação Executiva Nacional da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia – ABJD

Renata Saavedra, jornalista e colaboradora do curso de extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos/NEPP-DH

Guilherme Pontes, advogado popular, mestrando do PPDH/NEPP-DH UFRJ e Secretário Político Nacional das Brigadas Populares

Jessica Gimenez, internacionalista, mestranda do PPDH/NEPP-DH UFRJ

Maria Celeste Simões Marques, professora associada PPDH/NEPP-DH. Associada da ABJD.

Daniele Grazinoli, trabalhadora lotada no SeCult da FE/UFRJ e integrante do coletivo de extensão Educação & Insubmissão.

Ana Claudia Diogo Tavares, professora do PPDH/NEPP-DH UFRJ

Márcio Borges da Silva, Especialista em gestão pública e mestrando do NEPP DH.

Rosana Heringer, Professora da Faculdade de Educação da UFRJ

Luíza Duque de Martins Silveira, advogada e mestranda do PPDH/NEPP-UFRJ;

Laura Astrolabio dos Santos, mestranda do PPDH-NEPP-DH-UFRJ, advogada, articuladora política do movimento Mulheres Negras Decidem

Lívia Gimenes Dias da Fonseca – Professora Adjunta PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Carmen Corato, doutoranda no PPGSS/UFRJ, militante e ativista antirracista.

Maria Angélica Paixão Frazão, assistente social e mestranda no PPGSS/UFRJ.

Ana Carolina B. Lopes- assistente social residente multiprofissional de saúde mental e atenção psicossocial do IPUB/ UFRJ

Patricia S. Rivero, Professora PPDH/NEPP-DH/UFRJ

Rosimar S S Borges – Assistente Social e doutoranda no PPGSS/UFRJ

Vivian Fróes Ferrão – Murilo graduanda em Canto Lírico na UFRJ, ativista de Direitos Humanos, mulher trans e colaboradora do curso de extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos/NEPP-DH

Ariana Santos- Assistente Social e Doutoranda em Serviço Social no PPGSS/UFRJ

Rafael Barros Vieira – Professor Adjunto ESS/UFRJ

Geandro Ferreira Pinheiro- trabalhador da Fiocruz e doutorando da ESS/UFRJ

Murilo Peixoto da Mota – sociólogo do Nepp-DH

Fillipe Perantoni – Assistente Social do IFMG e doutorando da ESS/UFRJ

Giselle Moraes de Souza – Assistente social e mestranda em Serviço Social – ESS/UFRJ

Rian Ferreira Rodrigues – Professor do IFF e doutorando no PPGSS/UFRJ

Izamara Ferreira – Graduanda de Serviço Social

Gabriella de Azevedo Carvalho, advogada e mestranda do PPDH/NEPP/UFRJ

Laura Rebecca Murray – Professora Adjunta NEPP-DH/UFRJ

Jéssica Ribeiro Duboc – Assistente Social e doutoranda em Serviço Social do PPGSS/UFRJ

Fábio dos Santos Barbosa – Assistente Social da UFS e da FHS/SE e doutorando em Serviço Social do PPGSS/UFRJ

Diogo Cavazotti Aires – mestre em Direitos Humanos e Direito Internacional Humanitário pela Universidad Católica da Colombia

Ruth Soemes Kloss Knaak Silva- advogada, mestranda Judo PPDH-NEPP-UFRJ

Vitória Baptistelli Jevoux – Graduanda em Serviço Social e pesquisadora do Núcleo de Estudos e Trabalhos sobre Família, Infância e Juventude NETIJ/UFRJ

ngela Maria Almeida dos Santos, estudante de Serviço Social UFRJ

Eloah Oliveira Corrêa – jornalista, especialista em Divulgação Científica pela Fiocruz, mestranda PPGHCTE/ UFRJ

Alexandre Freitas da Silva – estudante de medicina da FMUFRJ e membro do Coletivo NegreX

Viviane de Souza Barbosa Maia – Assistente Social e Mestranda em Serviço Social do PPGSS/UFRJ

Mariana Nogueira Rodrigues – Doutoranda em Sociologia (PPGSA/UFRJ)

Mariana Nicolau Oliveira- Mestrando em Serviço Social do PPGSS/UFRJ

Creusa Pereira da Silva Serra Gomes_ Assistente Social e Mestranda em

PPDH/NEPPDH_ UFRJ.

Luiza Avellar de Brito, graduanda em Serviço Social pela UFRJ.

Cecília Maria Izidoro Pinto

Professora Associada Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgico EEAN/UFRJ

Iná Pessoa da Costa, graduanda em Letras Português/Árabe pela UFRJ.

Ana Paula de Oliveira Fagundes. Assistente Social/ Residente multiprofissional IPUB/UFRJ

Matheus José Costa Goveia. Assistente Social/Residente multiprofissional IPUB/UFRJ

Ana Gabriela Ribeiro da Silva. Assistente Social/Residente Multiprofissional IPUB/UFRJ

Gabriella Mendes de Carvalho. Enfermeira/Residente Multiprofissional IPUB/UFRJ

Sarah Silva do Nascimento. Terapeuta Ocupacional/Residente Multiprofissional IPUB/UFRJ

Ingredi Palmieri Oliveira. Assistente Social IFS e doutoranda PPGSS/UFRJ

Luciene da Silva Lacerda. Doutoranda em Educação/UFRJ, e Psicóloga da UFRJ

Marilia Pereira de Jesus, graduanda em Letras jPortuguês/Literaturas pela UFRJ.

André de Oliveira Sena Melo, analista de defesa, mestre em Políticas Públicas em Direitos Humanos pelo PPDH/NEPP-DH/UFRJ e doutorando em Ciências Sociais pelo PPGCS/UFRRJ.

Fernanda do Vale Santos, assistente social, residente multiprofissional do IPUB e mestranda da PPGSS da UFRJ

Lilian Freitas IPPUR/UFRJ

Paula Cerqueira- Prof. do Instituto de Psiquiatria, membro do colegiado do Programa de Residência em Saúde Mental do IPUB-UFRJ

Beatriz Bicalho Branquinho Coutinho, terapeuta ocupacional residente multiprofissional do IPUB.

Dione Rodrigues Pires – Assistente Social/ Mestranda em Serviço Social no PPGSS/UFRJ

Marcela Albuquerque- Enfermeira Residente Multiprofissional- IPUB/ UFRJ

Carlos Alberto Motta, morador e ativista de favela e colaborador do curso de extensão Mídia, Violência e Direitos Humanos

Patrícia de Souza Dias – Psicóloga Residente Multiprofissional- IPUB/ UFRJ

Coletivo de Negras e Negros do Serviço Social da UFRJ

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora