Da importância de não desistir ao ouvir o 2º não

Enviado por Gunter Zibell – SP

(Ou… A Novela da Criminalização da Homofobia continua…)

1.No dia 20/nov. haveria votação do PLC 122/06 na CDH-Senado…

Projeto que criminaliza homofobia é retirado da pauta de votação de comissão do Senado

O projeto que criminaliza a homofobia foi retirado nesta quarta-feira (20) da pauta de votação da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado. A sala da comissão estava cheia de representantes de deputados da bancada religiosa e pastores evangélicos.

Segundo o reator do texto do PLC122, o deputado Paulo Paim (PT-RS), a decisão tem a intenção de buscar o consenso entre as várias partes citadas no projeto. No entanto, o projeto original da também deputada Iara Bernardi (PT-SP) já sofreu alterações nas mãos de Paim com objetivo de buscar o consenso com lideranças religiosas e ativistas LGBT….

http://blogs.odia.ig.com.br/lgbt/2013/11/20/projeto-que-criminaliza-homofobia-e-retirado-da-pauta-de-votacao-de-comissao-do-senado/

2.O mesmo para o dia 04/dez. (E 11/dez.)

Votação de projeto que criminaliza homofobia é adiada a pedido do governo

Em uma tensa reunião na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado na manhã desta quarta-feira (4), o projeto que criminaliza a homofobia teve a votação adiada pela segunda vez desde que o relatório do senador Paulo Paim (PT-RS) foi apresentado. O projeto equipara ao crime de racismo a discriminação por orientação sexual ou de gênero.O adiamento foi motivado por pedido do líder do PT, senador Wellington Dias (PT-PI). …

http://blogs.odia.ig.com.br/lgbt/2013/12/04/votacao-de-projeto-que-criminaliza-homofobia-e-adiada-a-pedido-do-governo/

3.Houve mobilização da sociedade civil (05/dez.)

Artistas e intelectuais pedem aprovação de projeto de lei contra a discriminação

Artistas e intelectuais assinaram o documento “Manifesto por um Brasil Sem Preconceito” pedindo a aprovação do Projeto de Lei Complementar 122/2006. O projeto de lei pretende combater todas as formas de discriminação e já está há 12 anos tramitando no Congresso Nacional. Chico Buarque, Cissa Guimarães, Emir Sader, Ney Matogrosso, Leonardo Boff, Daniela Mercury, Paulinho da Viola, Fafá de Belém, Alcione, Margareth Menezes, Eric Nepomuceno, Dira Paes, Geraldo Azevedo, Chico César, Alceu Valença, Cacá Diegues, Malu Verçosa, Miguel Faria Jr, Márcia Miranda e Maitê Proença já deram apoio ao manifesto, segundo a Secretaria de Direitos Humanos. …

http://revistaforum.com.br/blog/2013/12/chico-buarque-e-outras-personalidades-pedem-aprovacao-de-projeto-de-lei-contra-a-discriminacao/

4.E recurso ao Judiciário (09/dez.)

PPS entrou com uma ação no STF contra a homotransfobia.

O Partido Popular Socialista (PPS) ingressou com Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão  perante o Supremo Tribunal Federal (STF) por entender que o Congresso Nacional tem a obrigação constitucional de criminalizar a homofobia e a transfobia. O próprio deputado federal Roberto Freire, dirigente nacional do PPS, assinou a procuração no sábado, dia 7 de dezembro de 2013…

http://eliseuneto.com/2013/12/09/pps-vai-entrar-com-acao-direta-de-inconstitucionalidade-por-omissao-no-stf-com-o-objetivo-de-criminalizar-a-homofobia-e-a-transfobia/

5.Mesmo assim…

Por 2014, Planalto freia projeto que criminaliza homofobia

Pelo telefone, a ministra Ideli Salvatti orientou bancada a só votar a proposta depois das eleições, condição imposta por evangélicos em troca de apoio para a reeleição da presidente…

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-12-13/por-2014-planalto-freia-projeto-que-criminaliza-homofobia.html

6.O que trouxe discussão e repercussão negativa em blogs e redes sociais (exemplo de 14/dez.)

Por reeleição de Dilma, governo do PT rifa direitos LGBT outra vez

Ainda nas eleições de 2010, Dilma já tinha assinado termo por escrito selando sua aliança com os fundamentalistas evangélicos. E durante seu governo tem se mantido fiel ao acordo feito, criando obstáculos ao avanço de projetos LGBT sempre que a bancada evangélica a pressiona….

Portanto, a recente notícia de que o Planalto freiou o projeto que criminaliza a homofobia, por medo de perda do apoio dos evangélicos nas eleições de 2014, não deveria espantar a ninguém dado o quadro descrito. Espantoso de fato é ver ativista LGBT ou pelos direitos LGBT que diz que ainda vai votar no partido da estrelinha. Será Síndrome de Estocolmo?

http://www.umoutroolhar.com.br/2013/12/por-reeleicao-de-dilma-governo-do-pt.html

7.No entanto… (14/dez.)

O Congresso do PT aprovou a moção do deputado federal Renato Simões (PT-SP) pela aprovação do PLC122. Mais uma informação que você pode utilizar para pressionar os senadores do PT. Questione ele não estar defendendo o projeto se a Executiva e o Congresso do partido já se declararam publicamente a favor.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=549831511761249&set=gm.550118555079247&type=1&relevant_count=1&ref=nf

8.E…

Erika Kokay destaca apoio a proposta contra intolerância

Após quase dois anos parado, o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/06, que torna crime a discriminação ou o preconceito pela orientação sexual e identidade de gênero, volta à pauta da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado. A votação do substitutivo do senador Paulo Paim (PT-RS) ao projeto foi adiada, na última quarta-feira (11/12), devido à apresentação de pedido de vista coletiva….

http://www.erikakokay.com.br/portal/artigo/ver/id/3154/nome/Erika_Kokay_destaca_apoio_a_proposta_contra_intolerancia

9.O que indica que ainda há esperança!

Quarta deve ser finalmente o dia da votação do PLC122 em Brasília.

Vamos lotar a Comissão de Direitos Humanos no Senado pela manhã para aprovar o PLC122 e também as galerias do Senado para que a votação do apensado não vá para frente. Apensado para quem não sabe é uma estratégia que os fundamentalistas estão usando para tentar tirar o PLC122 de pauta da CDH.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=634002653309520&set=a.363348817041573.89671.338913866151735&type=1

O Brasil tem altos índices de violência contra lésbicas, gays, bissexuais, pessoas trans e travestis – isso poderia mudar com uma lei contra a discriminação. Essa lei existe, mas está parada no Senado há anos.

Agora ela está se movimentando outra vez – e pode receber uma aprovação importante nos próximos dias. Mas extremistas religiosos querem impedir a votação e enterrá-la de uma vez por todas.

Assine e peça que o Congresso aprove o PLC122, a lei contra a discriminação.

https://www.allout.org/pt/actions/brasil-taf

Aguardemos esta quarta-feira, 18 de Dezembro de 2013, para ver se finalmente o governo (autor do PL e com presidente da CDH-Senado e maioria no Senado) avançará no assunto (travado desde nov./2009.)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

33 comentários

  1. “Pelo telefone, a ministra

    “Pelo telefone, a ministra Ideli Salvatti orientou bancada a só votar a proposta depois das eleições, condição imposta por evangélicos em troca de apoio para a reeleição da presidente”:

    Porque Ideli, e por extensao, Dilma, suporiam que os evangelicos NAO vao trairar o governo quando eles nunca fizeram outra coisa em pais nenhum?

    • Eu também me pergunto isso…

      Mas acho que elas não supõem não… Não contam com elogios durante o mandato.

      O PSC (Feliciano) e PP (Bolsonaro) criticam abertamente Dilma, no entanto o governo renovará a aliança.

      O importante, na lógica realpoltik do PT, é evitar que o tempo de TV vá, eventualmente, para Aécio ou Eduardo Campos.

      É mais ou menos como quando o PP participou da coligação com Haddad. Os vereadores do PP muitas vezes fizeram campanha para Bolsonaro.

      Se você aumenta 3 minutos para um lado tira 3 minutos do outro, aí aumenta o gap de exposição em 6. Vai ficar aquilo que nunca se viu neste país, Dilma com 15 minutos de TV, Campos e Aécio com 3 ou 4 minutos, se tanto.

      Eu não critiquei isso quando do caso PP-Haddad porque aí só havia questionamentos em relação à contradição de se prometer a secretaria de habitação para o PP. Onde houve muitas denúncias de corrupção.

      Mas para isso há caminhos para a sociedade civil se defender, MP, tribunais de contas, etc.

      A negociação atual, em curso, envolve retirar o combate ao bullying em escolas, envolve o aumento de crimes de ódio em taxas anuais de dois dígitos.

      Trata das vidas e da dignidade de um grupo.

      E é por isso que sou tão indignado com esse tipo de negociação.

      Eu não sou contra o PT ou petistas. Eu sou é extremamente contra um gravíssimo erro. Que o PT não quer reconhecer e não gosta que seja comentado. 

      É uma diferença grande, não?

      Grosso modo seria como não ser contrário à gestão, independência externa, investimento científico e desenvolvimentismo do governo militar, mas ser contra o grave erro de se proibir partidos políticos ou direito de greve.

      Coisas boas não justificam coisas ruins, mas os argumentos usados nas discussões por aqui sempre apelam para esse sofisma.

  2. Contraponto

    Esse é o texto apresentado no relatório do Senador Paulo Paim:

    EMENDA Nº – CDH (SUBSTITUTIVO)

    PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 122, de 2006

    Altera a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, e o § 3º do art. 140 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal), para definir e punir os crimes de ódio e intolerância resultantes de discriminação ou preconceito.

    O CONGRESSO NACIONAL decreta:

    Art. 1º A ementa da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passa

    a vigorar com a seguinte redação:

    “Define e pune os crimes de ódio e intolerância resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, origem, gênero, sexo, orientação sexual, identidade de gênero ou condição de pessoa idosa ou com deficiência. (NR)”

    Art. 2º Os arts. 1º, 3º, 4º, 8º e 20 da Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passam a vigorar com a seguinte redação:

    “Art. 1º Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes de ódio e intolerância resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, origem, gênero, sexo, orientação sexual, identidade de gênero ou condição de pessoa idosa ou com deficiência. (NR)”

    “Art. 3º ……………………………………………………………………………..

    Parágrafo único. Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, origem, gênero, sexo, orientação sexual, identidade de gênero ou condição de pessoa idosa ou com deficiência, obstar a promoção funcional.

    ………………………………………………………………………………..” (NR)

    “Art. 4º ……………………………………………………………………………..

    § 1º Incorre na mesma pena quem, por motivo de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, origem, gênero, sexo, orientação sexual, identidade de gênero ou condição de pessoa idosa ou com deficiência:

    ……………………………………………………………………………….. (NR)”

    “Art. 8º Impedir o acesso ou recusar atendimento em estabelecimentos comerciais ou locais abertos ao público.

    ………………………………………………………………………………………….

    Parágrafo único: Incide na mesma pena quem impedir ou

    restringir a manifestação de afetividade de qualquer pessoa em local

    público ou privado aberto ao público, resguardado o respeito devido

    aos espaços religiosos. (NR)”

    “Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou o preconceito de raça, cor, etnia, religião, origem, gênero, sexo, orientação sexual, identidade de gênero ou condição de pessoa idosa ou com deficiência:

    ……………………………………………………………………………….. (NR)”

    Art. 3º O § 3º do art. 140 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de

    dezembro de 1940 – Código Penal, passa a vigorar com a seguinte redação:

    “Art. 140. ………………………………………………………………………….

    ………………………………………………………………………………………….

    § 3º Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a

    raça, cor, etnia, religião, origem, gênero, sexo, orientação sexual,

    identidade de gênero ou condição de pessoa idosa ou com deficiência:

    …………………………………………………………………….. (NR)”

    Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação

     

    Pois bem, a proposta redacional do art. 20 criminaliza a prática, induzição ou incitação a discriminação ou preconceito.

    Da forma SUBJETIVA como está proposto, um pastor ou padre que, a luz do texto bíblico, declarar para os discípulos de Jesus que homossessualidade é um erro, poderá ser ENQUADRADO nessa lei, no mínimo, como indução a preconceito ou discriminação aos gays e afins.

    O mesmo ocorre com parágrafo terceiro da nova redação ao artigo 140 do CP, quando estabelece que a injúria pode consistir na utilização de elementos de gênero ou orientação sexual, visto que a injúria é um conceito subjetivo da vítima homossessual, que pode se sentir injuriada com o sermão do pastor ou padre apenas por este pregar a bíblia.

     

    • A redação foi mudada, esse

      A redação foi mudada, esse texto é defasado.

      Mas faria sentido enquadrar tal ministro religioso, posto que homossexualidade não é um erro e dizer que sim é indução ao preconceito.

      Mais que isso, é um desastre. Está por trás das perseguições que familiares fazem a filhos adolescentes, não raro levando-os ao suicídio.

      E se o Brasil fosse pioneiro em textos do tipo… Mas não é.

      Leis penalizando preconceitos são comuns em toda a Europa Ocidental e América Latina há tempos, nem por isso se sabe de algum caso de pastor preso por isso.

      E os mesmos parágrafos condenam o preconceito contra religiões, não finja que não percebeu.

      Já o preconceito, a discriminação e a violência são diários.

      Acho desnecessárias (e um pouco contraproducentes) essas tentativas de Paim de conciliar o texto com religiosos. Queria ver se ele “conciliaria” o texto do Estatuto da Igualdade Racial com racistas.

      Essa conversa toda não tem nada de racional, é mera politicagem.

       

      • “FARIA TODO SENTIDO”

        Ao que consta, os textos grifados não sofreram mudança. Por outro lado,  vc mesmo admite que ” FARIA TODO SENTIDO ” criminalizar a conduta do pastor ou padre que dissesse que a homossexualidade é um erro, citando, por exemplo, o que o Apóstolo Paulo escreveu a esse respeito, literalmente:  ”  Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém. Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão. Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam. ” Romanos 1:25-28.

        Portanto, este é o nó da controvérsia, restando claro o motivo da bancada evangélica e até mesmo católicos se posicionarem contra o projeto 122 da forma como está proposto.

        Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
        Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
        Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
        E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
        E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;

        Romanos 1:24-28Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
        Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
        Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
        E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
        E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;

        Romanos 1:24-29Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
        Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
        Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
        E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
        E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;

        Romanos 1:24-28Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
        Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
        Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
        E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
        E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;

        Romanos 1:24-28

          • Depende do ponto vista de cada um.

            Por exemplo, de acordo com o ponto de vista do Apóstolo Paulo, homossexualidade é um erro, perversão, contrário a natureza, etc. E se os cristãos, de um modo geral, creem que aquilo que Apóstolo escreveu é a palavra de Deus, estaríamos diante não de um PRÉ-conceito, mas sim do próprio CONCEITO de Deus a respeito desse tema, compartilhado por todos os que creem na bíblia. O próprio Papa declarou que se um homossexual deseja se aproximar de Deus, quem seria ele para condenar (esse desejo de aproximação) ? No entanto, o Papa não  disse uma letra sobre a aprovação da conduta homossexual, nem poderia, pois estaria, neste caso, contrariando a própria palavra de Deus.

          •   Por essas e outras que a

              Por essas e outras que a religião é o símbolo maior do atraso humano. O que um demente qualquer disse há dois mil anos é utlizado para restringir direitos, agredir e até matar pessoas que não se encaixam naquela visão idiota do que deve ser uma pessoa.

              A “palavra de Deus” é ao mesmo tempo a maior balela e o maior crime da Humanidade contra ela mesma.

          • Eu não acho assim.
            Religiões

            Eu não acho assim.

            Religiões servem para mais de uma coisa. Hoje servem para as pessoas se encontrarem individualmente com seus destinos e consciências, mas no passado eram as depositárias da ética e da moral, administravam os conflitos, aplicavam a justiça. Acumulavam a história e a ciência. Os primeiros estados eram teocráticos.

            Não sei se podemos chamar de dementes as pessoas de 2000 atrás. Elas não tinham o nosso conhecimento.

            Alguns líderes na época eram vistos como apóstolos ou profetas, ok, hoje sabemos que não é assim. Mas podemos vê-los como filósofos ou sábios para suas comunidades.

            E nem fundamentalismo é errado, hoje em dia, se a pessoa não prejudicar a terceiros.

            O que é muito errado é querer colocar preceitos religiosos em legislações.

            Eu acho que atua melhor um religioso secularista, que separa as coisas, que um ateu que não faça questão de separar.

            E não são apenas dogmas religiosos os problemas. Dogmas políticos, como os do fascismo, são abacaxi tão grande quanto. 

          • Preconceito ou o próprio conceito de Deus ?

            Ao reproduzir o texto escrito pelo Apóstolo Paulo, o pastor ou o padre não estariam “usando a religião” para destilarem os seus preconceitos, mas sim, compatilhando e difundindo o próprio conceito do Deus dos cristãos a respeito dessa prática, sentimento ou comportamento. Pode-se discordar dessa visão de Deus trazida por um de seus Apóstolos mais influentes, mas não se pode criminalizar a conduta daqueles que creem e/ou concordam com essa palavras. O próprio Papa Francisco, ao declarar que se um homossexual tem o desejo de se aproximar de Deus, (o Deus da bíblia) quem seria ele para impedir ou julgar (esse desejo de apromimação) ? Contudo, o mesmo não declarou uma letra sequer a favor da homossexualidade em si, nem poderia, pois seria contrário ao que diz as Escrituras.

          • Você vai divulgar com afinco

            Você vai divulgar com afinco também todas as outras baboseiras de costumes bárbaros e erros científicos que a Bíblia tem? Ou é apenas na parte da homossexualidade que não há erro algum?

          • As ” baboseiras de costumes bárbaros e erros científicos “

            são aparentes, não são reais. Basta uma simples pesquisa dos textos originais, associada aos mais coerentes princípios de interpretação, e da revelação do Espírito Santo que inspirou as Escrituras, para se constatar isso. Mas acho que esse não é o espaço para se debater esse assunto. O que está em pauta é a liberdade de se pregar as boas novas, no caso, o Novo Testamento de Jesus Cristo, sem ser criminalizado por isso, ainda que o conteúdo da pregação implique em reprovar moralmente a conduta homossexual, porém, não a pessoa do homossexual, que deve ser acolhida na igreja. O problema é que, embora o Deus dos cristãos seja identificado na bíblia como sendo o próprio amor, a EXPRESSÃO desse Deus (AMOR) na igreja atual é ainda bastante deficiente, o que dificulta muitas vezes o acolhimento e, consequentemente, a mudança de mente e de comportamento homossexual daqueles que se aproximam do Evangelho de Deus, embora não deixe de ocorrer na igreja  inúmeros testemunhos de ex-homossexuais, ex-lésbicas, etc., ou seja, de pessoas QUE MUDARAM SUA ORIENTAÇÃO SEXUAL, e isto sem ajuda de qualquer psicólogo…

        • Bom, critique o governo

          Bom, critique o governo então…

          “Ação da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos no Fórum Mundial dos Direitos Humanos – FMDH.”

          • E ainda você reclama do Governo

            Acho esse anuncio um horror. Ainda, eu não sei o que você reclama do PT depois do Governo apoiar um cartaz deste tipo, desmerecendo a autoridade da mãe dentro do lar. Por isso a meninada de hoje não respeita nem professores nem aos seus próprios pais.

            Meninos que ainda não tem nem direito a voto são estimulados a assumir uma sexualidade absolutamente confusa, nos tempos de hoje e, pior ainda, a revelia dos seus pais. Até a Daniela Mercury demorou três casamentos héteros para ao final assumir paixão por outra mulher (obviamente, aumentou a venda de discos e de shows).

             

          • Eu reclamo de muitas coisas,

            Eu reclamo de muitas coisas, apoio outras.

            Você nunca me viu aqui reclamando do Min. da Cultura, certo? Nem da Fazenda ou Planejamento. Nem da Defesa. Nem Relações Exteriores ou comunicações.

            Sou mais governista que muita gente que posa de governista.

            Eu reclamo só de algumas medidas administrativas da Educação, Saúde, Relações Institucionais, Articulação Política, Agricultura e Justiça.

            Em relação a SDH eu já disse que atua aquém do desejado, espera demais para fazer as coisas, mas pelo menos não trabalha contra.

            Se você achou o anúncio um horror, reclame você, oras.

             

          • Primeira vez

            É a primeira vez que vi esse cartaz e, no primeiro momento achei que era uma piada.

            Se isso for sério, acho mesmo um horror e manifestei isso acima.

            Sobre a sua reclamação, acho ela em geral desproporcionada, em atenção à labor desas secretarias em pro das minorias, embora não concorde com as coisas que já temos discutido. Você teria espaço para discutir as suas ideias em qualquer partido, pelo seu preparo e coerência.

          • Obrigado.
            No PT não teria

            Obrigado.

            No PT não teria espaço não, sentir-me-ia asfixiado pelo conservadorismo moral e teorias de realpolitik que circulam por lá. PCdB já me decepcionou, é cada vez mais parecido com PT, parece corrente.

            Talvez no PPS, PV, PSoL ou PSB eu tivesse algum espaço. Mas eu não procuro espaços assim. Gosto de ser independente para questionar inclusive esses partidos se necessário.

            Conheço virtualmente pessoas filiadas a esses partidos, 1 é candidato a federal por SP pelo PSB, outro a estadual RJ pelo RJ, outro a estadual SP pelo PV e olha, acho ótimo.

            Tenho boas conversas, grande concordância em muitos assuntos (não só LGBT), não há a dificuldade de se reconhecer problemas como aqui. 

            Aqui é um lugar peculiar, é um subconjunto de pessoas que não vê problemas nem erros no PT.

            Mas isso não é a sociedade presencial.

          • Lamentavelmente

            É Gunter, mas lamentavelmente, como você observa e critica, muitas decisões, de qualquer tipo: comercial, social, profissional, laboral, etc., passam por negociação política, às vezes nem muito transparentes. Te pergunto, o Jean Wyllys, que eu vi um dia na TV e achei muito bem colocado nas suas posições, será que tem espaço no PSol para abrir espaço à causa LGBT dentro da agenda do partido? E olha que é um partido pequeno.

            Procura conhecer as diversas correntes dentro do PT (eu não conheço direito), que possui, como vantagem, de ser um partido maior e com mais chances de levar para frente alguma coisa em favor da causa LGBT embora, democraticamente, algumas coisas deverão ser discutidas e negociadas (casamento, lei conta homofobia, etc.)

          • Se ainda houver alguma

            Se ainda houver alguma corrente pró-LGBT no PT é sufocada pelo discurso majoritário, parecido ao seu.

            Muita coisa ficou clara nos últimos tempos. Então não vale a pena mais insistir nisso.

  3. O meu partido da minha causa

    Embora elogiável a coerência e a convicção do Gunter ao colocar as suas posições pessoais  e ainda, a fidalguia e educação mostrada por ele ao responder criticas ou até comentários fortes em contra das suas idéias, nem por isso posso concordar com os seus argumentos políticos. Gunter seria um excelente militante, em qualquer partido e, dentro dele, deveria lutar por inserir a pauta LGBT. Desse modo, poderá convencer a outras pessoas do partido – e através dele ao país – a pensar como ele ou a ceder em torno de reivindicações que possam ser negociadas. Se for o PT, existem dentro do PT diversas correntes diferentes, embora com maturidade política para compreender que existem causas maiores para o conjunto da nação brasileira.

     

    • Esse jeitão de ficar olhando

      Esse jeitão de ficar olhando de cima, alheio, determinando o que são causas maiores lembra um pouco o modo como a comunidade internacional enxerga a causa palestina. 

        • Exato, seu tico e seu teco

          Exato, seu tico e seu teco perceberam que você se comporta em relação a direitos dos homossexuais como a comunidade internacional em relação a direitos dos palestinos. Buscando reduzir a importância.

          • Depende do lado que se olha a luneta

            Reduz uns e aumenta outros?

            Ou será o contrário?

            Ó relatividade!

            Melhor usar olhos nus.

            A paisagem é mais real e o campo de visão é mais amplo!

             

  4.   O PT vem se tornando um

      O PT vem se tornando um partido sem espinha, é irritante isso.

      Caramba, devia ter posto isso em votação em 2011, daí não ficava nessa “contingência” de se indispor em relação a “aliados” prestes a encarar eleição.

      Isso me lembra da desculpa para o Min. das Comunicação não discutir o PNBL, em JANEIRO de 2013: é “ano pré-eleitoral”. CARA..O, TODO ANO ou é ELEITORAL ou é PRÉ-ELEITORAL. Precisamos de DITADURA pra discutir qualquer coisa minimamente polêmica?

      O pior é que depois o PT apanha do mesmo jeito. Deveria apanhar por FAZER, não por se transformar em partido BUNDÃO.

    • Mas foi posto em votação em

      Mas foi posto em votação em 2009… Já contei que em novembro/2009 aconteceu a mesma palhaçada.

      Na ocasião PSC, PR, PRB colocaram como condição o PT retirar o projeto para dar apoio a Dilma a partir de maio/2010. Quer dizer, isso não foi exposto pela mídia, mas vendo várias notícias da época a gente liga os pontos.

      O projeto já foi aprovado na Câmara sem barulho nenhum, praticamente nem foi notícia na época, considerou-se algo corriqueiro, como a aprovação de leis semelhantes no Perú e Equador. Este ano no Chile.

      E você tem razão, vai apanhar por todo lado, um religioso conservador não vai trocar o PSDB por PT só porque o pastor deu o tempo de TV pra Dilma. Vai dizer que vota por suas convicções, não por indicação de pastor.

      E a classe média secularista não vai se convencer dos discursos de demonização do PSDB. Ainda mais agora que o PSDB promete que não mexerá no Bolsa-Família.

      Quem disse no passado por todos os lados que seria secularista e não está cumprindo é o PT.

      Que arque com os ônus de imagem de suas decisões. É o preço de um discurso tão confuso.

      Mas, algo que é importante: não acho que há problemas para a reeleição por nada disso não. Acho apenas que há uma deterioração gradual da imagem.

      Minhas opiniões individuais são apenas consequência de um processo maior e em curso.

  5. Lamento profundamente esse

    Lamento profundamente esse entrave. E acho que vai além de apenas uma questão de governabilidade. Essa postura de ficar cedendo às pressões dos evangélicos se deve ao trauma da eleição de 2010, quando a questão do aborto assaltou a campanha e quase derrubou o favoritismo da Dilma, elegendo o Serra (do PSDB, é bom lembrar, Gunter).

    Mas se por um lado essa situação mostra a pusilanimidade das lideranças do PT em defender suas posições programáticas, que são pelos direitos civis, pode também mostrar uma impasse real.

    O Gunter sabe que dentre os evangélicos, existem aqueles que querem jogar os gays na fogueira, e aqueles que acham que devem ser tratados como todos os “filhos de Deus”. Para estes é fácil convencê-los de que agressões físicas e verbais e discriminação por orientação sexual deve ser punido por lei.

    Mas a esperteza do primeiro grupo, os fundamentalistas, é vender a versão de que o projeto quer impedir pastores de pregar “a palavra dos evangelhos’, segundo a qual ‘Deus só abençoa a união de um homem com uma mulher”. Isso espanta os evangélicos tolerantes, e são estes que se precisa ganhar para a causa.

    Mas é possível sim, Gunter, que o governo não esteja trabalhando para isso e queira empurrar com a barriga, para não atrapalhar as eleições. Talvez seja o movimento LGBT que possa dialogar com os evangélicos tolerantes. Ceder em alguns pontos, para combater o mais grave que é o assassinato de homosexuais. Acho que isso só avança se isolarem os fundamentalistas.

    PS: O combate ao bulying nas escolas contra gays não de deveria ser negociado também.

    PS2: Tentei assinar a petição, mas não consegui. Como faz?

     

    • Cristãos fundamentalistas x cristãos tolerantes

      Não conheço nenhum grupo de “cristãos fundamentalistas” que esteja querendo lançar os gays e afins na fogueira. Aliás, chamar pejorativamente de “fundamentalistas” todos aqueles que apenas defendem o direito de anunciar o evangelho exatamente da forma como está escrito, não deixa de ser uma forma de preconceito que também merece ser repudiada. Quantos aos chamados “cristãos tolerantes”, não creio que sejam “tolerantes” ao ponto de discordarem do que está escrito nas Escrituras sobre esse tema, com exceção, é claro, da “igreja dos gays”, mas isso é outra história, visto que os tais simplesmente ignoram determinados trechos, como se não existissem. 

    • Obrigado pelo apoio. E por

      Obrigado pelo apoio. E por notar que o link está errado, no post está o link para divulgar, não para assinar, omessa!

      Por favor, tente este:

      https://www.allout.org/pt/actions/brasil

      Mas ao debate.

      Aborto é aborto, direitos de lgbts são direitos lgbts. Ambas são questões em torno do secularismo, mas com popularidades totalmente diferentes. Como indica a pesquisa do Datasenado de out/2012 sobre valores, só cerca de 20 ou 25% são a favor da despenalização do aborto, mas 70-80% são a favor da criminalização da homofobia. Logo, misturar as coisas é um equívoco. Devem ser tratadas separadamente.

      Ao menos, esconder as receptividades diferentes é uma manipulação.

      Minha opinião sobre o episódio Serra/2010 é um pouco diferente. Ele viu que Dilma firmou acordos com os partidos religiosos (maio/2010). Só muito depois pensamos perceber que havia concessões envolvidas desde então. Serra percebeu isso, ficou assustado e apelou (a partir de ago/2010).

      Mas, cronologicamente, a ideia de recorrer a fundamentalismo moral eleitoral, é anterior. A esse propósito, já saem artigos sobre a ‘esquerda beata’ da América Latina.

      E seria muito mais digno vencer as eleições de 2010 com um discurso decente (acho uma graça agora saírem artigos na blogosfera elogiando Bachelet por ter batido recorde de votação e atribuindo como parte dos motivos falar de aborto e casamento gay. É lindo elogiar Mujica por tudo, como se em outros países da América Latina não existissem religiosos conservadores. Enfim, coerência de blogosfera é tudo…)

      Acho que é tudo caso pensado mesmo, apenas, por ser constrangedor, não é dito claramente. Não é um lado tão bonito da vida como dizer “vou aumentar o bolsa-família”.

      Enfim, meu diagnóstico é completamente outro. Eu acho que um discurso diferente seria muito melhor para o PT. Vá ao post sobre casamento LGBT e veja os comentários de Arthur e eu.

      Bom, mas nós temos avançado! Você usou palavras como pusilanimidade, ficar cedendo, empurrar com a barriga.

      Já percebe, decerto, que o caminho para a sociedade não é bom. Também já nota que o PT faz as coisas por vontade própria, mas ainda justifica por eleições…

      Quem sabe com mais alguns meses conversando não chegará a mesma conclusão minha, que isso no final das contas pode prejudicar o PT? E que eu só estou fazendo crítica construtiva e que não devo ser visto como “inimigo” só porque falo que o PT faz um erro que ninguém quer reconhecer por estar com a cabeça enterrada na areia?

      Tem este post que convido a ler:

      https://jornalggn.com.br/blog/gunter-zibell-sp/tera-o-aliancalao-consequencias

      “…e aqueles que acham que devem ser tratados como todos os “filhos de Deus”. Para estes é fácil convencê-los de que agressões físicas e verbais e discriminação por orientação sexual deve ser punido por lei.”

      Bom, mas isto é tão óbvio. Cerca de 1/4 dos evangélicos nos EUA apoiam casamento gay, são os evangélicos “ambivalentes”. Cerca de 1/4 dos evangélicos no Brasil apoia o PLC 122, inclusive alguns pastores. Chegará o ponto em que a própria consciência pesada de pastores e crentes sérios os levará a apoiar LGBTs, não tenho dúvida.

      Até porque passa a geração de conversão, e começam a surgir os adolescentes LGBT nas famílias dos primeiros convertidos…

      E é bem o que acontece em SP. Essa rixa LGBTs vs evangélicos é inflada em Brasília e por Brasília. Por quem dá crédito a mesma.

      Não existe no dia-a-dia de SP. A maioria dos evangélicos apoia Alckmin, sempre foram mais tucanos que os católicos. Eu não sei, mas aposto que a maioria dos LGBT irá preferir Alckmin a Padilha. Então onde está a rixa? Onde está a manipulação? O que os evangélicos cobram ou exigem de Alckmin? Nada. E LGBTs? Nada em especial que um cidadão também não cobre.

      “Mas a esperteza do primeiro grupo, os fundamentalistas…”

      Como fica aquela estória de que quando há corruptor há corrupto? Um malfeito não é unilateral.

      Esperteza não será, também, de quem finge que tudo isso não é um circo antiético?

       

    • “O combate ao bulying nas

      “O combate ao bulying nas escolas contra gays não de deveria ser negociado também.”

      Com certeza. Em SP e MG há programas locais, mais tímidos que o kit de Haddad, mas há e nunca foram questionados por evangélicos.

      Evangélicos, católicos, agnósticos, ateus, afro-brasileiros, judeus, budistas, espíritas, somos todos pela vida e pela dignidade.

      Não existem pedagogos questionando a abordagem. As revistas Carta Escola e Abril Educação apoiaram o kit do Haddad.

      Combate a bullying é obrigação do Min. da Educação, que obteve verba e emenda para isso. 

      É óbvio que não se pode colocar uma obrigação do Estado pela vida em negociações políticas!

      Se eu fosse Haddad teria me demitido naquela ocasião. Disse isso numa festa aqui em SP, em 29-05-2011 e foi aí que a primeira pessoa deste blog brigou comigo, por eu não aceitar a “realpolitik”.

      Sinceramente, “realpolitik” que se exploda, não existe holocausto útil, minha dignidade (refletida como espelho das aflições de meio milhão de adolescentes) não é para ser moeda de troca.

      NÃO HÁ discurso que justifique isso. Se isso constrange os governistas, que constranja. Não vivem dizendo que as pessoas devem se conscientizar dos males da concentração de poder?

      Este post apresenta a parte inicial da história:

      https://jornalggn.com.br/blog/gunter-zibell-sp/3-momentos-do-kit-antihomofobia

      Ainda não tive tempo para incorporar o vexame do MEC confessar, às vésperas das eleições de 2012, que não só sabia que o Serra tinha kit semelhante como que parte do material paulista foi copiado.

      Ocultou-se das pessoas que não havia necessidade nenhuma de se cancelar o kit federal em maio/2011, afinal, se o PSC, PR, PRB nunca reclamaram de Serra e Alckmin, bastava Haddad ter dito que o material era inspirado no paulista e não haveria reclamação nenhuma. A mídia não teria como criticar a ação do governo.

      Eu sei que o PT não tem culpa sozinho, Serra ficou que nem Mutley num canto, rindo de Haddad ser criticado por algo que ele mesmo fez (e fez com toda a dignidade e razão em fazer, em 2009, quando ainda era simpatizante.)

      Você acho que eu tenho bronca de Serra por quê? Por coisas como essas. Que vários no PT imitam (vide alguns pré-candidatos a governador para 2014.)

      Não tenho bronca de Alckmin por que ele não faz isso. Pode fazer outras coisas equivocadas, como segurança pública truculenta, mas não isso. Quando o Terra perguntou a Alckmin a opinião sobre esse episódio ele se limitou a não endossar as críticas de Serra a Haddad. Achei digno. 

      Enfim, talvez alguns adolescentes não tivessem se suicidado desde então. Muitos teriam apanhado menos, vai saber. Alguns não teriam problemas em casa, pois passariam informação aos pais.

      Sem educação pública inclusiva, mais gerações crescerão intolerantes e violentas. 

      Talvez não corresse nada diferente, o kit não era de uso obrigatório, professores conservadores não precisariam usá-lo. Mas aí o caso não seria de cancelar o programa, mas torná-lo curricular!

      Mas para os políticos a dor dos jovens e de seus pais não vale nada. O que vale é sustentar discursos eleitoreiros e ocultar as contradições.

      Eu sinto muita indignação pelas coisas que acontecem no Brasil, até choro quando escrevo isto.

       

    • “Acho que isso só avança se

      “Acho que isso só avança se isolarem os fundamentalistas.”

      Uai, quem tem o poder (ou diz que tem)? Quem tem a obrigação de fazer um discurso por direitos humanos?

      Quem precisa isolar os fundamentalistas são os Ministérios da Educação e Saúde, mas não, eles dão corda e fingem que acreditam que os fundamentalistas estão certos!

      Quando algum deputado faz discurso a favor do kit, como Roberto Freire fez em 2011, dizem que ele não presta por não gostar de Lula.

      Não vamos jogar a culpa nos evangélicos que eles não tem o poder que o governo diz que tem.

      São 13% dos votos na Câmara, não têm poder de aprovar ou barrar nada.

      Até março/2013 as presidências da CDHM eram do PT, PDT, PCdB e PSB e nem por isso encaminharam projetos de interesse.

      Ainda estou para confirmar uma estória que li, que foi iniciativa de um deputado do DEM levar o PLC 122/06 a votação e aprovação na Câmara em 2009.

      Então, no fundo, não mudou nada com Feliciano. Ele é usado como bode expiatório, veremos quando ele descobrirá isso.

      No caso mais recente, o que está em pauta, não são os evangélicos (senador Magno Malta) que podem decidir nada. O projeto é do PT, a presidência da CDH-Senado é do PT. E o PT têm 10 senadores e a cobertura das pesquisas do Datasenado (para quê encomendar a pesquisa e não usá-la, não é mesmo?)

      Cobra-se participação e política de LGBTs? Pois não, é o que fazemos divulgando e apoiando os senadores Randolfe e Lídice que no Senado promoveram uma discussão pela inclusão do casamento LGBT na Constituição.

      Senador petista que é bom, ó, some nessas horas.

      Talvez muitos petistas gostariam do “glamour” do partido ser simpatizante. Fazem contorcionismos para dizer que é.

      Não é, se foi, não é mais. E temos que conviver com isso. Às vezes parece-me que pro PT “Gay bom é Gay calado”. LGBTs são ótimos quando acreditam nos discursos bonitos e votam na Marta Suplicy. Tornam-se os “malvados que não entendem de realpolitik” quando reclamam de promessas não atendidas.

      Voltarei a votar no PT quando for a melhor alternativa para direitos humanos. E sem essa balela de que combater a miséria favorece a todos, inclusive pobres gays e bláblá. Favorece sim mas é obrigação mínima. O tratamento preconceituoso não é atacado. Não se trabalha pela igualdade.

      E também não convence esse raciocínio torto de que ceder a fundamentalistas combate a miséria. Não consigo entender como impedir educação sexual em escolas combate a miséria. Só leva, isso sim, a mais situações de aborto ilegal e a abandono de escolas.

      Isso é, inclusive, uma postura classista que desfavorece jovens pobres, pois duvido muito que escolas privadas de nível sejam negligentes em educação sexual e combate a bullying.

       

       

  6. R.I.P. PLC 122/06

    Os senadores abandonaram de vez hoje o PLC 122, apensando-o ao Código Penal, de modo a impedir a votação amanhã.

    Os senadores do PT fizeram o teatrinho simpatizante de praxe, mas o governo não vai conseguir esconder seu alívio com a situação. Apoio da bancada fundamentalista garantido para 2014.

    Já ficou claro que se trata de uma estratégia de longo prazo:

    http://www.jornalggn.com.br/blog/gunter-zibell-sp/2014-a-ultima-parada-gay

    E o governista Pedro Taques (PDT) retirou  ‘identidade de gênero’ do projeto do Código Penal e podou várias outras partes… No mesmo dia.

    Logo, Inês é morta.

    Vamos ver como o STF interpreta a Adin de Roberto Freire.

    Ninguém me convencerá mais a confiar nesse governo, contaminado até a medula pelas concessões ao fundamentalismo. Torço pela não reeleição, embora saiba que ela irá ocorrer.

    E votos para legislativo só no PPS, PV, PSOL e PSB.

    E nem estou interessado em saber como os senadores do PSDB votaram, mesmo que tenha sido pelo apensamento votarei em Alckmin mesmo. É menos perigoso.

     

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome